1550 – Valdir Cechinel (SC) lança As canções do coração, quarto disco com participações de vários parceiros de estrada

#MPB #SantaCatarina #UniversidadeValeDoItajaí #Univali 

Já está disponível para audição nas plataformas digitais As canções do coração, álbum do catarinense Valdir Cechinel Filho acompanhado por vários dos seus amigos de estrada. A série chega assim à quarta edição e aumenta a lista que inclui Pedaço de Mim, Urbano e Rural e Eu nunca chegarei só, respectivamente de 2018, 2019 e 2021. Este novo álbum chega recheado de belas participações de expoentes conterrâneos de Cechinel e do país. Em todas as canções, o autor assina as composições e o capixaba Max Gasperazzo aparece como seu principal parceiro. As letras giram em torno da natureza e dos valores da vida.

A canção que dá título ao álbum, As canções do coração, é muito bem interpretada por Louise Lucena, conhecida por ser a vocalista do conjunto Quarta Redenção, que fez sucesso em passado recente. O Homem de Taubaté rende uma justa homenagem ao talentoso Renato Teixeira, ícone da música rural e que acaba de lançar ao lado de Fagner um novo álbum, Naturezas, pelo selo Kuarup. Neste tributo, destacam-se participações de Zé Geraldo, João Carreiro e Chico Lobo, além do belo Coral da Universidade do Vali do Itajaí (UNIVALI) e do harpista Dario Andino.

Segredo da Vida traz a participação do mineiro e Zé Paulo Medeiros, também na composição, que já teve parcerias com Zé Geraldo, Tinoco, Inezita Barroso, Cláudio Lacerda, entre tantos outros, e de Sergio Turcão, da dupla Jica y Turcão. Em Uma canção de esperança, o lendário Kleiton Ramil (da dupla gaúcha com o irmão  Kledir) é coautor da canção com Cechinel. A interpretação coube ao excelente Grupo Tamanduá, de Firenze, Itália o que confere um brilho especial e internacional ao álbum. Outro mineiro, Bilora, um campeão de diversos festivais, aparece na parceria de Violeiro por destino.

Chico Teixeira, filho de Renato, que participou recentemente da novela Pantanal, canta em Solo Sagrado, de marcante conteúdo. Artista tarimbado, o capixaba Carlos Bona interpreta Meu sucesso, e outro capixaba, Max Gasperazzo, participa da emblemática Obra do Destino. A banda paranaense Carne de Onça forma a parceria e interpreta Toca Raul, mas não deixe de tocar o Zé é mais uma bonita e merecida homenagem a Zé Geraldo.

As outras canções do álbum, não menos importantes, revelam a voz de cantores barrigas-verdes que despontam na cena musical do Estado, de cidades como Itajaí e vizinhas, incluindo Luiz Vicentini (No meio das flores), que ainda comemora o sucesso de Simplicidade, também composta com Cechinel, e que canta com Renato Teixeira, e recentemente ultrapassou 120 milhões de visualizações nos vídeos Reels do Instagram.

O veterano e sempre ativo Arildo Simão participa de Não Levo Nada interpreta a canção Gratidão, repleta de significância e que tem ainda o coral infantil e o coral principal da UNIVALI, capitaneado pela maestra Cris Muller. Susan Bonadiman interpreta Depois da tempestade, que retrata os tempos que estamos vivenciando e traz palavras de alento e esperança, enquanto o gaiteiro dos bons, Luciano Guarise, interpreta três belas canções: Samba para Gótinha, Amigos de infância e Urussanga mi amore, na qual Kleiton Ramil volta como parceiro de Cechinel e que reflete o respeito, carinho e consideração aos imigrantes e descendentes italianos. 

O AMIGO DOS CARAS

Valdir Cechinel Filho, reitor da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), situada em Santa Catarina, nasceu em Urussanga, também em Santa Catarina. Além de compositor, é escritor que lançou em março Cidadão Zé Geraldo: 40 e Poucos Anos de História e Estradas, livro no qual narra a trajetória de um dos principais nomes da Música Popular Brasileira, o mineiro Zé Geraldo. A obra, repleta de fotos e ilustrações, tem prefácio assinado por Renato Teixeira e um dos seus exemplares Cechinel enviou, gentilmente, à redação do Barulho d’água Música. Dividida em 11 capítulos, revela história e causos sobre Zé Geraldo desde a infância na cidade natal de Rodeiro (MG), alguns narrados pelo próprio biografado e compartilhados na vivência com o autor.

A banda paranaense Carne de Onça interpreta Toca Raul, mas não deixe de tocar o Zé, mais uma bonita homenagem ao mineiro Zé Geraldo

De rica trajetória acadêmica e científica, Cechinel, carinhosamente conhecido por Biá, é além de reitor da Univali professor do mestrado e doutorado em Ciências Farmacêuticas e pesquisador 1C do CNPq e tem pé que de longa data na arte e na cultura, ligação acentuada a partir ­de 2002, quando ficou responsável pela área cultural na Univali, como Pró-Reitor de pesquisas, pós-graduação, extensão e cultura, atuando por 16 anos à frente de ações culturais na instituição. Essa função possibilitou contato direto e mais intenso com muitos artistas, incluindo seus ídolos Zé Geraldo e Renato Teixeira, entre outros. Organizou inúmeros shows no Teatro da Univali com artistas nacionais e foi responsável pela seleção do repertório dos álbuns e DVD do Coral da Univali, Simplesmente Simples 1 (2011) e Simplesmente Simples 2 (2014). Escreveu sua primeira composição musical em 2008, Vida Rural, com Luiz Vicentini, que gravou a canção.

Até o presente, Cechinel possui mais de 60 canções em parceria. Todos os seus álbuns da série Valdir Cechinel Filho e Amigos estão disponíveis nas plataformas digitais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.