1346- Grupo Cor das Cordas (SP) relança pela Kuarup seu trabalho de estreia

#MúsicaInstrumental #MPB #ViolãoBrasileiro

Disco Cor Das Cordas passeia por canções autorais e clássicos da MPB com a participação especial do músico Edmundo Carneiro

O grupo Cor das Cordas está relançando Cor das Cordas, título homônimo do álbum de estreia do trio de violonistas Edinho Godoy, Luca Bulgarini e Milton Daud, lançado originalmente em 2010 e agora reeditado com exclusividade para as plataformas digitais pela Produtora e Gravadora Kuarup. O trabalho apresenta uma refinada releitura de grandes clássicos da música brasileira, incluindo obras de compositores como Edu Lobo, Milton Nascimento e Djavan, além de composições do próprio trio. Os arranjos foram elaborados especialmente para a formação de três violões, com grande variação de ritmo, harmonia e melodia, o que possibilitou um inusitado resultado de criatividade, sofisticação, sensibilidade e bom gosto.

O repertório do disco destaca canções como Arrastão, de Edu Lobo, composta em parceria com Vinícius de Moraes, em 1965, defendida e eternizada por Elis Regina no 1º Festival da Música Popular Brasileira da TV Excelsior, evento que abriu a era de ouro dos festivais musicais no Brasil. Milton Nascimento está contemplado em Clube da Esquina 2, clássico dele, Lô Borges e Márcio Borges e faixa do clássico álbum duplo Clube da Esquina, de 1972, além de Fé Cega, Faca Amolada, agora em parceria com Ronaldo Bastos para o disco Minas, de 1975. Da seara de Djavan, Cor das Cordas traz Cigano, do nono trabalho do cantor e compositor alagoano, lançado em 1975, mais Fato Consumado, canção que conquistou o segundo lugar no Festival da Nova Música Brasileira, exibido pela TV Globo.

Estes clássicos receberam tratamento sonoro inédito, em arranjos criativos, contundentes, ousados e inéditos. A junção dos estilos e influências de cada músico gera, de fato, uma nova cor ao som, a um só tempo intimista e marcante. As variações harmônicas, melódicas e rítmicas criadas pelo trio se estendem também às faixas autorais como Richard, de Edinho Godoy, que revela forte influência do músico norte-americano Pat Metheny, sem perder a identidade própria do artista experiente que já acompanhou expoentes da música brasileira como Johnny Alf e Toninho Horta. Partida e Lágrima, de Milton Daud, dão um toque especial de lirismo e sensibilidade sob os arranjos coletivos, deixando clara a experiência e sofisticação do músico. E a técnica apurada de Luca Bulgarini, juntamente com seu estilo extrovertido e alegre, alinhava com perfeição as intenções dos autores ao resultado sonoro obtido com o álbum.

As interpretações carregam, ainda, as influências de cada músico, enriquecendo o colorido sonoro dos temas apresentados. O disco conta com a participação do percussionista Edmundo Carneiro na maioria das faixas, enriquecendo este marcante disco instrumental. Com vasta experiência internacional, Carneiro se mostra à vontade e totalmente integrado à sonoridade do Cor das Cordas, contribuindo de forma permanente na criatividade e expressão musical das 18 cordas que vibram sempre com personalidade e calor.

O lançamento do primeiro trabalho rendeu espetáculos na Capital e Litoral paulista, mais uma turnê internacional pela Europa que passou por cidades como Lyon e Paris na França, Genebra na Suíça e Bruxelas na Bélgica.

Edinho Godoy atua como músico profissional desde 1986 e leciona desde 1989. O músico tem formação em aulas de guitarra, harmonia e improvisação com os guitarristas Marcos Canduta e Alexandre Birkett, mais aulas de harmonia e improvisação com Mozart Mello. Frequentou aulas de improvisação pela Universidade Livre de Música e curso de harmonia, arranjo, improvisação, solfejo e treinamento auditivo com Marcelo Elias. Em suas duas décadas de atividade como músico se destacou na Banda Ponto de Fusão, Trio Entre Nós, Banda Limo, Companhia Instrumental, Edinho Godoy e Aguinaldo Pereira Duo e Banda Serra.

O trabalho do violonista Luca Bulgarini foi sempre pautado pela música popular brasileira, principalmente a vertente instrumental. Iniciou seus estudos de violão entre 1984 e 1986 com o casal Elza e Paulinho Nogueira. Sua estreia como profissional da música foi em 1988, resgatando pérolas da MPB com interpretações próprias.

Bulgarini Já coleciona mais de 400 apresentações em diversos locais e teatros na Capital paulista, além de unidades do SESC, outros estados e duas excursões ao exterior. Se apresentou com Paulinho Nogueira entre 1994 e 2001 em excursões e espetáculos; em 2003 participou ao lado de 36 artistas de homenagem ao mestre que o ensinou, concerto contido no DVD De Coração Pra Coração. Em 2004, lançou A Partir de Agora, seu primeiro disco solo como instrumentista e cantor. Em 2006, o segundo trabalho saiu todo instrumental.

Milton Daud começou estudos de violão aos 12 anos de idade e foi depois aluno de vários professores atuantes em São Paulo. Ao longo dos anos frequentou cursos de teoria musical de harmonia e composição. Aos 16 anos, enveredou-se pela música erudita e dedicou-se a estudar violino na oficina do SESC, integrando a orquestra da entidade sob o comando dos maestros Airton Pinto, Samuel Kerr e João Maurício Galindo. Durante vários anos protagonizou espetáculos de música clássica com várias orquestras paulistanas, bem como a formação de alguns grupos de câmara.. Em 1994 formou ao lado de Neneu Liberalquino e Luca Bulgarini a primeira versão do grupo Cor das Cordas, trio idealizado com o objetivo de interpretar música brasileira instrumental.

Especializada em música brasileira de alta qualidade, o acervo da produtora e gravadora Kuarup concentra a maior coleção de Villa-Lobos em catálogo no país, além dos principais e mais importantes trabalhos de choro, música nordestina, caipira e sertaneja, MPB, samba e música instrumental em geral, com artistas como Baden Powell, Renato Teixeira, Ney Matogrosso, Wagner Tiso, Rolando Boldrin, Paulo Moura, Raphael Rabello, Geraldo Azevedo, Vital Farias, Elomar, Pena Branca & Xavantinho e Arthur Moreira Lima, entre outros.

Além desta eclética galeria de cantores e duplas cujos trabalhos já lançados formam o acervo de álbuns, também é possível ao internauta que visita o portal da Kuarup, entre outras atividades no campo da produção cultural, saber pela guia Notícias as novidades que estão chegando para reforçar este precioso catálogo e, ainda, ouvir 52 seleções de músicas disponíveis na plataforma Spotify (playlists) apresentadas por temas e recortes dos mais diversificados, revelando a riqueza de sonoridades e de gêneros que a empresa guarda. Uma das preferidas aqui na redação do Barulho d’água é Violão Brasileiro-do cantinho à Sinfônica(clique no nome da lista para ouvi-la). O endereço eletrônico que leva ao botão que abre as playlists é http://www.kuarup.com.br/spotify/  

Leia também aqui no Barulho d’água Música:

1182 – Grupo Instrumental Cor das Cordas lança novo álbum, da Kuarup, em Sampa

Kuarup Música, Rádio e TV: www.kuarup.com.br

Telefones: (11) 2389-8920 e (11) 99136-0577 Rodolfo Zanke rodolfo@kuarup.com.br

Bico de Choro, Forró de Ouro é o título de uma  trilha de forró e de chorinhos para animar qualquer dia e quebrar o marasmo do isolamento domiciliar que a  Kuarup disponibilizou em todas as plataformas digitais. O autor é Daniel Allain, exímio músico, flautista, saxofonista e pifeiro que nos encanta com suas belas melodias. Clique na palavra em cinza e ouça!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s