1300 – Fique em casa com boas músicas ouvindo playlists e lançamentos da gravadora Kuarup

Selo disponibiliza seleções de sucessos de cantores e compositores de seu catálogo e anuncia novos discos de Tuia Lencioni e das irmãs Célia e Celma

#Fiqueemcasa #ForaBolsonaro

Em tempos de pandemia por conta da propagação do novo coronavírus (Covid-19), ouvir boas músicas pode nos ajudar a cumprir a quarentena com mais tranquilidade e aliviar, ao menos, parte dos pesares que possam abalar o espírito. A Kuarup, que recentemente disponibilizou nas plataformas de streaming duas listas com sucessos de artistas que gravaram álbuns pelo selo (As Mais Tocadas e Renato Teixeira e Convidados), mesmo impedida de promover novos lançamentos com a presença de público, realizando, por exemplo, os seus já tradicionais pocket-shows em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, segue anunciando a chegada de novos álbuns às lojas e às plataformas, aumentando a oferta que em seu catálogo já é uma das mais ricas e ecléticas do mercado fonográfico. Dentre estes mais recentes discos, a Kuarup destaca Tuia, Versões de Vitrola 1, com Tuia Lencioni, e 50 anos Duas Vidas Pela Arte Ao Vivo, das irmãs Célia e Celma.

O disco do jovem músico que nasceu em Jacareí, cidade do Interior paulista situada no Vale do Ribeira a pouco mais de 80 quilômetros da Capital, é breve. Em menos de 25 minutos, reúne sete faixas com destaques para regravações de clássicos da música mineira e pantaneira que se tornaram sucessos nas vozes de Zé Geraldo, Guarabyra, 14 Bis, Tavito e Almir Sater e traz como convidada a cantora Ana Vilela, em Linda Juventude; as releituras passam ainda por Espanhola, Chalana, Começo, Meio e Fim (de Tavito, que ficou conhecida na versão do grupo Roupa Nova), Senhorita e a inédita Flor, do próprio Tuia Lencioni.

Ex-integrante da banda Dotô Jéka, grupo precursor do rock rural que ajudou a fundar na década os anos 1990, Tuia Lencioni é autor de três discos de canções autorais e do projeto Nós do Rock Rural, álbum ao vivo com as participações dos maiores nomes do gênero como Guarabyra, Tavito, Zé Geraldo e Ricardo Vignini, também lançado pela produtora e gravadora Kuarup, em 2019.

Versões de Vitrola ousa em oferecer clássicos da música popular brasileira, desde os mais regionais até os mais populares, revalorizados pela voz de Tuia Lencioni, novos arranjos e uma modernidade para o futuro da MPB, favorecendo a conquista de novos públicos. O disco foi produzido e mixado por Juliano Cortuah, produtor de novos nomes do cenário folk pop como Ana Vilela, AnaVitoria e Outro Eu… no estúdio Nave 33 RJ e masterizado em Miami, nos Estados Unidos da América, por Felipe Tichauer no Redtraxxmusic, renomado engenheiro de som, ganhador de seis Grammy Latino.

Espanhola, composta por Guarabyra e Flávio Venturini, foi lançada em 1977 no emblemático disco Pirão de Peixe com Pimenta, da dupla Sá e Guarabyra. A versão foi criada por Tuia e o produtor Juliano Cortuah com a proposta de ser mais moderna e ter novas referências estéticas influenciadas por artistas contemporâneos como Tiago Iorc e John Mayer. A voz marcante de Tuia e sua bela interpretação dão o tom especial dessa nova roupagem;

Linda Juventude, clássica composição de Flavio Venturini em parceria com Marcio Borges, foi lançada em 1982 pelo grupo 14 Bis. Em sua releitura, Tuia fez duas versões para o álbum, uma com banda, gravada com exclusividade para uma emissora FM dedicada à MPB, e a acústica, que se destacou em outras rádios. A cantora e compositora Ana Vilela, que recentemente ganhou fama com Trem Bala, participou das versões em dueto com Tuia;

Flor é a única canção de autoria de Tuia lançada no álbum e ganhou uma nova versão produzida por Juliano Cortuah: traz a influência das décadas dos anos 1970 e 1980 para uma sonoridade mais moderna;

Chalana, de Mario Zan e Arlindo Pinto, fez sucesso na voz de vários cantores, mas foi com a viola de Almir Sater que atingiu status de clássico nacional, um hino pantaneiro que Tuia transformou em folk rock, com uma “pegada” mais atual;

Senhorita ajudou a projetar Zé Geraldo no estrelato do rock rural brasileiro, composta há 50 anos. Tuia a reinterpreta com um tempero “soul rock” que remete a Ray Charles;

Começo, Meio e Fim, assinada pelo imortal Tavito, ganhou as paradas de sucesso com o grupo Roupa Nova. Tuia traz, agora, uma roupagem mais rock para este clássico, com influência regional, embalada em voz rouca e melodia adaptada,

CHAVE DE OURO

O disco das irmãs Celia e Celma fecha com chave de ouro o projeto que nasceu de um show ao vivo, gravado no Teatro Itália, na cidade de São Paulo,  para celebrar em junho de 2018 o jubileu de ouro da carreira de uma das duplas mais queridas do Brasil e que levou ao palco As Galvão, Claudette Soares, Simoninha, Altemar Dutra Júnior e Renato Teixeira, regidos pelo maestro Aluízio Pontes. 50 anos Duas Vidas Pela Arte Ao Vivo traz clássicos da música brasileira de diversos compositores, ritmos e gêneros, passeando por eternas canções brasileiras em 14 faixas. A produção musical coube a Thiago Marques Luiz. 

Simoninha aparece em A Saudade Mata A Gente e Sá Marina, eternizada por seu pai, Wilson Simonal. Já Claudette Soares canta em Até Quem Sabe, sucesso de João Donato. Força Estranha, clássico de Caetano Veloso, ganhou a participação de Altemar Dutra Júnior, filho do saudoso Altemar Dutra. As Galvão são convidadas para revisitar Beijinho Doce, que as consagrou, agora em dueto com Celia e Celma. Renato Teixeira compareceu para a clássica Romaria e, ainda, em Pé de Ipê, composição de Tonico, da dupla Tonico e Tinoco. Outras faixas de destaque são Brasil Poeira, de Almir Sater e Renato Teixeira, que abre os trabalhos e transporta para o mundo caipira que dá o tom em boa parte das faixas, Vem Quente Que Eu Estou Fervendo, do tremendão Erasmo Carlos, Casinha Branca, de Gilson, e No Rancho Fundo, clássico de Ary Barroso que representa tão bem o povo brasileiro. Surpreendente, a marchinha carnavalesca Ta-Hi ganhou na voz das irmãs interpretação… em japonês! 

Celia e Celma são de Ubá, cidade da Zona da Mata mineira, a cerca de 300 quilômetros de Belo Horizonte, capital do estado. Filhas do fotógrafo e ex-músico Celidonio Mazzei, pesquisadoras de nosso folclore, lançaram o primeiro álbum solo em 1987 e três anos depois, protagonizaram as irmãs Luminada e Luminosa, personagens da novela temática A História de Ana Raio e Zé Trovão, exibida em rede nacional pela extinta Rede Manchete, com Ingra Liberato e Almir Sater nos papéis principais. No ano passado, de volta aos estúdios, gravaram o literalmente delicioso álbum Receitas Cantadas, com distribuição pela Tratore, em cujo repertório ensinam a preparar pratos e doces típicos do interior das Minas Gerais. Com o foco nas donas-de-casa saudosistas, Celia e Celma não imaginaram que o público que mais se identificaria com o álbum seria o infantil, ávido pela ludicidade culinária, que hoje une tanto as famílias. Já se vão os tempos que fogão era exclusivo da mulher, pelo contrário, hoje ela tem de lutar para usá-lo!

A experiência das irmãs na televisão inclui coprotagonismo com Ronald Golias no programa humorístico Meu Cunhado, do SBT, poucos meses antes do falecimento do comediante. Elas também já produziram, apresentaram e dirigiram seu próprio programa , transmitido pelo Canal Rural de abril de 1998 a abril de 2007..

Ouça os discos de Tuia Lencioni e Célia e Celma clicando os linques abaixo. Clique na palavra Ritmo Melodia e leia a entrevista de Tuia Lencioni para a revista homônima, de Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

Versões de Vitrola (Volume 1)

50 Anos – Duas Vidas Pela Arte

Choro, música nordestina, caipira…

Especializada em música brasileira de alta qualidade, o acervo da Kuarup concentra a maior coleção de Villa-Lobos em catálogo, além dos principais e mais importantes trabalhos de choro, música nordestina, caipira e sertaneja, MPB, samba e música instrumental em geral, com artistas como Baden Powell, Renato Teixeira, Ney Matogrosso, Wagner Tiso, Rolando Boldrin, Paulo Moura, Raphael Rabello, Geraldo Azevedo, Vital Farias, Elomar, Pena Branca & Xavantinho e Arthur Moreira Lima, entre outros.

Álbuns da Kuarup, tanto os lançamentos, quanto os que estão no catálogo,  podem ser encontrados na loja Pop’s Discos, situada na rua Teodoro Sampaio, 763, loja 4 (telefone 11 3083-2564), situada em Pinheiros, na cidade de São Paulo, e tanto na capital paulista, quanto na cidade do Rio de Janeiro e Niterói, também nas lojas integrantes da rede Blooks.

Outro endereço em Sampa é o do Canal 3 Distribuidora, na avenida Ipiranga, 1216, região central. A Capital do Paraná tem um ponto da Distribuidora Curitiba de Papéis e Livros na avenida Sete de Setembro, 2775 – Centro, com telefone  (41) 3013-4966

Kuarup Música (11) 2389-8920

Uma resposta para “1300 – Fique em casa com boas músicas ouvindo playlists e lançamentos da gravadora Kuarup”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s