1463 – Disco de Túlio Mourão que comemora 50 anos de carreira do pianista mineiro concilia experimentações e antagonismos

#MPB #MúsicaInstrumental #ClubedaEsquina #JazzMineiro #Piano #CulturaPopular #Divinópolis #BH #Beagá #BeloHorizonte

Lançado ao final de 2020 na sequência de um livro autobiográfico, o álbum de menos de 40 minutos conta com participações de Chico Amaral, Toninho Horta e Juarez Moreira

O ótimo Barraco Barroco, mais recente álbum instrumental do mineiro Túlio Mourão, está nas lojas e nas plataformas digitais há quase um ano. Foi lançado em 26 de novembro de 2020 como atração do Festival Tudo é Jazz, promovido em Ouro Preto (MG), pouco tempo depois da publicação, em dezembro de 2019, de Alma de Músico, livro no qual Mourão revelou como escritor a mesma maestria que tem como pianista ao transformar situações triviais em boas crônicas e imprimir a bastidores da MPB o valor de documento histórico. Barraco Barroco, de brevíssimas nove faixas, tem menos de 40 minutos! Eu o ouvi já “n vezes”, mais pela qualidade das músicas do que pela duração do disco, ensaiava publicar matéria a respeito desde a primeira vez que a agulha da vitrola as espalhou pela redação, mas vinha sendo atropelado pela demanda que, felizmente, tem chegado ao Barulho d’água Música de trabalhos tão excelentes quanto este no qual Mourão celebra cinco décadas de estrada brindando os ouvidos de amigos e fãs com composições que reúnem influências da música erudita ibérica, da música instrumental dos anos 1960 e do rock progressivo dos anos 1970, com participações de Juarez Moreira, Toninho Horta e Chico Amaral. Então, fim de papo, vamos ao texto!

Continue Lendo “1463 – Disco de Túlio Mourão que comemora 50 anos de carreira do pianista mineiro concilia experimentações e antagonismos”

1466 – Marília Corrêa (SP) lança Em Mim, produção autoral independente e de conteúdo crítico social*

#MPB #MúsicaIndependente #SoulMusic #Campinas #CulturaPopular

*Com Agência Social de Notícias, de Campinas (SP)

Álbum de sete faixas que também remete à soul music já está disponível em todas as plataformas digitais nas redes sociais e no sítio virtual da artista

Já está disponível em todas as plataformas digitais e nas páginas sociais de Marília Corrêa o álbum Em Mim, que a cantora e compositora e instrumentista de Campinas (SP) produziu e gravou, reunindo composições autorais e acompanhados de videoclipes. Marília é um dos atuais destaques na rica cena musical campineira por apresentar um repertório autoral com letras fortes e conteúdo crítico social, além de interpretações singulares de clássicos da MPB, da música pop e da black music nacional. Sempre presente em eventos e espaços culturais, Marília também é atração nos bares da cidade nos quais a música ao vivo tem retornado com a redução dos contágios pelo coronavírus.

Marília alia qualidade vocal e um timbre de voz únicos a uma seleção de músicas impecável, o que cativa o público com apresentações calorosas e cheias de energia. O repertório de Em Mim reúne composições autorais que ela escreve desde 2012, produzidas com o apoio de amigos, parceiros e músicos entre os quais o contrabaixista Marcelo Cruz e o guitarrista e produtor musical Maurício Cajueiro. “Em Mim é uma junção de sentimentos, vivências, situações e tudo o que vem acontecendo de dentro pra fora em minha vida”, declarou Marília.É início e o encerramento de um ciclo de quase dez anos”, emendou. “É seguir em frente com esse objetivo de tornar realidade um sonho”.

Das sete músicas do álbum, três já foram lançadas como vídeos clipes: Josias (com a participação da cantora Morena Roas), Mãe e Sinais; o vídeo clipe de Meia Luz está em fase de edição para ser lançado concomitantemente. Além destas, o álbum inclui as canções Pra Você, Onde Está o Amor? e Quem Diria.

A direção e a produção musical do disco são de Maurício Cajueiro, Gustavo Miller cuidou da produção executiva e Pedro Florio atuou como técnico de gravação em algumas faixas. Marcelo Cruz esteve na criação e arranjos em todas as canções, ao lado de Cajueiro e da própria Marília Corrêa. Em Mim conta com as participações de Maurício Cajueiro (nas guitarras), Daniel Gohn, Lazinho Batuck e Turquinho (baterias), Gê Ribeiro (trompete), Marcelo Cruz (contrabaixo), Vinícius Corilow (saxofone), Ding Dong (percussão) Cleberson Abade (piano e teclados), Ruan Spinola (percussão), Carol Blummer (backing vocals) e outros convidados que fizeram participações especiais nas gravações do CD, nos videoclipes, lives e concertos ao vivo.

1461 -Ricardo Vignini (SP) dá mais um chega prá lá! na pandemia e lança álbum com modas de viola próprias e inspiradas em mestres como Índio Cachoeira e Tião Carreiro

#MPB #ViolaInstrumental #ViolaCaipira #Cururu #Cateretê #Chamamé #PagodedeViola #ZédoRancho #CulturaPopular #Bambico #ÍndioCachoeira #HelenaMeireles #TiãoCarreiro #GedeãodaViola #ZéDoRancho #Carreiro

Operário das dez cordas”, que durante o isolamento imposto pela trágica doença já gravara três discos, agora brinda amigos e fãs com Raiz, novo projeto já disponível nas plataformas digitais e em versão física

Raiz, novo álbum do compositor e violeiro paulistano Ricardo Vignini, chegou hoje, 29 de outubro, às plataformas digitais. Dedicado a ritmos tradicionais caipiras como cururus, cateretês, chamamés e pagodes de viola, o disco traz 13 faixas instrumentais e também está disponível em versão física, além de livro com transcrições das partituras e tablaturas escrito pelo violeiro Domingos Salvi, ambos distribuídos pelo selo Folguedo, de Vignini, junto com a Tratore, e que podem ser adquiridos em www.ricardovignini.com.br. Participam do disco Antônio Porto (baixo e violões), Rafael Schmidt e Ney Couteiro (violão), e Fábio Tagliaferri (viola de arco). A inspiração para produzi-lo veio de composições de viola caipira do saudoso Índio Cachoeira — amigo e parceiro de estrada e de gravações e para o qual Vignini produziu vários discos – dos álbuns do Gedeão da Viola, Zé do Rancho, Bambico, Helena Meireles, e sucessos instrumentais de Tião Carreiro.

Continue Lendo “1461 -Ricardo Vignini (SP) dá mais um chega prá lá! na pandemia e lança álbum com modas de viola próprias e inspiradas em mestres como Índio Cachoeira e Tião Carreiro”

1464 -Maria Marcella/RJ celebra o amor pelas lentes de compositores consagrados e em nova parceria com Gilson Peranzzetta

#MPB #AlémDoAmor #MariaMarcella

Epê da cantora, lançado pela Kuarup, também traz mensagem de combate à intolerância religiosa e já está disponível em todas as plataformas digitais

Depois de lançar no ano passado, já em meio à pandemia de Covid-19, o álbum Dentro D’Água em parceria com o músico Dori Caymmi pela Gravadora e Produtora Kuarup, a jovem cantora carioca Maria Marcella voltou a gravar releituras de sucessos de nomes consagrados do cancioneiro nacional, reunidas no epê intitulado Mudanças do Amor, também pela Kuarup. As músicas que Marcella selecionou interpretam quatro fases do amor por meio das lentes de compositores como Cartola, Vinicius de Moraes, Ivan Lins e Vitor Martins, duas das quais em parceria com Gilson Peranzzetta: Além do Amor e Medo de Amar (Vinicius de Moraes); Nós Dois (Cartola); e Mudança dos Ventos (Lins e Martins).

Continue Lendo “1464 -Maria Marcella/RJ celebra o amor pelas lentes de compositores consagrados e em nova parceria com Gilson Peranzzetta”

1460 – Filó Machado (SP) comemora 60 anos de estrada com duas apresentações presenciais em SP*

#MPB

* Com Eliane Verbena, Verbena Assessoria

SESI de São Paulo reservou dois dos seus palcos para nos dias 29 e 30 de outubro promover o espetáculo presencial Filó Machado 60 Anos de Música, com o Filó Machado Sexteto, ambos começando às 20 horas e sem cobrança de ingressos. Na primeira noite, o concerto será promovido na unidade do bairro A.E. Carvalho, na cidade de São Paulo; a segunda rodada está prevista para Piracicaba, no Interior do estado. O ingresso deverá ser reservado pelo portal sesisp.org.br.

Continue Lendo “1460 – Filó Machado (SP) comemora 60 anos de estrada com duas apresentações presenciais em SP*”

1459 – Tramas Culturais da Casa Museu Ema Klabin aborda a musicalidade dos povos indígenas*

#DireitosIndígenas  #MarcoTemporal #CasaMuseuEmaKlabin

*Com Cristina Aguilera, Mídia Brazil Comunicação Integrada

Diretores do documentário Música é Arma de Luta falam sobre a música contemporânea indígena e sua presença nas reivindicações dos direitos indígenas

“Exercer o canto como um ato político se tornou fundamental” 

A frase da ativista indígena Daiara Tukano abre o documentário Música é Arma de Luta (2021) e será tema da série Tramas Culturais da Casa Museu Ema Klabin. Estarão presentes os diretores Idjahure Kadiwel, Lucas Canavarro e Nana Orlandi, que irão falar sobre a produção do curta-metragem, a música contemporânea indígena e sua presença nas mobilizações pelas reivindicações dos direitos indígenas. O encontro de noventa minutos de duração está marcado para começar às 17 horas da quinta-feira, 28 de outubro, e será transmitido ao vivo pelo canal do YouTube da Casa Museu Ema Klabin cujo linque se encontra ao final desta atualização.

Continue Lendo “1459 – Tramas Culturais da Casa Museu Ema Klabin aborda a musicalidade dos povos indígenas*”

1458- Nino Karvan (SE) lança quinto álbum com músicas inéditas, parcerias e canções de 20 anos de estrada

#MPB #MúsicaNordestina #Folk #MarteloAgalopado #Rock #SimãoDias #Sergipe #CulturaPopular #KuarupRádioeTelevisão #Gravadorae ProdutoraKuarup

Elogio do Amor traz parcerias com Chico Cesar e o poeta inglês Shakespeare entre outros. As letras do projeto falam do amor em suas mais variadas vertentes, inclusive sobre a falta de amor e a indiferença

A produtora e gravadora Kuarup disponibilizou neste domingo, 24/1O, Elogio do Amor, quinto álbum do cantor e compositor Nino Karvan. O disco traz parcerias com o músico Chico César, o poeta e dramaturgo inglês Willian Shakespeare, os poetas Jeová Santana e Gilton Lobo além do cantor e compositor Marcos Vilane. Concebido e produzido durante a pandemia, o novo trabalho autoral de Nino Karvan traz 12 canções, algumas delas mais antigas do seu repertório, outras bem novas, a exemplo da faixa A Gente, deles e em dueto com Chico Cesar. A letra fala sobre uma das lições desses momentos difíceis de que é preciso “descer do salto” e perceber que a falta de empatia, a prepotência e a arrogância impedem o desenvolvimento humano e que, calar-se diante disso, é contribuir com a barbárie.

Continue Lendo “1458- Nino Karvan (SE) lança quinto álbum com músicas inéditas, parcerias e canções de 20 anos de estrada”

1457 – Antonio Adolfo(RJ) lança “Jobim Forever”, uma reverência à obra do nosso “maestro soberano”

#MPB #CulturaPopular #Piano

Álbum ocupa há quatro semanas o topo na parada da revista Jazz Week e traz no repertório The Girl From Ipanema, A Felicidade e Wave

Um exemplar do novo álbum de Antonio Adolfo foi enviado à redação do Barulho d’água Música pela Tambores Comunicações, dos amigos Beto Previero e Moisés Santana, aos quais agradecemos. O pianista, compositor e arranjador carioca Antonio Adolfo, com mais de cinco décadas de carreira, reconhecido internacionalmente como uma personalidade do jazz latino americano, lançou Jobim Forever (do selo AAM Music), no qual apresenta sua versão da obra de Tom Jobim (1927-1994) e privilegia composições da década dos anos 1960, um importante momento da música no Brasil, quando as inovações de Jobim ajudaram a tornar o Rio de Janeiro e todo o país o centro de uma cultura musical mundial impulsionada pelo surgimento da Bossa Nova. O álbum, que abriu mais uma audição matinal aqui no Solar do Barulho, em São Roque (SP), está disponível nas plataformas digitais e em https://antonioadolfomusic.com/, 

Leia mais sobre a Tambores Comunicações ou conteúdos a ela relacionados ao visitar os linques abaixo: 

Moisés Santana  Beto Priviero

Continue Lendo “1457 – Antonio Adolfo(RJ) lança “Jobim Forever”, uma reverência à obra do nosso “maestro soberano””

1456 – Música nordestina contemporânea: resistência e identidade cultural

#MPB #MúsicaNordestina #BrasildeFato #Paraíba #JoãoPessoa #ForróPédeSerra #Sambadas #Maracatu #Coco #Emboladas #Repente #Aboio #PoesiaPopular #Benditos #Incelências, #Batuques #LiteraturadeCordel #Frevo #CavaloMarinho #Xote #Xaxado #Baião

Esta manifestação sempre foi engajada, fosse através das toadas de lamento dos escravos ou nos aboios dos vaqueiros

Amigos e seguidores, boa noite:

A presente atualização foi publicada pelo portal Brasil de Fato/Paraíba, em 2 de outubro de 2019. É de autoria de Cristiane Nepomuceno, antropóloga, pesquisadora, professora da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)/NEABI, com edição de Heloisa de Sousa, conforme linque ao final do texto. Para complementá-lo, vamos reproduzir, também, a matéria 10 clássicos para conhecer a música nordestina, de 31 de maio de 2020, do portal potiguar Pantim, escrita por Ewerton Alípio, além de deixar como sugestão dois textos de autoria do blogue como pontos de partidas para aqueles que quiserem conhecer o tema um pouco melhor!

A justiça com sua espada de leviatã na mão/ Pronta para ser usada/Com sua venda nos olhos/ Trazendo consigo o mito da imparcialidade.”

Magistrado ladrão. Cabruêra/Álbum: O samba da minha terra, 2004/(Composição: Zé Guilherme)

Continue Lendo “1456 – Música nordestina contemporânea: resistência e identidade cultural”

1455- Heraldo do Monte (PE) ganha publicação com sua história, obras em partituras e coletânea em disco

#MPB #Violão #ViolãoInstrumental #Viola #QuartetoNovo #Recife #InstitutoÇare

O músico pernambucano Heraldo do Monte tem uma carreira tão extensa quanto importante para a história da música popular brasileira instrumental.  Aos 85 anos, o músico ganha agora uma publicação dedicada à sua obra: As cordas livres de Heraldo do Monte. O livro traz a sua história e a maneira como ela se confunde com a própria história da guitarra elétrica no Brasil. Traz também o conjunto completo de sua obra em partituras, além de um álbum coletânea que esboça sua trajetória musical. A publicação é a primeira da série Brasil de Dentro, criada pelo Instituto Çarê para sistematizar, editar e difundir obras de compositores brasileiros, e conta com a parceria da editora Contraponto. 

Continue Lendo “1455- Heraldo do Monte (PE) ganha publicação com sua história, obras em partituras e coletânea em disco”

%d blogueiros gostam disto: