1402 – Conheça Mateus Aleluia (BA), voz que une a ancestralidade afro e a identidade cultural da Bahia à música brasileira

#Bahia #África #Candomblé #MúsicaBrasileira #MPB #MúsicaDePonto #Religião #CulturaPopular #Yoruba #Ioruba

As tradicionais audições matinais aqui na redação do Barulho d’água Música, no Solar do Barulho, na Estância Turística de São Roque (SP) começaram neste dia 12 de junho com Olorum, terceiro disco solo do baiano de Cachoeira Mateus Aleluia, disponibilizado apenas em versão digital pelo Selo Sesc no ano passado. O disco, que sucede Cinco Sentidos (2010) e Fogueira Doce (2017), traz em 13 faixas um tributo à divindade Olorum (Dono Além do Céu) que, na mitologia Yorubá e em algumas religiões de matriz africana é o ser supremo, responsável pela existência da humanidade e dos orixás. É o criador de tudo e de todos.

Como é o deus supremo, Olorum significa o Dono do Céu. Foi ele o responsável por criar todos os deuses – ou orixás – e também por dividir o universo sobrenatural, o Orum, do mundo em que os homens vivem – Aiê. Por fim, ele também pode ser reconhecido como Olodumare. .

Continue Lendo “1402 – Conheça Mateus Aleluia (BA), voz que une a ancestralidade afro e a identidade cultural da Bahia à música brasileira”

1401 -Marcelo Kamargo (MG) lança novo disco Samba É Amor pela Kuarup

#Samba #BossaNova #MPB #CulturaPopular #MG #MúsicaPopularBrasileira #BeloHorizonte

Quarto álbum do artista mineiro  radicado em Belo Horizonte, dedicado aos grandes sambistas, recebe as participações de Celinha Braga e Ana Espí

Samba É Amor é o título do quarto trabalho de Marcelo Kamargo, compositor, violonista e intérprete mineiro, nascido em Coronel Fabriciano e que estreou em 2001 com Clarão da Noite. Desde então, lançou mais dois trabalhos, Zerundá (2004) e Além do Sol (2008). No formato independente, o artista revelou um marcante ecletismo nas mais variadas vertentes da MPB. Nesse novo projeto, Marcelo Kamargo se reconecta com suas raízes ancestrais e se entrega de corpo e alma ao samba. Assim, realiza um tributo aos grandes sambistas brasileiros que foram suas referências nesse gênero musical. A aventura muito bem-sucedida de Marcelo Kamargo transita entre o samba mais tradicional, em composições influenciadas por Nelson Cavaquinho, Cartola, Adoniran Barbosa, Pixinguinha, dentre outros, fazendo uma ponte com os bossa novistas Paulinho Nogueira, Tom Jobim, Vinícius de Moraes e Toquinho. As gerações seguintes de sambistas também não ficaram à margem desse processo criativo, pois é assíduo ouvinte de Ruy Maurity, Benito de Paula, Paulinho da Viola, João Nogueira, Paulo César Pinheiro, Gonzaguinha, João Bosco, Aldir Blanc, Chico Buarque e Zeca Pagodinho.

Continue Lendo “1401 -Marcelo Kamargo (MG) lança novo disco Samba É Amor pela Kuarup”

1400 – Tavinho Limma (PE/SP) mergulha na obra de Fagner e lança homenagem em treze faixas ao cearense

#MPB #MúsicaBrasileira #Fagner #RaimundoFagner #CulturaPopular #MúsicaNordestina

Com participação de Paulinho Pedra Azul, treze perolas do repertório do controvertido músico nordestino fazem parte do nono álbum do ex-integrante da Banda Pau e Corda

As audições matinais aos sábados aqui no Solar do Barulho, onde fica a redação do Barulho d’água Música, na Estância Turística de São Roque (SP), começaram neste dia 5 de junho com O Mundo de Raimundo, disco lançado em 2020 por Tavinho Limma e disponibilizado em plataformas digitais pela produtora e gravadora Kuarup. O álbum em homenagem ao cantor e compositor cearense que com voz rascante e timbre árabe tanto embalou este jornalista na juventude (e até hoje o admira) traz 13 canções do eclético repertório de Raimundo Fagner. Se hoje muitos na crítica torcem o nariz para Fagner e o riscaram do caderninho por conta de posições artísticas e políticas mais recentes, outros tantos zeram tais observações e, deixando de lado a patrulha ideológica, reconhecem com justiça — como este blogueiro — a inegável qualidade da sua contribuição à música e à cultura populares brasileiras, fazendo dele um dos mais luminosos astros entre os quais podem se citar, ainda, Milton Nascimento, Chico Buarque, Caetano Veloso, Alceu Valença, Geraldo Azevedo e, para ficarmos apenas nas vozes masculinas, já fora deste plano Gonzaguinha, Dominguinhos e Belchior.

Desde 1971 até 2020, Fagner já brindou os inúmeros fãs de ao menos três gerações com cerca de 40 álbuns solo — sem contar aqueles nos quais participa, por exemplo, ao lado de outras referências luminares como Ney Matogrosso, Zé Ramalho, Luiz Gonzaga, Zeca Baleiro e até o craque Zico, entre outros trabalhos que mesclam em uma primeira e inventiva fase desde a poesia e composições de Ferreira Gullar, Garcia Lorca, Pablo Milañes, Antonio Machado, Fernando Pessoa, Patativa do Assaré e Florbela Espanca ao rock rural e ritmos latinos e mouros às raízes nordestinas; duetos icônicos com Mercedes Sosa, Joan Manoel Serrat e Rafael Alberti, por exemplo, antes da bem sucedida guinada na década dos anos 1980, quando, para agradar um público menos intelectual e exigente, plateia pouco afeita a estéticas e linguagens inovadoras, assumiu perfil romântico, até explodir em trilhas sonoras de novelas da Rede Globo.  Muito mais do que uma borbulha de sabão que o vento dissolve como espuma, continua firme e dentro do seu atual estilo, formando o time daqueles que já emplacaram a casa dos 70 anos de vida nesta estrada que, atualmente, ninguém sabe onde nos levará, seja pela perseguição e pelo esvaziamento da cultura, seja pelo negacionismo da pandemia da Covid-19 em meio a retrocessos  de todas as ordens que, como cebola cortada, tanto nos fazem chorar.   

Nesta esteira que já chega aos 50 anos de história, Fagner perdeu a unanimidade entre quem lá atrás foi bicho-grilo, mas os “bregaldos” os amam e consagrou compositores como Abel Silva, Petrúcio Maia, Manassés, Sueli Costa, Clodo, Climério & Clésio e Fausto Nilo, mostrando que somos um celeiro inesgotável quando o assunto é música. E parte de seus álbuns arrebataram sucessivamente discos de ouro (vendas acima de 100 mil cópias) e platina (acima de 500 mil), superando em 1987, com Romance no Deserto (“eu tenho a boca que arde como sol, o rosto e a cabeça quente”…) mais de 1 milhão!. Joia rara, seu primeiro filho solo, Manera Fru Fru Manera (1973), incluiu em sua primeira versão Canteiros, sucesso baseado no poema A Marcha, de Cecilia Meireles, com música de Fagner, até hoje cantado em rodas de violões depois de ecoar por todo o Brasil — um verdadeiro “balaço” que vem riscando o tempo saído do disco produzido por Roberto Menescal e pelo próprio cantor, com arranjos de Ivan Lins e participações especiais de Nara Leão, Naná Vasconcelos e Bruce Henry. Dois anos depois, Fagner foi eleito por jornalistas paulistas o Cantor do Ano. Em 1990, o Prêmio Sharp de Música Popular o reconheceu como Melhor Cantor, autor do Melhor álbum (O Quinze), da Melhor canção (Amor Escondido, parceria com Abel Silva) e, de quebra, o quarto troféu: Melhor disco regional (Gonzagão e Fagner Vol. 2.)

Tavinho Limma pinçou cuidadosamente deste baú as pedras que resolveu polir e, apesar de um disco sintético/enxuto diante de tão copioso tesouro, conseguiu alinhavar as duas facetas do polêmico Fagner, deixando na boca de quem ouve um gosto de quero mais. Zeca Baleiro, junto com o mineiro Chico Lobo, tornou-se um dos padrinhos de O Mundo de Raimundo: ambos demonstraram que ao mirar, sabiam no que apostavam, que não errariam, que seria mesmo um tiro bem dado. O projeto que Tavinho Limma primeiro concretizou por meio de uma concorrida vaquinha virtual para produção dos discos físicos não deu nem para o cheiro: virou ouro em pó! Por sorte, a Kuarup topou disponibilizá-lo em versão eletrônica, já que as tiragens do cedê se esgotaram rapidamente e acessando ao linque logo abaixo desta linha será possível ouvir o disco na íntegra.

As 13 faixas começam com A canção brasileira, com participação do mineiro Paulinho Pedra Azul, depois rememoram clássicos como Mucuripe, parceria entre Fagner e o conterrâneo Belchior, que Roberto Carlos, Elis Regina e Amelinha também interpretam; Noturno e Pedras que Cantam, temas das novelas Coração Alado (1980) e Pedra Sobre Pedra (1992); Guerreiro Menino, de Gonzaguinha, também tocada em Voltei Pra Você (1983), todas da Rede Globo; mais perolas tais como Espumas ao Vento, Astro Vagabundo, Cebola Cortada, Ave Coração e Revelação.

Natural de Recife (PE), radicado em Ilha Solteira (SP), Tavinho Limma é cantor, compositor e produtor de eventos. Ex-integrante da Banda de Pau e Corda, apresentou-se em vários eventos tradicionais pernambucanos como carnavais (em O Galo da Madrugada) e Festas Juninas de Caruaru e Recife. Sua discografia possui nove discos solos, lançados desde o primeiro elepê em 1989 — Intenções, da Gravadora Continental/Colibri, em cujas faixas Tavinho Limma interpreta canções de Oswaldo Montenegro, Fátima Guedes e Beto Mi. Entre os parceiros musicais e artísticos ao longo da carreira, destacam-se nomes como Jane Duboc, Tetê Espíndola, Antonio Calonni, Martha Medeiros, Paulinho Pedra Azul, Chico Lobo, Oswaldinho do Acordeon e Ivan Vilela. Como produtor de shows, esteve também com Tetê Espíndola, além de Dani Black e Grupo Voz.

Por diversas vezes, Tavinho Limma se apresentou na Capital bandeirante, cidades da Grande São Paulo e do Interior paulista, seja como atração de edições da Virada Cultural, festivais, projetos culturais ou em concertos solo, passando por Osasco, Cunha (Festa do Pinhão), Concurso de Marchinhas de São Luiz do Paraitinga, Festival de Música de Avaré (Fampop), Festival de Música de Tatuí, Festival de MPB de Ilha Solteira, entre outros eventos. Em 2012, participou da trilha sonora da novela Carrossel, do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), com a canção Malfeito, dele e de Rita Altério, tema do personagem Firmino. Também esteve no palco do Bar Brahma para o Projeto Talento MPB, dirigido por Lenir Boldrin.

1399 – João Paulo Amaral (SP) comemora 20 anos de carreira com álbum que une sonoridade contemporânea às raízes*

#MPB #MúsicaIndependente #ViolaBrasileira #ViolaCaipira #ViolaInstrumental #ClubeDaEsquina #RenatoAndrade #AlmirSater

Aço da Terra já está disponível nas principais plataformas digitais com faixas que unem sonoridade contemporânea e inventiva sem abrir mão das raízes tradicionais

*Com Rafael Bittencourt, Tempo D Comunicação e Cultura

Como forma de celebrar seus 20 anos de carreira dedicados à viola caipira e na busca por ampliar seus horizontes sonoros, o músico e compositor João Paulo Amaral, que mora em Campinas (SP), lança hoje, 4 de junho, nas principais plataformas digitais, Aço da Terra. O álbum sintetiza a proposta de buscar uma sonoridade contemporânea e inventiva (Aço), mas sem abrir mão das raízes tradicionais (Terra). O projeto foi financiado com recursos do ProAC Edital (SP) e conta com participação de Alberto Luccas (contrabaixo), Ana Luiza (voz), Cleber Almeida (bateria), Ricardo Herz (violino) e Valdo Amaral, pai de João Paulo, que tem 82 anos. Aço da Terra traz em seu repertório composições instrumentais do violeiro e seus arranjos para canções como Clube da Esquina no 2 (Milton Nascimento, Lô e Márcio Borges) e Cuitelinho (Domínio Público).

Continue Lendo “1399 – João Paulo Amaral (SP) comemora 20 anos de carreira com álbum que une sonoridade contemporânea às raízes*”

1398 – Nelson Sargento: homenagem do Vasco da Gama e o frio silêncio dos que atravessam o samba e jogam contra a vida

#Samba #Mangueira #Carnaval #CulturaPopular #MPB

#MáscaraSalva #FiqueEmCasa

#Liberdade #Tolerância #Diversidade #Respeito #Pluralidade #Liberdade #Democracia #ImprensaLivre #JornalistasAntiFascistas

#ForaBolsonaro

No ano II d.C., algumas coisas parecem ainda mais fora da ordem no Brasil. Não que por aqui, antes da pandemia, tenhamos experimentado viver digamos, dentro de um cenário de normalidade. Na economia, por exemplo, o desemprego já era mais do que um grito retumbante, na política a volta ao passado e a instituição do absurdo, por exemplo, marchavam em ritmo acelerado, com o ponteiro que conduz a boiada mugindo grosso em seu cercadinho e pelas mídias sociais, “negão” comandando a Fundação Palmares onde (entre outras aberrações) ataca a negritude e devassa biografias como a de Milton Nascimento, Benedita da Silva, Marina Silva, entre outros manos de responsa que não pagam pau para branco. Ah, isto sem falar nos “trupicões” do secretário de Cultura de plantão, que já nestes tempos pandêmicos anda e se deixa ver armado e, carregado em ss, escreve mensagens com erros crassos e grosseiros ao capitão, ao invés de, por exemplo, emitir uma nota institucional de pesar, de solidariedade, por perdas na últimas semanas de Paulo Gustavo, Eva Wilma, Nelson Sargento, entre tantos brasileiros, alguns abatidos pela Covid-19, terrível flagelo que, parece, virá arrebentando ainda mais nesta terceira onda.

Continue Lendo “1398 – Nelson Sargento: homenagem do Vasco da Gama e o frio silêncio dos que atravessam o samba e jogam contra a vida”

1397 -Disco de estreia da dupla Élcio Dias & Amorim celebra a obra de Pena Branca & Xavantinho

#MúsicaCaipira #ViolaCaipira #MúsicaIndependente #CulturaPopular #EmbudasArtes

Álbum que recebe as participações especiais de Elisa Dias e grupo Folia de Reis do Lajedão ganha edição exclusiva nas plataformas digitais

Já está disponível nas plataformas digitais, lançado pela produtora e gravadora Kuarup, a versão digital de Élcio Dias & Amorim Cantam Pena Branca e Xavantinho. A dupla reside em Embu das Artes, cidade da Região Metropolitana Oeste da Grande São Paulo e nesta homenagem aos irmãos José Ramiro Sobrinho (Pena Branca, de Igarapava/SP) e Ranulfo Ramiro da Silva (Xavantinho, nascido em Uberlândia/MG) realizou um trabalho apaixonado, interpretando entre grandes sucessos consagrados nas vozes dos “manos véio” Ramiro pérolas como O Cio da Terra, Vaca Estrela e Boi Fubá, Cuitelinho e Cálix Bento. Gravado no estúdio Don Produções e Estúdio de Gravações, em Itapecerica da Serra (SP), o álbum demandou oito meses de trabalho e dedicação. O projeto tem produção e direção musical assinada pelo duo embuense e arte gráfica da concidadã artista plástica Silvia Maia.

Continue Lendo “1397 -Disco de estreia da dupla Élcio Dias & Amorim celebra a obra de Pena Branca & Xavantinho”

1396 – Luís Kiari convida Elba Ramalho e grava Tomé, evocando fé, esperança e a força nestes tempos de pandemia

#MPB #KuarupMúsica #Paraíba #CulturaPopular

Música está disponível apenas pelas plataformas digitais, lançada pela Kuarup

A partir de hoje, 21, a gravadora e produtora Kuarup disponibiliza, exclusivamente nas  plataformas digitais, Tomé, nova música de Luís Kiari em parceria com Gabriel Garcia que o cantor e compositor paraibano assina e canta, acompanhado pela conterrânea Elba Ramalho.

Kiari acredita que 2021 começou nos pedindo para termos ainda mais esperança, inaugurando um tempo de acreditar que o planeta passa por mudanças significativas, que hoje nos flagelam, mas que nos trarão novo ciclo, um período no qual poderemos voltar a fincar os pés em chão firme e estaremos capazes de encontrar saída para vencermos um dos maiores inimigos que a humanidade já conheceu, o coronavírus, causador da terrível Covid-19. Tomé foi pensada por Kiari para ser seu primeiro lançamento desse ano, evocando coragem, força e fé, imprescindíveis neste momento.

Continue Lendo “1396 – Luís Kiari convida Elba Ramalho e grava Tomé, evocando fé, esperança e a força nestes tempos de pandemia”

1393 – Conheça o premiado “one man band” que o Inter (RS) perdeu para o lugar de Falcão: Oly Jr.

“Um homem é um sucesso se pula da cama de manhã e vai dormir à noite, e, nesse meio tempo faz o que gosta” – Bob Dylan

“Pedras que rolam não criam musgo.” – Muddy Waters

“O que me impressiona, à vista de um macaco, não é que ele tenha sido nosso passado: é este pressentimento de que ele venha a ser nosso futuro.” – Mario Quintana

As tradicionais audições aos sábados pela manhã aqui no boteco do Barulho d’água Música, em São Roque (SP), começaram neste dia 15 de maio excursionando desde o Guaíba ao Mississipi com Dedo de Vidro, o 11º título da discografia de treze autorais ou com participação do premiado gaúcho Oly Jr, nascido em e morador da Capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Dedo de Vidro tem como força motriz, em termos estéticos e sonoros, a intervenção do slide em todas as faixas. O slide é um objeto cilíndrico (ou um tubo) que pode ser feito de vários materiais, mas os mais usados são os de metais, de vidro ou de porcelana, como o de Oly. É usado para produzir efeitos sonoros, deslizando-o em algum instrumento de cordas, geralmente violão ou guitarra.

Continue Lendo “1393 – Conheça o premiado “one man band” que o Inter (RS) perdeu para o lugar de Falcão: Oly Jr.”

1391 – Milton Guapo (MT) lança, pela Kuarup, álbuns com Orquestra de Mato Grosso e regência de Leandro Carvalho

#MT #Berrante #MúsicaPantaneira #PantanalMT  #Rasqueado #Cáceres #OEMT #CulturaPopular #BrasilProfundo

O Berrante Pantaneiro e Pantanal Sinfônico já podem ser ouvidos exclusivamente nas plataformas digitais

Já está disponível nas plataformas digitais O Berrante Pantaneiro, álbum do músico Milton Guapo, em parceria com a Orquestra de Mato Grosso (OEMT), lançado pela produtora e gravadora Kuarup. As composições são de autoria de Guapo, nascido em Cáceres (MT), e trazem como “solista” o berranteiro Chico do Berrante, que entoa seu instrumento de trabalho junto com a OEMT para acompanhar os movimentos da sinfonia. Guapo é um pesquisador da cultura mato-grossense, em especial a da Baixada Cuiabana e do Pantanal e, certo dia, sentiu uma vibração que mais parecia o eco de um cânone das escalas e modos que ouvia quando criança.

Continue Lendo “1391 – Milton Guapo (MT) lança, pela Kuarup, álbuns com Orquestra de Mato Grosso e regência de Leandro Carvalho”

1389 – Picuá Produções reúne em Violas de Minas três dos mais importantes violeiros do Brasil

#Viola #ViolaCaipira #ViolaSertaneja #ViolaDe10Cordas #ViolaBrasileira #ViolaInstrumental #MinasGerais #CulturaPopular #FoliadeReis #Batuque #ModadeViola, #Cateretê, #Catira #Toada #Cururu #Congado #PagodeDeViola

Neste domingo, 9 de maio, a Picuá Produções promoverá por meio do canal cujo linque estará ao final desta atualização Violas de Minas, uma produção realizada com recursos do Fundo Estadual de Cultura do Estado de MG (projeto nº 2019.1904.0067) que celebrará o encontro de Chico Lobo, Pereira da Viola e Wilson Dias e revelará mais uma vez a amigos do trio e público em geral a riqueza e a diversidade da viola caipira do estado de Minas Gerais. Os protagonistas, juntos, desfilarão a partir das 11 horas cantigas, todas de seus repertórios, que nos fazem viajar pelas folias, batuques, modas, cateretês, catiras e toadas.

Continue Lendo “1389 – Picuá Produções reúne em Violas de Minas três dos mais importantes violeiros do Brasil”

1388 – Está a caminho o terceiro álbum de Rodrigo Zanc (SP). Três primeiras músicas chegam dia 21!

#MúsicaCaipira #MPB #ViolaCaipira #CulturaPopular #SãoCarlosSP

Alento, que sucederá Fruto da Lida, já conta com Sementes, Alento e Dona Pombinha. Todas parcerias com Isaías Andrade e com participações de nomes como Neymar Dias, Thadeu Romano, Emílio Martins e Daniel Pires, faixas já podem ser pré-salvas

O cantor e compositor Rodrigo Zanc, de São Carlos (SP), vai antecipar três novidades do álbum no qual ele está trabalhando, Alento, que já podem ser pré-salvas pelo linque informado ao final desta atualização e poderão ser ouvidas a partir de 21 de maio, quando o epê estará disponível nas plataformas digitais. Além da parceria com o poeta Isaías de Andrade, de Americana (SP), nas três músicas, incluindo a faixa título, para este trabalho que sucederá Pendenga (2005) e Fruto da Lida (2013), Zanc revelou, agradecido, que teve “a honra e a felicidade de ter ao meu lado amigos artistas que admiro profundamente e que, apesar das dificuldades que esse momento estranho impõe, abrilhantaram as canções com a sensibilidade que a circunstância pede”.

Continue Lendo “1388 – Está a caminho o terceiro álbum de Rodrigo Zanc (SP). Três primeiras músicas chegam dia 21!”

1387 – Já está disponível nas plataformas virtuais o álbum Viola Paulista II, com as 20 canções

jornaslistas antifascistas

#MúsicadeViola #ViolaPaulista #ViolaInstrumental #ViolaBrasileira #CulturaPopular

As tradicionais audições matinais aos sábados aqui no Solar do Barulho, onde fica o boteco do Barulho d’água em São Roque, Interior de São Paulo, começaram neste dia 1 de maio com Viola Paulista II, agora disponibilizado na integra desde meados de março nas plataformas virtuais do selo Sesc Digital com os cinco epês que formam a coletânea, totalizando 20 canções. O mapeamento do instrumento no estado bandeirante, portanto, agora está completo e mereceu, inclusive, o programa levado ar em 15 de abril no Revoredo, da USF FM, com apresentação do maestro José Gustavo Julião Camargo e cujo linque para ser ouvido e baixado estará ao final desta atualização.

O projeto Viola Paulista tem a curadoria do violeiro, compositor, professor universitário e pesquisador Ivan Vilela, que convidou inclusive violeiras tais quais Adriana Farias e Juliana Andrade, representantes de um crescente protagonismo feminino no mundo da viola.  

Continue Lendo “1387 – Já está disponível nas plataformas virtuais o álbum Viola Paulista II, com as 20 canções”

1386 – Livro de partituras Filó Machado 60/70 Songbook ganha lançamento grátis nas plataformas digitais*

#Chorinho #Choro #MPB #Jazz #CulturaPopular

Integrando o Festival SP Choro in Jazz, a obra tem evento de lançamento no Instagram com Filó Machado e participação de Carlos Badia e Léa Freire. 

*Com Verbena Assessoria

Como parte do projeto do Festival SP Choro in Jazz, que foi promovido entre 15 e 18 de abril, reunindo 22 instrumentistas de destaque na cena paulista, a Belic Arte.Cultura lança Filó Machado 60/70 Songbook nas plataformas digitais, integrando ainda as comemorações dos 60 anos de carreira e 70 de vida do compositor. O evento será hoje, 30 de abril, às 19 horas, em apresentação transmitida pelo Instagram – @festivalspchoroinjazz, com participação de Filó Machado e dos músicos Carlos Badia e Léa Freire. Filó Machado 60/70 Songbook é formado por quinze composições selecionadas pelo próprio compositor, entre sua extensa obra musical jazzística.

Continue Lendo “1386 – Livro de partituras Filó Machado 60/70 Songbook ganha lançamento grátis nas plataformas digitais*”

1385 – Pela primeira vez online, Festival Suado terá cinco atrações do rock e do reggae potiguares

#Rock #Reggae #Ragga #Música #RN #CulturaPopular #FestivalSuado #LeiAldirBlanc

Neste sábado, 1º de maio, a partir das 17 horas, vai rolar o VII Festival Suado, evento que está completando dez anos e é promovido pela Produtora potiguar Cosmos. A edição 2021, pela primeira vez, será toda virtual, em respeito às restrições sanitárias vigentes para evitar novos contágios pelo coronavírus (Covid-19). As cinco atrações convidadas dedicam-se a vertentes do rock, do reggae e do ragga e poderão ser acompanhadas em suas apresentações pelo canal da Cosmos, cujo linque estará ao final desta atualização.

Continue Lendo “1385 – Pela primeira vez online, Festival Suado terá cinco atrações do rock e do reggae potiguares”

1384- Banda de Pau e Corda (PE) lança disco de inéditas após 29 anos e busca dialogar com diferentes gerações de artistas nordestinos

Grupo pernambucano imprime sua marca em novo álbum que mistura temáticas regionais, canções românticas e letras de cunho político

jornaslistas antifascistasEm atividade desde 1972, a Banda de Pau e Corda é um dos grupos mais longevos da música popular brasileira. Integrante de um movimento de renovação da sonoridade criada no Nordeste, que tinha como epicentro o Recife (PE), o grupo foi responsável, junto a nomes como Quinteto Violado, Geraldo Azevedo e Alceu Valença, por criar uma canção popular urbana com características marcadamente nordestinas. E fez disso a sua missão. Após quase 30 anos sem entrar em estúdio para gravar um trabalho solo, o grupo lançou, em 23 de abril, um novo álbum. Missão do Cantador, título que dá nome ao álbum e também à sua faixa de abertura, marca uma espécie de retorno da Banda de Pau e Corda à sua essência. O álbum sai pelo selo Biscoito Fino, com produção assinada por José Milton e capa de Elifas Andreato.

Continue Lendo “1384- Banda de Pau e Corda (PE) lança disco de inéditas após 29 anos e busca dialogar com diferentes gerações de artistas nordestinos”

1383 – Tempo de Paz, quinto álbum de Amauri Falabella (SP), já está disponível nas plataformas virtuais

#MPB #ViolaCaipira #Violão #CulturaPopular #Amor #Natureza

Cantor, compositor e multi-instrumentista residente em Guarulhos grava novo trabalho baseado em violão e voz, com parcerias de amigos que o acompanham desde o início da carreira que o consagrou como um “trovador” moderno, mas de linhagem antiguíssima

O cantor e compositor Amauri Falabella está lançando Tempo de paz, seu quinto álbum, com nove faixas, já disponível nas melhores plataformas virtuais. Tempo de Paz traz parcerias com alguns compositores que já acompanham Falabella — residente em Guarulhos, cidade da Grande São Paulo– e do cancioneiro alternativo do Brasil entre eles Levi Ramiro, Chico Branco, Marco Túlio Oliveira Reis, Helton Gomes, Marcelo Lavrador, Jozén Rique e Sol Bueno e foi gravado no formato de voz e violão. O resultado é um trabalho que pode ser classificado com síntese da música brasileira das últimas décadas, agregando fidelidade às tradições e preocupação com a natureza, sem deixar de lado a beleza e o amor.

Continue Lendo “1383 – Tempo de Paz, quinto álbum de Amauri Falabella (SP), já está disponível nas plataformas virtuais”

1382 – Ema Klabin oferece Mostra Lei Aldir Blanc, com cinco apresentações virtuais*

#CasaMuseuEmCasa #MúsicaBrasileira #MúsicaPopularBrasileira #WorldMusic #CulturaPopular #LeiAldirBlanc

Martha Galdos, Orquestra Mundana Refugi, Liv Moraes, Ricardo Baldacci Trio, Vanessa Moreno & Salomão Soares participarão do evento que será promovido entre 23 e 27 de abril

*Com Cristina Aguilera, Mídia Brazil Comunicação Integrada (cristina.aguilera@midiabrazil.com.br/@midiabrazilcomunicacao)

jornaslistas antifascistasA Casa Museu Ema Klabin, situada na cidade de São Paulo, oferecerá até 27 de abril a Mostra Lei Aldir Blanc, com cinco apresentações virtuais iniciadas na sexta-feira, 23, que serão transmitidas pelo canal YouTube da promotora, permitindo ao público assisti-los sem sair de casa e assim respeitar as restrições sanitárias em vigor por conta da pandemia de Covid-19.

A cantora peruana Martha Galdos abriu a série, com participação de Dante Ozzetti, e será seguida por Dedicado a Você, protagonizado por Liv Moraes (voz) e Cainã Cavalcanti (violão). A programação inclui o primeiro de seis episódios do projeto Foxtrot e a Música Brasileira: 1920 a 1960, interpretado pelo Ricardo Baldacci Trio. Os internautas também poderão passear por diversas vertentes da música brasileira em Chão de Flutuar, com Vanessa Moreno (voz) e Salomão Soares (piano), além de conhecer mais da música étnica que caracteriza o eclético repertório da Orquestra Mundana Refugi, formada por músicos brasileiros, imigrantes e refugiados.

Continue Lendo “1382 – Ema Klabin oferece Mostra Lei Aldir Blanc, com cinco apresentações virtuais*”

1381 – Festival de Arte Vale do Paraíba 2021 prossegue até 25 de abril, com perto de 30 atrações

#MPB #ViolaInstrumental #ViolaCaipira #CulturaPopular #FestivaldeArteValedoParaíba #AtuaçãoSustentável #MeioAmbiente

 Evento multicultural que reúne artistas para tributo a Paulo Simões e busca inspirar a sensibilidade social com foco no desenvolvimento humano reúne cantores de velhas e novas utopias de múltiplas linguagens, buscando inspirar um conceito de sustentabilidade que permeia todas as instâncias da vida e da sociedade.

Cantores de diferentes gerações da música brasileira vão participar do 4º Festival de Arte Vale do Paraíba, que teve início na quarta-feira, dia 21, e vai terminar neste dia 25 de abril, com uma programação em tributo ao cantor e compositor Paulo Simões. Os convidados apresentarão releituras de canções de Simões tais quais Vida Bela Vida, Mês de Maio, Viola e Vinho Velho, Razões, Serra de Maracaju, Sonhos Guaranis, Milhões de Estrelas, Varandas, 7 Sinais, Maneira Simples, Lua Nova, e Água que Correu, entre outras.

Paulo Simões é um compositor carioca de extrema importância, indicado ao Grammy Latino 2016 (Melhor Música em Língua Portuguesa) pela composição de D de Destino, em parceria com Almir Sater e Renato Teixeira. É dele a coautoria em muitas das canções interpretadas por Sater, tanto as informadas linhas acima, como os clássicos Comitiva Esperança, A Saudade é uma Estrada Longa e Trem do Pantanal, esta última em parceria com o saudoso Geraldo Roca Continue Lendo “1381 – Festival de Arte Vale do Paraíba 2021 prossegue até 25 de abril, com perto de 30 atrações”

1380 – Mais cinco atrações encerram o 4º Viola de Feira, da Picuá Produções

#ViolaCaipira #ViolaInstrumental #ViolaBrasileira #Viola10Cordas #MúsicaBrasileira #CulturaPopular

A hora do almoço com música de raiz e com ambiente de feira de eventos, o que unirá boa comida e ótima companhia.

A Picuá Produções Artísticas promoverá neste domingo, 25, a rodada de encerramento do 4º Viola de Feira, que teve início em 4 de abril, com apoio do Ministério do Turismo e do Governo do Estado de Minas Gerais, agora contemplado pelo Edital da Lei Aldir Blanc (Edital Nº 16/2020  processo nº 1397)l. Violeiros consagrados vem se revezando a cada domingo deste período a partir das 11 horas e suas apresentações podem ser acompanhadas pelo canal https://m.youtube.com/user/picuaproducoes, sem a necessidade, portanto, de sair de casa e promover aglomerações neste grave momento da pandemia de Covid-19 em todo o país.

O projeto Viola de Feira é idealizado por Wilson Dias com o apoio da esposa Nilce Gomes à frente da Picuá Produções. O casal entende do riscado e convidou conterrâneos mineiros e de outros estados para embalarem a hora do almoço com música de raiz e com ambiente de feira de eventos, o que unirá boa comida e ótima companhia. Os concertos do projeto Viola de Feira sempre lotaram o Centro Cultural Padre Eustáquio, em Belo Horizonte (MG), formato agora inviável devido à expansão do coronavírus. Em 2021, apesar de hoje o palco ser virtual, não faltará a qualidade que já popularizou o evento.

Continue Lendo “1380 – Mais cinco atrações encerram o 4º Viola de Feira, da Picuá Produções”

1379 – Valdir Verona (RS) lança Girassol, epê com cinco temas instrumentais que acompanha e-book

#MúsicaInstrumental #MúsicaIndependente #Viola10Cordas #Viola9Cordas #MúsicaBrasileira #CulturaPopular #ValdirVerona #CaxiasdoSul #RioGrandedoSul

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) está privando o público das apresentações ao vivo dos artistas de um modo geral, mas alguns têm aproveitado o tempo de recolhimento forçado para dar vida a novos projetos, trazendo para quem os admira novidades das mais interessantes. E, neste cenário, as mídias sociais vêm sendo um palco dos mais recorrentes para lançamentos e concertos online, criando uma nova forma de interação entre eles e os fãs. Um dos mais conceituados cantores e compositores do país, o gaúcho de Caxias do Sul Valdir Verona também está se valendo do tempo em casa para criar e anuncia já para a próxima quinta-feira, 22, o lançamento de Girassol, um epê com cinco temas instrumentais para viola, acompanhado de um e-book com as partituras e tablaturas, mais vídeo aulas, que já pode ser pré-salvo pelo linque que estará ao final desta atualização.

Continue Lendo “1379 – Valdir Verona (RS) lança Girassol, epê com cinco temas instrumentais que acompanha e-book”

1378 – Single “Clube da Esquina nº 2” abre alas para a chegada de novo álbum de João Paulo Amaral

#joaopauloamaral #joaopauloamaraltrio #analuiza #violabrasileira #vocalise #dueto #arranjo #musicainstrumentalbrasileira #violacaipira #jazz #trio #musicacaipira #violasertaneja #violadedezcordas #açodaterra #violeiro #violacontemporanea #miltonnascimento #loborges #marcioborges #clubedaesquina #ossonhosnaoenvelhecem #minasgerais #mpb #single #lançamento

Aço da Terra está em produção e trará 11 faixas com músicas inéditas do cantor e compositor que dirige uma orquestra filarmônica, levou a viola caipira para a universidade e é unanimidade no meio, mas se destaca, também, pela capacidade de levar o instrumento para além das porteiras da roça  

jornaslistas antifascistasO cantor e compositor paulista João Paulo Amaral, um dos integrantes do trio Conversa Ribeira, diretor da conceituada Orquestra Filarmônica de Violas, de Campinas (SP), e um dos mais respeitados violeiros do país na atualidade, interrompeu um hiato de dez anos sem gravar álbuns autorais e está anunciando para amigos e fãs Aço da Terra, seu novo álbum de carreiro solo, já em preparação para ser lançado. Quando se fala em João Paulo Amaral no universo caipira, um dos primeiros a levar para a universidade o estudo do gênero em âmbito acadêmico, desenvolvendo para a Universidade de Campinas (Unicamp) pesquisa de Mestrado sobre o ícone Tião Carreiro, todos tiram o chapéu. Os aplausos costumam ser longos, e veremos a seguir, merecidos.

Continue Lendo “1378 – Single “Clube da Esquina nº 2” abre alas para a chegada de novo álbum de João Paulo Amaral”

1377 – Edson D’aísa (SP) promove lançamento do terceiro disco em apresentação online

#MPB #MúsicaIndependente #CulturaPopular #SãoRoqueSP #SãoRoque #CasaRosaManjericão

jornaslistas antifascistasO cantor e compositor Edson D’aísa está finalizando os preparativos para o lançamento oficial nas plataformas digitais do álbum Tanta Coisa, o terceiro de sua carreira, contemplado no Edital de fomento 01/2020 publicado pela Prefeitura da Estância Municipal de São Roque (SP), por meio da Divisão de Cultura e viabilizado pela Lei Aldir Blanc 14.017(emergencial). Totalmente autoral, gravado em estúdio caseiro conforme a proposta do projeto do autor, Tanta Coisa reunirá 12 canções que poderão ser conhecidas pelo público fã e amigos do são roquense já nesta segunda-feira, 19, quando ele promoverá uma apresentação de lançamento virtual, a partir das 20 horas, pelo canal facebook/confaca.saoroque.

Continue Lendo “1377 – Edson D’aísa (SP) promove lançamento do terceiro disco em apresentação online”

1376 – Viola de Feira traz Josino Medina entre as atrações da terceira rodada de 2021

#ViolaCaipira #ViolaInstrumental #ViolaBrasileira #Viola10Cordas #MúsicaBrasileira #CulturaPopular

A hora do almoço com música de raiz e com ambiente de feira de eventos, o que unirá boa comida e ótima companhia.

jornaslistas antifascistas

A Picuá Produções Artísticas promoverá neste domingo, 18, a terceira rodada da quarta edição do projeto Viola de Feira, que teve início em 4 de abril e terá concertos virtuais até 25 de abril, com apoio do Ministério do Turismo e do Governo do Estado de Minas Gerais, agora contemplado pelo Edital da Lei Aldir Blanc (Edital Nº 16/2020 – processo nº 1397)l. Violeiros consagrados se revezarão a cada domingo deste período a partir das 11 horas e suas apresentações poderão ser acompanhadas pelo canal https://m.youtube.com/user/picuaproducoes, sem a necessidade, portanto, de sair de casa e promover aglomerações neste grave momento da pandemia de Covid-19 em todo o país.

O projeto Viola de Feira é idealizado por Wilson Dias com o apoio da esposa Nilce Gomes à frente da Picuá Produções. O casal entende do riscado e convidou conterrâneos mineiros e de outros estados para embalarem a hora do almoço com música de raiz e com ambiente de feira de eventos, o que unirá boa comida e ótima companhia.

Continue Lendo “1376 – Viola de Feira traz Josino Medina entre as atrações da terceira rodada de 2021”

1375 – Livro de Sidnei de Oliveira (RS/SP) que traz visão sem estereótipos do caipira já pode ser encomendado

#ViolaCaipira #ViolaInstrumental #MúsicaCaipira #CulturaCaipira #CulturaPopular

Obra em fase de impressão recebeu o Prêmio Marcus Pereira de Pesquisa em Música Popular Brasileira. com distribuição planejada para o começo do segundo semestre, terá três capítulos

A arte da capa do livro inserida nesta publicação é de Renato Pontello

 jornaslistas antifascistasFicará aberta até 15 de maio a campanha de pré-venda do livro Requiem: O arquétipo e a transfiguração do caipira, que o compositor e professor gaúcho radicado na cidade de São Paulo, Sidnei de Oliveira, lançará com produção de Leonor Bianchi, patrocínio da Editora Flor Amorosa, promoção e divulgação da Revista do Choro. Contemplado pelo Prêmio Marcus Pereira de Pesquisa em Música Popular Brasileira na cidade do Rio de Janeiro, o livro, composto de três capítulos, começará a ser entregue em 1º de julho, podendo a distribuição, inclusive, vir a ser iniciada antes desta data. Detalhes para a operação de reserva de exemplares estarão em um linque ao final desta atualização. Cada volume custará durante a fase de pré-venda R$50,00, mais R$10,00 para o frete, totalizando R$60,00.

Continue Lendo “1375 – Livro de Sidnei de Oliveira (RS/SP) que traz visão sem estereótipos do caipira já pode ser encomendado”

1374 – Vozes Bugras conta trajetória de 18 anos em apresentações contempladas pela LAB

#MúsicaBrasileira #MúsicaIndependente #CulturaPopular

Episódios começam no dia 18 de abril e ficarão disponíveis por 24 horas  

jornaslistas antifascistasO grupo paulistano Vozes Bugras está completando 18 anos de contribuições para a música de qualidade e a cultura popular e para celebrar este momento e compartilhar suas inúmeras realizações, promoverá uma série de apresentações virtuais (lives) a partir do domingo, 18 de abril, retratando sempre a partir das 20 horas o repertório e as pesquisas produzidas neste período. Os conteúdos poderão ser acompanhados pelo canal cujo linque estará disponível ao final desta atualização; o projeto conta com recursos do edital ProAc Expresso Lei Aldir Blanc (LAB) 39/2020, por meio do Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura e Governo do Estado de São Paulo por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, além do apoio Associação de Teatro de Atibaia (ATA), onde foram promovidas as gravações.

Continue Lendo “1374 – Vozes Bugras conta trajetória de 18 anos em apresentações contempladas pela LAB”

1373- Conheça Gileno Foinquinos, guitarrista de jazz do Pará, e seu novo álbum, Voo do Carapanã

Dedicado à música desde os 6 anos, o autor do álbum, já tocou com nomes da cena belenense como Sebastião Tapajós e Nego Nelson, além de integrar várias bandas e dividir palcos no Brasil e no mundo com Proveta, Bocato, Filó Machado, Elza Soares e Maria Rita, entre outros

jornaslistas antifascistasAs tradicionais audições dos sábados pela manhã aqui no Solar do Barulho, sede do Barulho d’água Música em São Roque (SP), começaram neste dia 10 de abril com Voo do Carapanã, oitavo álbum do paraense de Cametá Gileno Foinquinos, músico, compositor e arranjador considerado referência da guitarra jazzística para além da região Norte do país. Voo do Carapanã, cujo nome alude a um inseto semelhante a um pernilongo, mas “do bem”, contém oito faixas instrumentais e pode ser ouvido na íntegra visitando o linque que estará ao final desta atualização, com participações de César Augusto “Gugu” (bateria); Wesley Jardim (baixo); Willian Jardim (guitarra), além de Márcio Jardim, Wendel Brandão e Joelson Lopes. Foinquinos toca guitarra acústica.

Continue Lendo “1373- Conheça Gileno Foinquinos, guitarrista de jazz do Pará, e seu novo álbum, Voo do Carapanã”

1372 – Picuá Produções e Wilson Dias promovem segunda rodada do Viola de Feira 4

#ViolaCaipira #ViolaBrasileira #ViolaInstrumental #ModaDeViola #ModadeViola #VioladeFeira #ViolaDeFeira #Cultura Popular

No domingo, 11, a partir das 11 horas, será a vez dos concertos virtuais dos mineiros Letícia Leal, Padre Paulo Morais, Zaak Porto, Chico Lobo e do paulista Paulo Freire

jornaslistas antifascistasA Picuá Produções Artísticas promoverá neste domingo, 11, a segunda rodada da quarta edição do projeto Viola de Feira, que teve início em 4 de abril e terá concertos virtuais até 25 de abril, com apoio do Ministério do Turismo e do Governo do Estado de Minas Gerais, agora contemplado pelo Edital da Lei Aldir Blanc (Edital Nº 16/2020  processo nº 1397)l. Violeiros consagrados se revezarão a cada domingo deste período a partir das 11 horas e suas apresentações poderão ser acompanhadas pelo canal https://m.youtube.com/user/picuaproducoes, sem a necessidade, portanto, de sair de casa e promover aglomerações neste grave momento da pandemia de Covid-19 em todo o país. O projeto Viola de Feira é idealizado por Wilson Dias com o apoio da esposa Nilce Gomes à frente da Picuá Produções. O casal entende do riscado e convidou conterrâneos mineiros e de outros estados para embalarem a hora do almoço com música de raiz e com ambiente de feira de eventos, o que unirá boa comida e ótima companhia.

Continue Lendo “1372 – Picuá Produções e Wilson Dias promovem segunda rodada do Viola de Feira 4”

1371 – Osni Ribeiro (SP) apresenta Arredores, baseado em seu mais recente disco, em seis concertos virtuais*

#MúsicaCaipira #MúsicaDeViola #ViolaCaipira #ViolaBrasileira # #CulturaPopular #Botucatu

* Com Graciela Binaghi e Lígia Sanches

jornaslistas antifascistasAs tradições audições matinais aos sábados aqui no Solar do Barulho, em São Roque, Interior paulista, começaram neste sábado de Aleluia, 3 de abril, com Arredores, disco que o cantor e compositor violeiro Osni Ribeiro, paulista de Botucatu, lançou em 2019 e que será a base do repertório que ele apresentará em seis concertos virtuais, entre 6 e 25 de abril. Ribeiro foi beneficiado pelo Edital ProAc Expresso Lei Aldir Blanc (por meio do Governo Federal, Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Cultura e Economia Criativa/ProAc). e poderá ser acompanhado por canais online em transmissões com produção executiva Abacateiro Produção & Arte cujos linques e horários estarão disponíveis ao final desta atualização.

Continue Lendo “1371 – Osni Ribeiro (SP) apresenta Arredores, baseado em seu mais recente disco, em seis concertos virtuais*”

1370 – Rafa Castro apresenta Teletransportar em concerto virtual do Sesc paulistano

#MPB #CulturaPopular #MúsicaIndependente

jornaslistas antifascistasO cantor, compositor e pianista Rafa Castro será a atração deste sábado, 3 de abril, do projeto virtual Sesc ao Vivo, a partir das 19 horas, em concerto que será transmitido diretamente de sua casa e estúdio pelo canal cujo linque de acesso está no final desta atualização. Mineiro de São João Nepomuceno, cidade da Zona da Mata que fica na região de Juiz de Fora, Rafa Castro atualmente transita pela cidade de São Paulo, onde mora no bairro do Bom Retiro já há cinco anos. Na apresentação online, trará ao público as músicas de Teletransportar, seu quarto disco autoral, lançado há um ano, no qual amplia sua criação também para a escrita e, em suas letras, apresenta questionamentos sobre política, meio ambiente, o poder da natureza e sua busca espiritual.

Continue Lendo “1370 – Rafa Castro apresenta Teletransportar em concerto virtual do Sesc paulistano”

1369 – Wilson Dias e Picuá Produções promovem 4º Viola de Feira, com 20 concertos virtuais

#MúsicadeViola #ViolaBrasileira #ViolaCaipira #ViolaInstrumental #ViolaDeFeira #CulturaPopular

Projeto resgata a tradição da viola caipira em suas diversas óticas e arranjos e propõe nova formatação com apresentações on-line, com canções autorais e peças da cultura popular brasileira

jornaslistas antifascistasA Picuá Produções Artísticas apresentará a quarta edição do projeto Viola de Feira por meio de concertos virtuais entre 4 e 25 de abril, com apoio do Ministério do Turismo e do Governo do Estado de Minas Gerais, agora contemplado pelo Edital da Lei Aldir Blanc (Edital Nº 16/2020 – processo nº 1397)l. Violeiros consagrados se revezarão a cada nova rodada sempre a partir das 11 horas e suas apresentações poderão ser acompanhadas pelo canal https://m.youtube.com/user/picuaproducoes, sem a necessidade, portanto, de sair de casa e promover aglomerações neste grave momento da pandemia de Covid-19 em todo o país. O projeto Viola de Feira é idealizado por Wilson Dias com o apoio da esposa Nilce Gomes à frente da Picuá Produções. O casal entende do riscado e convidou conterrâneos mineiros e de outros estados para embalarem a hora do almoço com música de raiz e com ambiente de feira de eventos, o que unirá boa comida e ótima companhia.

Continue Lendo “1369 – Wilson Dias e Picuá Produções promovem 4º Viola de Feira, com 20 concertos virtuais”

1367 – Jair Luz e Margareth Menezes gravam single para homenagear José Carlos Capinan

Chão de Pedras, lançado pela Kuarup e pelo selo Samba em Movimento, celebra a obra e os 80 anos completados em fevereiro do músico e compositor tropicalista baiano

Está disponível desde a sexta-feira, 19, nas plataformas digitais, pelo selo Samba em Movimento, Chão de Pedras, que traz Jair Luz em dueto com Margareth Menezes. O single é mais um lançamento da Produtora e Gravadora Kuarup, agora em homenagem ao poeta tropicalista baiano de Esplanada Capinan, a partir de uma ideia do primo dele, o cardiologista e compositor Ary Alves. O médico ligou para Luz dizendo que tinha uma letra para Capinan. Luz a recebeu e se apaixonou pela ideia de cantá-la. “Corri para o violão e, em dez minutos, a música estava pronta”, contou Luz. “Mas a finalização só veio quatro meses depois, com a participação da Margareth, de forma bem espontânea”, emendou. “Eu mandei a canção e ela ficou encantada. Disse no ímpeto que queria cantar e que, pelo fato de ter sido escrita para o Capinan, nada melhor. Margareth Menezes me retornou minutos depois, cantando o refrão, muito melhor que eu e o Dr. Ary Alves”.

Continue Lendo “1367 – Jair Luz e Margareth Menezes gravam single para homenagear José Carlos Capinan”

1366 – Está saindo do forno a lenha “De Joanópolis a Barbacena”, disco camisa 10 de Francis Rosa (SP)*

#MúsicaBrasileira #MúsicaCaipira #MúsicaDeViola #ViolaCaipira #CulturaPopular #Joanópolis #Barbacena  #Monte Verde #Camanducaia #São Francisco Xavier #São Bento do Sapucaí #Monteiro Lobato #Gonçalves #Delfim Moreira #Baependi #Ibertioga #SerraDaMantiqueira

Cantor e compositor, o violeiro percorreu 10 cidades aos pés da Serra da Mantiqueira e traduziu para as cordas caipiras os costumes dos povos com os quais interagiu

* Com Jefferson Bellodi

Sou caipira e moro no mato(…)/Toco viola nas tardezinhas (…)/Alguns me chamam de esquisito/saio da roça e já fico aflito/moro do lado de uma lagoa/pesco nas tardes que fico a toa/sou tão feliz aqui e não minto:/gosto de couve com ovo frito…

Sou, faixa 1 do álbum De Joanópolis a Barbacena

As tradicionais audições matinais que aos sábados animam o cafofo do Barulho d’água Música aqui em São Roque (SP) começaram neste dia 20 de março com De Joanópolis a Barbacena, que o violeiro, cantor e compositor Francis Rosa está tirando agorinha, mesmo, do forno do fogão a lenha, com lançamento físico programado para amanhã, 21 de março. Décimo álbum da trajetória de Rosa, De Joanópolis a Barbacena reúne onze canções inéditas e traz Francis Rosa (viola caipira/voz), Reginaldo Oliveira e Carlito Rodrigues (baixo), Rafael Schimidt (violão nylon), Daniel Blando(sanfona), Matheus Pedroso Ruíz (bateria), Rafael Beck (arranjo de cordas), Rafael Henrique (cello) e Rogério Romera (violino e viola clássica).

Continue Lendo “1366 – Está saindo do forno a lenha “De Joanópolis a Barbacena”, disco camisa 10 de Francis Rosa (SP)*”

1364 – Kátya Teixeira e André Venegas estreiam “Acalantos”, projeto destinado a abraçar fãs e amigos*

#MúsicaIndependente #MúsicaLatinoAmericana #MúsicaLusoBrasileira #AmericaLatina #Portugal  #CulturaPopular

Em apresentações virtuais, cantora passeará pelo cancioneiro popular latino-americano e luso-brasileiro, mesclando canções inéditas entremeadas a sucessos da sua carreira, causos e poesias, com participação de Nani Braun

* Com Mercedes Cumaru

Na sexta-feira, 19 de março, a partir das 21 horas, a cantora e compositora paulistana Kátya Teixeira começará a apresentar Acalantos, uma série de cinco concertos virtuais planejada para acalentar nesse momento tão singular e inquietante no qual as pessoas ao redor do mundo carecem de afeto e se sentem fragilizadas diante da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). As canções escolhidas para o repertório busca oferecer acolhimento e momentos de paz para o público e a família, posto que poderá ser acompanhado por fãs e amigos de Kátya de todas as gerações. A cada nova rodada, as cantigas serão entremeadas por causos e poesias de Luizinho Bastos e Luís Perequê, interpretadas pela convidada especial Nani Braun, contadora de histórias, arte-educadora, atriz e apresentadora de TV. Para sintonizar Acalantos, bastará visitar o canal oficial de Kátya Teixeira em http://youtube.com/katyateixeirabr e em portais parceiros como o do Dandô – Circuito de Música Dércio Marques e que serão divulgados pelas redes sociais da artista.

Continue Lendo “1364 – Kátya Teixeira e André Venegas estreiam “Acalantos”, projeto destinado a abraçar fãs e amigos*”

1363 – Ricardo Vignini (SP), 30 anos de estrada, recebe convidados em seis apresentações virtuais*

#MúsicaDeViola #ViolaCaipira #ViolaInstrumental #Rock #MPB #CulturaPopular

Violeiro paulistano vai se apresentar entre 20/3 e 4/4 e abre vaquinha eletrônica para álbum triplo, reunindo discos lançados em 2020, e livro

* Com Graciela Binaghi

O violeiro, compositor e produtor musical Ricardo Vignini chegou aos 30 anos de carreira e para celebrar a marca promoverá em seis apresentações virtuais o Projeto Reviola, contemplado pela Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, por meio da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e do Ministério do Turismo do Governo Federal. Os concertos começarão sempre às 18 horas, com rodadas aos sábados e aos domingos, entre 20 de março e 4 de abril, com transmissão pelo canal de Vignini. Entre os convidados, ele receberá Adriana Farias e Alzira E; Socorro Lira e Uli; e Zé Geraldo e Tuia. Fernando Nunes (baixo) e Ricardo Berti (bateria) também estarão no palco.

Continue Lendo “1363 – Ricardo Vignini (SP), 30 anos de estrada, recebe convidados em seis apresentações virtuais*”

1362 – Cibele Codonho e Silvia Goes apresentarão Música é Feminino em 8 de março*

#MPB #CulturaPopular #DiaInternacionaldaMulher

Cantora e a pianista paulistanas homenageiam as mulheres em apresentação virtual, no Dia Internacional da Mulher

*Com Lúcia  Rodrigues (Lúcia Produções)

As tradicionais audições aos sábados pela manhã aqui no cafofo do Barulho d’água Música, no Solar do Barulho (São Roque/SP) começaram com Afinidade, álbum que a cantora paulistana Cibele Codonho lançou em 2016. Cibele vem pilotando, às segundas-feiras, a série de apresentações virtuais ao vivo (lives) Música é Feminino, nas quais conversa com amigas da estrada. Ela já recebeu, por exemplo, Léa Freire, Bárbara Barcellos, Wanessa Dourado, Débora Gurgel, Roberta Valente e Alana Alberg e, agora, para celebrar o Dia Internacional da Mulher, dividirá a tela com a pianista Silvia Goes, com direção e produção musical de Felipe Senna, da produtora Ninho do Corvo. Embora já tenham trabalhado em parceria, esta será a primeira vez que ambas se juntarão para um concerto de voz e piano, marcado para começar às 20 horas e que poderá ser acompanhado pelo canal Youtube da anfitriã.

Continue Lendo “1362 – Cibele Codonho e Silvia Goes apresentarão Música é Feminino em 8 de março*”

1361 – Selo Sesc lança mais um EP, o terceiro da série do álbum Viola Paulista II*

#ViolaCaipira #MúsicaInstrumental #MúsicaCaipira #ViolaInstrumental #ViolaBrasileira #CulturaPopular 

Com Luciano Pereira (Conteúdo Comunicação)

O Selo Sesc lançou na quarta-feira, 3 de março, o terceiro epê da coletânea Viola Paulista II, desta vez dedicado a violeiros da região Sudeste do estado de São Paulo. Nesta rodada nomes importantes que se dedicam a tocar o instrumento (Ricardo Anastácio, Zeca Collares, Fernando Deghi e Ricardo Vignini) representam Sorocaba e região, e assim vai sendo completado o mapeamento do instrumento no estado bandeirante, que já disponibiliza nas plataformas digitais do selo Sesc Digital as coletâneas que formam os epês 1 e 2; em 10/3 será lançado o 4 e, uma semana depois, em 17 de março, as faixas do 5.

O projeto Viola Paulista tem a curadoria do violeiro, compositor, professor universitário e pesquisador Ivan Vilela e reúne, ao todo, 20 artistas de carreiras consagradas, incluindo Adriana Farias e Juliana Andrade, representantes de um crescente protagonismo feminino no mundo da viola.  Continue Lendo “1361 – Selo Sesc lança mais um EP, o terceiro da série do álbum Viola Paulista II*”

1360 – Cantador e compositor Cláudio Lacerda (SP) apresenta projeto virtual Canções para acordar o Sol*

#MPB #MúsicaCaipira #CulturaPopular #ViolaCaipira

Dono de uma das vozes mais marcantes dessa geração da nova música caipira, cantador e compositor se une a parceiros de estrada consagrados em projeto virtual inédito

* Com Luciana Gandelini e Carretel Music

As tradicionais audições aos sábados pela manhã aqui na redação do Barulho d’água Música, no Solar do Barulho, em São Roque (SP), começaram ontem, 27/2, com Canções para acordar o Sol, o mais recente álbum do cantador, compositor, instrumentista e pesquisador paulistano Cláudio Lacerda. Quinto da discografia de Lacerda, o álbum, que tem  participações de Mônica Salmaso e Rolando Boldrin, dá nome à série de apresentações virtuais (“lives”) que ele protagonizará às quintas-feiras entre 4 de março e 8 de abril, sempre a partir das 20 horas, pelos canais digitais Youtube e Facebook. O projeto, inédito, produzido pelo próprio artista, será coadjuvado por parceiros de estrada como Neymar Dias, Toninho Ferragutti, Rodrigo Zanc, Sérgio Turcão e Thadeu Romano. As apresentações fazem parte do projeto contemplado no edital ProAC Expresso Lei Aldir Blanc 39/2020.

Continue Lendo “1360 – Cantador e compositor Cláudio Lacerda (SP) apresenta projeto virtual Canções para acordar o Sol*”

1359 – Lili Carabina inspira banda potiguar Derrame Verbal em Bang, Bang!, mais uma novidade da Frika Records*

#MúsicaPotiguar #MúsicaBrasileira #MúsicaIndependente #Punk #HorrorPunk #HeavyMetal #CulturaPopular #NatalRN

*Com Franco Mathson

Quarteto expoente do punk horror, liderado por um artista plástico e professor da rede pública, faz músicas nas quais mistura ocorrências funestas e violentas, pitadas de humor e histórias narradas pela mãe do vocalista, formador do grupo em 2014

A banda potiguar Derrame Verbal está lançando nas plataformas digitais, com apoio da Frika Records, Bang Bang!, novo trabalho em que histórias funestas do cotidiano são apresentadas equilibrando pitadas de horror, alusão a fatos violentos e humor, por meio de composições nas quais predominam gêneros como punk horror e o heavy metal. Entre as quatro faixas do epê o grupo faz referências a Lili Carabina (assaltante de bancos que fez fama nos anos 1970 e 1980), crítica o excesso do uso da tecnologia em Macumba Digital (com participação da conterrânea Thazya Regina),  e apresenta, ainda Boa noite Cinderela e Amigo inimigo meu.

Continue Lendo “1359 – Lili Carabina inspira banda potiguar Derrame Verbal em Bang, Bang!, mais uma novidade da Frika Records*”

1358 – Maria Pérola (PE/SP) relembra sucessos de Belchior em primeira de seis apresentações temáticas virtuais

#MPB #Recife #MúsicaIndependente #CulturaPopular


Jovem cantora do Recife vai destacar vários grandes compositores brasileiros e fechará o projeto com canções de sua própria autoria patrocinada por iniciativa da Lei Aldir Blanc

A cantora, violonista e compositora pernambucana de Jaboatão dos Guararapes radicada em São Paulo Maria Pérola, festejada com uma promessa na Nova MPB, fará a partir desta sexta-feira, 26, com início marcado para as 20 horas, seis apresentações virtuais (lives) em seu canal @amariaperola, por meio de edital da Lei Aldir Blanc, nas quais prestará homenagens a nomes importantes da MPB. A lista dos tributos começará com Belchior (CE) e contempla, ainda, Caetano Veloso (BA), Alceu Valença (PE), Zé Ramalho (BA) e Cartola (RJ), todos seus influenciadores; ao encerramento do projeto, Pérola mostrará somente composições próprias que amigos e admiradores já conhecem de sua trajetória e certamente estarão no primeiro trabalho da jovem estrela, previsto para o segundo semestre deste ano. Nas seis ocasiões, Pérola estará acompanhada por Jéssica Toniatti (percussão) e Débora Christian (baixo).

Continue Lendo “1358 – Maria Pérola (PE/SP) relembra sucessos de Belchior em primeira de seis apresentações temáticas virtuais”

1357 – Filpo Ribeiro e A Feira do Rolo (SP) destacam em apresentações online “Contos de beira d’água”*

#Rabeca #MúsicaNordestina #MúsicaBrasileira #CulturaPopular

*Com Tambores Comunicações

As tradicionais audições matinais aos sábados, aqui no cafofo do Barulho d’água Música, em São Roque (SP), começaram no dia 20 de janeiro com Contos de beira d’água, álbum gravado em 2017 e que tem distribuição pela Tratore, de Filpo Ribeiro e A Feira do Rolo. O grupo paulista, na estrada desde 2014, vai protagonizar várias apresentações virtuais ao vivo (as chamadas “lives”) dentro do projeto Rabecada a partir de hoje e até 20 de março, sempre aos sábados e aos domingos, conforme agenda publicada ao final desta atualização, com apoio e divulgação da Tambores Comunicações. Para assisti-los, basta entrar no canal do grupo cujo endereço é https://www.youtube.com/c/FilpoRibeiroeaFeiradoRolo.

Continue Lendo “1357 – Filpo Ribeiro e A Feira do Rolo (SP) destacam em apresentações online “Contos de beira d’água”*”

1356 – Tuia (SP) anuncia novo álbum e antecipa “Flores da Manhã”, em parceria com Guarabyra

#Música #Folk #RockRural #CulturaPopular

Música que tem a participação de Zeca Baleiro e celebra o encontro de três gerações da MPB será lançada nas plataformas digitais pela Kuarup nesta sexta-feira, 19

O paulista Tuia, da cidade vale-paraibana de Jacareí, considerado entre agentes e produtores culturais do mercado um dos melhores cantores e compositores da atualidade, está tirando proveito da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) para brindar amigos e fãs com novidades que deverão fazer parte de Horizonte Em Queda Vertical, disco que ele pretende lançar no segundo semestre. A produção do álbum cabe a Matheus Reis (músico da banda de Tuia) e a Alberto Vaz (engenheiro de som e produtor da cantora norte-americana Sheryl Crow). As faixas estão sendo gravadas nos estúdios brasileiros e no de Sheryl, situado em Nashville, nos Estados Unidos da América. Uma delas, Flores da Manhã, o público poderá curtir já partir da sexta-feira, 19, quando estará disponível nas plataformas digitais, com lançamento pela gravadora e produtora Kuarup.

Continue Lendo “1356 – Tuia (SP) anuncia novo álbum e antecipa “Flores da Manhã”, em parceria com Guarabyra”

1355- Livro “Orixás no terreiro sagrado do samba” é ótima dica para amenizar quarentena sem folia

#Carnaval #Samba #FestasPopulares #CulturaPopular #Religião #Umbanda #Candomblé #África #Vai-Vai

Claudia Alexandre traz um “olhar desfragmentado” sobre a presença das tradições de matrizes africanas em expressões culturais que ajudam a construir o que chamamos de identidade nacional

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) está impedindo a realização de desfiles de escolas de samba e de blocos de ruas. Afora o comportamento irresponsável de poucos que ainda insistem em muvucar durante o período de folia — contrariando de forma preocupante as recomendações das autoridades sanitárias e projetando um crescimento do número de internações e óbitos provocados pela doença dentro de algumas semanas — mais a iniciativa da Vênus Platinada de reprisar desfiles antigos, quase não se sente o ambiente e o clima que contagiam Momo e seus seguidores neste período que deveria ser de congraçamento e festa populares. Ficar em casa segue sendo uma das medidas restritivas mais indicadas, logo, uma boa maneira de passar bem pela quarentena, para aqueles que a seguem, é ler. E uma boa sugestão que casa bem com o momento em que a fantasia, os confetes e a serpentina devem ficar guardados, é Orixás no terreiro sagrado do samba -Exu e Ogum no Candomblé da Vai-Vai, que a Editora Griot lançou no ano passado, escrito por Claudia Alexandre.

Continue Lendo “1355- Livro “Orixás no terreiro sagrado do samba” é ótima dica para amenizar quarentena sem folia”

1354 – Novo disco de Arismar do Espírito Santo (SP) já pode ser ouvido nas plataformas digitais

#MúsicaInstrumental #Jazz #Piano #CachaçaNacional #ValeDoRibeira

As plataformas digitais já oferecem a quem gosta de boa música a versão completa do álbum Cataia, da Folha ao Chá, lançado no final do ano passado por Arismar do Espírito Santo. O multi-instrumentista e compositor paulista de Santos, litoral Sul do Estado, inspirou-se em uma planta nativa cujo nome cientifico é Drimys brasiliensis e que ocorre mais comumente na Mata Atlântica, em especial no Vale do Ribeira, onde também é conhecida por casca d’anta. Além do uso medicinal, das folhas da cataia provem a cachaça conhecida por “uísque caiçara”.

O álbum tem 14 faixas, todas de Arismar, executadas por ele ao piano e ao violão, ao lado de Glauco Solter (baixo) e Mauro Martins (bateria). De acordo com o autor, o álbum pode ser considerado “uma infusão sonora que homenageia o ideário rico em sotaques melódicos e humores do vivencial caiçara de São Paulo e do Paraná, em composições marcadas pelo sotaque musical dos boas praças”.

Continue Lendo “1354 – Novo disco de Arismar do Espírito Santo (SP) já pode ser ouvido nas plataformas digitais”

1353 – Paula Érica (RN) apresenta single pela Frika Records e anuncia EP com áudios e vídeos

#MPB #MúsicaNordestina #CulturaPopular #CurraisNovos 

Nascida em Currais Novos, a cantora, compositora e poetisa também traz em sua trajetória experiências como atriz e produtora cultural com participação como intérprete em discos de outros artistas e festivais de música potiguar

Amor Buliçoso, pela Frika Records, é o primeiro single autoral de Paula Érica, traduzido pela suavidade de sua voz e por sua força poética. A música imprime seu tom de nordestinidade abrindo caminhos como em dias de chuva no sertão. Traz a cor cinza amarelada da vegetação em dias de seca, do céu em dias de toró e do pôr do sol em tardes esturricantes de calor. A letra retrata o amor, simbolicamente comparado à diversidade cultural e ambiental das suas terras. Nascida em Currais Novos, no Rio Grande do Norte, a Seridoense é cantora, compositora, poetisa e traz em sua trajetória artística experiências como atriz e produtora cultural e participação como compositora e intérprete em discos de outros artistas e em  festivais de música potiguar.

Continue Lendo “1353 – Paula Érica (RN) apresenta single pela Frika Records e anuncia EP com áudios e vídeos”

1352 – Rio Samba e Carnaval inicia as comemorações dos seus 50 anos com série de podcasts* 

#Carnaval  #CarnavalCarioca #Samba #CulturaPopular

Adriane Galisteu, Boni, Carlinhos de Jesus, Dudu Nobre, Flávia Oliveira, Monarco, Vilma da Portela, Viviane Araújo entre outros, contam histórias icônicas do Carnaval carioca

*Com Paula Corrêa (Buriti Comunicações)

Nesta segunda-feira, 1º de fevereiro, a marca Rio Samba e Carnaval (RSC) inicia as comemorações de 50 anos de atuação com a série de podcasts Meu Carnaval Inesquecível. Mais de 30 celebridades entre artistas, jornalistas e pesquisadores revelarão detalhes de seu carnaval inesquecível gravados em podcasts a serem lançados diariamente porque “…em fevereiro tem Carnaval, como disse Jorge Ben Jor. Nomes icônicos do carnaval carioca como Adriane Galisteu, Carlinhos de Jesus, Dudu Nobre, Selminha Sorriso, Monarco, Neguinho da Beija-Flor, Viviane Araújo, entre outros, vão narrar seus momentos mais marcantes durante a Folia.

Continue Lendo “1352 – Rio Samba e Carnaval inicia as comemorações dos seus 50 anos com série de podcasts* ”

1351 – Encontro do Padre Fábio de Melo com o cantor e compositor Luís Kiari inspira criação de música

#MPB  #MúsicaReligiosa #Kuarup

Single Por Aí surge da amizade dos poetas e traz reflexão, aprendizado e pensamento sobre a existência humana

Petrópolis, região serrana do estado do Rio de Janeiro, foi palco do encontro de dois poetas: Padre Fabio de Melo e Luís Kiari. O religioso e o músico se tornaram amigos já na primeira conversa quando falaram sobre música, arte, existência e Deus. Nesse mesmo dia, Kiari foi surpreendido por uma mensagem do padre que continha uma poesia e assim nasceu Por Aí, melodia inspirada por uma conversa entre amigos, transformada em palavras pelo sacerdote e traduzida em música pelo compositor.

Por Aí foi disponibilizada em todas as plataformas digitais pela produtora e gravadora Kuarup. Aborda a construção de cada um de nós à medida em ganhamos e perdemos, mas somando experiências durante o tempo de vida. Viver é uma dicotomia, pois quanto mais vivemos, menos vida resta pela frente. Vamos nos desconstruindo para construir quem já somos, por isso, o que nos cabe é apenas o presente. A música nos leva a pensar sobre essa construção e esse aprendizado diário na procura de quem somos e quem estamos sendo.

Continue Lendo “1351 – Encontro do Padre Fábio de Melo com o cantor e compositor Luís Kiari inspira criação de música”

1346- Grupo Cor das Cordas (SP) relança pela Kuarup seu trabalho de estreia

#MúsicaInstrumental #MPB #ViolãoBrasileiro

Disco Cor Das Cordas passeia por canções autorais e clássicos da MPB com a participação especial do músico Edmundo Carneiro

O grupo Cor das Cordas está relançando Cor das Cordas, título homônimo do álbum de estreia do trio de violonistas Edinho Godoy, Luca Bulgarini e Milton Daud, lançado originalmente em 2010 e agora reeditado com exclusividade para as plataformas digitais pela Produtora e Gravadora Kuarup. O trabalho apresenta uma refinada releitura de grandes clássicos da música brasileira, incluindo obras de compositores como Edu Lobo, Milton Nascimento e Djavan, além de composições do próprio trio. Os arranjos foram elaborados especialmente para a formação de três violões, com grande variação de ritmo, harmonia e melodia, o que possibilitou um inusitado resultado de criatividade, sofisticação, sensibilidade e bom gosto.

Continue Lendo “1346- Grupo Cor das Cordas (SP) relança pela Kuarup seu trabalho de estreia”

1090- Disco de estreia do Quinteto Violado, de 1972, é tema do retorno da série Clássico do Mês

Extraindo das mais simples manifestações populares a sua essência rítmica e melódica, o  grupo pernambucano criou uma nova concepção musical, cujo traço fundamental é a interação entre o erudito e o popular, sem desfiguração, reafirmando a ideia de que toda arte é sempre a universalização do popular.
Marcelino Lima, com Quadrada dos Canturis, Criatura de Sebo, e Apólogo 11

O Barulho d’água Música, devido ao entrave de renovação do seu domínio junto ao provedor do canal, deixou de publicar em junho a matéria da série Clássico do Mês, que, agora, retomada, enfocará o álbum de estreia de um dos grupos mais longevos e admirados do país, o Quinteto Violado. O álbum, que originalmente tem o nome do grupo, é de 1972, lançado pouco tempo depois de o Quinteto Violado dar início à sua trajetória, ainda em 1971, em Pernambuco, propondo-se a traçar um novo caminho para a MPB. Diante da indecisão no cenário da música nacional, após a irrupção do movimento tropicalista, o Quinteto Violado apresentava uma proposta fundamentada nos elementos musicais da cultura regional, promovendo trabalhos de pesquisa e da própria vivência de cada um dos seus integrantes, originários da região Nordeste do Brasil.

Continue Lendo “1090- Disco de estreia do Quinteto Violado, de 1972, é tema do retorno da série Clássico do Mês”

1394 – Pedro Rhuas (CE/RN) lança Desastre, nova música da trilha sonora do seu primeiro livro

Letra mergulha em jornada pelo amor próprio e é uma das que embalarão o romance “Enquanto eu não te encontro”

O cantor e escritor Pedro Rhuas disponibilizou a partir da sexta-feira, 14, com apoio da Frika Records seu novo trabalho musical, a canção Desastre, single promocional da trilha sonora do livro Enquanto eu não te encontro, romance do autor que será nacionalmente publicado em 5 de julho pela Editora Seguinte. A faixa já está nas plataformas digitais, acessível pelo linque ao final desta atualização. Desastre é a música tema do protagonista do livro, Lucas, e sintetiza a jornada dele em busca do amor-próprio, um processo que leitores podem acompanhar ao longo das páginas. De acordo com Rhuas, esse é um dos seus favoritos singles já lançados “porque traz todas as referências que me acompanharam ao longo da adolescência“.

A produção musical é de DogMan e a executiva do próprio cantor. Flertando com o pop dos anos 2010 e o rock-pop, Desastre apresenta um som divertido e otimista sobre autoconhecimento e a necessidade de alimentar a autoestima e o amar a si próprio. O universo musical do livro Enquanto eu não te encontro, ambientado em Natal, cidade capital do Rio Grande do Norte, tem sido um dos motes de divulgação da obra de Rhuas e configura um movimento pioneiro no mercado editorial do Brasil. O romance chegou aos 20 mais vendidos na lista geral de um portal gigante em vendas e esgotou a pré-venda com brindes em menos de cinco dias, consagrando-se já como um dos maiores sucessos da literatura jovem em 2021. 

A iniciativa inédita de produção de uma trilha sonora original para divulgar um trabalho literário parte de uma mentalidade engajada com conteúdos multimídia. “Um dos objetivos do projeto é que os grandes filmes sempre fizeram bem: criar uma soundtrack que acompanhe o leitor e expanda o produto base através da música. Todas as faixas foram escritas unicamente por mim e mostram um trabalho cuidadoso na junção de referências e experiências de vida, explicou Rhuas.  

O álbum da trilha sonora, previsto para setembro, começará a ser aquecido a partir de 14 de maio com o lançamento de Desastre. Com muitas influências do pop produzido por Katy Perry e Taylor Swift no início dos anos 2010, a faixa é uma das três canções que chegarão ao público durante a pré-venda de Enquanto eu não te encontro. A primeira, divulgada a partir de março de 2020, foi tema da atualização 1290 deste blogue e poderá ser visitada pelo linque https://barulhodeagua.com/2020/03/20/1290-pedro-rhuas-ce-rn-lanca-musica-para-divulgar-com-lancamento-conjunto-do-seu-primeiro-livro/

Trabalho voluntário

Sobre Pedro Rhuas há um perfil disponível na plataforma canal de streaming Palco, no qual há clipes e que traz a informação de que ele é filho de palhaço poeta e bailarina professora. Nascido em Icapuí, pequena cidade no litoral do Ceará, cresceu envolto em arte e mar e morou em mais de 12 cidades, conheceu o Nordeste com o teatro de rua, apaixonou-se por literatura, escrita e, mais tarde, composição.

Sempre em metamorfose, assinou como blogueiro literário, atuou como e DJ e até drag queen. Em 2018, cursando Jornalismo na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), ganhou uma bolsa de estudos que o levou a morar por um ano em Portugal. Depois da experiência, decidiu fazer trabalhos voluntários em Marrocos e em Espanha. Foi na terra das 1.001 noites onde pôde dar os primeiros passos rumo ao sonho da música. No alto de uma montanha na cidade azul de Chefchaouen, conheceu, ao acaso, o produtor do que viria a ser seu primeiro experimento musical, a canção Cilada, em colaboração com três rappers marroquinos! De volta ao Brasil, prepara o seu primeiro álbum de estúdio.

Os livros sempre foram o meu refúgio. E me sonhar escritor, desde que me lembro meu maior sonho”, escreveu recentemente  Pedro Rhuas no perfil que mantém no Facebook. “É a minha estreia na literatura e o faço com uma obra que muito diz sobre mim e sobre o que eu luto enquanto sujeito-políticoEnquanto eu não te encontro é um romance LGBTQIA+ ambientado em Natal; uma narrativa engraçada, cheia de representatividade e nordestina em essência, que conta as aventuras de um seridoense gay que vai estudar na capital e se descobre buscando entender a complexidade de sua identidade”, prosseguiu. “Eu nem sei explicar quão emocionado estou e só posso pedir o apoio de vocês pra divulgar essa história, de modo a fazê-la voar como merece!”

Clique no linque abaixo para ouvir Desastre

https://youtu.be/sVGc53DS0Ck

Leia mais sobre músicos do Rio Grande do Norte ou conteúdos a eles relacionados visitando o linque abaixo.

Música no RN 

https://sptfy.com/pedrorhuas   / https://instagram.com/pedrorhuas  / https://twitter.com/pedrorhuas  / https://www.tiktok.com/@pedrorhuas / https://amzn.to/3tJBJQB