Barulho d'Água Música

Veículo de divulgação de cantores, duplas, grupos, compositores, projetos, produtores culturais e apresentadores de música independente e de qualidade dos gêneros popular e de raiz. Colabore com nossas atividades: leia, compartilhe e anuncie!

703 – Orquestra Barroca do Amazonas abre em Juiz de Fora (MG) Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga

Deixe um comentário

oba

Orquestra Barroca do Amazonas

O Centro Cultural Pró Música da Universidade Federal de Juiz de Fora, cidade do sul de Minas situada na Zona da Mata, promoverá a partir do dia 31 de outubro, ao longo da primeira semana de novembro, o 26º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga, composto por concertos, palestras, cursos e oficinas. As atrações e eventos serão oferecidos em ambientes como o Cine-Theatro Central e o Parque Halfed, além das igrejas São Sebastião e do Rosário, de manhã, de tarde e à noite.  De acordo com a programação oficial, entre os dias 31 e 1, a primeira atividade será o curso Música pela Estrada Real (Educação Musical), ministrado das 9 às 12 e das 14 às 18 horas por Cecília Cavalieri França, no Auditório Geraldo Pereira do Instituto de Artes e Design da UFJF.

A série de concertos será aberta pela Orquestra Barroca da Amazonas (OBA) no domingo, 1º de novembro, a partir das 20 horas, no Cine-Theatro Central. A Orquestra Barroca do Amazonas (OBA) foi criada em 2009 com o objetivo de enfatizar o repertório luso-brasileiro do século XVIII ao início do XIX, assim como as suas fontes estilísticas advindas principalmente da Itália, da Espanha e da música dos Períodos Galante e Clássico. O grupo toca instrumentos históricos, com uma abordagem interpretativa que associa fontes coevas e a reflexão musicológica.

A OBA formou-se com músicos que se encontraram na Universidade do Estado do Amazonas na condição de professores e de alunos de graduação e pós-graduação, interessados no imenso patrimônio brasileiro do período colonial, especialmente dos séculos XVIII e começo do XIX. Desde sua criação, a Orquestra mantém intensa atividade, apresentando-se regularmente no Brasil e no exterior (Itália, Espanha e Portugal), seja em festivais, espaços históricos, bem como salas de concerto e teatros modernos. Em 2013, lançou o CD Dei Due Mondi, com obras de autores italianos e ibéricos que influenciaram a formação do contexto lusófono em que se insere o Brasil. Recentemente a Orquestra Barroca do Amazonas gravou o álbum DRAMMA, que traz um repertório de árias e concertos de alguns dos maiores compositores do século XVIII.

A dedicação à preservação e ao restauro de partituras do patrimônio musical do Brasil colônia e a vanguarda na utilização de instrumentos de época para a divulgação deste acervo colonial e barroco deram ao Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga reconhecimento nacional e internacional, além de inúmeras premiações. A ampliação de espaços para a música colonial brasileira e para o movimento da música antiga com instrumentos de época é uma das metas que o evento alcançou. Hoje o mercado brasileiro produz e comercializa um número cada vez maior de produtos do gênero.

Mas foi o festival juiz-forano que abriu caminho para isso, com a pesquisa, a recuperação, o restauro e o registro da música histórica nacional. O evento revolucionou o cenário cultural nacional de música erudita com o vasto acervo produzido de álbuns, livros e DVD e dando a um público diversificado e crescente acesso a um tipo de produção cultural que poderia ficar restrita a iniciados e a acadêmicos. Para Juiz de Fora, o Festival cumpre a missão assumida pelo Centro Cultural Pró-Música de aprofundar o trabalho de formação de gerações de jovens músicos locais, enquanto que, para o Brasil, funciona como um verdadeiro fórum de discussões e intercâmbio entre os maiores conhecedores de diversos instrumentos em temas tão especializados e importantes como a música colonial brasileira e antiga.

A partir de 2011, ano da incorporação do Centro Cultural Pró-Música, a UFJF se une aos patrocinadores do evento e realiza, em 2015, a primeira edição do festival sob sua inteira organização. Nesta oportunidade, a 26ª. edição do Festival apresentará uma grande união de esforços em prol da difusão da cultura musical, num momento em que o país atravessa período conturbado por graves crises financeiras e políticas. Sua realização revela o compromisso da Universidade Federal de Juiz de Fora com a pesquisa, o ensino e a extensão no campo da cultura.

tmb

Trio Musa Brasilis

Órgão suplementar da Reitoria da UFJF, incorporado à universidade em junho de 2011, o Centro Cultural Pró-Música é reconhecido por sua vasta e contínua atuação no campo da cultura. São mais de 40 anos de contribuição, sobretudo para a formação musical e para a pesquisa e a divulgação da música colonial brasileira e da música antiga, trabalho cuja principal vitrine tem sido o tradicional Festival de Música Colonial Brasileira e Música Antiga.

Com uma sala de espetáculos de 500 lugares — o Teatro Pró-Música —, e espaço para exposições de artes plásticas e visuais — a Galeria Renato de Almeida —, a instituição se abre para acolher outras manifestações culturais, proporcionando a artistas e produtores locais a oportunidade de apresentarem suas obras em dois espaços amplos e confortáveis em pleno centro, na principal avenida de Juiz de Fora, a Rio Branco.

A incorporação do Pró-Música à UFJF assegurou à instituição o status de órgão suplementar da Reitoria, a exemplo do Cine-Theatro Central, do Museu de Arte Murilo Mendes e do Coral Universitário. A união foi aprovada pelo Conselho Superior da UFJF em março de 2011 e oficializada em solenidade realizada em 9 de junho desse mesmo ano, com a doação do patrimônio material e imaterial do Pró-Música à UFJF. Foram três anos de estudos sobre a viabilidade da proposta feita à universidade pela família Sousa Santos, fundadora da instituição na década de 1970, que viu na incorporação a possibilidade de assegurar a continuidade dos projetos realizados pelo Pró-Música.

Essa união histórica aproximou definitivamente duas instituições que, com trajetórias paralelas, realizaram inúmeras parcerias ao longo de 40 anos, com o apoio fundamental da Reitoria a diversas iniciativas, incluindo auxílio para a aquisição de um piano de cauda alemão e contribuição para a construção da sede na Avenida Rio Branco. A incorporação aconteceu em momento ímpar, como consequência do protagonismo assumido pela cultura na universidade com a criação, em 2006, da Pró-reitoria de Cultura, unidade que centralizou os órgãos culturais da instituição.

O Centro Cultural Pró-Música (CCPM) surgiu em dezembro de 1971 como entidade civil sem fins lucrativos, com a proposta de promover mensalmente um concerto de música erudita, a fim de incentivar a formação de público para o gênero. Em pouco tempo, os fundadores — o casal Maria Isabel e Hermínio de Sousa Santos — não só superaram a meta do concerto mensal, como ampliaram o projeto, firmaram parcerias e conquistaram a sede própria. Acima de tudo, construíram as bases para a consolidação de uma obra pioneira, que cresceu e se diversificou com o apoio da sociedade local, a iniciativa privada, de instituições públicas e leis de incentivo, projetando Juiz de Fora como celeiro de músicos e, uma vez por ano, durante seu tradicional festival, como a capital da música colonial brasileira.

Além de prestigiadas pelo público, as ações desenvolvidas pelo Pró-Música alcançaram reconhecimento nacional, com a outorga de diversos prêmios a realizações como o Festival de Música Colonial Brasileira e Música Antiga, que em 2000 recebeu o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), na categoria preservação de bens móveis e imóveis. Em 2002, o Pró-Música recebeu a Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura por sua contribuição na divulgação mundial da cultura brasileira.

Para localizar endereços, obter mais informações como valores de taxas, formas e prazos de inscrição e conferir se não ocorreram mudanças na programação consulte www.festivalmusicaantigajf.com.br

cau02

Coro Acadêmico da UFJF (Fotos: Assessoria de Imprensa do CCPM)

Concertos

01/11 | 20h : Concerto de Abertura: ORQUESTRA BARROCA DO AMAZONAS

Local: Cine-Theatro Central

02/11 | 20 h : ACADEMIA DOS RENASCIDOS (Teatro Pró-Música

03/11 | 20 h :  SOLISTAS DA ORQUESTRA BARROCA DO AMAZONAS (Igreja São Sebastião

04/11 | 20 h: TRIO MUSA BRASILIS (Teatro Pró-Música)

05/11 | 20 h: CORO ACADÊMICO DA UFJF  (Igreja do Rosário)

06/11 | 20 h : MÚSICA FRANCESA DO SÉCULO XVIII (Igreja São Sebastião)

07/11 | 20 h: DAVID CASTELO E ANA Cecília TAVARES (Igreja do Rosário)

08/11 | 20 h: Concerto de encerramento: BRUNO PROCÓPIO (Capela do Colégio Academia)

Concertos Diurnos

I CORO ACADÊMICO DA UFJF

31/10, Escadaria do Cine-Theatro Central, 12 h • 01/11, Shopping Independência, 13 h • 06/11, Shopping Santa Cruz, 12 h • 07/11, Parque Halfeld, 12 h • 08/11, Centro de vivência Campus UFJF, 10 h

Cursos e Oficinas

31/10 e 01/11| 9 h às 12 h – 14 h às 18 h

MÚSICA PELA ESTRADA REAL (EDUCAÇÃO MUSICAL)

Cecília Cavalieri França

Local: Auditório Geraldo Pereira – Instituto de Artes e Design/UFJF

02/11 a 06/11 | 9h – 12h

Local: Instituto de Artes e Design/UFJF

INSTRUMENTOS HISTÓRICOS DE CORDAS DEDILHADAS

Nicolas de Souza Barros

FLAUTA DOCE

David Castelo

CRAVO E PIANO

Bruno Procópio

VIOLONCELO BARROCO

Edoardo Sbaffi

VIOLINO E VIOLA BARROCOS

Gustavo Medina

CANTO-REPERTÓRIO LUSO-BRASILEIRO

Alberto Pacheco

CANTO- REPERTÓRIO BARROCO

Veruschka Mainhard

TRAVERSO

Márcio Páscoa

MÚSICA DE CÂMARA I 14 h às 15h30

Mário Trilha

DANÇAS BARROCAS

Osny Fonseca

Palestras

02/11 | 16 h: O VIOLONCELO A CINCO CORDAS E OS MODELOS DE BAIXO DE VIOLA NOS

SÉCULOS XVII E XVIII

Professor Doutor Edoardo Sbaffi (UEA)

Local: Auditório Geraldo Pereira – Instituto de Artes e Design/UFJF

03/11 | 16 h: O CANTO DOS CASTRATI: DA ITÁLIA AO BRASIL

Professo Doutor Alberto Pacheco (UFRJ)

Local: Auditório Geraldo Pereira – Instituto de Artes e Design/UFJF

04/11 | 16 h: RETÓRICA MUSICAL

Professor Doutor Márcio Páscoa (UEA)

Local: Auditório Geraldo Pereira – Instituto de Artes e Design/UFJF

05/11 | 16 h: A MÚSICA POPULAR E ERUDITA PIONEIRA DO AFRO-BRASILEIRO LINO JOSÉ NUNES (1789-1847)

Professor Doutor Fausto Borém (UFMG)

Local: Auditório Geraldo Pereira – Instituto de Artes e Design/UFJF

06/11 | 16 h: MUSICOLOGIA HISTÓRICA TRADICIONAL         

Professor Doutor Mário Trilha (UEA)

Local: Auditório Geraldo Pereira – Instituto de Artes e Design/UFJF

Exposição

04/11 | 18 h: ABERTURA DA EXPOSIÇÃO “O QUE VEJO É MÚSICA”

Local: Galeria Renato de Almeida (Teatro Pró-Música)

Terra natal do escritor Murilo Mendes, do ex-presidente Itamar Franco e dos músicos Tavinho Moura e Fabrício Conde, Juiz de Fora fica ao sul de Minas, na região conhecida por Zona da Mata

 

Anúncios

Autor: barulhomarcel

Jornalista nascido em Bela Vista do Paraíso (PR). Corintiano por herança do pai, Geraldo Caetano de Lima. Do velho também puxou a paixão por modas de viola, música de raiz e caipira, que era chamada de "sertaneja" antes da mídia comercial se apropriar, indevidamente, do nome. Quando criança ouvia aos pés da cama dele, vindas de um rádio à pilha que chiava muito, clássicos destes gêneros que marcaram para sempre a sua vida. Eu e Andreia Beillo não temos nada em comum. Para começo de conversa, ela torce pelo Palmeiras. Mas resolvemos juntos botar o pé na estrada e acreditar nas bençãos de São Gonçalo do Amarante e tentar encontrar na atividade de blogueiros dedicados à música de qualidade algo que nos una e ajude muita gente boa espalhada por todo este país, e lá fora, também, a ter seus méritos reconhecidos, resgatando e preservando valores de nossa cultura popular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s