925 – Lenir Boldrin lança novo projeto musical em Sampa com coro de parabéns por mais um aniversário!

A folhinha do Barulho d’água Música registra hoje, 30 de março, o aniversário de Lenir Boldrin, produtor cultural, diretor de projetos do Instituto Novo Tempo: Música e Cidadania e coordenador musical do Sr. Brasil. Natural de São Joaquim da Barra (SP), Lenir Boldrin está comemorando mais um ano de nascimento embalado pelos muitos abraços e votos de sucesso que começou a receber na noite da véspera, quando inaugurou na mais famosa esquina de São Paulo o projeto Talento MPB. É na confluência das avenidas São João e Ipiranga, imortalizada na canção de Caetano Veloso, endereço do Bar Brahma, que Lenir, em parceria com os sócios Dery Nascimento , José Luiz Camacho e Klaus Porlan receberá todas as quartas-feiras nomes da nata da MPB, com apresentações a partir das 21h30. Lula Barbosa e Laércio Ilhabela, convidados para a abertura do Talento MPB, puxaram o coro de “Parabéns a você!”, que reforçamos agora desejando vida longa à iniciativa e ao querido amigo!

Socorro Lira

A cantora, compositora e escritora Socorro Lira (Brejo da Cruz/PB) será a atração do Talento MPB na quarta-feira, 5 de abril. O Bar Brahma fica na avenida São João, 677, Centro, São Paulo, uma caminhada curta da estação República/Linha 3 Vermelha do Metrô, e para mais informações disponibiliza o telefone (11) 2039-1250.

924 – Instituto Juca de Cultura recebe Déo Lopes, baluarte da música regional do Vale do Paraíba

O cantor e compositor Déo Lopes está comemorando 30 anos de carreira e mostrará parte de sua obra como convidado do Instituto Juca de Cultura no domingo, 2 de abril, a partir das 17 horas. O músico, natural da paulista Santo Antonio da Alegria, hoje residente no Vale do Paraíba, começou a trilhar a estrada profissional em 1980 promovendo apresentações em espaços concorridos como os palcos do Lira Paulistana, Fulô da Laranjeira, Tuquinha, Centro Cultural Vergueiro, Sesc Pompeia, em São Paulo, e Vila dos Artistas, em Osasco. Públicos dos estados de Minas Gerais, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Bahia, e Goiás, entre outros, também o prestigiaram neste período que configura seu jubileu de pérola; sem jamais renegar os próprios valores, nestas três décadas Déo Lopes compôs exprimindo anseios, amores, e crenças, além de respeito à ecologia e ao meio ambiente.

Continue Lendo “924 – Instituto Juca de Cultura recebe Déo Lopes, baluarte da música regional do Vale do Paraíba”

923 – Consuelo de Paula estreia projetos em Sampa e leva o Tempo e o Branco ao Rio

A primeira de três apresentação está marcada para 1º de abril, quando dividirá o palco do Centro Cultural Casarão, situado no distrito de Barão Geraldo, em Campinas, com o violeiro João Arruda

O público que prestigia e admira a cantora, compositora e poetisa Consuelo de Paula (Pratápolis/MG) terá no próximo mês três oportunidades para vê-la tocar e (en) cantar. As apresentações em Campinas (SP), Rio de Janeiro e São Paulo promoverão espetáculos diferentes, um dos quais marcará, em 1º de abril, a estreia de Arvoredo – Os primeiros gestos da obra na Beira da Folha, projeto que Consuelo de Paula dividirá com o parceiro de estrada, violeiro, compositor e multi-instrumentista João Arruda. Ela e o anfitrião puxarão a cantoria a partir das 20 horas e prometem embalar amigos e admiradores da plateia do Centro Cultural Casarão de Barão Geraldo com o resultado do processo criativo que ambos estão vivenciando, construído pelo diálogo entre diferentes linguagens – imagem, texto, e melodia – em um movimento por meio do qual fotografias e vídeos despertaram poemas, que despertaram melodias, que despertaram canções.

Continue Lendo “923 – Consuelo de Paula estreia projetos em Sampa e leva o Tempo e o Branco ao Rio”

922- Alexandre Moschella, violonista que transporta o universo de Riobaldo para as cordas, é atração da Unibes Cultural

(…) Sertão. Sabe o senhor: sertão é onde o pensamento da gente se forma mais forte do que o poder do lugar. Viver é muito perigoso (…)

Trecho de Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa

A obra do escritor João Guimarães Rosa, em especial o livro Grande Sertão: Veredas, tem merecido várias adaptações e releituras nos diversos campos das manifestações artísticas e, na música, espetáculos e discos que permitem à plateia e aos ouvintes conhecer o universo de Riobaldo, principal personagem do consagrado romance no qual o ex-jagunz conta aventuras guerreiras e espirituais mergulhado em atmosferas e sensações, não apenas narradas, mas também cantadas em sua prosa experimentalista e sonora. Um destes trabalhos que procuram aproximar o público do místico sertão roseano é o do violonista paulistano Alexandre Moschella, intitulado grande sertão: variações, atração gratuita que a Unibes (União Brasileiro-Israelita do Bem-Estar Social) Cultural programou para o sábado, 25 de março, a partir das 17 horas. 

Continue Lendo “922- Alexandre Moschella, violonista que transporta o universo de Riobaldo para as cordas, é atração da Unibes Cultural”

921 – Saturno, novo álbum de Chico Teixeira, chega às plataformas digitais com homenagens a João Lavraz e Geraldo Roca*

Saturno, nome do terceiro álbum de Chico Teixeira, já pode ser ouvido e pré-comprado na íntegra em várias das mais acessadas plataformas digitais. A novidade que antecede o lançamento do disco físico estreou em 17 de março com dez músicas para fãs e amigos do cantor e compositor paulistano, entre as quais a faixa-título — singela e poética homenagem ao irmão, João Lavraz, que morreu em 1 de novembro de 2014. Song Swan, outro tributo póstumo, é dedicado a Geraldo Roca (parceiro de Paulo Simões em Trem do Pantanal), encontrado morto, em casa, no Natal de 2015. A audição prossegue com A cara da gente, na qual Chico Teixeira e o coautor, Rodrigo Hid, buscaram imprimir características que assinalam como referências o lugar, a identidade e a noção de pertencimento. Continue Lendo “921 – Saturno, novo álbum de Chico Teixeira, chega às plataformas digitais com homenagens a João Lavraz e Geraldo Roca*”

920 – Chico Lobo e Monsenhor Vicente Ferreira lançam “Louvação” em nova rodada do “Canto & Viola”, em Beagá (MG)

O violeiro Chico Lobo e o Monsenhor Vicente Ferreira são os convidados de Luiz Tropia e Tadeu Martins para a rodada de 6 de abril do projeto Canto & Viola. A partir das 20h30, o músico e o padre lançarão Louvação, álbum de poemas e canções que buscam resgatar sentimentos humanos de esperança, amor e fé que os amigos e admiradores conhecerão no Cine Teatro Brasil Vallourèc, situado na região central de Belo Horizonte (MG). Toda sensibilidade poética do religioso, fortalecida por valores como fraternidade e devoção, experimentados principalmente em realidades mais simples, será acompanhada pela rica performance de um dos mais aclamados violeiros caipira da atualidade, símbolo de defesa de um Brasil profundo.

Continue Lendo “920 – Chico Lobo e Monsenhor Vicente Ferreira lançam “Louvação” em nova rodada do “Canto & Viola”, em Beagá (MG)”

919 – Morre em Paris o cantor e compositor Ángel Parra, filho de Violeta Parra

A música chilena sempre foi respeitada e conhecida dentro e fora do país e do continente como um bastião de resistência política e de engajamento em várias lutas sociais, notadamente nos anos em que se combateu a feroz ditadura de Augusto Pinochet, general que em 11 de setembro de 1973 liderou o golpe que destituiu e matou o presidente democraticamente eleito Salvador Allende. Ángel Parra, uma das vozes que se levantou contra o estado de exceção urdido e estabelecido com apoios dos Estados Unidos e de grupos terroristas de direita logo se viu detido no campo de concentração de Chacabuco, de onde apenas saiu para o exílio, forçado por Pinochet.  Àquela época com 30 anos, o cantor e compositor filho da icônica Violeta Parra, primeiramente, estabeleceu-se no México, que o acolheu por três anos. Em 1976, Ángel se transferiu para França, lá permanecendo até sábado, 11, quando um câncer que se espalhou a partir dos pulmões o calou em Paris, aos 73 anos.

Continue Lendo “919 – Morre em Paris o cantor e compositor Ángel Parra, filho de Violeta Parra”

918 – Museu da Casa Brasileira retoma apresentações dominicais em São Paulo com quatro concertos de orquestras

O Museu da Casa Brasileira (MCB) retomará a partir de 12 de março as concorridas apresentações gratuitas que sempre a partir das 11 horas e aos domingos lotam as dependências do terraço do prédio, com capacidade para até 400 pessoas, situado no bairro paulistano de Pinheiros. Nesta que será a 18ª edição do projeto Música no MCB, a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo programou uma série de quatro concertos com orquestras que executam estilos musicais variados, evidenciando a versatilidade deste tipo de formação. A temporada será aberta pela Orquestra Pinheiros, que reúne integrantes do Coral Esporte Clube Pinheiros (ECP) e oferecerá à plateia É Pop!, sob a regência de Murilo Alvarenga. O repertório recordará canções de conjuntos e artistas populares da música internacional, entre os quais The Beatles e Queen, mescladas a musicais da Broadway, em um formato inédito. Além do coral, haverá “canjas” com cantores convidados.

Repertório da Orquestra Pinheiros divulgado pelo MCB*:

01. The Fifth of Beethoven (L.v. Beethoven)/02. The Best of Earth and Fire (medley)/03. Bohemian Rhapsody (Freddie Mercury)/04. Beauty and The Beast (Alan Menken)/05. Body and Soul (J. Green)/06. Miss Celie’s Blues (Quincy Jones & Rod Temperton)/07. Oblivion (Astor Piazzolla)/08. Chiquilin de Bachin (A. Piazzolla & H. Ferrer)/09. Lady Madonna (Lennon & McCartney)/10. Something (G. Harrison)/11. Hey Jude (Lennon & McCartney)/12. Phantom Medley (Andrew Lloyd Webber)/13. Memory (Andrew Lloyd Webber)/
14. Feeling Good (A. Newley & L. Bricusse)/15. New York, New York (J. Kander & Fred Ebb)
16. Can’t Take My Eyes Off You (Frank Valli & B. Gaudier)/17. My Way (J. Reavux, C. François & Paul Anka)
18. Happy (Pharrel Williams)

Continue Lendo “918 – Museu da Casa Brasileira retoma apresentações dominicais em São Paulo com quatro concertos de orquestras”

917 – Dois Joãos conhecidos pela alegria são atrações em tarde de sábado na Casa de Mário de Andrade

A Oficina Cultural Casa Mário de Andrade será palco neste sábado, 4 de março, para a apresentação dos músicos João Arruda e João Bá, dois expoentes e referências da música regional tanto dentro, quanto fora do estado de São Paulo. A cantoria da dupla programada para o imóvel no qual morou o escritor e poeta modernista deverá começar às 16h30, com entrada franca, de acordo com o produtor do evento, o poeta e compositor Paulo Nunes (MG), coordenador do Espaço Juca de Cultura, situado no bairro paulistano Sumaré. Durante o encontro, o público ouvirá canções de álbuns como Celebrasonhos e Venta Moinho (ambos de Arruda) e Cavaleiro Macunaíma, com o qual Bá comemorou seus 80 anos de idade. A plateia também poderá ouvir João Bá declamando poemas e contando várias de suas pitorescas histórias, possibilitando um momento de comunhão com a alegria e a irreverência que caracterizam ambos os protagonistas de duas gerações e representantes de regiões distintas do país, mostrando os elos entre e a continuidade de algumas de nossas mais belas tradições.

 

Continue Lendo “917 – Dois Joãos conhecidos pela alegria são atrações em tarde de sábado na Casa de Mário de Andrade”

916 -Sesc Pompeia, em Sampa, reserva duas noites com quatro expoentes da música regional de Minas Gerais

Os cantores  Paulinho Pedra AzulPereira da ViolaTau Brasil e Rubinho do Vale, quatro dos mais destacados da canção de raiz e regional de Minas Gerais, brindarão o público que frequenta a unidade paulistana do Sesc Pompeia com duas apresentações coletivas marcadas para 4 e 5 de março, respectivamente às 21 e 19 horas. Os músicos apresentarão neste inédito encontro Do Jequitinhonha ao Mucuri, espetáculo durante o qual revelarão a cultura particular das duas regiões que, apesar da escassez econômica ainda provocadora de alarmantes riscos de vulnerabilidade social em ambas, destacam-se no cenário nacional pela abundante e eclética produção artística e popular.  O Vale do Jequitinhonha engloba 51 municípios que se situam ao longo do Rio Jequitinhonha. Já o Mucuri também é nomeado pelo rio que banha a região e em cujas margens existem 53 cidades.

Continue Lendo “916 -Sesc Pompeia, em Sampa, reserva duas noites com quatro expoentes da música regional de Minas Gerais”