1189 – Bemti, mineiro autor de um dos melhores disco de 2018, apresenta-se na Sala Itaú Cultural (SP)

“Com a viola em mãos e vários convidados do mais alto escalão do indie brasileiro, cantor e compositor mineiro abre o coração para falar sobre rupturas, paixões desenfreadas, auto-aceitação, inseguranças, tensões, desequilíbrios e retomada da confiança.
Do site Hits Perdidos

O músico mineiro radicado em São Paulo Bemti está confirmado como atração no sábado, 25 de maio da galeria Itau Cultural, situada em São Paulo, e a partir das 20 horas cantará as faixas do álbum era dois, que ele lançou em agosto de 2018. Eleito entre os melhores daquele ano pela revista Rolling Stone Brasil e pelo blogue online do jornal O Povo, era dois tem como base a viola caipira de dez cordas e mistura timbres orgânicos e eletrônicos.

Para trazer à vida o seu “queer-synth-folk”, o mineiro (nascido numa fazenda na Serra da Saudade) contou no disco de estreia com participações de músicos dos quatro cantos do Brasil: Johnny Hooker, Natália Noronha (vocalista da banda Plutão Já Foi Planeta), Marisa Brito e o trio Tuyo. Completamente autoral e independente, era dois foi abraçado pelo público por seu forte apelo emocional e aclamado pela crítica independente por ser um caldeirão de timbres orgânicos e eletrônicos que tem como base a viola caipira de 10 cordas, instrumento “de alma” de Bemti (e que ele também toca em seu outro projeto, Falso Coral).

Já em seu primeiro mês, era dois completou alcançou 120 mil streams no Spotify e ganhou o posto de Álbum de Destaque na Apple Music por três semanas. O disco foi antecipado por dois singles e videoclipes: Tango (feito Johnny Hooker) e Gostar de Quem. Os dois trabalhos retratam diferentes espectros de relacionamentos sob o ponto de vista gay e foram roteirizados, editados e codirigidos pelo próprio Bemti, formado em Audiovisual.

O disco de estreia de Bemti tem como base a viola caipira de dez cordas e mistura timbres orgânicos e eletrônicos (Foto: Lucas Silvestre)

No início de setembro, Bemti começou a rodar o Brasil apresentando o disco. A primeiro escala foi promovida durante o Festival Vaca Amarela, em Goiânia (GO). Bemti entrou em cena como a penúltima atração do palco vermelho, antes da atração principal, Letrux. Já o lançamento oficial do disco transcorreu em 22 de novembro, no Sesc 24 de Maio, em São Paulo. Contou com participações de Johnny Hooker e da paulistana Nina Oliveira. Os ingressos para o teatro com capacidade para 215 pessoas se esgotaram e o lote extra para o público em pé também zerou antes da realização do show.

No formato completo da apresentação, Bemti é acompanhado pelo pianista e tecladista Cauê Lemes e pela baterista Naná Rizzini, que já passou pelas bandas de diversos artistas como Tiê e Iara Rennó. Ao vivo, o elaborado som do disco que mistura a viola caipira com timbres eletrônicos e referências alternativas, ganha ainda mais força e é impossível passar batido pela intensidade de músicas como Me Dei Um Novo Nome, Tango e Eu te Proíbo de ter esse poder sobre mim.

Serviço
Show era dois, com Bemti [interpretação em Libras]
Sábado,25 de maio de 2019, 20h
Duração aproximada: 80 minutos
Itau Cultural (piso térreo), 224 lugares
Entrada gratuita
Distribuição de ingressos:
Público preferencial: uma hora antes do espetáculo, com direito a um acompanhante, ingressos liberados apenas na presença do preferencial e do acompanhante
Público não preferencial: uma hora antes do espetáculo, um ingresso por pessoa
Endereço: Avenida Paulista, 149, Bela Vista, São Paulo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s