Barulho d'Água Música

Veículo de divulgação de cantores, duplas, grupos, compositores, projetos, produtores culturais e apresentadores de música independente e de qualidade dos gêneros popular e de raiz. Colabore com nossas atividades: leia, compartilhe e anuncie!

791 – Daniela Lasalvia canta “Horizontes de um Brasil” em projeto que também receberá Consuelo de Paula

Deixe um comentário

dani e consuelo

A cantora Daniela Lasalvia dará continuidade neste dia 15 às apresentações musicais que o Sesc de São Caetano do Sul (SP) programou para todas as sextas-feiras de janeiro, sempre a partir das 20 horas, como parte do projeto Eu vi uma história, que também oferecerá ao público eventos e atividades integradas como exposições, montagens teatrais, de literatura e de cinema, tanto em cursos, quanto em oficinas. A autora do belo álbum duplo Madregaia está convidando amigos e fãs para vê-la no palco ao lado de dois músicos que classificou como “especialíssimos”, Rui Kleiner, ao bandolim, viola clássica e violão, e Rebecca Kleinmann, renomada flautista norte-americana. Em Horizontes de um Brasil, Daniela Lasalvia também tocará violão e viola caipira. “Juntos faremos um repertório mostrando o perfil de um Brasil que vai do choro aos ponteios de viola, passando por sambas, valsas, canções indígenas, e outros estilos que traduzem um painel notável da diversidade deste rico e imenso país”.

A série de concertos foi aberta na sexta-feira, 8, pela Companhia Cabelos de Maria, em cujo trabalho se destaca o canto de trabalho em mutirão. Depois de Daniela Lasalvia, será a vez de Bia Goes conduzir a plateia em uma viagem por ritmos, timbres e canções brasileiras. À mineira Consuelo de Paula estará reservado o encerramento, em 29 de janeiro, com Tambor da Rainha, show no qual ela passeará por várias regiões do Brasil.

A apresentação de Consuelo de Paula em São Caetano do Sul antecederá o programa especial da rádio japonesa Shiga, em 11 de fevereiro. Os japoneses conhecerão o repertório de O Tempo e o Branco, seu mais recente álbum, cujo lançamento completará um ano em 1 de fevereiro como um dos dez eventos mais marcantes do Auditório do Ibirapuera, em 2015.

11800199_10153415689722088_4094266585024229638_n

De acordo com matéria publicada no portal ABC do ABC, Consuelo de Paula é uma das poucas artistas de sua geração que possui, de fato, uma obra autorreferente na forma e no conteúdo. Os autores do referido artigo abrem aspas para apontar que a filha de Pratápolis radicada em São Paulo possui forte presença de palco e carisma, fechando-as após observar que ela se revela primorosa intérprete de sua própria obra e de outros autores. Em mais um trecho é destacada a expressão artística “marcada por profunda coerência, sensibilidade e dedicação aos elementos da cultura musical brasileira, com tudo o que ela tem de particular e de universal, de modo a sempre nos colocar diante de algo novo, inusitado e surpreendente, sempre a nos mostrar onde mora o Brasil”.  O ABC do ABC finaliza com uma observação incontestável para quem conhece a obra dela: “Consuelo se apresenta como herdeira da arte musical brasileira e mantém compromisso com a contemporaneidade, compromisso esse expresso na maneira inovadora de compor, harmonizar e interpretar”.

O Sesc de São Caetano do Sul  fica na rua Piauí, 554, no bairro Santa Paula, e disponibiliza o telefone (11) 4223-8800 para mais informações. Todos os shows musicais da terceira temporada do projeto Eu vi uma história serão livres e transcorrerão na área de convivência da entidade, com entradas custando entre R$ 5 e R$ 17. Já para a exposição, que poderá ser conferida entre 9 e 31 de janeiro, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, e aos sábados, das 9 às 13 horas, não haverá cobrança de ingresso, mas os interessados deverão se dirigir à Pinacoteca Municipal de São Caetano do Sul, situada na avenida Doutor Augusto de Toledo, 255, também em Santa Paula.

dengue 2

 

 

 

 

 

Anúncios

Autor: barulhomarcel

Jornalista nascido em Bela Vista do Paraíso (PR). Corintiano por herança do pai, Geraldo Caetano de Lima. Do velho também puxou a paixão por modas de viola, música de raiz e caipira, que era chamada de "sertaneja" antes da mídia comercial se apropriar, indevidamente, do nome. Quando criança ouvia aos pés da cama dele, vindas de um rádio à pilha que chiava muito, clássicos destes gêneros que marcaram para sempre a sua vida. Eu e Andreia Beillo não temos nada em comum. Para começo de conversa, ela torce pelo Palmeiras. Mas resolvemos juntos botar o pé na estrada e acreditar nas bençãos de São Gonçalo do Amarante e tentar encontrar na atividade de blogueiros dedicados à música de qualidade algo que nos una e ajude muita gente boa espalhada por todo este país, e lá fora, também, a ter seus méritos reconhecidos, resgatando e preservando valores de nossa cultura popular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s