666 – Tavinho Moura dá sequência ao projeto Composição Ferroviária e canta com abertura de Raimundo Andrade (MG)

tavinho moura arte
O projeto Composição Ferroviária, que os músicos Jucilene Buosi e Wolf Borges promovem em Poços de Caldas, oferecerá ao público neste domingo, 4 de outubro, duas atrações, dois dos maiores expoentes da música sul-mineira: Tavinho Moura e Raimundo Andrade, convidado pelo casal para abrir o concerto do cantor e compositor nascido em Juiz de Fora e conhecido nacionalmente por vários sucessos, gravados tanto por ele, quanto por vozes como as dos conterrâneos Milton Nascimento e Pena Branca & Xavantinho. Andrade subirá ao palco, montado no pátio da antiga estação ferroviária, a partir das 10 horas.    

Quem gosta de música, certamente encontra em Tavinho Moura inspiração, sensibilidade e uma referência obrigatória. Calix Bento, Cruzada, Peixinhos do Mar, Paixão e Fé, que compôs ou recolheu, são alguns dos hinos da MPB que Tavinho Moura consagrou e que revelaram a identidade mineira do Clube da Esquina. O músico afirmou-se no cenário brasileiro com técnica e criatividade incomuns e autoria de peças de estruturação harmônica inusitada e sinuosa, aliada à beleza das melodias — muitas das quais em parceria com o saudoso amigo Fernando Brant. Com premiadas incursões pelo universo das trilhas sonoras de filmes, lançou o primeiro disco, Como Vai Minha Aldeia em 1978 e neste álbum já trouxe a consistência do trabalho que, seguido de tantos outros, despertaram a atenção também de Beto Guedes, Sérgio Reis, Almir Sater, Simone, Boca Livre, Zizi Possi, e 14 BIS. 

 

Em 2014, Minhas Canções Inacabadas foi indicado ao Grammy Latino de melhor álbum de música regional. Em agosto deste ano, quando esteve em São Paulo para abrir acompanhado por Beto Lopes a série de concertos com curadoria de Ivan Vilela do Sesc Pinheiros sobre violas eruditas,  trazia no embornal ainda quentinho o recém-lançado Beira da Linha. Escritor e fotógrafo, Tavinho Moura também é autor dos livros Maria do Matué – Uma Estória do Rio São Francisco, (que traz encartado o álbum Rua do Cachorro Sentado) e Pássaros Poemas – Aves da Pampulha, este um belo registro de aves que habitam o Parque da Pampulha, em Belo Horizonte (MG), onde Tavinho Moura mora e as clicou. 

 Negro e caipira

raimundo andrade arte

Uma das grandes vozes do Sul de Minas, Raimundo Andrade nasceu em Pouso Alegre e mora em Varginha (MG). Compositor que revela as ricas tradições da música de raiz, misturando o negro e o caipira em músicas de forte expressividade, é fundador do Grupo Imbuia e se consolidou como referência da sonoridade sul-mineira na década dos anos 1980, tornando-se sucesso regional. Raimundo Andrade venceu inúmeros festivais, dentre eles o Viola de Todos os Cantos em diversas edições.

O Composição Ferroviária está completando o segundo ano de apresentações, sempre mensais, com doze shows de renomados representantes da MPB já realizados e com aberturas promovidas por artistas regionais. O projeto, que contou inicialmente com o patrocínio da Gasmig e DME, é viabilizado em 2015 pela Prefeitura Municipal de Poços de Caldas, com apoio e logística da Secretaria Municipal de Turismo. As apresentações são sempre aos domingos, as 10 horas, na antiga Estação Mogyana de Poços de Caldas, com entrada franca.
11044561_1085419401483715_8549720740248656185_n
Anúncios

Uma resposta para “666 – Tavinho Moura dá sequência ao projeto Composição Ferroviária e canta com abertura de Raimundo Andrade (MG)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s