Viola Quebrada, grupo de Curitiba (PR), será atração do programa Terra da Padroeira neste domingo, 8

10830496_345232305670325_2580454719512784344_o
O grupo paranaense Viola Quebrada renova sucessos da música de raiz com arranjos modernos, mas em todas as canções que grava procura manter as tradições que representam a vertente caipira de nossa cultura popular. O nome do quarteto é inspirado em composição de Mário de Andrade, presente no primeiro álbum.

 

O grupo paranaense Viola Quebrada vai ser o destaque do programa Terra da Padroeira que a TV Aparecida, de Aparecida (SP), levará ao ar neste domingo, 8 de março, a partir das 9 horas. Oswaldo Rios (voz e violão), Mari Amatti (voz), Rogério Gulin (viola) e Rubens Pires (acordeon) formam o grupo, um dos principais representantes do Estado de música brasileira de raiz. Em seu repertório, o Viola Quebrada resgata preciosidades desta vertente para interpreta-las com arranjos modernos, embora não menos singelos, de uma maneira não saudosista, mas que respeita a tradição. 

O nome do grupo, Viola Quebrada, é inspirado em poema de Mário de Andrade. Em 1998, gravou o primeiro CD, também chamado Viola Quebrada, contendo a canção título do poeta modernista; Flor do cafezal, de Luiz Carlos Paraná; Meu céu, de Xavantinho e Zé Mulato; e Caçador, de Tião Carreiro e Carreirinho, entre outras. O disco contou com a participação especial de Pena Branca e Xavantinho, do violeiro Roberto Corrêa e do grupo curitibano Terra Sonora.

No ano seguinte, o Viola Quebrada apresentou-se no Teatro da Reitoria, em Curitiba. Em 2003, pelo selo Kuarup, o público conheceu Sertaneja, álbum que contou com as participações especiais de Roberto Corrêa, Badia Medeiros e Paulo Freire. Estão presentes no disco, entre outras, a música título gravada por Orlando Silva, em 1939; Boneca cobiçada, de Palmeira e BiáChitãozinho e Xororó, de Serrinha e Athos Campos; Cabocla Tereza, de João Pacífico e Raul Torres; e Cabelo loiro, de Tião Carreiro e Zé Bonito. O disco teve participação especial de Zeca Baleiro, no fandango Balão que cai, de Paranaguá.

 

 

 

Em 2011, a dupla Cascatinha e Inhana ganhou homenagem dos músicos paranaenses. O disco teve participação especial das Irmãs Galvão, que cantaram nas releituras de Colcha de Retalhos e Chuá, Chuá, com alguns causos sobre Cascatinha e Inhana. Em 2013, o Viola Quebrada recebeu o Prêmio Rozini de Excelência da Viola Caipira, promovido em São Paulo pelo Instituto Brasileiro de Viola Caipira, na categoria melhor grupo.

O Barulho d’água Música esteve no começo de fevereiro em Uberaba, com Oswaldo Rios, e na companhia dele, de João Arruda (SP) e de Valdir Verona (RS), viajou da cidade do Triângulo Mineiro para Campinas, depois, São Paulo. Rios informou ao blog que o Viola Quebrada já está gravando o próximo disco, com previsão de lançamento ainda em 2015.

O programa Terra da Padroeira é produzido para quem curte moda boa, apresentado por Kléber Oliveira, sempre acompanhado de seus parceiros Tonho Prado e Menino da Porteira. Além de muita música e de crônicas sobre a vida no campo, o telespectador fica sabendo de todas as informações e atividades do Santuário Nacional, envolto por um cenário inspirado no mais autêntico universo caipira.

 

 

nous sommees

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s