1087 – Rodrigo Delage e Joaci Ornelas encerram Viola de Feira, em Beagá (MG). Prestigie!

Apresentação do dia 29 de julho será mais uma vez no Centro Cultural Padre Eustáquio, onde o projeto vem sendo promovido com ases de Minas Gerais
Marcelino Lima

A Picuá Produções Artísticas, estabelecida em Belo Horizonte (MG), promoverá em 29 de julho a rodada de encerramento do projeto Viola de Feira, por meio do qual desde fevereiro tem buscado fomentar e difundir a música de viola caipira oferecendo concertos mensais gratuitos no Centro Cultural Padre Eustáquio. Durante as apresentações, ponteado por dois ases do Estado, o instrumento de dez cordas ocupa o centro das atenções como maior atração. Sempre a partir das 11 horas, um violeiro anfitrião recebe outro, convidado, de forma que se possa estabelecer entre ambos e a plateia vínculos culturais, permitindo, ainda, diálogos com a música brasileira. A vez, agora, é de Rodrigo Delage, que dividirá as honras com o conterrâneo Joaci Ornelas.

O local escolhido para a apresentação de Delage e de Ornelas é estratégico: atende a toda a região Noroeste da Capital mineira; anexa ao Centro Cultural é promovida a Feira Coberta — tradicional evento e ponto de encontro de belo-horizontinos que, portanto, constituem ótima oportunidade para feirenses e público em compras entrar em contato com a verdadeira cultura de raiz.

Para que a arte de pintar também faça parte do Viola de Feira, o cenário dos espetáculos foi pintado pela artista plástica Marina Jardim durante a primeira edição do projeto, em fevereiro. No local haverá mostra de produtos orgânicos do Armazém do Campo, espaço de comercialização permanente de produtos da Reforma Agrária, vinculado ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), fruto da arte de se trabalhar a terra. O projeto, portanto, possibilita um leque de opções, de encontros e de trocas culturais, jogando um facho de luz sobre a cultura brasileira.

O Viola de Feira conta com recursos da Lei de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura (projeto 288/2015), com patrocínio do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e Impacto Conservação e Limpeza Limitada, conforme os termos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

Rodrigo Delage fará um apanhado de composições autorais e adaptações para temas de domínio público presentes em seus quatro discos, desde os temas instrumentais gravados no primeiro, Viola Caipira Instrumental — lançado em 2003 e considerado o melhor disco de viola do ano no Prêmio Nacional de Excelência da Viola –, até as sofisticadas criações do mais recente — Périplo – Viola Caipira (2014) –, passando por Águas de Uma Saudade (melhor álbum de viola do Prêmio Rozini de Excelência da Viola Caipira de 2013) e Imaginário Roseano, em parceria com João Araújo e Geraldo Viana, homenageando o centenário de João Guimarães Rosa (2008).

Temas que abordam a cultura popular e parcerias com os poetas Manoel de Barros, João Evangelista Rodrigues e Jorge Fernando dos Santos povoam a obra de Rodrigo Delage que leva universalidade à música de viola tocada e produzida nas Minas e nos Gerais. Com ele tocará o percussionista Ricardo Cheib, apresentando composições próprias e releituras da rica cultura popular brasileira. 

Périplo, o mais recente trabalho de Delage, entre as 10 faixas, traz uma homenagem ao poeta mato-grossense Manoel de Barros (Tratado Geral das grandezas do ínfimo), uma releitura de Correnteza (clássico de Tom Jobim e de Luiz Bonfá) e Al otro lado del río, do uruguaio Jorge Drexler, que está na trilha sonora de Diário de motocicleta (2004), de Walter Salles, e que deu a Drexler o Oscar de canção original, em 2005.  Há ainda, parcerias com João Evangelista Rodrigues, Mourão Martinez, Rafa Duarte, além de algumas adaptações de domínio público, como Pianê, pianá, e Voltado, com participações especiais de Fernando Sodré e João Araújo.

A única instrumental, Carinhanha, é parte da trilha sonora do documentário Carinhanha: Um Rio do Grande Sertão, de Dêniston Diamantino. Os rios, por sinal, têm grande importância e influenciam diretamente a obra de Delage, que é de Belo Horizonte e além de músico, exerce o ofício de advogado defensor público.

Rodrigo Delage viveu durante a infância em cidades do Norte do Estado, entre as quais destaca Pirapora, experiência que permitiu conhecer e até hoje seguir viajando pelo São Francisco, Rio das Velhas e Urucuia. Neste ambiente cercado de mística e de personagens, reais e fantásticos, Delage encontra fontes das quais recolhe toques de viola ligados à alma do sertão, ao mato, às vidas que correm e habitam nas águas, às tradições populares.

Óleo sobre tela, de Marina Jardim

A exemplo do escritor João Guimarães Rosa, Delage também se maravilha naquelas paragens e conta-nos que nestas navegações “ouve causos, grava paisagens, escuta e observa bichos”. Depois traz tudo isso para o universo da viola caipira, instrumento que passou a acompanhá-lo e com o qual se afinou depois de um breve ensaio com o violão.

Joaci Ornelas apresentará com sua viola e em clima mais intimista um repertório de composições próprias gravadas em seus dois discos solos, No dizer do sertão (2016) e Andejo (2006). Natural de Salinas e hoje radicado em Belo Horizonte, Jo Ornelas é um dos fundadores do grupo VivaViola, que visa à valorização e à difusão da música de viola em Minas Gerais, ao lado dos também violeiros Chico Lobo, Pereira da Viola, Wilson Dias, Bilora e Gustavo Guimarães, com os quais também gravou VivaViola – Viva a Cantoria (2014); e Vivaviola – sessenta cordas em movimento (2010).

O músico reside na Capital mineira desde 1980. Estudou teoria musical, harmonia e história da música na Escola de Artes, e violão com os professores Adalberto Santos e Tássio Moreira. Autodidata em viola caipira, influenciado pelos violeiros Zé Coco do Riacho, Tião Carreiro e Renato Andrade, e por mestres e foliões do norte de Minas Gerais, incorporou o instrumento ao seu trabalho de forma essencial e a utiliza em interpretações de peças barrocas, modas, cantigas e batuques de violeiros do interior de Minas Gerais ou em suas próprias composições. Já se apresentou em diversos espaços culturais de Belo Horizonte e outras cidades mineiras, São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro.

Ornelas também responde pela direção executiva do Instituto Vivaviola e foi coordenador do I Seminário Nacional de Viola Caipira, realizado em 2008, pela ANVB, em Belo Horizonte. Produziu Foliões e Tocadores, na comunidade de Taboquinha (São Francisco/MG, em 2013) e O congado em Bom Jesus de Matozinhos com as guardas de Mocambeiro e do Cruzeiro, projeto realizado na cidade de Matozinhos (MG).

O mais recente álbum de Ornelas, No dizer do sertão, realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte, conta com parcerias e participações especiais de diversos músicos, violeiros, cantadores e cantoras em evidências na cena musical mineira e brasileira. As dez cordas da viola caipira costuram linguagem musical elaborada e arranjada a partir do perfeito diálogo com instrumentos utilizados em música de orquestra e na música contemporânea, além dos mais diretamente associados às tradições populares — tais quais rabeca, pandeiro e caixa de folia que compõem os arranjos de percussão.

A parte rítmica do disco é enriquecida por elementos pertencentes às folias, às contradanças, aos batuques, às cirandas, às cantigas de roda e de todo cancioneiro popular do Brasil, marca que caracteriza o perfil criativo de Joaci Ornelas. Como arremate que deixa a pedra ainda mais preciosa, as letras primam pelo conteúdo literário e conduzem a passeios por paisagens sertânicas e discorrem ainda sobre temas universais relativos ao sentimento do homem, suas diversas formas de expressão e existência.

Serviço:

Viola de Feira apresenta Rodrigo Delage e Joaci Ornelas
Local: Centro Cultural Padre Eustáquio
Rua Jacutinga, 821, Bairro Padre Eustáquio, Belo Horizonte (MG)
Horário: 11h
Acesso Gratuito
Informações:
Produção: Nilce Gomes, telefone 31 98515-7122 (picuaproducoes@gmail.com)
Assessoria de Imprensa: Lilian Macedo, telefone 31 99600-0651

Leia também no Barulho d’água Música

850 – Joaci Ornelas (MG) lança álbum que evoca tradições e hábitos do lugar onde o dia chega mais cedo e o céu quase nunca escurece

Rodrigo Delage lança “Périplo”, terceiro álbum da carreira que dialoga com o sertão e ás águas do universo roseano 


Viola in foco

 

Estão abertas as inscrições para 3ª edição da Mostra Viola in foco. Os interessados em participar podem se inscrever com trabalhos instrumentais solos ou duos até dia 31 de julho. A Mostra Viola in foco é não competitiva e os selecionadas se apresentarão no Camaru Uberlândia em Uberlândia/MG dia 2 de setembro recebendo cachê colocado com demais despesas por conta da produção do evento.

A Curadoria da Mostra Viola in foco é por conta dos violeiros Arnaldo Freitas, Fernando Sodré e Ricardo Vignini.

Para saber mais informações e se inscrever acesse mostra.violadenois.com.br

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s