1321- Chico Lobo (MG) tira proveito da pandemia e anuncia novo álbum para novembro, pela Kuarup

#ViolaCaipira #MúsicaBrasileira #MúsicaCaipira #MPB #MúsicaRegional #CulturaPopular #MinasGerais

#UseMáscara #FiqueEmCasa

#Liberdade #Tolerância #Diversidade #Respeito #Pluralidade #Democracia #ImprensaLivre #JornalisrasAntifascistas

#ForaBolsonaro

O cantor, compositor e violeiro de São João Del Rei, um dos artistas que mais se valem do novo recurso das transmissões virtuais durante a quarentena imposta pela Covid-19, já enviou para a gravadora as faixas de Alma e Coração, que terá a participação especial de Roberta Campos

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) obrigou muitos artistas a repensarem a condução de suas carreiras, a forma de divulgar suas obras e manter o contato com o seu público. Vários passaram a fazer apresentações ao vivo de dentro de casa ou de ambientes seguros (a moda por aí é falar e escrever “live”, mas vamos combinar? Acho que nós, caipiras,  não devíamos nos render a estes estrangeirismos, uai, principalmente porque o tal do “mundo globalizado” pulveriza ainda mais as tradições populares, impondo-nos uma cultura exótica, ainda que sob o argumento de “facilitar a comunicação”, caindo bem aos gostos do mercado) e um dos que mais aproveitam este novo formato é o cantor, compositor, produtor cultural e violeiro das Minas Gerais Chico Lobo. Além de ser um pioneiro dos concertos virtuais, Lobo foi mais além e como convém ao seu espírito irrequieto, criativo e empreendedor juntou muita gente boa e está anunciando o lançamento, para novembro, de seu mais novo álbum.

Alma e Coração é o nome do trabalho a caminho de Chico Lobo. Trará  participações de Roberta Campos, Luiz Carlos Sá, Drigo Ribeiro e Tatá Sympa e já está sendo preparado pela persistente (ora e viva!) gravadora Kuarup, capitaneada entre outros heróis pelo diretor artístico Rodolfo Zanke. Para tirar Alma e Coração da cabeça e levá-lo ao disco, Chico Lobo, pela primeira vez em sua profícua carreira, lançou mão da Plataforma Colaborativa Vakinha e  convidou seu público e seus amigos para serem parceiros desse trabalho. Meta atingida, em forma cooperativa, os músicos passaram a gravar em seus estúdios particulares (olha o respeito à quarentena sendo observado, parabéns!), sobre a produção musical de Ricardo Gomes.

Hoje, 15 de agosto, a partir das 19 horas, Chico Lobo vai encerrar de forma oficial a campanha colaborativa para gravar Alma e Coração. Quem sintonizar o canal virtual do violeiro poderá não apenas ouvir parte das novas canções, bem como recordar sucessos da sua discografia que há anos encantam fãs e amigos. Mas ainda dá tempo de colaborar e, para tanto, basta acessar o linque http://bit.ly/ApoieChicoLobo; todos os colaboradores receberão prêmios que variarão conforme o depósito.

Uma das faixas de Alma e Coração, Nós, primeira das quatro a serem lançadas nos próximos meses, conta com a participação da cantora Roberta Campos e já está disponível nas plataformas digitais em https://orcd.co/yd1bavl; pelo menos 20 mil internautas já curtiram a música. Chico Lobo classificou como “mágico” seu encontro com Roberta Campos, por aproximar gerações distintas em um diálogo, entre a música raiz regional e o estilo pop.

Acesse a apresentação virtual de Chico Lobo a partir das 19 horas de hoje pelo linque https://www.youtube.com/chicolobooficial

Chico Lobo 

Nascido na cidade mineira de São João Del Rey, o músico e violeiro Chico Lobo recebeu três vezes o Premio Profissionais da Música como Melhor Artista Raiz Regional Brasileira (2015, 2016 e 2017). Foi homenageado e agraciado em sua cidade natal com o Título de Honra ao Mérito por valorosa contribuição à sociedade e à cultura, por meio de sua fundação, o Instituto Chico Lobo, aberto em 2013,

Lançou mais de 25 CDs entre obras de carreira, parcerias e coletâneas. Tem dois DVDs lançados: Viola Popular Brasileira, pioneiro em seu gênero e que sintetiza sua carreira até 2005, e o DVD De Minas ao Alentejo (2013) de conteúdo duplo com documentário e show, uma coprodução Brasil/Portugal que valoriza a origem da viola caipira de Chico Lobo e a viola Campaniça de Pedro Mestre. A parceria lusitana se mantém com vários eventos em Portugal e no país com a Mostra Internacional de Violas D’arame. Gravado por artistas como Maria Bethânia, Banda de Pau e Corda, dividindo palco com Renato Teixeira, Zé Geraldo, Quinteto Violado e Zé Alexandre, hoje o músico é considerado um dos mais ativos violeiros no processo de popularização e divulgação da cultura brasileira. 

Leia mais conteúdos sobre a obra de Chico Lobo ou a ele relacionados aqui no Barulho d’água Música clicando na palavra destacada abaixo

Viola Brasil

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s