1568 – Gilson Peranzzetta e Marcel Powell lançam Pro Tião, com participação de Alaíde Costa, no Blue Note,

#MPB #Violão #Piano #MúsicaInstrumental #CulturaPopular #ProdutoraeGravadoraKuarup

Disco pelo selo Kuarup homenageia o violonista paraense Sebastião Tapajós, com músicas inéditas dos autores e clássicos instrumentais do gênero

Texturas, entrelaçamento de cordas, cores, suavidades, sonoridades, timbres, vigor, emoção pura. Estas são as imagens sugeridas pelo encontro do pianista e maestro Gilson Peranzzetta com o violinista Marcel Powell em Pro Tião, álbum lançado e distribuído pela gravadora Kuarup e que ganhará concerto na casa noturna Blue Note, situada na cidade de São Paulo. A dupla estará no palco na sexta-feira, 9 de setembro, a partir das 20 horas, em encontro cujo disco homenageia o violonista paraense Sebastião Tapajós, falecido em outubro do ano passado.

A arte dos dois instrumentistas imprime à formação de duo dimensão nova e surpreendente, foge dos sotaques conhecidos para formular uma sonoridade peculiar. Nas 11 faixas estão contidos sedimentos culturais do Brasil, retratados pela diversidade de ritmos e gêneros. Peranzzetta e Powell protagonizam solos e ao tocarem juntos trocam funções e sensações em busca de inéditas dinâmicas. Ora com a mão esquerda ao piano, Peranzetta busca os baixos e desenha a harmonia para que Powell evolua ao violão, ora o violão serve de apoio para o piano, o que brinda o público com um espetáculo mágico.

Pro Tião já está disponível nas plataformas digitais e a edição física deverá chegar em setembro. O repertório mescla composições de Baden Powell, Tom Jobim, Carlos Lyra, Garoto, Valdir Azevedo, de ambos os autores e, sim, de Tapajós. Algumas faixas se destacam por histórias curiosas, tais como Tocata Para Billy Blanco, que surgiu durante um ensaio. Tapajós compôs o tema em apenas 15 minutos, olhou para o maestro e disse: “A melodia está aí, agora se vira para fazer um arranjo que remeta à Bach”. Peranzzetta, então, fez o arranjo, que se tornou o preferido de Tapajós.

A faixa que dá título ao álbum foi composta por Peranzzetta e Powell, alguns meses após a morte de Tapajós. O maestro iniciou em 1986 a parceria com o paraense, que durou até 2021. Powell, filho de Baden, tratava Tapajós como seu padrinho musical. Já Pedacinhos do Céu é um clássico famoso entre os músicos. É de Waldir Azevedo, fazia parte do repertório do duo que Tapajós teve com Peranzetta. Para gravá-la neste novo álbum, ele manteve o arranjo original. As músicas Deixa, Tem Dó e Canto de Ossanha, composições de Baden em parceria com Vinícius de Moraes, também foram selecionadas por Marcel Powell

Em seu formato físico, Pro Tião trará no encarte texto assinado pelo cantor, compositor e pianista Ivan Lins, para quem “o disco é lindo. Feroz. Nível 5 estrelas. [Um] show de inventividade, técnica e musicalidade”.

BRASILIDADE E SENSIBILIDADE

O carioca Gilson Peranzzetta é maestro, pianista, acordeonista, clarinetista, compositor, arranjador, virtuoso da música instrumental e destaca-se por sua brasilidade, sensibilidade, criatividade, e sobretudo, por sua inconfundível assinatura musical. Suas composições, são inspiradas, originais, surpreendentes. Vencedor de cinco Prêmios da Música Brasileira como melhor arranjador, melhor compositor e melhor intérprete, é um dos brasileiros de maior reconhecimento no Brasil e no Exterior. Quincy Jones, produtor norte-americano. considera-o entre os cinco melhores arranjadores do planeta.

Com 65 anos de carreira, Peranzzetta soma em seu catálogo de composições 300 títulos, lançados nas duas últimas décadas. São obras gravadas por Djavan, Ivan Lins, Leny Andrade e Leila Pinheiro, Edu Lobo, Emílio Santiago, George Benson, Sara Vaughan, Quincy Jones e Barbara Streisand. Merece especial menção Setembro, escrita em parceira com Ivan Lins, incluída na trilha sonora da série norte-americana Dallas e no filme Boys’n The Hood. Sem contar participações como arranjador, pianista, parceiro e produtor em centenas de álbuns de outros músicos com os quais colaborou como Ivan Lins, Nana Caymmi, Hermeto Pascoal, Simone, Edu Lobo, Leila Pinheiro, Fátima Guedes, Leny Andrade, Alaíde Costa, Tito Madi, Guinga, Chico Pinheiro e Jorge Vercilo.

De família musical, começou a estudar acordeon aos 9 anos e piano aos 10. Frequentou a Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o Conservatório Brasileiro de Música. Aperfeiçoou-se em técnica pianística com Petri Palau de Claramount, em Barcelona (Espanha), onde viveu por três anos. Gravou o primeiro disco em 1963, aos 17 anos. Em 1965 a carreira foi bruscamente interrompida por um tiro de metralhadora .30 quando assistia a uma instrução de tiro na primeira semana em que servia obrigatoriamente ao Exército Brasileiro. Isso quase custou a amputação do braço direito, que teve os tendões milagrosamente reconstituídos em nylon. Três anos depois, em 1968 voltou à ativa e passou a integrar o grupo de Taiguara. Viveu na Europa entre 1970 e 1974 e já se apresentou em 30 países. Tem discos gravados na Espanha, Alemanha e Japão e em sua trajetória, seja na música popular ou na erudita, jamais abriu mão de preservar as raízes da cultura nacional.

DE PARIS PARA O MUNDO

Marcel Powell nasceu em Paris, capital da França, em 1982. É músico profissional desde os 9 anos e o professor foi Baden Powell. Com o pai, além das aulas em casa, teve a oportunidade de aprender o ofício viajando, gravando e atuando mundo afora. Ao lado do mestre Baden, gravou Baden Powell e Filhos (1994), ao vivo na cidade do Rio de Janeiro e Suíte Afro Consolação (1997), Japão, ambos com a participação do irmão Philippe Baden ao piano.

Em 2005 formou o Marcel Powell Trio que rendeu o disco Corda Com Bala, em 2009, pelo pelo selo Rob Digital, no Brasil, e no Japão, em 2013, pelo selo Respect Records. Tem discos lançados no Brasil, na Europa e Japão. Marcel Powell já passou por 16 países entre América do Sul, Europa, e Ásia. Em 2006 levou o Prêmio Rival Petrobrás de melhor instrumental solo e foi indicado ao Tim como artista revelação do ano com o disco Aperto de Mão, lançado naquele mesmo ano.

Tocata Para Billy Blanco (Sebastião Tapajós)/Você e Eu (Carlos Lyra/Vinicius de Moraes)/Deixa (Baden Powell/Vinicius de Moraes)/Só Por Amor (Baden Powell/Vinicius de Moraes/Carioquinha (Waldir Azevedo)/Pro Tião (Marcel Powell e Gilson Peranzzetta)/Vamos Acabar Com o Baile (Garoto)/Pedacinhos do Céu (Waldir Azevedo)/Tem Dó (Baden Powell/Vinicius de Moraes)/Só Danço Samba (Tom Jobim)/Canto de Ossanha (Baden Powell/Vinicius de Moraes)

Serviço

Show de Gilson Peranzzetta e Marcel Powell (Participação especial de Alaíde Costa)

Data: 2 de setembro/20h/Blue Note (Avenida Paulista 2073, 2º Andar, Consolação, São Paulo)

Link para compra do ingresso: https://www.eventim.com.br/artist/peranzzetta/

Leia sobre Sebastião Tapajós ou conteúdos a ele relacionados aqui no Barulho d’água Música ao visitar o link abaixo:

https://barulhodeagua.com/tag/sebastiao-tapajos/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.