Barulho d'Água Música

Veículo de divulgação de cantores, duplas, grupos, compositores, projetos, produtores culturais e apresentadores de música independente e de qualidade dos gêneros popular e de raiz. Colabore com nossas atividades: leia, compartilhe e anuncie!

989 – Retratos do Brasil: Prosa e Música, com curadoria de Jair Marcatti, recebe Luiz Salgado (MG)

Deixe um comentário

Dedos de prosa, boa conversa e muita música. Essa é a receita do Projeto Retratos do Brasil – Prosa e Música que será promovido na Biblioteca Mario de Andrade (São Paulo) às terceiras quintas-feiras do mês, entre agosto a novembro, sempre começando às 19 horas.  Idealizado pelo historiador Jair Marcatti, professor do curso de Relações Internacionais da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), o projeto pretende mostrar, em quatro encontros, o Brasil que a música de cada convidado reflete; um Brasil mais para dentro, mais regional, um país dos rincões, escondido, mas muito vivo. Marcatti convidará músicos que apresentam em comum o olhar aprofundado sobre o Brasil somado ao trabalho de pesquisa e de resgate das nossas mais entranhadas tradições.

Jair Marcatti apresentará Retratos do Brasil – Prosa e Música entre agosto e novembro, sempre na BMA (Foto: Marcelino Lima/Acervo Barulho d’água Música)

O curador abordará em cada bate-papo aspectos do universo musical e as trajetórias de cada um dos participantes, nossas trajetórias, as continuidades e as rupturas daquilo que, sem nenhuma pretensão definidora, poderíamos chamar de identidades brasileiras, com a vantagem dos exemplos serem pontuados no calor da prosa, ao vivo, pelo som dos instrumentos.

Na primeira atração teremos um bate-papo musical com a presença de Luiz Salgado, com o título – “ O Brasil do Cerrado e das Geraes”.

Luiz Salgado é um cantador do Cerrado mineiro cuja obra está fincada na expressão musical arraigada no Brasil profundo, nas sonoridades que emanam do que há de mais autêntico e genuíno da tradição das festas populares, de ritmos como Folia de Reis, Congado, Moçambique e Louvações, e da viola caipira. Nesse ofício que já o levou a percorrer boa parte do país, Salgado faz de sua viola não só o instrumento de trabalho, mas também uma ferramenta de combate; seus acordes, ponteados e versos retratam  paisagens e costumes do Cerrado que revelam singularidades presentes no mato, a prosa e causos que transformam sua música numa atitude diante da cultura e da vida, imprimindo uma maneira de ver o mundo e de celebrar a beleza da tradição, da natureza, dos costumes e do folclore dessa região de Minas Gerais.

 

Luiz Salgado venceu o concorrido Festival Canções para Arteiros (2009), promovido pelo Instituto Itaú Cultural e do qual saiu campeão. Em novembro, pela primeira vez, cantará  na Europa, desembarcando em Portugal para apresentações em cidades como Lisboa, Porto e Évora. Em 2016, o cantador gravou o álbum mais recente, Quanto mais meus óio chora, mais o mar quebra na praia, renovando a discografia que já contava com Trem Bão (2003), Sina de Cantadô (2007), Navegantes (2010), o DVD Noite e Viola (2012) e, em parceria com a paulistana Katya Teixeira, 2 Mares (2013).

Serviço:

Retratos do Brasil – Prosa e Música  
Bate Papo musical com Luiz Salgado – O Brasil do Cerrado e das Geraes
Apresentação e curadoria: Jair Marcatti 
Dia: 17 de agosto, quinta-feira, às 19 horas
Local: Auditório da Biblioteca  Mario de Andrade
Rua da Consolação, 94, Centro, telefone (11) 3775-0002
bma@prefeitura.sp.gov.br
Entrada gratuita

A Biblioteca Mário de Andrade fica na rua da Consolação, 94, Centro paulistano, entre as estações República e Anhangabaú do Metrô e a uma caminhada leve do terninal de ônibus Bandeira.

Anúncios

Autor: barulhomarcel

Jornalista nascido em Bela Vista do Paraíso (PR). Corintiano por herança do pai, Geraldo Caetano de Lima. Do velho também puxou a paixão por modas de viola, música de raiz e caipira, que era chamada de "sertaneja" antes da mídia comercial se apropriar, indevidamente, do nome. Quando criança ouvia aos pés da cama dele, vindas de um rádio à pilha que chiava muito, clássicos destes gêneros que marcaram para sempre a sua vida. Eu e Andreia Beillo não temos nada em comum. Para começo de conversa, ela torce pelo Palmeiras. Mas resolvemos juntos botar o pé na estrada e acreditar nas bençãos de São Gonçalo do Amarante e tentar encontrar na atividade de blogueiros dedicados à música de qualidade algo que nos una e ajude muita gente boa espalhada por todo este país, e lá fora, também, a ter seus méritos reconhecidos, resgatando e preservando valores de nossa cultura popular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s