1106 – Ocupação Dandô, na Unibes (SP), marca cinco anos de premiado projeto itinerante

Vários eventos em torno da música independente que vem motivando a promoção do circuito cultural em homenagem a Dércio Marques serão oferecidos entre quarta-feira e domingo, na estação Sumaré do Metrô SP

Para celebrar cinco anos de estrada do Circuito Dandô de Música Dércio Marques, a União Brasileiro-Israelita de Bem Estar Social (Unibes) Cultural acolherá entre 12 e 16 de setembro a Ocupação Dandô. O evento, entre a quarta-feira, dia da abertura, e o domingo, oferecerá palestras, rodas de conversa, sarau, a exposição fotográfica Olhar da Utopia, oficinas de música e de dança latino-americanas, contações de histórias, mostras regionais e shows já confirmados com João Bá e João Arruda (12/9), Ceumar (13/9), Zé Geraldo (14/9), Alzira E. (15/9), José Delgado, Cecilia Concha Laborde e Analia Garcetti (16/9), além do lançamento da segunda coletânea do projeto, produzida em parceria com a Tratore, e que tem repertório apresentando 27 artistas do Brasil, do Chile, da Argentina e da Venezuela.  Paralelamente à Ocupação, será realizado o 2º Encontro Latino-americano do Dandô com representantes de circuitos parceiros do Chile, da Venezuela e da Argentina, que terá abertura na terça-feira, 11. 

Para ingressos e mais informações visite www.facebook.com/circuitodando e veja abaixo a guia Serviços.

O Dandô reúne músicos de lugares diferentes do Brasil e que, de forma coletiva e colaborativa, promove encontros, trocas e reflexões acerca da música. Projeto contemplado pelo Prêmio Brasil Criativo e Prêmio Profissionais da Música, desde 2013 vem promovendo shows em mais de 40 cidades brasileiras de estados como São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás e Minas Gerais e já  está se expandindo para países da América Latina e da Europa.

O nome do projeto faz homenagem a Dércio Marques, um dos artistas que mais fez pela arte dos “Brasis”. O circuito, idealizado pela cantora e compositora paulistana Katya Teixeira, que teve estreita convivência com Dércio,  é desenvolvido e realizado por uma rede de diversos coletivos, mobilizadores locais, artistas, instituições, produtores culturais e afins. Protagoniza verdadeira interação musical por meio do intercâmbio entre artistas de vários rincões, objetivando mostrar as diversas sonoridades regionais e gerar também novos públicos.

João Bá (em pé) e João Arruda abrirão o show de lançamento da 2ª antologia do Dandô, na Unibes (Foto: Marcelino Lima/Acervo Barulho d’água Música)

Seguindo o exemplo deixado por Dércio Marques, o Dandô reúne cantadores e músicos de várias gerações, estilos e culturas de diferentes lugares do Brasil e dos países parceiros da rede. O circuito proporciona às pessoas o acesso à música de qualidade produzida fora da indústria cultural de massa, além de promover espaços de reflexão e formação durante cada apresentação.

O show de encerramento da Ocupação e do II Encontro Latino Americano do Circuito Dandô está programado para começar às 18h30 do domingo, 16 de setembro, no Teatro da Unibes, palco de todas as apresentações. As atrações serão José Delgado (Venezuela), Analia Garcetti (Argentina)  e Cecilia Conche Laborde (Chile).

O II Encontro Latino Americano do Circuito Dandô está marcado para começar às 19 horas da terça-feira, 11 de setembro, e se estenderá até às 21 horas no Espaço Peratividade Circuito de Cultura, situado na rua Doutor Benedito Tolosa, 729, Parque Bristol, bairro da zona Sul da Capital de São Paulo.

 

Victor Jara

No domingo, 16/9, entre 10 e 12 horas, alguns dos cantores e artistas que integram os circuitos parceiros do Dandô protagonizarão no Salão dos Atos do Memorial da América Latina o concerto Mil Guitarras para Victor Jara, em homenagem ao músico chileno assassinado pela ditadura de Augusto Pinochet.

O Memorial da América Latina fica na avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, ao lado da estação Barra Funda da Linha 3 Vermelha do Metrô, em São Paulo.


O termo Dandô se refere a um trecho da canção Canto dos Ipês Amarelos, homenagem dos compositores João Bá e Klécius Martins ao inspirador deste circuito. Dandô é uma corruptela do verbo andar, no linguajar dos pretos velhos.
(…)Ô dandei../ Olha o vento que brinca de dandar/ Ele vem pra levar as andorinhas/ E quem  sabe a canção pra uma janela/ Saciar o ipê que se formou/ E roubar suas flores amarelas (…).

 

Momento de festa! Nosso mutirão de cantoria chega ao quinto ano de vida e temos muito a comemorar. Em cinco anos, 61 cidades brasileiras receberam edições do Dandô;  50 cidades acolheram o circuito, há 5 países iniciando circuitos parceiros a partir da mirada do Dandô; 47 artistas circularam e inúmeros anfitriões em todas as cidades receberam esses artistas convidados em mais de 400 shows pelo país, além das Mostras que reúnem  num mesmo palco, em uma roda de cantoria, artistas de várias cidades. E não para por aí: já houve quatro encontros nacionais e latino-americanos, dois prêmios como melhor projeto brasileiro de música, artigos e teses acadêmicas escritas, estamos estreando um programa de TV em rede nacional e lançando a segunda coletânea: tudo isso foi feito de mãos dadas, numa grande rede de confiança e alegria tecida por coletivos, mobilizadores, artistas, produtores, plateia, comunidades, apoiadores, enfim, por Amigos do Dandô.
O que estamos propondo e construindo é algo duradouro, que sobreviva a nós, seja um legado para as próximas gerações e ao mesmo tempo crie espaço para se viver dignamente de nosso trabalho: o artista tem uma função social e precisamos que isso fique claro!!!
A arte tem de ser uma esperança, um outro olhar do possível e do encontro. O artista é um “curador”, um semeador, um porta-voz, mas também é um profissional que como qualquer outro precisa sobreviver de seu ofício com dignidade. Nesse aspecto o que propomos com o Dandô é abrir onde se fechou ou nem começou, fortalecer onde já existe, somar, pois juntos somos possíveis e reais.
Vida longa ao Dandô, aos Dandeiros e Dandoidos que fazem desse sonho, realidade!

Katya Teixeira, idealizadora e coordenadora do Circuito Dandô

Participantes do Coletivo Dandô e da 2ª Coletânea:

Brasil: Katya Teixeira, Kris Pires, Manu Saggioro, Rodrigo Zanc, Paulo Nunes e Victor Mendes (São Paulo)/ André Salomão,João Mendes Rio, Dimas Soares, Irene Bertachini, Sofia Cupertino, Sol Bueno, Ricardo Rodrigues e Alexandre Bianchini, Amora de Pé, Erick Castanho, Beatriz Farias (Minas Gerais)/Mila Tulli, Isabella Rovo e Victor Batista (Goiás)/Pedro Vaz (Distrito Federal)/ Viola Quebrada, Murilo Silvestrim(Paraná)/Duo Vento Madeira e Cardo Peixoto (Rio Grande do Sul)/ Argentina: Analia Garcetti/ Venezuela: José Delgado/Chile: Cláudia Manzo, Cecília Concha Laborde, Tita Parra

Circuitos parceiros: Dandô Circuito de Música Dércio Marques/Ruta de Violeta Parra (Chile)/Circuito Vamos Andando (Argentina)/ Circuito Ciudad Canción (Venezuela)

 circuito.dando@gmail.com I circuitodando.com I facebook.com/circuitodando

Serviço

Unibes

Rua Oscar Freire, 2.500, ao lado da estação Sumaré da Linha 2-Verde do Metrô, São Paulo  Telefone: (11) 3065-4333

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s