Ceumar canta acompanhada por Daniel Coelho na abertura do Composição Ferroviária, em Poços de Caldas (MG)

Ceumar 2
A família de Ceumar sempre foi ligada à música e ela, na adolescência, já animava festas com um violão; o primeiro de seis álbuns, Dindinha, saiu em 2.000 (Foto: Fernanda Serra Azul)

 

A cantora Ceumar será a atração da estreia da edição deste ano do projeto Composição Ferroviária, que os músicos Wolf Borges e Jucilene Buosi promoverão com shows gratuitos entre o final de março e 5 de julho, sempre a partir das 10 horas. O palco para as apresentações será montado no pátio da estação ferroviária de Poços de Caldas, acolhedor município do Sul de Minas Gerais.  Antes de cada rodada, haverá palestras e a participação de um convidado. Elder Costa abrirá o evento no dia reservado a Ceumar, 29 de março, quando ela cantará acompanhada por Daniel Coelho. A palestra está marcada para a véspera, a partir das 16 horas, no Conservatório da cidade. O tema será A Música do Sul de Minas.

Ceumar é natural de Itanhandu, localidade encravada exatamente no Sul mineiro, viveu em São Paulo por 14 anos e atualmente mora em Amsterdã, capital da Holanda, “onde posso ver gente de todo lugar, ouvir as mais diversas línguas e dialetos na rua, andar de bicicleta, aprender com uma nova cultura”. Em sua biografia ela conta que cresceu cercada por música, hábito da casa onde viveu e observa que os pais ainda cantam e as irmãs tocam. Assim, nas festas de família, sempre havia cantorias. Já no colégio, um violão fazia companhia para ela animar encontros na praça e durante as madrugadas.  “Aos pés da Serra da Mantiqueira experimentei os sabores da vida interiorana e simples”, comenta.

A chegada a Sampa ocorreu em 1995. Na mais agitada e maior cidade do país, cinco anos depois, Ceumar gravou o primeiro álbum da discografia, Dindinha, aproveitando os versos Dindinha divinha o quê primeiro vem amor ou vem din-din, dindinha dê dinheiro, carinho e calor pra mim, que o amigo e produtor Zeca Baleiro dedicou a ela. Baleiro participou dos trabalhos do disco, “parceria muito especial”, de acordo com a cantora, lembrando que Tata Fernandes também fez parte da obra. 

Ceumar 1
Ceumar ao lado de Daniel Coelho, durante show em Boituva para apresentação do álbum Silencia, Interior de São Paulo (Foto: Daniel Kersys)

 

Já em 2000 começaram as viagens, Brasil afora e pelo exterior. Ceumar passou por capitais como São Luís (MA), Salvador (BA), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG) e países da Europa e da Ásia. Ao levar as cores brasileiras em sua música mesclada por ritmos como o coco, a marchinha, o samba de roda, recorda, “tive muitas alegrias ao encontrar gente de ouvidos abertos, ávida pelo frescor da novidade e do que não está , digamos assim, aparecendo nas telas da TV no domingo”.

Com a carreira afirmando-se a cada ano, Ceumar, desde então, já nos legou seis magníficos  álbuns. O mais recente saiu em 2014, Silencia. Entre este e Dindinha, os fãs ganharam, Sempre-viva*(Ceumar assina a produção musical e arranjos, e marca sua estréia como compositora, com músicas de Kleber Albuquerque, Zeca Baleiro e em parceria com Chico César); Achou! (produzido em parceria com Dante Ozzetti), e  Meu Nome (quarto disco da cantora, por meio do qual apresenta ao público seu lado menos conhecido: o de compositora; produzido pelo músico e produtor holandês Ben Mendes, é o registro ao vivo dos shows realizados no Teatro Fecap, entre maio e junho de 2008, em que Ceumar apresentou 20 canções, todas de sua autoria, acompanhada quase que unicamente de seus violões). Já na Holanda, gravou com um trio local Live in Amsterdam, ao vivo, em 2010. Os holandeses são Mike del Ferro (piano), Olaf Keus (bateria) e Frans van der Hoeven (baixo acústico) e o disco traz releituras de canções da carreira e uma inédita de Zeca Baleiro: Iá Iá.

Silencia na Vila Mariana

Silencia revela momentos de reflexão e descobertas pessoais e espirituais e também é gravado “ao vivo”, em estúdio, produzido pelo cellista francês Vincent Ségal. Depois da passagem por Poços de Caldas, Ceumar voltara à São Paulo para apresentações no Sesc Vila Mariana, durante as quais trará ao público as músicas do álbum lançado no ano passado. Os shows estão marcados para os dias 4 e 5 de abril, em ambas as datas às 21 horas. Ceumar estará acompanhada mais uma vez do irmão, Daniel Coelho, de Webster Santos, de Ari Colares, e de Adriana Holtz. O Sesc Vila Mariana fica na rua Pelotas, 141, a 750 metros da estação Ana Rosa do Metrô Linha Azul. Para mais informações há o número de telefone (11) 5080-3000.

IMG_0098

*Significado das flores : sempre-viva = permanência

“A sempre-viva, como o nome já diz, é a mais desperta. Ou melhor, é uma flor com iluminação própria, apesar de sua aparência frágil, pétalas com consistência de asa de abelha. O cultivo é fácil: basta espalhar as sementes no solo certo, com uma leve aragem. Não são necessários adubação ou cuidados especiais durante a fase de crescimento. Os únicos riscos são a seca e, raramente, ataque de gafanhotos”. Inspirada nessa flor da região de Diamantina (MG), Ceumar produziu o álbum homônimo “acreditando na leveza,na liberdade, na música brasileira e na celebração da vida!”

Clique em http://quadradadoscanturis.blogspot.com.br/2014/07/ceumar-discografia.html#more e baixe a discografia de Ceumar.

Veja no cartaz do projeto Composição Ferroviária as datas e as demais atrações que o público de Poços de Caldas e cidades próximas poderá curtir!

unnamed

SC 2

Anúncios

2 respostas para “Ceumar canta acompanhada por Daniel Coelho na abertura do Composição Ferroviária, em Poços de Caldas (MG)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s