1212 – Dois dos melhores violeiros do país são atrações em Sampa, no domingo, 21

Entre a missa ou o culto, um antes, outro depois da macarronada: Neymar Dias e Valdir Verona tocarão em espaços próximos e em horários que permitem acompanhá-los, de graça ou gastando quase nada, em ótimos programas em companhia da família inteira

A cidade de São Paulo terá no próximo domingo, 21 de julho, concertos de dois dos mais respeitados violeiros do país na atualidade, o paulistano Neymar Dias, pela manhã, e o gaúcho de Caxias do Sul Valdir Verona, à tarde, portanto em horários nos quais será possível acompanhar ambos sem sacrificar a tradicional macarronada em família. Os dois, aliás, são excelentes dicas para juntar todo mundo, incluindo o nenê, o vovô, a vovó e os sobrinhos, como naquela música dos Titãs, longe da famigerada televisão ou, mais modernamente, do tambor cortado ao meio, na laje. E dá tempo, inclusive, de ir à santa missa ou ao culto, ainda no começo da manhã ou no final da noite! 

Neymar Dias será atração de mais uma edição do projeto Música no MCB, oferecido gratuitamente no terraço do aprazível Museu da Casa Brasileira, situado no bairro de Pinheiros/Jardim Paulistano. A partir das 11 horas, o músico que é mais craque com a viola nas mãos do que o homônimo dele jamais será com a bola nos pés (isso sem falar na elegância de Dias, que dá de goleada na do boleiro e em cena jamais apela para o cai-cai) tabelará com Igor Pimenta (baixo), Agenor de Lorenzi (piano) e Gabriel Alterio (bateria) para apresentar à plateia as músicas de Minhas Canções Instrumentais — disco que já poderá ser comprado no MCB e que no dia 26 será lançado em todas as plataformas digitais – mescladas com sucessos da discografia que inclui o mais recente, Neymar Dias Feels Bach, Caminho de Casa e Capim, entre outros. A capa e a contracapa de Minhas Canções… já reveladas por Neymar Dias, é de Maria Birba.

O novo disco de Neymar Dias estará à venda no MCB e nas plataformas digitais dia 26

Filho de um compositor caipira, Neymar Dias, na definição do maestro Gil Jardim, dá substância musical às suas composições com cores decididamente autorais. “Naturalmente sua música revela, também, um forte traço antropofágico unindo gestos do universo da música sertaneja com gestos do universo metropolitano e cosmopolita; fundindo as poéticas de um Tião Carreiro e de um Ralph Towner na sonoridade das cordas duplas de sua viola”, apontou Jardim. Juntando as raízes com a formação acadêmica, Neymar Dias é dono de uma bagagem que consegue colocar em benefício do jazz à música erudita, com especial propriedade à música regional brasileira. Desta forma, sempre é destacado por sua profundidade e musicalidade ímpares.

SEGUNDO TEMPO

Depois do intervalo e até da irresistível soneca que vem com a larica pós-almoço dominical, bem pertinho do MCB, será a vez de prestigiar Valdir Verona – guri que, devidamente pilchado, mas com a camiseta da gloriosa S.E.R. Caxias do Sul debaixo da camisa branca adornada com lenço grená, estará às 17 horas no “galpão” da Unibes Cultural (União Brasileiro Israelita do Bem Estar Social). Encerrando um giro por cidades paulistas que incluem Bauru, Araraquara, Botucatu, Pardinho e Atibaia, Verona fechará mais uma rodada do premiado projeto Dandô Circuito de Música Dércio Marques oferecendo ao público enquanto a cuia de chimarrão gira de mão em mão músicas de sua trajetória de mais de 30 anos de estrada. Bah, tchê. e como gaúcho tocando sempre enseja e evoca baile acompanhado por gaita, o anfitrião de Verona será Thadeu Romano, acordeonista natural de Campinas (SP) e cujo talento supre com folga as ausências de expoentes como Dominguinhos, Sivuca e Gonzagão.

Nestas três décadas Valdir Verona se consolidou no cenário nacional como músico capaz de resgatar a força e a beleza da viola nos pampas, atuando simultaneamente como pesquisador, produtor musical e professor dos mais requisitados do instrumento, gravando canções ou músicas instrumentais tanto em dez, como em nove cordas, mas sem jamais deixar de valorizar também os ritmos nativos. Afora trabalhos em parceria com Rafael de Boni (Duo Viola e Acordeon) e, mais recentemente, com o grupo Violas ao Sul (Mário Tressoldi, Oly Júnior e Ângelo Primon), entre outros projetos que vão desde recitais, shows, composições, arranjos, gravações, edições de partituras e tablaturas, foi contemplado com o Prêmio Excelência da Viola Caipira em duas edições, indicado ao Prêmio Açorianos de Música em três oportunidades (pelos discos Encontro das Águas, Uma Viola ao Sul e Na Estrada), participou em diversos festivais, tanto regionais, quanto nacionais, e gravou cinco álbuns solo – mais discos portanto, que os títulos brasileiros conquistados pelo Internacional que, aliás, está na “seca” há quarenta, quarenta anos!

Então, faça um círculo vermelho na folhinha em torno do dia 21 e anote: o Museu da Casa Brasileira fica na Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2705, próximo às estação Faria Lima da Linha Amarela/4 do Metrô e da Estação Cidade Jardim da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). O telefone para mais informações é (11) 3032-3727.

O endereço da Unibes Cultural é Rua Oscar Freire, 2500, Sumaré, colado à estação Sumaré da Linha Verde/2 do Metrô, telefone (11) 3026-3900. O ingresso a título de contribuição consciente partirá de R$ 20,00.

Neymar Dias (de braços abertos) e grupo apresentarão com o show ‘Minhas Canções Instrumentais repertório que engloba música erudita e mostra as possibilidades solísticas da viola caipira em diversos estilos musicais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s