Barulho d'Água Música

Veículo de divulgação de cantores, duplas, grupos, compositores, projetos, produtores culturais e apresentadores de música independente e de qualidade dos gêneros popular e de raiz. Colabore com nossas atividades: leia, compartilhe e anuncie!

Centro Cultural Casarão terá Flautins Matuá e Sexteto Clariô (SC) em nova rodada do Dandô-Dércio Marques

Deixe um comentário

dando clario

O grupo Flautins Matuá será anfitrião de uma nova rodada do Dandô Circuito de Música Dércio Marques programada para esta quinta-feira, 18, a partir das 20 horas, quando receberá o catarinense Sexteto Clariô, no Espaço Cultural Casarão, situado no distrito de Barão Geraldo (Campinas/SP). O Flautins Matuá atua desde 2002, formado da vontade de seus integrantes em aprender a tocar pífano e de pesquisar as brincadeiras tradicionais brasileiras. Ex-alunos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Fernando Tocha (pífano e flauta transversal); João Arruda (viola); Marina Reiter (percussão); Franco Galvão (zabumba) e Bruno Dutra (pífanos) desde então já percorreram cidades do país e excursionaram mundo a fora, passando por países como Itália e França.

Já o Sexteto Clariô destaca-se pelo tratamento atualizado em seus arranjos e instrumentação, empregando instrumentos associados à cultura popular brasileira (viola brasileira, rabeca e pífano)  e à música urbana e de concerto (violino, violoncelo, viola de arco, saxofone e flauta transversal). O repertório reúne temas ligados ao Brasil rural e aos ritmos ibéricos, com o intuito de divulgar as vertentes da música brasileira em que as fronteiras entre o popular e o erudito se divergem e se renovam na base das tradições. A escolha do repertório deste espetáculo buscou reunir influências de autores com práticas composicionais diversas, como, por exemplo, César Guerra Peixe, Tião Carreiro, Almir Sater, Elomar Figueira Mello e músicas autorais. Formam o sexteto de Florianópolis Caio de Souza (viola caipira), Marcelo Portela (violão 7 cordas, cavaquinho e rabeca), Jorge Linemburg (violino e rabeca), Tácio Vieira (violoncelo), Fábio Mello (flauta transversal, pífano e sax soprano) e Guilherme Tebet (percussão).

flautins

O Dandô – Circuito de Música Dércio Marques recebeu em dezembro de 2014 o Prêmio Brasil Criativo quando completava um ano de estrada, idealizado por Katya Teixeira  para fomentar a circulação de música de qualidade inquestionável por todo o país, reunindo artistas de várias regiões para criar um intercâmbio e gerar novas plateias. Quem já se apresentou possui trabalhos reconhecidos, mas poderia ter uma melhor projeção no panorama nacional e proporcionar às pessoas o acesso à música de qualidade produzida fora da “grande mídia”.

Um artista saindo de cada cidade e passando por todos os pontos do circuito em uma caravana contínua. Cada edição conta sempre com um artista do local recebendo e abrindo o espetáculo para o convidado, em shows de aproximadamente noventa minutos. Ao final, um bate-papo entre artistas e plateia fecha a apresentação. O Dandô já circulou por várias cidades paulistas, de Minas Gerais, de Pernambuco, do Paraná, de Goiás, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. 

O Espaço Cultural Casarão fica na Rua Maria Ribeiro Sampaio Reginato, sem número, no bairro Terras do Barão, em Barão Geraldo.

Entre couros e violas: uma viagem pela América Latina

O flautim João Arruda e o ator e diretor Esio Magalhães, do Barracão Teatro, já estão costurando o espetáculo Entre Violas e Couros, por meio do qual o músico planeja tornar inesquecível a noite da sexta-feira, 3 de julho, em Campinas.

O músico está comemorando, em 2015, dez anos de carreira solo e naquela data promoverá, no palco do Teatro Castro Mendes, show imperdível em comemoração à caminhada ao longo deste frutífero período no qual despontou como um dos mais criativos e originais nomes da música regional, dentro e fora do país.  A partir das 20 horas, João Arruda cantará composições de sua autoria (algumas presentes em Celebra Sonhos e Venta Moinhoseus dois discos), mescladas a clássicos do folclore brasileiro e de compositores que se expressam por meio da cantoria e da cultura popular, como João do Vale (MA) e Elomar Figueira de Melo (BA).

Pesquisador e multi-instrumentista, João Arruda promete que a poeira do teatro subirá e a plateia dançará ao som de batuques de Minas Gerais, sambas de roda do Recôncavo Baiano, emboladas, repentes, sambas-lenço rurais paulistas, contadas e moçambiques, puxadas de rede, e bumba-meu-boi do Maranhão, animada pela irreverência e o carisma que têm se tornado as principais marcas do seu perfil. A ideia é levar os ouvintes a percorrer trilhas nas quais conhecerão tradições diversas da América Latina, dentre outras histórias de aquários e abonadores, cantadores e cantadeiras que o inspiram, estimulam seu lado criativo e o faz sonhar.

“Vamos apresentar sonoridades, contos, e cantigas que fui juntando no caminho por esse mundão, e, para  transmitir as influências nestes dez anos usarei vários instrumentos”, afirmou ao blog. “O espetáculo será todo gravado, pois planejo aproveitá-lo na integra para produzir novo disco  solo, comemorativo à década de andanças, shows e pesquisas que promovi e nos quais atuei sempre de maneira independente, alegre e contente”.

O ingresso para conferir Entre Cordas e Couros já está à venda por R$ 20,00 e 10,00 (meia entrada e antecipados) nos seguintes pontos: Padaria Ricco Pane (no distrito de Sousas), Banca Central (em Barão Geraldo), Riva Rock Discos (Centro) e Timbres Instrumentos Musicais (Castelo).

O Teatro Castro Mendes fica na Rua Conselheiro Gomide , 62, Vila Industrial. O telefone para mais informações é (19) 3272-9359

Anúncios

Autor: barulhomarcel

Jornalista nascido em Bela Vista do Paraíso (PR). Corintiano por herança do pai, Geraldo Caetano de Lima. Do velho também puxou a paixão por modas de viola, música de raiz e caipira, que era chamada de "sertaneja" antes da mídia comercial se apropriar, indevidamente, do nome. Quando criança ouvia aos pés da cama dele, vindas de um rádio à pilha que chiava muito, clássicos destes gêneros que marcaram para sempre a sua vida. Eu e Andreia Beillo não temos nada em comum. Para começo de conversa, ela torce pelo Palmeiras. Mas resolvemos juntos botar o pé na estrada e acreditar nas bençãos de São Gonçalo do Amarante e tentar encontrar na atividade de blogueiros dedicados à música de qualidade algo que nos una e ajude muita gente boa espalhada por todo este país, e lá fora, também, a ter seus méritos reconhecidos, resgatando e preservando valores de nossa cultura popular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s