665 – Mauri de Noronha (PE) recebe Chico Pedro e lança “De repente, um cantador”, em São Paulo

O cantor e compositor Mauri de Noronha (Garanhuns/SP) lançará neste sábado, 3 de outubro, o álbum De repente, um cantador, no qual conta com a participação de Chico Pedro, flautista chileno integrante do Raíces de América. O show está previsto para começar as 20 horas, no Espaço da Rosa Latino Americana, casa cultural situada na rua Santo Antônio, 1025 , no tradicional bairro paulistano do Bixiga, com ingresso a título de apoio cultural estipulado em R$ 10,00. 

Continue Lendo “665 – Mauri de Noronha (PE) recebe Chico Pedro e lança “De repente, um cantador”, em São Paulo”

Anúncios

664 – Sr. Brasil agora é também Cidadão de Guaíra, cidade paulista onde cantou pela primeira vez

boldrin guaira

Há pouco mais de dois meses homenageado com um belo programa especial, gravado no auditório da Sala São Paulo, na Capital paulista no dia 20 de julho e levado ao ar em 20 de setembro para comemorar 10 anos do programa Sr. Brasil na TV Cultura, Rolando Boldrin recebeu na sexta-feira, 25, o título de Cidadão Guairense, concedido ao cantor, compositor, ator e escritor pela Câmara Municipal de Guaíra (SP). A honraria, aprovada por unanimidade, é indicação do vereador José Mendonça (PDT) e Rolando Boldrin a recebeu ao encerramento da II Feira do livro e  Fórum Regional de Educação de Guaíra, em solenidade que transcorreu no Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça.

Continue Lendo “664 – Sr. Brasil agora é também Cidadão de Guaíra, cidade paulista onde cantou pela primeira vez”

663 – Ivan Vilela recebe Renato Varoni e Marcos Ferrer em nova rodada da série Viola Erudita, do Sesc SP

marcus ferrer

A Série Erudita Viola em Concerto que o Sesc Pinheiros apresentará mensalmente até dezembro, com curadoria do professor, pesquisador e compositor Ivan Vilela (Itajubá/MG) continuará nesta quarta-feira, 30 de setembro, com palestra de Renato Varoni a partir das 19 horas sobre o contexto da viola no Rio de Janeiro do século XIX. O tema constitui a tese de Doutorado do palestrante, obtida no Departamento de Etnomusicologia da Queens University Belfast (Irlanda do Norte).

Renato Varoni atua  na área de música popular brasileira como músico, professor e pesquisador. Dedica-se desde 2003 à investigação dos cordofones luso-brasileiros e tornou-se especialista em violas de arame. Interessa-se tanto pela pesquisa etnográfica das músicas de tradição oral e aural no Brasil, quanto pelo estudo interdisciplinar do fenômeno musical. Para participar da palestra, que terá 60 minutos e transcorrerá no auditório do 3º andar, será necessário retirar o ingresso com uma hora de antecedência.

Encerrada a participação de Varoni, Ivan Vilela chamará ao palco o músico carioca Marcus Ferrer para executar o segundo concerto da série dedicada ao universo das violas. Marcus Ferrer é professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), doutor em Teoria e Prática da Interpretação (com a tese A viola de 10 cordas e o Choro: arranjos e análises, pela UniRio), e mestre em Composição (dissertação Choros 4 e Suíte Retratos: o Choro visto por Heitor Villa-Lobos e Radamés Gnattali, pela UFRJ).

Marcos Ferrer também é compositor, violonista e violeiro, além de fundador e integrante da Orquestra de Cordas Brasileira, com a qual ganhou três prêmios Sharp: melhor grupo de música instrumental e melhor disco de música instrumental, além de melhor disco de música instrumental com Chiquinho do Acordeon e Raphael Rabello. Composições  de Ferrer já foram apresentadas nos Estados Unidos, na Dinamarca, na França e em Portugal e renderam o terceiro lugar do II Prêmio Syngenta de Música Instrumental de Viola, com  Toada Serra-Mar.

A venda de ingresso para ouvir Marcos Ferrer estará limitada a quatro por pessoa, com preços entre R$ 7,50 e R$ 25,00. Não será permitida a entrada após o início do espetáculo. O Sesc Pinheiros fica na rua Paes Leme, 195, há menos de 1.000 m das estações Faria Lima da Linha 4 Amarela do Metrô e Pinheiros da CPTM, esta com acesso pela Praça Victor Civita.

banda-toca

662 – Paulo Matricó (PE), poeta que entoa a essência do Sertão, é atração do I Congresso Nacional de Pequenos Agricultores, em São Bernardo (SP)

“Eu viajei pra muito longe atrás do mundo novo e me realizar/quanto mais distante eu fui mais perto eu me encontrei aqui do meu lugar/ (…) Inconscientemente o povo corre atrás do novo e perde o endereço/ninguém trará de volta a feira, a roça e a cachoeira/tudo tem seu preço”

Apreço ao meu lugar, faixa 10 de Junho Também, de 1997, segundo álbum de Paulo Matricó

matrico arte

O cantor e compositor Paulo Matricó (PE) estará em São Bernardo do Campo, em 15 de outubro, como atração do 1º Congresso Nacional do Movimento dos Pequenos Agricultores (que começará no dia 12 e prosseguirá até o dia 16). Paulo Matricó é um dos mais conceituados cantores  e compositores do Nordeste e relançou em maio para comemorar 20 anos da primeira prensagem o álbum Outro Verso, esgotada completamente após a projeção do artista no cenário da música brasileira. O disco, agora remasterizado, ganhou também uma releitura visual da capa e do encarte por meio de primoroso trabalho assinado por Paulo Rocha, constituindo-se em uma autêntica joia para colecionadores. A versão original, de 1995, bem como vários outros títulos da carreira de Paulo Matricó, pode ser baixada do blogue Quadrada dos Canturis, em Mp3. 

Continue Lendo “662 – Paulo Matricó (PE), poeta que entoa a essência do Sertão, é atração do I Congresso Nacional de Pequenos Agricultores, em São Bernardo (SP)”

661 – Paulo Netho recebe com Salatiel Silva amigos e artistas para rodas de poesias e música em Osasco (SP)

paulus radio
Poesia e boa música em Osasco e para quem mora na cidade e na região situada a menos de 20 quilômetros de São Paulo, lindeiras às Rodovias Castello Branco, Raposo Tavares e Rodoanel Mário Covas agora têm dia e endereço. Todas às quartas-feiras, a partir das 20h15, o poeta, cantor, compositor e recitador Paulo Netho receberá amigos e artistas no restaurante Sr. Glutton, onde em 23 de setembro estreou acompanhado por Salatiel Silva (violão) e participação especial de Marcelo Manfra (sax e flauta) Poesia Futebol Clube — projeto no qual declama poemas e canta músicas de sua autoria e de Salatiel que fazem parte do repertório de Balaio de Doi2, de outros espetáculos da animada dupla, bem como de autores e escritores diversos, entre os quais Arnaldo Baptista, Arnaldo Antunes, Evandro Camperon, Rafael Altério, Bilo Mariano, Carlos Drummond de Andrade, Manoel de Barros, Manuel Bandeira e Paulo Leminski. 

Continue Lendo “661 – Paulo Netho recebe com Salatiel Silva amigos e artistas para rodas de poesias e música em Osasco (SP)”

660 – Wilson Dias (MG) canta na terra natal, Olhos d’água, e visita São Caetano e Sampa, em outubro

Amigos e seguidores: 

Confiram abaixo a agenda de shows do cantor e compositor de Olhos d’água (MG), residente em Belo Horizonte. Wilson Dias traz em sua bagagem a musicalidade e os ensinamentos da nossa cultura popular, um som enraizado no Brasil profundo. Desenvolveu trabalhos em parceria com Pereira da Viola e João Evangelista Rodrigues, resultando em dois projetos: o Bate Pilão, que celebra a cultura popular, com seus ritmos e suas danças, e o álbum Pote – a melodia do chão, lançado em outubro de 2010. Participa também do projeto Vivaviola, que reúne nomes da autêntica viola caipira de dez cordas, em Minas Gerais (Pereira da Viola, Bilora, Joaci Ornelas e Gustavo Guimarães) lançado em outubro de 2008. Esse trabalho resultou em dois álbuns homônimos e que ganharam turnês pelas cidades pelas Alterosas. A discografia autoral é formada por seis álbuns, dos quais o mais recente é Lume, feito em parceria com Déa Trancoso, o talentoso e multi-instrumentista André Siqueira e com a participação de Ná Ozetti, entre outros músicos de primeira. Muitas das letras são de autoria de Wilson Dias com João Evangelista Rodrigues, com o acréscimo de Pereira da Viola para deixar a obra mais bela! 

 

wilson dias outubro

 

659 – Ivan Vilela e José Hamilton Ribeiro, mediados por Sérgio Martins, falam sobre música caipira em festival literário de Santos (SP)

tarrafa 33

O Barulho d’água Música acompanhou no Teatro Guarany, em Santos (SP), na noite de sexta-feira, 25 de setembro, As Raízes da Música Caipira, rodada do 7º Tarrafa Literária mediada pelo jornalista Sérgio Martins com o violeiro escritor, compositor e pesquisador Ivan Vilela (Itajubá/MG) e o jornalista José Hamilton Ribeiro (Santa Rosa do Viterbo/SP). Os convidados abordaram o tema da mesa contando fatos, causos e comentando aspectos históricos e atuais relacionados à música caipira — uma das mais ricas e duradouras expressões das tradições populares do Brasil, presente com grande força no Interior de São Paulo e em estados como MG, PR, GO.

Continue Lendo “659 – Ivan Vilela e José Hamilton Ribeiro, mediados por Sérgio Martins, falam sobre música caipira em festival literário de Santos (SP)”

658 – Nossos parabéns além-mar para o aniversariante José Barros, de Braga, Portugal!

Lirio Roxo

O Barulho d’água Música atravessa os oceanos para levar um abraço até o lisboeta José Barros, aniversariante em 27 de setembro,  e que entre 11 e 13 de setembro esteve em Belo Horizonte (MG)  para abrilhantar a I Mostra Internacional de Violas de Arame do Brasil, evento organizado pela Fundação Municipal de Cultura e Viola Brasil Produções que uniu os músicos Chico Lobo, João Araújo e os patrícios de José Barros, os também violeiros Eduardo Costa, e Pedro Mestre e Vitor Sardinha. Chico Lobo, nascido em São João Del Rey e expoente da viola caipira, residente atualmente na Capital mineira, como anfitrião recebeu os convidados portugueses, cada qual representando uma viola típica de suas regiões — Amarante, Braga, Alentejo e Ilha da Madeira.  

mestre e barros

José Barros trouxe a viola braguesa, abriu o evento tocando uma versão do Hino de Portugal e depois, após oferecer uma amostra da sonoridade de seu instrumento, cantou canções típicas acompanhando Pedro Mestre. A I Mostra Internacional de Violas de Arame foi promovida nos moldes das que ocorrem em Portugal desde 2009 e inserida como atração da III Virada Cultural de Belo Horizonte e ofereceu, ainda, um concerto no Parque Municipal, no domingo, 13, seguido por uma oficina, novamente no CRM.

Ao amigo de além-mar nosso fraterno e forte abraço! Felicidades e sucesso em nome dos amigos Marcelino Lima, Andreia Beillo, Nalu Fernandes, Elisa Espíndola, Babu Baia (cuja família é de Portugal!), Thiago Barreto, Cíntia Wakayma e e seguidores do blogue!

José Barros nasceu em 1960, cerca de 20 anos depois despertou interesses pelos instrumentos tradicionais de cordas, entre eles a viola braguesa. Paralelamente descobre o gosto pelos cantares tradicionais de todas os regiões do país. Frequentou o Juventude Musical Portuguesa e a Academia dos Amadores de Música de Lisboa onde cursou o disciplino de Canto. É responsável pelo projeto Trinado de dinamização e de divulgação dos instrumentos tradicionais de cordas. Fundador e do grupo José Barros e Navegante.

braguesaViola Braguesa – Instrumento popular do Noroeste Português, entre Douro e Minho e, sobretudo do Minho, figurando nas rusgas (as rusgas minhotas são grupos festivos que se podiam ver a caminho das festas e romarias e nos trabalhos coletivos da região, acompanhando a dança que espontaneamente se organizava), chulas e desafios, que são as formas músico-instrumentais dominantes na região. Ela toca-se a solo ou a acompanhar o canto, ou mais correntemente, ao lado do cavaquinho, e, modernamente, da guitarra (mais raramente com a rabeca e bandolim), harmônica e acordeon a par dos idiofones rítmicos e fricativos, como o tambor, os ferrinhos e o reque-reque.

 

657 – Compositor Zé do Norte é homenageado por Socorro Lira (PB) com show gratuito em São Paulo

socorro lira 22

Cantora, compositora e poetisa, Socorro Lira cantará neste domingo, 27 de setembro, a partir das 13 horas, sem cobrança de ingressos, no Sesc Campo Limpo, em São Paulo. Faça o calor de arrebentar que anda fritando ovo em asfalto ou chova canivetes  sobre a cidade– não por ser de graça, mas porque Socorro Lira é uma das mais versáteis e belas cantoras independentes (de cabeça e de alma!) — valerá a pena para quem mora em Sampa dar um pulinho (ou mesmo pulão até lá, no extremo Sul paulistano!) para prestigiá-la, ainda mais porque a paraibana de Brejo do Cruz, radicada em São Paulo, cantará em homenagem ao conterrâneo Zé do Norte, nascido em Cajazeiras, também na Paraíba.

pc21

O espetáculo em tributo a um dos pioneiros na observação e na divulgação do folclore nacional e recolhedor de Mulher Rendeira reúne cocos, chorinhos, batuques, toadas, canções, caribós e diversos outros ritmos da música popular brasileira. Zé do Norte se chamava Alfredo Ricardo do Nascimento e inspirou Socorro Lira a gravar Lua Bonita – Zé do Norte 100 anos, em 2011, obra que teve a participação de Vanja Orico, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Zé Paulo Medeiros e Sandra Belê. Com este álbum Socorro Lira recebeu o 23º Prêmio da Música Brasileira de melhor cantora (categoria regional).

O álbum premiado e demais títulos da discografia de Socorro Lira, além do livro de poesias A Pena Secreta da Asa podem ser encontrados na Livraria Cortez, cujo endereço é Rua Monte Alegre, 1074, Perdizes, defronte ao campus da PUC de São Paulo e cujo telefone para mais informações e contato é (11) 3873-7111.

 

no-racism1

656- Ivan Vilela e Zé Hamilton Ribeiro participam em Santos (SP) de debate sobre música caipira

tarrafa

Cidade litorânea das mais importantes e agradáveis do estado de São Paulo e do Brasil, Santos sediará o 7º Tarrafa Literária, considerado o maior festival paulista de literatura, entre hoje, 23, e domingo, 27 de setembro. Após o show de Estrela Leminski e de Téo Ruiz na noite de abertura, o evento prosseguirá com debates entre autores da literatura nacional e internacional, além de atividades para o público infantil, sempre no Teatro Guarany, localizado na Praça dos Andradas, 100, centro histórico santista, ao lado do terminal rodoviário.

Para prestigiar os debates bastará chegar com antecedência e retirar o convite. De acordo com a programação, a cada dia serão montadas duas mesas com dois palestrantes, mais o mediador. A música caipira, tema de uma das rodadas da sexta-feira, 25, terá em formato de bate-papo as  presenças do professor, compositor, pesquisador e violeiro Ivan Vilela e do jornalista José Hamilton Ribeiro. Sob a batuta de Sérgio Martins, Ivan Vilela e Zé Hamilton contarão experiências sobre as histórias desta vertente da música e do homem sertanejo, entremeadas por peças tocadas pelo músico.

Clique em http://tarrafaliteraria.com.br/programacao/ para saber datas e horários das atividades do 7º Tarrafa Literária.

Lenine em concerto

Ivan Vilela também é um dos convidados da Orquestra de Câmara da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (Ocam/ECA/USP), que, sob regência do maestro Gil Jardim, estará a partir das 11 horas do domingo, 27, no auditório externo da galeria Itaú Cultural, em São Paulo. Vilela e o percussionista Ari Colares abrilhantarão a apresentação de 20 anos da Ocam em cujo concerto estará, ainda, Lenine. A Ocam fará a abertura tocando Huapango, de José Pablo Moncayo, e o primeiro movimento da Sinfonietta Nº 1, de Villa-Lobos. Na sequência, Lenine subirá ao palco e se juntará aos músicos para mostrar algumas canções do disco recém lançado Carbono, seu mais recente trabalho e destaque em um dos palcos do Rock in Rio, além de músicas que o consagraram. A galeria Itaú Cultural fica na avenida Paulista, 149, e para mais informações dispõe os números de telefones 11 2168 1777 / 2168 1776.

Livro-Jose-Hamilton-1

Mestre do jornalismo investigativo

O jornalista mais premiado do Brasil é o título do livro que o  jovem jornalista paulista Arnon Gomes lançará entre 16 e 19 horas do sábado, 3 de outubro, na loja da Alameda Lorena da Livraria da Vila, em São Paulo. O biografado é nada mais, nada menos que um dos mestres do (infelizmente cada vez mais raro!) jornalismo investigativo José Hamilton Ribeiro, que estará presente durante a sessão de autógrafos.

Arnon Gomes procurou ir além do Zé Hamilton conhecido como correspondente de guerra e buscou explicar as razões pelas quais, entre os jornalistas de todas as gerações, o biografado é um dos mais brilhantes da  imprensa brasileira, o único a ficar tanto tempo atuando como repórter (há 35 anos assina matérias durante o programa Globo Rural, na TV Globo), mesmo com o avanço há algumas décadas da televisão e, recentemente, da internet. O autor ainda procurou desvendar em 260 páginas quais macetes Zé Hamilton domina para manter o perfil de um dos profissionais periodistas com o maior número de prêmios, além de resgatar reportagens inesquecíveis que o homenageado protagonizou em momentos cruciais da vida brasileira, enfatizando, ainda, o legado que deixou por onde passou.

O livro, com prefácio de Sérgio Dávila, da Editora Eko Gráfica, estará a venda por R$ 35,00. A Livraria da Vila fica na Alameda Lorena, 1731, Jardim Paulista, e para mais informações tem o número de telefone (11) 3062-1063.

pgapega