830 – Cancioneiro do século XVI será atração da série “Tardes Musicais” da Fundação Ema Klabin (SP)

A Fundação Ema Klabin (São Paulo), em parceria com o Laboratório de Música de Câmara da Universidade de São Paulo, promoverá um ciclo de seis apresentações temáticas com o intuito de criar um panorama da música ocidental. A série proporcionará sempre com entrada franca uma viagem temporal pelos principais períodos estéticos da música ocidental após a Idade Média, oferecendo ao público obras do Renascimento, do Barroco, do Classicismo, do Romantismo e dos primórdios da música moderna no século XX.

A primeira apresentação ocorrerá já neste sábado, 12 de março, com início previsto para as 16h30. O palco estará reservado ao núcleo artístico Companhia das Antigas, que estrelará o espetáculo Cancioneiro de Bolso, dedicado às obras compiladas no Cancioneiro de Lisboa, do século XVI. O grupo reúne o cravista Pedro Augusto Diniz, a gambista Iara Ungarelli e as vozes de André Angenendt, Guga Costa, João Vitor Ladeira e Tiago Pinheiro, e selecionou para o repertório obras sacras de tradição católica para a Quaresma, Paixão, Páscoa e Eucaristia, além de músicas profanas.

Antes do concerto Cancioneiro de Bolso, a partir das 14 horas, o público que frequenta a casa situada na Rua Portugal, 43, poderá participar da visita temática O Gabinete de Ema Klabin.  A visita é uma proposta para favorecer uma visão sobre a história dos museus de arte, desde os gabinetes de curiosidades até as instituições que contemplem produções contemporâneas. Serão abordadas as principais metamorfoses desses espaços, refletindo como a história possibilitou a criação de locais como a Fundação encravada no Jardim Europa, na zona Sul paulistana. 

Para mais informações o telefone da Fundação Ema Klabin é 11 3897-3232.   

Anúncios

829 – Tábua de Pirulito: baixe e aprecie esta e outras iguarias do SaGRAMA, grupo com tempero armorial que há 20 anos encanta Pernambuco

A alegria, a religiosidade e também elementos alegóricos que revestem muitas das tradições populares do Nordeste estão representados na obra do SaGRAMA, grupo também conhecido por Banda Sinfônica do Recife que em 20 anos de estrada já tocou em países como a França e a Bélgica. Idealizado em 1995 pelo professor do Conservatório Pernambucano de Música, compositor e flautista Sérgio Campelo, o SaGRAMA difunde a música popular por meio de linguagem erudita, espalhando influencias do Movimento Armorial e ritmos tradicionais como frevo, baião e caboclinho. 

Com esta bem temperada sonoridade, o SaGRAMA já gravou sete álbuns, predominantemente instrumentais acústicos, um dos quais tem o sugestivo nome Tábua de Pirulito. Para quem não sabe, e portanto carrega o azar de jamais ter   experimentado uma, o título do disco faz referência à deliciosa iguaria em forma de pirulito puxa-puxa à base de mel, açúcar e água, tentação infelizmente já quase esquecida que fez a festa de crianças em ruas interioranas, envolta em embalagens de papel coloridas, vendida espetadas em tabuleiro de madeira cheia de furos e apoiada por um cabo longo que os vendedores carregavam ao ombro). Com esta mesma receita os nove músicos vêm animando vários eventos culturais em Pernambuco, além de compor trilhas sonoras para teatro e cinema, entre as quais a do filme O Auto da Compadecida, de Guel Arraes.

tabua de pirulito

O blogue Quadrada dos Canturis disponibilizou em formato mp3 seis dos sete álbuns do SaGRAMA. Visite o endereço http://quadradadoscanturis.blogspot.com.br/2014/01/sagrama-discografia-para-download.html#more, baixe os arquivos e boa curtição! Ah, e se você escutar o som de uma matraca ecoando pela rua onde mora, aperte a tecla de pausa e corra até o portão…