“Folia”: um disco para ter na estante

Imagem (4)

Vou divulgar já um tantinho atrasado uma boa notícia: chegou pelos Correios há alguns dias meu exemplar do segundo álbum do grupo “Vozes Bugras”, cujo título é “Folia”. O trabalho é mais um belo disco que ganha vida pela Catarse, plataforma de financiamentos coletivos de projetos que entre outros já permitiram as gravações de “2 Mares”, de Katya Teixeira e Luiz Salgado, e “Fruto da Lida”, de Rodrigo Zanc.

“Folia”, por sinal, foi oficialmente lançado com um show do “Vozes Bugras” na sala do antigo Cinema Olido, em Sampa, no dia 17 de maio. Anabel Andrés, Anunciação Rosa, Cássia Maria, Célia Gomes, Lucimara Bispo, Tiane Tessaroto e Ully Costa receberam para acompanhá-las o violeiro Ricardo Vignini, que toca em duas faixas e em cujo estúdio, o Bojo Elétrico, ocorreu a gravação das violas. Os estúdios Dançapé, de Mário Gil, e Auriverde, de Itamar Pereira, também entraram na festa. Gil está presente, ainda, em “Que noite bonita” (#10), na qual ficou incumbido dos harmônicos de viola.

Katya Teixeira, além de tocar a rabeca “Zefinha” em “Folia de Reis” (#15), caprichou no designer gráfico do projeto, em cujo encarte há fotos de Ulisses Matandos, na Capela do Morumbi. Também merece citação a participação de Daniela Lasalvia nas pesquisas que o grupo empreendeu para formar o repertório, que, ao todo, tem 19 músicas, cantigas, folias de reis, lendas, lapinhas, adaptações e pastoris recolhidas do folclore nordestino, de cidades como Ubatuba (SP) e Araçuai (MG), de domínio público ou por Ely Camargo, Elizer Teixeira e Alceu Maynard Araújo. As causas de Marcus Pereira, um dos maiores cultivadores e persistentes defensores da música popular e das manifestações culturais típicas do Brasil, que deteve o selo “Marcus Pereira” como veículo e libelo para artistas e cantores por muitos ainda hoje desvalorizados ou já esquecidos, são relembras pela irmã, Marilu Aidar, convidada a escrever pelo Vozes Bugras, que dedicam o disco à memória deste empreendedor e mestre.

Anabel Andrés utilizou a contracapa do encarte para contar o que se segue, acrescentando mais uma razão para que “Folia” tenha um lugar em sua estante:

“Buscando valorizar e compartilhar a riqueza das celebrações populares do tempo de natal, o grupo Vozes Bugras iniciou uma investigação em 2008, inspirada no trabalho de grandes mestres pesquisadores da música brasileira de raiz e divulgadores de nossa rica tradição oral, reunindo neste, que é seu segundo cd, cantorias e histórias que se revelam em múltiplas manifestações de devoção por todo o país, celebrando o nascimento de Jesus e a visita dos Reis Magos.

São pastoris, lapinhas, folias de reis, bois, lendas, festejos que por sua riqueza transcendem a restrição de apenas terem sentido no tempo de natal, e permanentemente nos remetem à renovação da vida e à alegria do encontro e do pertencimento, envolvendo-nos num sentimento de conexão com o sagrado, compartilhado pelas expressões culturais locais profundamente enraizadas na religiosidade e nos ritos, frutos do encontro de culturas que se deu nas origens do natal no Brasil”.

Boa audição, caros leitores e amigos!

Imagem (3)

Fotos: Ulisses Matandos

Anúncios

Uma resposta para ““Folia”: um disco para ter na estante”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s