Socorro Lira e Breno Ruiz protagonizam show no Tom Jazz, com Renato Braz como convidado

1_1420550582_socorro-breno
Breno Ruiz, pianista, arranjador e compositor. Socorro Lira, cantora, compositora e poetisa. Ele, apontado como “gênio” por Luís Nassif. Ela, detentora de prêmios dentro e fora do país. Para conferir o talento de ambos,  o endereço é a casa de shows Tom Jazz, em São Paulo (Fotos: Divulgação)

Os cantores e compositores  Socorro Lira  e Breno Ruiz voltam a se apresentar em São Paulo, nesta quinta-feira, 15 de janeiro, desta vez na casa de shows Tom Jazz, a partir das 21 horas. Como convidado, os dois receberão Renato Braz,  uma das mais marcantes revelações dos anos recentes da música popular brasileira, Olimpo ao qual os protagonistas também já se elevaram . 

Socorro Lira é conterrânea de Chico César, Elba Ramalho e Vital Farias. Uma das mais engajadas cantoras da música regional e popular do país, é autora de discos antológicos como Intersecção, a linha e o ponto; Cantigas; As liras pedem socorro e  Lua Bonita, no qual destaca criações de Zé do Norte. Atualmente morando em São Paulo, Socorro Lira não se afasta, contudo, de suas fontes e raízes fincadas em Brejo do Cruz, cidade na qual nasceu também Zé Ramalho e desenvolve trabalhos de inclusão social.

O mais recente álbum chama-se Amazônia, entre águas e desertos, lançado em 2013 no Auditório Ibirapuera (SP). Neste disco, Socorro Lira traça um paralelo entre a exuberância da floresta e sua rica diversidade com o que há de desértico no interior humano. Saga da Amazônia, um clássico de Vital Farias que ela regravou , faz parte do repertório. Outro destaque é a bela Gaia.

Esta viçosa carreira artística já rendeu a Socorro Lira o troféu de melhor cantora regional do 23º Prêmio da Música Brasileira e o Prêmio Europa (1998) da Associazione Senza Frontiere, que assim reconheceu seu engajamento político e social no Brasil. No começo deste mês, saiu o seu livro A pena secreta da asa, nos formatos impressos e e-book, com projeto gráfico e capa do artista visual Elinaldo Meira

Já Breno Ruiz, que também é pianista e arranjador, nasceu em São Paulo.
Aos 15 anos já compunha com Rafael e Rita Altério, Cristina Saraiva, Sergio Natureza e Paulo Cesar Pinheiro, um dos seus mais constantes parceiros. Breno Ruiz tem, também, composições gravadas com Altério e por  intérpretes como Tetê Espíndola, Renato Braz, Maogani, Celso Viáfora.  Gravou com o grupo Garimpo e produziu os arranjos para Terra Brasileira, de Cristina Saraiva.  Com o mestre Paulo Cesar Pinheiro, recentemente produziu seu primeiro álbum, Cantilenas Brasileiras, em duo de piano e voz com Renato Braz. “Cantilena é o nome afetuoso para se referir à canção – não àquela tratada como sinônimo de qualquer música com letra, mas à outra, bem anterior, cujas origens confundem-se com a própria poesia, com a história da música ocidental e, mais especificamente, com a história do Brasil e do nosso povo”, conta-nos Breno Ruiz.
 
“De Breno, digo apenas: é um gênio absoluto. Para mim, o maior melodista brasileiro da atualidade. Não apenas. Um harmonizador precioso, um pianista de primeiríssima, um cantor excepcional”, escreveu a respeito de Breno Ruiz o jornalista e crítico musical Luís Nassif. “Na música tradicional, parecia que tudo tinha sido inventada. Mas Breno conseguiu reinventar o clássico”, complementou Nassif.

O Tom Jazz fica na avenida Angélica, 2331, no bairro paulistano Higienópolis. O telefone para mais informações é (11) 3255-0084 e o ingresso custa R$ 40,00.

10911373_385751708252211_1201432983937898388_o

 

 

me and tommy

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s