1495 -Alaíde Costa comemora 86 anos com álbum no qual interpreta Eduardo Santhana *

*Com Tambores Comunicações/Assessoria de Comunicações

Feliz o compositor que, igual a Eduardo, tem o privilégio de contar com a voz fervente e chuvosa de Alaíde e dos ótimos músicos que a acompanham – e dos belos poetas que adornaram com seus versos as lindas canções que, uma vez mais, me ponho a ouvir” – Hermínio Bello de Carvalho

É um privilégio ter a liberdade de escolher projetos como este. Fico feliz em, junto com Eduardo Santhana, poder dar vida a essas canções”, disse Alaíde Costa sobre o álbum Canções de Amores Paulistas – Alaíde Costa Canta Eduardo Santhana, que ela lançou em parceria com o músico, cantor e compositor Eduardo Santhana no recente 8 de dezembro, data do aniversário de 86 anos da intérprete. Sobre Alaíde, Santhana não escondeu a admiração e declarou emocionado que a considera uma das maiores vozes ouvidas hoje no país. “Você abre qualquer enciclopédia da música brasileira e vai achar o nome dela”, apontou. “E o mais importante, nesses anos todos, sempre cantando o que quer, sem fazer concessões”, emendou. “Isso para nós é um exemplo. Quando a gente mostrou as músicas e ela topou, tudo se encaixou”.

Um exemplar de Canções de Amores Paulistas – Alaíde Costa Canta Eduardo Santhana foi enviado à redação pelo jornalista Beto Priviero, da Tambores Comunicações/Assessoria de Comunicações, ao qual agradecemos e enviamos votos de boas realizações em 2022!

 

Alaíde e Eduardo já são companheiros em shows e em projetos. Foram os filhos de Alaíde, Paulo e Marcelo Lima, que os apresentou. Em 1986, Paulo organizava um Festival Universitário de Música, do qual Eduardo participava. Marcelo foi assistir e sentiu que a mãe adoraria o trabalho daquele compositor. A música Cantiga do Renascer, com a qual Eduardo participou, ficou em segundo lugar e está no álbum novo.

Do repertório do disco fazem parte também Meu amor parece (parceria como Sérvulo Augusto); Casaco de Maresia (com Adriana Florence); Lua Linda (com Nelson Botton); outras só de Eduardo são Claudia, feita para sua mulher; e Alaíde, Alaúde, que encerra o disco e traz uma homenagem ‘explícita’: “Alaíde canta feito sabiá/Os males espanta/Faz abençoar/Alaíde, alaúde sabe o amor cantar”. Eduardo explicou o conteúdo: “São dores, amores… enfim, um determinado sentimento que eu, paulistano, vejo em mim e consegui com que meus parceiros traduzissem e que casam perfeitamente com a voz e jeito de Alaíde”.

A produção musical e os arranjos do disco têm, além do próprio Eduardo, o pianista Michel Freidenson, um dos consagrados nomes da cena musical paulista, que arregimentou alguns dos melhores músicos do país como Adriana Holtz (cello); Sylvinho Mazzucca (baixo); Duda Neves (bateria) Lulinha Alencar (acordeon) e Teco Cardoso (sax). Canções de Amores Paulistas… faz parte do Edital ProAc 12/2020, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, do Governo do Estado de São Paulo.

Alaíde Costa tem mais de seis décadas de carreira e é referência de intérprete no Brasil. Carioca, radicada em São Paulo, no fim dos anos 1950 já era profissional respeitada. Com João Gilberto passou a frequentar a turma da Bossa Nova, encontro dos mais felizes: Alaíde, com sua sensibilidade abraçou a nova concepção musical de artistas como Tom Jobim e Johnny Alf, por exemplo. É desse período uma das suas marcantes gravações, Onde Está Você (Oscar C. Neves e Luvercy Fiorini).

Em 1972,  Alaíde Costa participou do bolachão Clube da Esquina, cantando com Milton Nascimento Me deixa em Paz (Foto: Jardiel Carvalho)

No final dos anos 1960 afastou-se do meio artístico por problemas particulares, voltou em 1972, quando participou do bolachão Clube da Esquina, cantando com Milton Nascimento Me deixa em Paz (Monsueto  Menezes e Airton Amorim). A partir daí, vieram vários discos, entre eles Águas Vivas (1982) e Canções de Alaíde (2014). Em 2018, lançou, ao lado de Claudette Soares, 60 Anos de Bossa Paulista. Em 2020, gravou O Anel, álbum no qual cantou a obra de José Miguel Wisnik.

O cantor, compositor e violonista paulistano Eduardo Santhana é autor de músicas gravadas por Jane Duboc e Ronnie Von. É reconhecido por sua carreira de muito sucesso no grupo Trovadores Urbanos, do qual faz parte desde os anos 1990, e com o qual lançou uma série de discos e DVDs. Como artista solo, possui sete álbuns, entre eles o projeto Musicando Poesias, realizado a partir dos versos de Fernando Pessoa, Carlos Drummond e Vinícius de Moraes. Ao apresentar arranjos para poesias desses mestres, Santhana abriu novas possibilidades, fazendo da poesia e da música um elemento único. No DVD Eduardo Santhana – Voz e Pianos, trouxe a participação dos pianistas Amilton Godoy e Michel Freidenson, além de Ivan Lins, Hermeto Paschoal, João Donato, Jane Duboc, Leila Pinheiro e Zé Miguel Wisnik, dentre outros.

Selo: Canta Music/MCK Discos | www.mck.com.br || Disponível: Spotify – Deezer – iTunes – Amazon e outras |

 Informações à imprensa | Tambores Comunicações 

tamborescom@uol.com.br e betopre@uol.com.br – whats (11) 99966 9320 / (11) 920007307

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: