866 – Rodrigo Nali comanda Roda de Viola Caipira em Piracicaba (SP)

Alguns lutos podem custar a serem superados, mas também motivarem a busca por novos projetos. O violeiro de Paulínia (SP) Rodrigo Nali, por exemplo, mesmo ainda abatido pela precoce morte de Anderson Baptista, jovem com o qual formava o Duo Catrumano e a dupla Anderson e Rodrigo Nali, resolveu se manter ativo e já nesta sábado, 30 de abril, estará em Piracicaba à frente da Roda de Viola Caipira que a partir das 11 horas celebrará amizades e será formada para contação de causos e releituras de clássicos. O local escolhido para a festa que integra a programação Rio das Artes, do Sesc local, e tem apoio da Juá Produções Culturais, é a Casa do Povoador, situada à avenida Beira Rio, 800, no Centro da capital mundial da pamonha. Para mais informações há o número de telefone 19 34340-8605, mas Rodrigo Nali, que em 22 de abril recebeu inúmeras manifestações de apoio e votos de felicidade por mais um aniversário, avisa aos interessados que basta ter uma viola ou violão para se juntar aos tocadores.

Rodrigo Nali recebeu em 30 de setembro de 2014 homenagem na Câmara Municipal de sua cidade proposta por Danilo Barros (PC do B), vereador que encaminhou o projeto em reconhecimento ao “empenho na música e por Rodrigo Nali representar Paulínia no Brasil e no mundo”. O músico é virtuoso com o instrumento que escolheu para seguir na estrada e muito de sua habilidade foi adquirida e aperfeiçoada em convivência com Ivan Vilela, quando ao lado deste integrava a Orquestra Filarmônica de Violas, que Vilela fundou em Campinas e é uma das mais afamadas e premiadas do gênero.

Partida precoce

Anderson Baptista morreu em 8 de abril, após uma semana internado, em Campinas (SP), vítima da gripe H1N1. Estava com 27 anos.

naotemdesculpa2_cartaz

 

 

865 – Curta “A Busca”, clipe da faixa do álbum “Planos e Muros”, de André Salomão

O cantor e compositor André Salomão, paulistano que atualmente reside em Barbacena (MG), disponibilizou na internet vídeo-clipe da música A Busca (clique na palavra em azul e assista)  faixa integrante do álbum Planos e Muros, que lançou em 2015, e que de acordo com ele “nasceu por encomenda, em 2008”. Naquele ano, a diretora Cassia Magaly Batista, do Grupo Todo-Um de Teatro, pediu a Salomão um tema para o livro O Andarilho que representasse a reflexão sobre alguém que vaga a esmo,  aparentemente, sem ter onde chegar. “O mote me levou a pensar: qual o meu lugar? Qual a minha busca? O que diz o movimento constante que há dentro de mim?” Instigado pelas questões, o bom corintiano, então, convidou amigos e com a ideia na cabeça ao melhor estilo “faça você mesmo”  saiu pelas ruas de Barbacena para consumar o projeto, captar as imagens e produzir a peça.

Agora, além da edição do vídeo, André Salomão está comemorando o terceiro lugar que obteve concorrendo no 3º Festival de Música Popular Livre de Barbacena, encerrado no domingo, 24 de abril,  com Rica Vida Simples. O festival promovido pelo  Instituto Curupira recebeu mais de 50 músicos de várias cidades mineiras e de outros estados, entre os quais o vice-campeão Iuri Andrade, que representou Duque de Caxias (RJ) com Flamboyant.  Laura Jannuzzi, com Diário, regressou à Juiz de Fora (MG) com o primeiro lugar. Vivian Trindade (melhor intérprete) e Jess Cirino (melhor compositor) são de Barbacena, Renato da Lapa Macedo (melhor instrumentista) é conterrâneo de Laura Jannuzzi.

salomao
Com o troféu de terceiro colocado na mão esquerda, André Salomão e organizadores do festival de música popular de Barbacena (Foto: Divulgação)

we liove