Barulho d'Água Música

Veículo de divulgação de cantores, duplas, grupos, compositores, projetos, produtores culturais e apresentadores de música independente e de qualidade dos gêneros popular e de raiz. Colabore com nossas atividades: leia, compartilhe e anuncie!

São Chico das Violas (SP) caminha para o final, mas ainda tem Zeca Collares, e, depois, Adriana Faria

Deixe um comentário

zeca collares arte

Zeca Collares, mineiro radicado em Sorocaba, mistura nas cordas de sua viola música de raiz, barroca e jazz (Foto: Marcelino Lima)

Zeca Collares dará sequência neste sábado, 24, ao Festival São Chico das Violas, que está rolando desde 3 de janeiro no acolhedor distrito de São Francisco Xavier, em São José dos Campos (SP). A apresentação, como nas vezes anteriores, começará às 21h30, no Largo São Sebastião, 105, com o ingresso ao custo de R$ 15,00. Promotora do festival, a Photozofia Cozinha e Arte abriu o São Chico com o casal Oswaldinho e Marisa Viana, e, no dia 10, reservou o palco para Ricardo Vignini. Em 7 de janeiro, João Lucas e Léo passaram pelo palco. A programação será encerrada no dia 31, com Adriana Faria.

 

Mineiro nascido na cidade de Grão Mogol, embora, atualmente, resida em Sorocaba, no Interior Paulista, Zeca Collares é instrumentista, arranjador e cineasta. A carreira que já soma mais de quinze anos conta com sete álbuns e ele produziu, ainda, quatro curtas metragens, além de trilhas para diversos filmes. Possui técnica apurada de viola caipira e muita sensibilidade, qualidades que permitem das cordas do seu pinho brotarem  sonoridades diversas e elementos contemporâneos mesclados às músicas de raiz brasileira, barroca, chorinho e jazz. Durante o estradar, dividiu o palco entre outros com Hermeto Pascoal, Duofel, Pena Branca & Xavantinho, Fernando Deghi, MPB 4, Xangai, Adelmo Arcoverde e Rogério Gulin, entre outros. Em novembro, foi uma das atrações do Encontro Nacional de Violeiros, promovido na Galeria Olido, em São Paulo (SP). Na ocasião, além de Zeca Collares, o público ouviu Katya Teixeira, João Arruda, Índio Cachoeira, Matuto Moderno, Pereira da Viola, Levi Ramiro, Cacique e Pajé, Gustavo Guimarães, Wilson Dias, Bilora Violeiro, Joaci Ornellas, Roberto Corrêa, Júlio Santin, Noel Andrade, Osni Ribeiro, Jaime Além, Yassik Chediar e João Mulato e Cassiano.

O autor de Pés Descalços e Primavera Mineira, dois dos títulos da bela discografia, é também, ao lado de Julio Santin, um dos organizadores do Caipirapuru, festival de viola caipira que anualmente é promovido na cidade paulista de Irapuru. A edição mais recente ocorreu entre 26 e 28 de dezembro recentes. 

 

we follow

 

Anúncios

Autor: barulhomarcel

Jornalista nascido em Bela Vista do Paraíso (PR). Corintiano por herança do pai, Geraldo Caetano de Lima. Do velho também puxou a paixão por modas de viola, música de raiz e caipira, que era chamada de "sertaneja" antes da mídia comercial se apropriar, indevidamente, do nome. Quando criança ouvia aos pés da cama dele, vindas de um rádio à pilha que chiava muito, clássicos destes gêneros que marcaram para sempre a sua vida. Eu e Andreia Beillo não temos nada em comum. Para começo de conversa, ela torce pelo Palmeiras. Mas resolvemos juntos botar o pé na estrada e acreditar nas bençãos de São Gonçalo do Amarante e tentar encontrar na atividade de blogueiros dedicados à música de qualidade algo que nos una e ajude muita gente boa espalhada por todo este país, e lá fora, também, a ter seus méritos reconhecidos, resgatando e preservando valores de nossa cultura popular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s