Movimento popular de ocupação de praça em São Paulo terá apresentação do grupo ConSerto das Águas e várias atividades

Cinco músicos de diferentes formações e trajetórias que vem pesquisando a respeito do percurso que o elemento água realiza em sua dinâmica no nosso planeta vão promover no domingo, 9, a partir das 16 horas, um  show do projeto ConSerto das Águas em apoio ao movimento popular de ocupação da Praça da Nascente (Praça Homero Silva), situada na avenida Pompeia, 2140, no bairro da Pompeia, na zona Oeste de São Paulo. Os moradores pretendem por meio da apresentação do grupo e de outras atividades marcadas para a data redescobrir uma nascente que existe no local e passar a preservá-la.

De fundamental importância para a existência da vida, negligenciado e pouco cuidado ao longo da trajetória modernizadora pela qual passou nosso país no último século, elemento água é abordado pelo ConSerto das Águas em seus diferentes estados e condições em que é encontrado em nosso território. Esse trabalho pretende, portanto, reconectar o público de uma forma artístico/poética ao movimento que instaura a possibilidade de nossa existência, e que em última instância nos atravessa cotidianamente.

O caminho das águas: no Brasil essa substância passa por dois estados, o líquido e o gasoso; no primeiro, após brotar do chão, é conduzido pela força da gravidade a descer montanhas, morros e barrancos, vencendo ou contornando qualquer obstáculo no seu rumo ao mar; assume diferentes formas, diferentes dinâmicas, desde um pequeno olho d’água, formando em seguida um pequeno córrego, aumentando de tamanho e passando por momentos turbulentos, quedas e corredeiras, sendo utilizado no seu percurso para dar curso à vida de quem vive às suas margens, ganhando volume e tornando-se um respeitável rio, que geralmente grande e às vezes manso chega ao destino de todos, a grande água, o mar; a partir de então, assume a forma gasosa que ao vencer a própria gravidade sobe aos céus para chegar novamente ao topo das montanhas e morros e recomeçar o seu percurso. A vida de todos nós liga-se a esse ciclo e seu ritmo.

 O concerto apoia-se em dez peças musicais. Trata-se de um trabalho que acompanha, por meio de referências sonoras e da exploração de climas e dinâmicas musicais, os caminhos e descaminhos que a substância água percorre em sua trajetória tortuosa e cíclica. De caráter híbrido, transita entre a canção e a música instrumental, porém seu ponto principal é a exploração de timbres e dinâmicas remetendo às referências sonoras, e até mesmo visuais, que temos a respeito do movimento em questão.

 

Consertoaguasw

 O grupo é composto e dirigido pelo cantor e violonista Leo Nascimento, é arranjado coletivamente pelos músicos que o acompanham, formando um quinteto composto por Clara Prado (flauta e escaleta), Marcelo Michelino (baixo elétrico de 5 cordas e fretless) e Lucimara Bispo e Wellington Tibério (percussões, objetos sonoros e sonoplastias).

Repertório do ConSerto das Águas

O repertório é formado pelas seguintes músicas (títulos seguidos de sua  referência poética):

1. Infância 

 Olhos d’água que brotam na superfície sólida. Local onde a terra chora. Minúsculos afloramentos. Dos terrenos altos surgem pequenos fios de uma trajetória que se inicia.

2. Regato blue 

Primeiros passos sobre a terra. Córregos, riozinhos e ribeirões que fazem a alegria da garotada. Morada de lambaris e bebedouro de pássaros. Por entre pedras e barrancos corre raso e límpido.

3. Peixe tolo

Desníveis e cachoeiras que movimentam as águas. Corredeiras e correntezas por onde brincam os peixes, rio acima, rio abaixo, rio adentro. Caminhos que conduzem às vilas e cidades que se encostam em suas margens.

4. Roda d’água

Desviada, usada, bebida, faz girar a vida ao seu redor. Força que se soma ao braço e que faz a alegria do trabalhador. Parceira na labuta, energia sem fim.

5. Rio Doce

Água que se avoluma, massa líquida que se movimenta em fortes turbulências. Leito alargado por onde flui a esperança do pescador. Presença aquática que se impõe na paisagem terrestre.

6. Vento Sul

 Grande remanso. Suspiro do planeta que vem da Antártida, traz frio, umidade e cheiro de mar. Canal suspenso pela calha dos rios. Mensagens úmidas que vem do Sul.

7. O mar

Ponto de ligação da terra com o céu. Horizonte que se perde. Onde tudo começa e termina. Onde a nossa existência encontra a sua medida. Grandeza que reserva a riqueza de um planeta. Beleza que enche os olhos… de água.

8. Asas

Água que voa, estado gasoso que a faz flutuar no céu ao sabor dos ventos. Água que molha o ar e provoca a nossa imaginação nas formas dinâmicas das nuvens. Água aérea, umidade que nos cerca.

9. A busca

Ao chegar no chão se infiltra pelos poros da terra, penetra pelos pequenos vãos que como uma esponja a absorve e se encharca. Lentamente se acumula no subterrâneo até encontrar um veio por meio do qual vem à superfície.

10. O retorno das águas 

Ela sempre volta, por mais tortuosos que sejam seus caminhos. Água que mais uma vez alça voo. Um ciclo que se fecha e que novamente tem seu início, sem começo nem fim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s