1554 – Filpo e a Feira (SP) anunciam lançamento de Morada do vento, segundo álbum do quarteto

#MPB #Forró #Fandango #FoliadeReis #Lundu #Coco #MúsicaCaipira #MúsicaCaiçara #SambadeRoda #RabecaBrasileira #CulturaPopular

O grupo paulista Filpo e a Feira está há quase 10 anos na estrada e acaba de lançar o segundo disco desta trajetória, Morada do vento, com distribuição pela Tratore. Integrado por Filpo Ribeiro (voz, rabeca, viola e marimbau), Marcos Alma (baixo e vocal), Alisson Lima (percussão e vocal) e Lipe Torre (percussão e vocal), o quarteto gosta de explorar os timbres de instrumentos peculiares como a rabeca e a viola dinâmica de 10 cordas, ao lado da zabumba, do triângulo e do baixo, por exemplo, para tocar forró, xaxado, baião e samba de roda. Neste novo álbum, que sucede Contos de beira d’água, as músicas são de Ribeiro, com parceiros diversos. O álbum abraça a diversidade musical brasileira e traz muito mais, mas podemos citar desde forrós como Povo Guerreiro e Olhe o poste; ou o flerte com o samba de roda da Bahia em Casa amarela; ou ainda os xotes Caniné e Cacimba seca.

Os arranjos de Morada do Vento são feitos por todos os integrantes. Inspiram-se em gêneros que marcaram a formação musical deles, mas sem se prenderem a nada. Então, uma hora tem forró e coco, mixados à cultura caipira e caiçara do Sudeste como o fandango, folia de reis e lundu do Norte mineiro. Outra particularidade do disco é que foi gravado como se fosse “ao vivo no estúdio”, sem ‘overdubs’. O que se gravou ficou valendo, “preservando um clima orgânico e fundamental nesse tipo de som”, acentuou Filpo.

Filpo Ribeiro, principal condutor da história do grupo, além de músico é um artesão/construtor do seu instrumento, a rabeca. Redescoberto pela juventude brasileira a partir do movimento Mangue Beat na década dos anos 1990, a rabeca é da família dos violinos, só que anterior a ele e mais rústico. Tem uma presença forte na música brasileira, pois foi o primeiro instrumento de cordas do forró, por exemplo.

 

Filpo e a Feira surgiu em 2014 por iniciativa de Filpo Ribeiro. Contos de beira d’água, lançado em 2017, teve excelente receptividade da imprensa e possibilitou uma série de apresentações pelo Brasil, além de levar o grupo para tocar durante o Festival Forró de Domingo, em Stuttgart (Alemanha), ao lado de expoentes como Oswaldinho do Acordeon. Filpo ainda excursionou pelo Japão realizando uma série de apresentações, gravações e oficinas junto como maestro Michio O’Hara (cravo), em cidades como Tóquio, Nagoya, Osaka, Komaki, Kasugai e Obu, divulgando a música da rabeca, desde a tradição medieval até a sua presença na música brasileira. E neste começo de julho passou pela Espanha para abrilhantar o Festival Encordass 2022, na Ilha de San Simon, no município galego de Redondela, onde protagonizou concertos ao lado de Alisson Lima e oficinas sobre a rabeca brasileira, evento que teve ainda a presença de Ricardo Herz, Maurício Caruso e Vanille Gooaverts.

Leia também no Barulho d’água Música:

1357 – Filpo Ribeiro e a Feira do Rolo (SP) destacam em apresentacões online Contos de beira d’água

https://barulhodeagua.com/2021/02/21/1357-filpo-ribeiro-e-a-feira-do-rolo-sp-destacam-em-apresentacoes-online-contos-de-beira-dagua/#more-14412

1350 – Conheça Claudio Rabeca e ouça suas contribuições para tirar a “prima do violino” do limbo e valorizá-la além do Nordeste

https://barulhodeagua.com/2021/01/25/1350-conheca-claudio-rabeca-e-ouca-suas-contribuicoes-para-tirar-a-prima-do-violino-do-limbo-e-valoriza-la-alem-do-nordeste/

1240 – Galba e Victor Batista lançam “28 Cordas ao Vivo” para celebrar uma década de parceria

https://barulhodeagua.com/2019/10/02/1240-galba-e-victor-batista-lancam-28-cordas-ao-vivo-para-celebrar-uma-decada-de-parceria/

1244 – Presenteie sua criança interior com “Um Sonho de Rabeca …”, de Caio Padilha, lançado pela Kuarup

https://barulhodeagua.com/2019/10/08/1244-presenteie-sua-crianca-interior-com-um-sonho-de-rabeca-de-caio-padilha-lacado-pela-kuarup/

1140 – Nelson da Rabeca e esposa, com Thomas Rohrer, lançam álbum “áspero”, mas que encanta pelo tom festivo*

https://barulhodeagua.com/2018/12/30/1140-nelson-da-rabeca-e-esposa-com-thomas-rohrer-lancam-album-aspero-mas-que-encanta-pelo-tom-festivo/

1012-Título de melhor rabequeiro do Brasil é pouco para reconhecer a contribuição de Zé Gomes (RS) à música do país

https://barulhodeagua.com/2017/12/27/1012-titulo-de-melhor-rabequeiro-do-brasil-e-pouco-para-reconhecer-a-contribuicao-de-ze-gomes-rs-a-musica-do-pais/comment-page-1/

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.