1466 – Marília Corrêa (SP) lança Em Mim, produção autoral independente e de conteúdo crítico social*

#MPB #MúsicaIndependente #SoulMusic #Campinas #CulturaPopular

*Com Agência Social de Notícias, de Campinas (SP)

Álbum de sete faixas que também remete à soul music já está disponível em todas as plataformas digitais nas redes sociais e no sítio virtual da artista

Já está disponível em todas as plataformas digitais e nas páginas sociais de Marília Corrêa o álbum Em Mim, que a cantora e compositora e instrumentista de Campinas (SP) produziu e gravou, reunindo composições autorais e acompanhados de videoclipes. Marília é um dos atuais destaques na rica cena musical campineira por apresentar um repertório autoral com letras fortes e conteúdo crítico social, além de interpretações singulares de clássicos da MPB, da música pop e da black music nacional. Sempre presente em eventos e espaços culturais, Marília também é atração nos bares da cidade nos quais a música ao vivo tem retornado com a redução dos contágios pelo coronavírus.

Marília alia qualidade vocal e um timbre de voz únicos a uma seleção de músicas impecável, o que cativa o público com apresentações calorosas e cheias de energia. O repertório de Em Mim reúne composições autorais que ela escreve desde 2012, produzidas com o apoio de amigos, parceiros e músicos entre os quais o contrabaixista Marcelo Cruz e o guitarrista e produtor musical Maurício Cajueiro. “Em Mim é uma junção de sentimentos, vivências, situações e tudo o que vem acontecendo de dentro pra fora em minha vida”, declarou Marília.É início e o encerramento de um ciclo de quase dez anos”, emendou. “É seguir em frente com esse objetivo de tornar realidade um sonho”.

Das sete músicas do álbum, três já foram lançadas como vídeos clipes: Josias (com a participação da cantora Morena Roas), Mãe e Sinais; o vídeo clipe de Meia Luz está em fase de edição para ser lançado concomitantemente. Além destas, o álbum inclui as canções Pra Você, Onde Está o Amor? e Quem Diria.

A direção e a produção musical do disco são de Maurício Cajueiro, Gustavo Miller cuidou da produção executiva e Pedro Florio atuou como técnico de gravação em algumas faixas. Marcelo Cruz esteve na criação e arranjos em todas as canções, ao lado de Cajueiro e da própria Marília Corrêa. Em Mim conta com as participações de Maurício Cajueiro (nas guitarras), Daniel Gohn, Lazinho Batuck e Turquinho (baterias), Gê Ribeiro (trompete), Marcelo Cruz (contrabaixo), Vinícius Corilow (saxofone), Ding Dong (percussão) Cleberson Abade (piano e teclados), Ruan Spinola (percussão), Carol Blummer (backing vocals) e outros convidados que fizeram participações especiais nas gravações do CD, nos videoclipes, lives e concertos ao vivo.

1461 -Ricardo Vignini (SP) dá mais um chega prá lá! na pandemia e lança álbum com modas de viola próprias e inspiradas em mestres como Índio Cachoeira e Tião Carreiro

#MPB #ViolaInstrumental #ViolaCaipira #Cururu #Cateretê #Chamamé #PagodedeViola #ZédoRancho #CulturaPopular #Bambico #ÍndioCachoeira #HelenaMeireles #TiãoCarreiro #GedeãodaViola #ZéDoRancho #Carreiro

Operário das dez cordas”, que durante o isolamento imposto pela trágica doença já gravara três discos, agora brinda amigos e fãs com Raiz, novo projeto já disponível nas plataformas digitais e em versão física

Raiz, novo álbum do compositor e violeiro paulistano Ricardo Vignini, chegou hoje, 29 de outubro, às plataformas digitais. Dedicado a ritmos tradicionais caipiras como cururus, cateretês, chamamés e pagodes de viola, o disco traz 13 faixas instrumentais e também está disponível em versão física, além de livro com transcrições das partituras e tablaturas escrito pelo violeiro Domingos Salvi, ambos distribuídos pelo selo Folguedo, de Vignini, junto com a Tratore, e que podem ser adquiridos em www.ricardovignini.com.br. Participam do disco Antônio Porto (baixo e violões), Rafael Schmidt e Ney Couteiro (violão), e Fábio Tagliaferri (viola de arco). A inspiração para produzi-lo veio de composições de viola caipira do saudoso Índio Cachoeira — amigo e parceiro de estrada e de gravações e para o qual Vignini produziu vários discos – dos álbuns do Gedeão da Viola, Zé do Rancho, Bambico, Helena Meireles, e sucessos instrumentais de Tião Carreiro.

Continue Lendo “1461 -Ricardo Vignini (SP) dá mais um chega prá lá! na pandemia e lança álbum com modas de viola próprias e inspiradas em mestres como Índio Cachoeira e Tião Carreiro”

%d blogueiros gostam disto: