1523 – Nino Karvan reedita os três primeiros álbuns para as plataformas digitais pela Kuarup

#MPB #Rock #Blues #Rap #Samba #ChoroCanção #Brega PsicodeliaNordestina #Coco #Galope #Baião #Xote #ArtesPlásticas #CulturaPopular #Simão Dias #Aracaju #Sergipe #ReidoBaião #LuizGonzaga

Álbuns são Mangaba Madura, José e Aquarela Pra Pandeiro, remasterizados

O cantor e compositor Nino Karvan relançará em formato digital, com distribuição da Kuarup, os três primeiros álbuns autorais da carreira. Ainda inéditos, os discos serão disponibilizados nas plataformas digitais até junho e o primeiro a ser remasterizado, Mangaba Madura (2001), que abre sua discografia, já pode ser ouvido desde 1° de abril. Depois, de acordo com o calendário bolado entre a Kuarup e o músico sergipano, chegarão José (2014) e Aquarela Pra Pandeiro (2006). O processo de remasterização coube a Ricardo Vieira, maestro e arranjador e produtor musical.

Mangaba Madura, produzido e arranjado por Nino Karvan, saiu quando o autor completava 31 anos de idade e 14 de carreira. Sua primeira gravação, ainda em vinil, veio após o título obtido no Festival Novo Canto, promovido em 1987, em Sergipe. Na ocasião, Karvan despontou como compositor comprometido com causas sociais e políticas, questionamentos filosóficos e existenciais, características presentes em Mangaba Madura. A diversidade rítmica do álbum revela, também, uma gama de influências que marcam sua vida, repleto de referências ao cancioneiro nordestino. Mas como rock, blues e até o rap também agradam sua “pegada”, estão presentes no trabalho que, desta forma, oferece bem diversificado repertório.

Músicas das feiras, o bordão das vendedoras de mangaba, o rock com sotaque de Nordeste, a cantoria de violeiros e de repentistas assinalam, profundamente, a identidade do álbum. O dia 1° de abril foi escolhido como data do lançamento em homenagem ao pai, João Bina, brincante de cultura popular, falecido em 2007 e que canta umas das faixas do disco, São Gonçalo, canção de domínio público oriunda do folguedo de mesmo nome.

O segundo lançamento, previsto para 15 de abril, é o single Fogo no Canaviá, composição de Nino Karvan, com participação do cantor e compositor pernambucano Silvério Pessoa. A faixa faz parte de José, lançado originalmente em 2014, quando Nino revisitou uma série de estilos. Ritmos do cancioneiro popular nordestino, mais uma vez, revelam-se flagrantes, mas gêneros como o samba, o choro canção, o brega e a psicodelia nordestina ganham destaque em faixas como Canção de Amor Por São Paulo e Vai de Leve. A produção foi dividida entre Karvan, Dudu Prudente e Thiago Ribeiro, que também toca guitarra em algumas faixas. Neste álbum, Nino explorou mais seus dotes de instrumentistas e toca cavaquinho, guitarra e violão. As letras abordam temas diversos que vão do amor romântico às questões ambientais, políticas e sociais.

A agenda de relançamentos será concluída em junho com Aquarela Pra Pandeiro, em que pese este ter sido o segundo título da carreira. Fechará a série por ser dedicado exclusivamente ao forró, com produção e arranjos do próprio Nino Karvan, em 2006. Aquarela Pra Pandeiro lança mão da mais tradicional formação instrumental da canção nordestina e apresenta banda é formada por sanfona, percussão (zabumba, triângulo, pandeiro, ganzá e atabaques), cavaquinho, violão e baixo elétrico (o único instrumento elétrico do disco). Traz um painel sonoro descortinada por meio de cocos, galopes, baiões e xotes que resultam em uma aquarela festeira e cheia de alegria, embora também levante questões sociais e políticas.

O single, que dá nome ao disco, uma parceria com o poeta Jozailto Lima, será lançado em 3 de junho e o álbum, no dia 24 do mês, data em que se comemora o aniversário de São João em todo o Nordeste do Brasil.

IMPRESSIONISMO E MARCHETARIA

Nino Karvan é multiartista e musicoterapeuta, cantor, compositor, artista visual e luthier. Nascido em Simão Dias, no Interior de Sergipe, mora em Aracaju, Capital do Estado, há 33 anos. Karvan começou a tocar violão aos 14 anos e, pouco depois, já cantava em serestas e numa banda de baile de sua cidade natal. Até que, aos 18 anos, mudou-se para a Capital, para fazer faculdade. Entre 1996 e 2002, integrou o grupo Bago de Jaca, que buscava resgatar e dar nova roupagem ao tradicional forró pé de serra. Depois dos três primeiros álbuns, voltou aos estúdios para gravar Elogio do Amor, em 2016 distribuído pela produtora e gravadora Kuarup.

Nino Karvan participou de mais de 15 coletâneas de festivais dos quais se sagrou vencedor em oito. Participou da coletânea L’oreille de Melanie, com a canção Mergulho Bom, em parceria com o compositor belga Sebastien Wilhames, lançado na Europa pelo selo Cyprés. Em 2020, também pela Kuarup, Karvan lançou De Lua, Canções de Luiz Gonzaga, com o conterrâneo violonista Alberto Silveira, uma tocante homenagem ao Rei do Baião. O repertório escolhido reúne canções das décadas dos anos 1940/50/60, período de ouro do baião e de maior sucesso de Luiz Gonzaga.

Telas de Nino Karvan: Desenho abstrato em técnica mista de Nanquim, lápis de cor e acrílica sobre papel Canson A2, 200 g/m2; e Paisagem interior II. 40X30. Acrílica sobre tela.

Como luthier, viajou à China em 2006 para realizar exposição de sua fabricação artesanal de instrumentos musicais na II Expor Brasil na China e teve a oportunidade de fazer alguns concertos na capital chinesa. Já dividiu o palco com Belchior (no projeto Seis e Meia, em 1996), Beth Carvalho e Chico Cesar (no MPB Petrobrás, em 2003 e 2013, respectivamente), e com Moraes Moreira (Circuito Cultural Banco do Brasil, em 2005). Desde 2013 faz parte do grupo Anavantou, banda que une músicos brasileiros e belgas que misturam forró, música tradicional europeia, jazz, rock e reggae entre outras influências. O projeto já rendeu seis turnês pela Europa, um DVD e um disco autoral, lançado em 2017.

Como artista visual Karvan já participou de algumas coletivas e protagonizou uma mostra individual chamada Violas e Outras Modas, no Café da Gente Sergipana, em 2012. Nino divulga e comercializa constantemente obras de técnicas diversas (algumas de suas telas remetem, por exemplo, ao Impressionismo) nas redes sociais e prepara para novembro mais uma exposição individual com quadros em pintura sobre tela e desenhos sobre papel. Também produz peças de madeira como armários, mesas e cadeiras utilizando marchetaria e couro, entre outros materiais e técnicas que podem ser conferidos em https://www.instagram.com/ninokarvan/ e https://www.facebook.com/NinoKarvan

Sobre a Kuarup

Especializada em música brasileira de alta qualidade, o acervo da Kuarup concentra a maior coleção de Villa-Lobos em catálogo no país, além dos principais e mais importantes trabalhos de choro, música nordestina, caipira e sertaneja, MPB, samba e música instrumental em geral, com artistas como Baden Powell, Renato Teixeira, Ney Matogrosso, Wagner Tiso, Rolando Boldrin, Paulo Moura, Raphael Rabello, Geraldo Azevedo, Vital Farias, Elomar, Pena Branca & Xavantinho e Arthur Moreira Lima, entre outros.

.Kuarup Música, Rádio e TV: www.kuarup.com.br, telefones: (11) 2389-8920 e (11) 99136-0577

Rodolfo Zanke rodolfo@kuarup.com.br

Saiba mais sobre Nino Karvan em https://barulhodeagua.com/tag/nino-karvan/

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.