Barulho d'Água Música

Veículo de divulgação de cantores, duplas, grupos, compositores, projetos, produtores culturais e apresentadores de música independente e de qualidade dos gêneros popular e de raiz. Colabore com nossas atividades: leia, compartilhe e anuncie!

Projeto cultural 4 Cantos começa em São Carlos turnê pelo SESC e estreia na Capital

1 comentário

Os músicos do projeto cultural 4 Cantos (SP), formado em 2011 por Cláudio Lacerda, Luiz Salgado, Rodrigo Zanc e Wilson Teixeira vão voltar aos palcos para quatro apresentações programadas pelo Sesc do Estado de São Paulo, duas das quais ainda neste mês. Em 25 de junho, a cantoria começará às 20 horas, na unidade São Carlos, e o ingresso já está à venda. Dois dias depois, no sábado, 27, será a vez do público que frequenta o Sesc Ribeirão Preto curtir o show, a partir das 16h30, com entrada franca. O grupo que já passou por Araraquara, Santa Bárbara d’Oeste, Avaré e Botucatu, entre outras cidades do Interior, estreará na Capital como atração do Sesc Campo Limpo em 4 de julho, uma semana antes de, na certa, também encantar a plateia do Sesc Santo Amaro.

figur 1

 

Etiquetar os músicos do projeto cultural 4 Cantos, cravar um estilo e resumi-los é difícil. Em comum, eles nutrem a paixão pela viola caipira e todo o universo que o bojo do instrumento acolhe. A música que apresentam, entretanto, não é exatamente caipira, embora existam influências. Nem exatamente folclórica, embora existam influências. Nem exatamente guarani, fronteiriça, embora existam influências. Nem exatamente regional, essa denominação que, apesar da tentativa de ser específica, acaba se revelando  reducionista e, por demais, vaga. Talvez, como o sertão de João Guimarães Rosa, mineiro na gênese e infinito na chegada, as melodias aspirem ao universal.

Compositores, violeiros e cantadores, mais do que oferecer ao público uma oportunidade para rotulá-los – algo que a indústria fonográfica e a crítica ainda não conseguiram -, os quatro são “rios que se encontram, misturando suas águas” junto da plateia, com a qual somam alegrias e compartilham mágoas. Afinal, a música do interior – do Brasil e da alma – sempre celebrou momentos de amizade e exteriorizou a angústia do entardecer no campo, hora de solidão e nostalgia.

 “Em nossos shows conversamos com o público entre as nossas canções. É um momento de contato, saciamos curiosidades, contamos ‘causos’, essas coisas. Falamos também sobre nossas pesquisas culturais e sobre o projeto 4 Cantos”, explica Rodrigo Zanc. Para Cláudio Lacerda, o 4 Cantos não se limita às exibições. “Trata-se de um projeto cultural. E aproximar o público da arte e do universo artístico é um dos objetivos.”

“Nosso público reúne desde gente interessada em conhecer instrumentos, principalmente a viola, até gente que pretende apenas se descontrair, e felizmente podemos dizer ao final deles que todos saem satisfeitos e querendo saber quando voltaremos à cidade”, comentou Wilson Teixeira. “A palavra-chave é ENCONTRO. Também nós nos encontramos, vindos de estradas diferentes, e construímos um caminho”, observou Luiz Salgado. “Dividir essa diversidade de origens e essa unidade de propósito com o público, em encontros diretos, feitos de proximidade, é uma maneira de trazê-lo para a nossa jornada.”

CLÁUDIO LACERDA

Paulistano filho de mineiros, Cláudio Lacerda estreou em 2003, ao lançar Alma Lavada. Dois anos depois, venceu o I Prêmio Rozini Nacional de Excelência da Viola Caipira, promovido pelo IBVC (Instituto Brasileiro de Viola Caipira) como melhor intérprete, feito repetido nas outras duas edições, realizadas em 2010 e em 2013. Já dividiu palco e faixas de seus discos com nomes como Dominguinhos e Renato Teixeira. Em 2007, gravou seu segundo álbum, Alma Caipira, e, em 2010, o autoral Cantador.

Atualmente Cláudio Lacerda está em estúdio gravando um novo trabalho, Estradas do Sertão, com participações de Neymar Dias (viola caipira, baixo, violão) e Toninho Ferraguti (acordeon), que reunirá músicas de autores consagrados como Tom Jobim e Chico Buarque. Ele também produziu, recentemente, Trilha Boiadeira, com canções sobre a atividade de boiadeiro, dele em parceria e com participações de Adriano Rosa e vários ícones da música de raiz como Neymar Dias, Zé Paulo Medeiros, Teddy Vieira, Almir Sater, Renato Teixeira e Paulo Simões para marcar os 10 anos do canal Terra Viva.

LUIZ SALGADO

Mineiro de Patos de Minas, suas composições são ligadas ao folclore, exaltando a biodiversidade e a cultura do povo do cerrado. Participou de vários festivais, venceu alguns deles, como o Canções para Arteiros, do Itaú Cultural, em 2009 e gravou os discos Trem Bão (2003), Sina de Cantadô (2007), e Navegantes (2010), além do DVD Noite e Viola (2012). Em 2013, em parceria com Katya Teixeira, fez o álbum 2 Mares.

Luiz Salgado já começou a gravar Quanto mais meus óio chora mais o mar quebra na praia, cuja faixa título vem cantando com o 4 Cantos. Esta empreitada pode contar com a colaboração dos amigos e admiradores mediante contribuição, com direito a recompensas, à plataforma de financiamento coletivo (crowfunding) partio. Para saber como participar clique em https://partio.com.br/projeto/luiz-salgado/ 

RODRIGO ZANC

Pesquisa a viola brasileira e suas influências há mais de 20 anos, lutando incansavelmente pela manutenção e propagação da cultura ligada ao instrumento. É natural de Araraquara, residente na vizinha São Carlos (SP). Participou de vários festivais, dentre eles o Viola de Todos os Cantos, da EPTV – Rede Globo, e chegou às finais de 2005 e de 2007.

Em 2006, lançou Pendenga, o primeiro CD. Em 2010, Rodrigo Zanc foi à Europa divulgar seu trabalho. Em 2013, produziu Fruto da Lida, selecionado para o 26º Prêmio da Música Brasileira. Embora Fruto da Lida esteja ainda apenas dando os primeiros passos, Rodrigo Zanc e seu parceiro, o compositor e letrista Isaías Andrade, já estão a pleno vapor alinhavando um novo álbum, desta vez com faixas apenas de ambos. Uma destas novidades, Dona Pombinha, Rodrigo Zanc já vem mostrando ao público em suas apresentações e também a incluiu no repertório do 4 Cantos.

WILSON TEIXEIRA

A “Terra do Verde”, Avaré, é o berço deste violeiro que também estudou violão e piano erudito. Wilson Teixeira participou de diversos festivais relacionados com a viola ou a música regional, como os de Tatuí (SP), Ilha Solteira (SP), Avaré (SP) e Ponta Grossa (PR). Em 2001, integrou a gravação do CD Ciranda de Cantigas, organizado por Salatiel Silva e Paulo Netho. Em 2004, passou a fazer parte da equipe de músicos dos Trovadores Urbanos. E, em 2007, gravou Almanaque Rural e está finalizando Casa Aberta para lançamento ainda neste semestre.

Serviço:

Shows do Projeto 4 Cantos no Sesc de São Paulo

25/06, São Carlos, 20 horas

Rua Comendador Alfredo Maffei, 700, telefone 16 3373-2333, ingressos à venda entre R$ 5 e R$ 17

27/06, Ribeirão Preto, 16h30 horas

Rua Tibiriça, 50, telefone 16 3977-4477, Grátis

 04/07, Campo Limpo (São Paulo), 20 horas

Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120, telefone 11 5510-2700, Grátis

11/07, Santo Amaro (São Paulo), 20 horas

Rua Amador Bueno, 505, telefone 11 5541-4000, Grátis

espalhe rspeito

Anúncios

Autor: barulhomarcel

Jornalista nascido em Bela Vista do Paraíso (PR). Corintiano por herança do pai, Geraldo Caetano de Lima. Do velho também puxou a paixão por modas de viola, música de raiz e caipira, que era chamada de "sertaneja" antes da mídia comercial se apropriar, indevidamente, do nome. Quando criança ouvia aos pés da cama dele, vindas de um rádio à pilha que chiava muito, clássicos destes gêneros que marcaram para sempre a sua vida. Eu e Andreia Beillo não temos nada em comum. Para começo de conversa, ela torce pelo Palmeiras. Mas resolvemos juntos botar o pé na estrada e acreditar nas bençãos de São Gonçalo do Amarante e tentar encontrar na atividade de blogueiros dedicados à música de qualidade algo que nos una e ajude muita gente boa espalhada por todo este país, e lá fora, também, a ter seus méritos reconhecidos, resgatando e preservando valores de nossa cultura popular.

Um pensamento sobre “Projeto cultural 4 Cantos começa em São Carlos turnê pelo SESC e estreia na Capital

  1. Pingback: 1001- Jair Marcatti recebe Cláudio Lacerda para terceira rodada do projeto Retratos do Brasil-Prosa e Música na BMA | Barulho d'Água Música

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s