1144 – Morre o cantor e compositor Pedro Bento (SP), parceiro de Zé da Estrada, autor de “Galopeira”

O artista estava internado há 50 dias, em São Caetano do Sul. Ao lado do seu companheiro de trajetória, gravou mais de 2 mil músicas e se consagrou pelo estilo “mariachi” adotando sombreros nos trajes e trompete nas canções

O luto começou cedo em 2019 para a música brasileira, em especial, para o gênero caipira e seus amantes com a passagem no dia 3 de janeiro do cantor Pedro Bento, que fez sucesso em dupla com Zé da Estrada. Para quem não se recorda ou sabe Pedro Bento era um dos compositores, junto com o paraguaio Mauricio Cardoso Ocampo, entre outros sucessos que emplacou com seu companheiro,  da música Galopeira, guarânia que ficou famosa na versão de Chitãozinho e Xororó. Pedro Bento estava com 84 anos e morreu por complicações de uma pneumonia após 50 dias de internação, em São Caetano do Sul, cidade da Grande São Paulo. O corpo foi cremado na sexta-feira, 4/1, em Porto Feliz, terra natal do cantor, no Interior do estado bandeirante.

Joel Antunes Leme nasceu em 1934 e desde muito jovem já participava de rodas de viola em quermesses na região de Porto Feliz, em cidades berço do gênero caipira como Piracicaba e Tietê. Conheceu Waldomiro de Oliveira, o Zé da Estrada, em 1954, quando participava do programa Manhãs da Roça, apresentado por Chico Carretel na Rádio Paulistana Cruzeiro do Sul. O nome da dupla foi criado pela dona da rádio pouco antes da apresentação e Pedro Bento & Zé da Estrada permaneceram juntos por 63 anos até o parceiro desencarnar (em 5 de junho de 2017) , aos 88 anos, em São José do Rio Preto (SP). Zé da Estrada, de acordo com alguns biógrafos, teria nascido em Pratânia, mas outros registram que ele seria “filho ilustre de Botucatu”, cidade que fica na mesma região e é berço entre outros ilustres de Raul Torres, José Salvador Perez (Tinoco), Antenor de Oliveira (Serrinha) e onde cresceu Angelino de Oliveira, autor de Tristezas do Jeca, depois de sair de Itaporanga.

Em 1959 Pedro Bento & Zé da Estrada lançaram o disco de estreia. O seresteiro e a lua, carro chefe do compacto e primeiro grande sucesso de ambos, foi composto por Pedro Bento, em parceria com Cafezinho e José Arraia. Mais tarde, a canção foi regravada por Milionário e José Rico e pelas Galvão. Em mais de 60 anos de carreira que registra shows inclusive em circos durante os primórdios, Pedro Bento & Zé da Estrada gravariam depois cerca de 2 mil músicas reunidas em centenas de álbuns –16 em 78 rotações, 104 em vinis e 25 CDs. Um deles, Sete Palavras, vendeu mais de 70 mil cópias e rendeu Disco de Ouro que a dupla recebeu de Inezita Barroso, em 2007, no programa Viola, minha viola, da TV Cultura.

Pedro Bento(dir.) e Zé da Estrada se tornaram os “amantes da rancheira” após adotarem como elementos de palco e de composições o estilo mexicano dos mariachis

A dupla também ficará na memória afetiva de amigos e fãs pela adoção do estilo mexicano dos “mariachis”, tanto nas canções, quanto na instrumentação, com destaque para os trompetes, e nos trajes em cuja indumentária se destacavam os chapéus sombreros, dando ambos o título de “amantes da música rancheira”, estilo que marcou época em vários países latino-americanos em meados do século passado.

Pedro Bento e Zé da Estrada deixaram um livro escrito por Joel Leme onde está relatada a história de ambos desde muito antes da formação da dupla e no qual o leitor terá a oportunidade rara de conhecer, além da vida deles, as dificuldades enfrentadas muito antes de se tornarem grandes cantores,  passagens pitorescas da dupla, viagens difíceis, o convívio com companheiros de profissão e também, um pouco da história do Brasil que não é ensinada na escola. Vão conhecer, também, os fatos ou acontecimentos que deram origem a muitas composições musicais descritos de maneira simples, como era ou autor, mas com pura emoção e sem deixar nada escondido dos fãsPara comprar o livro basta entrar em em contato com Mairiporã Promoções Artísticas pelos números de telefones (11) 3221-0727 / 3221-4017 / 3337-7309.

A página oficial de Pedro Bento e Zé da Estrada traz curiosidades interessantes sobre eles. Visite-a e saiba mais clicando no nome da dupla.

Leia também no Barulho d’água Música:

Música de raiz perde Goiano, parceiro de Paranaense
Em Araraquara (SP) cala-se a segunda voz do Duo Glacial: menos de um mês depois de Ana, morre Miguel Cervan
1086 – Brasil dá adeus a Amaraí, eternizado por “Saudade de Minha Terra”

Anúncios

Uma resposta para “1144 – Morre o cantor e compositor Pedro Bento (SP), parceiro de Zé da Estrada, autor de “Galopeira””

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s