1238- Clareando, do violeiro Emiliano Pereira, evoca laços familiares, paisagens do Paraná e faz tributo ao Velho Lua

Obra integra música caipira, o rock e world music e ritmos como a guarânia e o galope a músicas inspiradas no fandango paranaense e no pagode de viola

  • O álbum independente Clareando, do paranaense Emiliano Pereira, lançado em abril de 2018, foi o que escolhemos para abrir neste 28 de setembro as audições matinais de todos os sábados aqui no boteco do Barulho d’água Música, em São Roque, aprazível cidade do interior de São Paulo.

Residente em Curitiba, Emiliano, além da carreira solo, integra o Trio Serra Acima, ao lado dos violeiros João Triska e Júnior Bier. Formado em Música pela Faculdade de Artes do Paraná, desde 2007 desenvolve pesquisas sobre toques e ritmos da viola de dez cordas, a popular viola caipira, buscando sonoridades desde suas tradições até sua expressão mais contemporânea. Trabalha, ainda, com estilos que vão da  world music e música regional brasileira à música infantil e participou de projetos como o Fandango Paranaense e Orquestra à Base de Cordas de Curitiba. Paralelamente à carreira de músico, é professor e ministra aulas e oficinas de música.

As onze faixas de Clareando começam resgatando a história familiar de Emiliano Pereira e sua paixão pela música por meio da única que não é instrumental, Cordel – um presente dado para ele pela cantora e compositora Cida Airam durante a gravação do disco. Cida fora convidada para recitar um cordel que acompanharia outra canção e “pediu informações sobre minha história e influências”. Ainda conforme Emiliano, os versos da parceira o agradaram tanto que ganhou a faixa exclusiva. A voz de Cida Airam também marca Cangüiri, que fecha o disco.

Os versos de Cordel falam sobre os mestres que tive e minha avó materna, que sempre ouvia cantar canções caipiras”, relembrou Emiliano. “Quando comecei a tocar violão, a gente tocava e cantava juntos. Meu avô também dedilhava um pouco de violão, então houve realmente a influência deles em minha música”, emendou.

Desta faixa em diante, todas de composição própria, Emiliano busca conduzir o ouvinte por uma viagem que evoca campos, riachos e paisagens que não podem ser vistas, mas sentidas a partir da gostosa sonoridade da viola caipira, somada a arranjos de artistas parceiros na gravação.

Emiliano Pereira revelou que cada canção de Clareando apresenta uma história e deriva de diferentes processos de criação alinhavados pela inspiração vinda de expoentes do instrumento e da música brasileira — Almir Sater, João Paulo Amaral, Hermeto Pascoal e Dominguinhos, além de conterrâneos como Rogério Gulin, Terra Sonora e Rosa Armorial. Saracura, uma das mais bonitas da lista, é uma das primeiras composições de Emiliano para viola. O repertório traz, ainda, Nas águas do Varadouro e Recordações de Irapuru, inspiradas em viagens, enquanto outras “nasceram do acaso” ou como expressão de sentimentos do artista, como Alento, uma de suas preferidas.

Quando compus Baião da Lua queria fazer uma versão de Asa Branca, disse. “Ao iniciar o arranjo vi que já era outra música e a batizei com este nome em homenagem a Luiz Gonzaga.” Roseira é homenagem de Emiliano a Campo Largo da Roseira, distrito de São José dos Pinhais (PR), terra do avô materno, que visitava desde pequeno e onde despertou sua vocação. 

Ouça na USP FM

Clareando, que  pode ser apreciado em várias plataformas digitais,  foi tema da edição de 6 de junho do programa dedicado ao universo da viola caipira Revoredo (clique na palavra em destaque para ouvi-lo) levado ao ar pelas emissoras da rádio USP FM. Revoredo é produzido e apresentado pelo maestro José Gustavo Julião de Camargo, do Departamento de Música da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da Universidade de São Paulo, com trabalhos técnicos de Luiz Antonio Fontana. Vai ao ar às quinta-feiras, a partir das 17 horas, pela Rádio USP Ribeirão Preto, em 107,9 MHz, e pela Rádio USP São Paulo, em 93,7 MHz, com reprise aos sábados, às 8 horas, nas duas emissoras.

Ouça Clareando no Spotify

Leia também aqui no Barulho d’água Música:

1230 – Trio Serra Acima recebe Renato Teixeira e Yassir Chediak em Maringá (PR)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s