Fábio Porte, violeiro de Jundiaí (SP), e membro da banda Tem Viola no Forró, está comemorando hoje seu aniversário

Fábio Porte
Filho de pais nascidos em MG e no PR, Fábio Porte cresceu em ambiente no qual a música caipira e a viola imperavam nas rodas, mas é virtuoso também com  instrumentos como violão e cavaquinho

Em uma das cidades aos pés da Serra do Japi, Jundiaí, hoje uma viola está ponteando mais bonita do que nunca, e outras, além de violões e cavaquinhos, numa mistura alegre de cordas, acompanham-na para parabenizar o aniversariante de hoje, o músico e compositor Fábio Porte.

Violeiro por influência de pai Luis Porte, do qual herdou a arte de bem tratar o pinho, Fábio Porte tem em seu DNA compostos mineiros e paranaenses, e desde menino, participando de rodas de violas, nutre raízes sertanejas que o colocaram em contato com as tradições interioranas, entre as quais a vertente caipira da música brasileira. E com ela que Fábio Porte destaca-se, atualmente, mas em sua carreira ele também dedicou atenção e estudos ao violão e ao cavaquinho, por exemplo, capacitando-o a tocar com a mesma maestria outros estilos como o choro e a mpb. Já adolescente, passou a lecionar música para iniciantes em conservatórios de São Paulo e Jundiaí,  desenvolveu métodos musicais de sua própria autoria  também tornou-se criador de jingles e trilhas musicais para programas de televisão com arranjos e produção. 

 

Fábio Porte é ao lado de João Ormond (voz e violas),  Cássio Soares (zabumba) Rafael Dos Santos Cabello (acordeon) e Val Da Viola Tavares (violão) integrante do grupo Tem Viola no Forró, que, no dia 14, fez a primeira apresentação do ano no Sesc Santo Amaro. A banda, na qual ele toca baixo elétrico, reúne amigos que juntos relembram clássicos do forró e canções próprias além de xotes, baiões e arrasta-pés fazendo a plateia dançar ao som de composições consagradas de Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Alceu Valenca, Elba Ramalho e Fala Mansa, entre outros.

Em 2012, Fábio Porte lançou Caboclo Folgado, com músicas de raiz inéditas e regravações de expoentes da música popular e regional. Atualmente está divulgando Jacarandá do Brasil, álbum instrumental pelo qual  homenageia o país e a cultura brasileira, de acordo com ele, enfocado na “sustentabilidade”. As canções exploram de forma virtuosa a variedade rítmica presente nos diversos estados nacionais, “assim as composições ganham uma cuidadosa maneira de serem interpretadas para mostrar a cultura de uma região”.

Viola no forró
Fábio Porte (primeiro à direita) entre os amigos da banda Tem Viola no Forró, durante apresentação no dia 14, no Sesc Santo Amaro

 

banda toca

 

Anúncios