1057 – Wilson Dias recebe Padre Paulo Morais em Beagá (MG) para nova rodada do projeto Viola de Feira

Violeiro natural de Olhos d’água vai receber jovem talento das dez cordas no espaço onde a capital mineira promove a concorrida Feira Coberta, no Centro Cultural Padre Eustáquio

Marcelino Lima, com Nilce Gomes e Lilian Macedo

A Picuá Produções Artísticas, estabelecida em Belo Horizonte (MG), promoverá em 29 de abril a terceira rodada do projeto Viola de Feira, por meio do qual pretende fomentar e difundir a música de viola caipira oferecendo concertos mensais que transcorrerão no Centro Cultural Padre Eustáquio. Durante as apresentações, ponteado por dois ases do estado, o instrumento de dez cordas será a maior atração, sempre no último domingo de cada mês, a partir das 11 horas. Um violeiro anfitrião receberá outro, convidado, de forma que se possa estabelecer entre ambos e a plateia vínculos culturais, fomentando, ainda, diálogos com a música brasileira. A vez , agora, é de Wilson Dias, que compartilhará a honra com o Padre Paulo Morais.

O local escolhido para a apresentação de ambos e que também já recebeu Chico Lobo e Jéssica Moraes, em fevereiro, e Bilora Violeiro e Letícia Leal, em abril,  é estratégico: atende a toda a região Noroeste da Capital mineira; anexa ao Centro Cultural é promovida a Feira Coberta — tradicional evento e ponto de encontro de belo-horizontinos que, portanto, constituem ótima oportunidade para feirenses e público em compras entrar em contato com a verdadeira cultura de raiz. 

Wilson Dias

Entre o Sul da Bahia e o Leste de Goiás encontramos uma região mineira consagrada por sonoridades ímpares. Terra de mestres do congado, o Vale do Jequitinhonha abriga o Sertão físico e mítico que o escritor Guimarães Rosa revelou ao mundo. Serestas, toadas, cocos e tantas outras tradições musicais da região que ali ecoam inspiram Wilson Dias, violeiro e cantador que busca resgatar desde a infância que viveu naquela terra de homens e mulheres fortes memórias que povoam seu trabalho — composições que são uma bandeira de resistência das Minas Gerais. Wilson Dias é natural de Olhos d’água, antiga Miradouro, berço cujos nomes já expressam a poesia que marca sua musicalidade em cuja alma há traços da cultura popular. Estas histórias recolhidas do Norte de Minas dão o tom da sua viola caipira, que, por sua vez, desperta tanto para a dança, como revela boa parte do folclore e das lendas do Jequitinhonha.

No Viola de Feira Wilson Dias interpretará canções dos discos que gravou ao longo dos 20 anos de carreira, cujas faixas evocam e retratam não apenas as angústias  e as belezas do sertanejo e do seu lugar no mundo — gente que desde pequena tem de sobreviver do próprio suor e fazer valer a valentia, traço inato do caráter inato que não mata a doçura, muitas vezes cercada pelas contradições entre o idílico e o tortuoso — mas reboam, ainda (com intensidade de trovão),  a fé e o louvor em crenças e em santos — com os quais a existência ao menos se torna suportável, os quais servem de lenitivo para a hora em que se está diante de um açude seco ou outras ameaças, e renovam, com desmesurada alegria, a esperança quando a campina flora.

Clássicos do cancioneiro popular brasileiro também integram o repertório que Dias cantará e apresentará acompanhado pelo filho, violonista Wallace Gomes. Durante a cantoria, o violeiro deverá anunciar à plateia que já vem vindo pela estrada seu mais novo trabalho, um disco duplo (instrumental + cultura popular), comemorando duas décadas de trajetória, com previsão de lançamento para agosto.

Paulo Morais

Padre Paulo Morais é missionário Redentorista, e trabalha, atualmente, na cidade de Coronel Fabriciano. Dedicado ao estudo da viola caipira e todo esse universo da cultura e religiosidade popular, em 2017 lançou seu primeiro disco, Fé e Folia. Com maestria à viola, ele nos presenteia com um trabalho de fina sensibilidade, uma das habilidades que possui e o fez se aproximar, ainda mais, da cultura dos simples, das periferias, sobretudo dos rincões de Minas Gerais.

Padre Paulo Morais gravou recentemente Fé e Folia, disco com o qual se aproximou ainda mais do universo da viola caipira e da cultura popular (Foto: Mário Felício)

Ao se revelar como artista das comunidades pequenas, o religioso atualiza o carisma de sua Congregação cuja missão é anunciar a Boa Nova aos pobres. E ao brindar-nos com essa verdadeira obra de arte, Fé e Folia, o jovem talentoso nos convida a fazer parte do rol dos defensores da singularidade das culturas variadas de nossa gente, tão enfraquecidas por uma arte de mercado. A seleção de cantorias tradicionais, enriquecida pelas composições de sua autoria, em parceria com poetas e outros músicos, mostra que o foco principal de resistência é respaldado pelo trabalho cuidadoso de escolha das letras, dos arranjos e das vozes. Tudo para levar às pessoas mensagens de vida e de fé.

O padre violeiro teve ousadia de reunir grandes músicos e mestres consagrados como Rubinho do Vale, Maurício Tizumba, Wilson Dias, Chico Lobo e Zé Geraldo no álbum que resgata tradições mineiras em roupagens de arranjos inovadores.

Produtos orgânicos

Para que a arte de pintar também faça parte do Viola de Feira, o cenário dos espetáculos foi pintado pela artista plástica Marina Jardim durante a primeira edição do projeto. No local haverá mostra de produtos orgânicos do Armazém do Campo, espaço de comercialização permanente de produtos da Reforma Agrária, vinculado ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST),  fruto da arte de se trabalhar a terra. O projeto, portanto, possibilita um leque de opções, de encontros e trocas culturais, jogando um facho de luz sobre a cultura brasileira.

O Viola de Feira conta com recursos da Lei de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura (projeto 288/2015), com patrocínio do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e Impacto Conservação e Limpeza Limitada, conforme os termos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. 

Próximas rodadas do Viola de Feira

29/04 – Wilson Dias convida Padre Paulo Morais
27/05 – Pereira da Viola convida Nádia Campos
24/06 – Gustavo Guimarães convida Quincas da Viola e Dito Rodrigues
29/07 – Rodrigo Delage convida Joaci Ornelas

Serviço:

Local: Centro Cultural Padre Eustáquio
Rua jacutinga, 821 – Bairro Padre Eustáquio – BH – MG
Horário: 11h, acesso gratuito

Informações:

Produção – Nilce Gomes: 31 98515-7122
Email:picuaproducoes@gmail.comnbsp
Assessoria de Imprensa:
Lilian Macedo: 31 99600-0651

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s