903 – X Sarau Cordel da Cortez, A Arte do Improviso, terá entre as atrações os emboladores Peneira & Sonhador

A Livraria Cortez, uma das mais importantes de São Paulo, promoverá no sábado, 13 de agosto, a abertura do X CORDEL DA CORTEZ, sarau lítero-musical que realiza bienalmente e que neste ano terá como tema central A arte do improviso. Entre 16 e 18 horas, estudantes, professores, pesquisadores e interessados no assunto, clientes que frequentam a loja e artistas que prestigiam o evento poderão ver gratuitamente entre as atrações os emboladores de côco Peneira & Sonhador; o poeta e pesquisador Gabriel Péricles; o cantor e compositor Aldy Carvalho; o cordelista, escritor e violonista Cacá Lopes, além de intervenções poéticas de Marco Haurélio, Moreira de Acopiara, Sebastião Marinho, Valdeck de Garanhuns, Pedro Monteiro, João Gomes de Sá, Nireuda Longobardi, Jerônimo Soares, Varneci Nascimento, Audálio Dantas, Costa Senna, Eufra Modesto, Luiz Wilson e Luiz Carlos Bahia. Visitas de escolas deverão ser previamente agendadas e ao final das atividades será fornecido certificado de participação aos interessados.

Iniciado em 2002 pelo professor, pesquisador e escritor Gilmar de Carvalho, da Universidade Federal do Ceará (UFC), o CORDEL DA CORTEZ, com direção geral de Ednilson Cortez, coloca a Livraria Cortez como uma das impulsionadoras do processo de revitalização da literatura de cordel no Brasil, oferecendo desta forma um espaço democrático e alternativo para essa manifestação popular. Durante uma semana diversos poetas e artistas populares das mais diversas regiões do Brasil se revezam na livraria, que se transforma num cenário para saraus, apresentações artísticas, contações de histórias, lançamentos de livros, vendas de folhetos de cordéis e xilogravuras, entre outras atrações correlatas.

I – OBJETIVOS

O projeto CORDEL DA CORTEZ visa levar a professores, alunos e interessados no tema a importância da literatura de cordel como ferramenta pedagógica e o valor deste gênero literário para a preservação da nossa brasilidade. Propõe também, utilizar o cordel como ferramenta auxiliar à educação de crianças, jovens e adultos e desenvolver a atenção e o gosto do público por esta genuína manifestação da cultura popular brasileira, bem como apresentar a rica variedade temática do cordel por meio de folhetos, álbuns musicais e livros escritos pelos mais diversos especialistas no tema.

 

SONY DSC
O cordelista Moreira de Acopiara será uma das atrações do X CORDEL DA CORTEZ (Foto: Acervo Barulho d’água Música/Marcelino Lima)

Possuidor de uma rica variedade de temas inspirados em contos populares, contos de fadas, entre outros gêneros literários, a literatura de cordel é escrita em forma rimada e alguns poemas são ilustrados com xilogravuras. As estrofes mais comuns são as de dez, oito ou seis versos. Os autores recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, com declamações empolgadas e animadas.

II – PÚBLICO ALVO

Estudantes, professores, comunidade escolar, pesquisadores e interessados no assunto. Embora o projeto seja realizado na própria livraria, pode ser estendido às escolas e universidades públicas e particulares, ONGs, entre outras instituições.

III – PROGRAMAÇÃO DAS ATIVIDADES

Horário: 16 às 18 horas, com entrada franca

Atividade: Abertura oficial do CORDEL DA CORTEZ, com sarau lítero-musical constituído por breve apresentação dos artistas e poetas:

Peneira & SonhadorUma das melhores duplas de emboladores e repentistas do Brasil. Peneira é  Manuel Elias, natural de Timbaúba (PE), e Sonhador tem por nome de batismo Cícero Honório, filho de Cajueiro (AL). A dupla possui diversos álbuns gravados, entre os quais um especialíssimo, gravado em parceria com a Orquestra de Rua dos Músicos de São Paulo.

Os emboladores de côco  fazem parte de um segmento de arte popular que consiste em performances em duplas. Ao som enérgico e “batucante” do pandeiro, os dois declamam em forma de desafio versos sobre os mais diversos temas da vida cotidiana, bastante métricos, rápidos e improvisados. Para saber mais sobre Peneira & Sonhador visite http://www.agenciademusicos.com.br/peneira-e-sonhador.

Aldy Carvalho –  Cantador de Petrolina (PE), traz no seu bojo as imagens, sons e cores do sertão como afirmação de identidade. A obra do pernambucano mistura, de forma sutil e peculiar, o meio rural e urbano sem a vulgaridade do que se vê veiculado na mídia atual. “E um ajuntado de cantigas, xotes, baiões, emboladas,toadas, cantigas de roda, cirandas, martelos (a musica de cantoria, dos cantadores), sagas e fábulas. Aldy Carvalho é autor entre outros álbuns de Cantos d’Algibeira, selecionado na primeira etapa do 26º Prêmio da Música Brasileira, em 2015. Conheça mais em http://aldycarvalho.blogspot.com.br/2014/08/ix-cordel-da-cortez.html

Daniel Péricles
A trajetória artística e acadêmica de Vulgo Elemento vem se constituindo por meio de atividades e discussões que versam sobre infância, adolescência, juventude, violência, relações étnico-raciais, invisibilidade e a arte como mediação no trabalho socioeducativo (Foto: Divulgação)

Vulgo Elemento é o pseudônimo de Daniel Péricles Arruda, poeta, rapper, assistente social, mestre em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo e formando em psicanálise pelo Instituto Langage. Possui várias publicações, entre as quais os destaques são o livro Constelação de Ideias e Poéticas de um Estudante e o álbum Fecha Comigo. A trajetória artística e acadêmica de Vulgo Elemento vem se constituindo por meio de atividades e discussões que versam sobre infância, adolescência, juventude, violência, relações étnico-raciais, invisibilidade e a arte como mediação no trabalho socioeducativo.

Cacá Lopes, cantor de Araripina (PE), traz a lume mais um álbum,  Cordel Cantado, cujo foco está voltado ao chão maravilhoso da leitura e do saber. O trabalho é o registro de várias canções do projeto Cordel nas Escolas: músicas já bastante conhecido por alunos e professores da rede pública que faz referência a personagens como João Grilo, Chicó, Raul Seixas e Gonzagão.  Além das músicas próprias, o disco reúne parceiros compositores tais quais Costa Senna, Marco Haurélio, João Gomes de Sá, Dé Pajeú, Hamilton Catette, Sylvio Passos, Almino Henrique, Vavá Dias e Zé Peixoto. O repertório oferece MPB com pitadas de xote, frevo, toada, martelo e poesia matuta. 

ednilson
Ednilson Cortez responde pela direção geral dos saraus que se repetem desde 2002, no bairro paulistano Perdizes (Foto: Acervo Barulho d’água Música/Marcelino Lima)

Além destas atrações que marcarão a abertura do X CORDEL DA CORTEZ, entre 13 e 20 de agosto a livraria permanecerá aberta com exposições e vendas de livros, folhetos (a partir de R$ 2,00), discos e DVD’s sobre o tema. Alguns estarão em promoção, entre os quais o livro Céu de Luiz. Com texto de Audálio Dantas e fotografia de Tiago Santana, a obra lançada pelas Edições SESC poderá ser adquirida com desconto de 50%, de R$ 80,00 por R$ 40,00.

 Serviço:

X CORDEL DA CORTEZ

Abertura: 13/08/2016
Horário: das 16 às 18 horas
Entrada Franca
Idealização: Gilmar de Carvalho
Direção geral: Ednilson Xavier
Realização: Equipe Livraria Corte
Apoio cultural: Barulho d’água Música
Local: Livraria Cortez
Rua Bartira, 317, Perdizes, ao lado do campus da PUC-SP

cortez

Anúncios

657 – Compositor Zé do Norte é homenageado por Socorro Lira (PB) com show gratuito em São Paulo

socorro lira 22

Cantora, compositora e poetisa, Socorro Lira cantará neste domingo, 27 de setembro, a partir das 13 horas, sem cobrança de ingressos, no Sesc Campo Limpo, em São Paulo. Faça o calor de arrebentar que anda fritando ovo em asfalto ou chova canivetes  sobre a cidade– não por ser de graça, mas porque Socorro Lira é uma das mais versáteis e belas cantoras independentes (de cabeça e de alma!) — valerá a pena para quem mora em Sampa dar um pulinho (ou mesmo pulão até lá, no extremo Sul paulistano!) para prestigiá-la, ainda mais porque a paraibana de Brejo do Cruz, radicada em São Paulo, cantará em homenagem ao conterrâneo Zé do Norte, nascido em Cajazeiras, também na Paraíba.

pc21

O espetáculo em tributo a um dos pioneiros na observação e na divulgação do folclore nacional e recolhedor de Mulher Rendeira reúne cocos, chorinhos, batuques, toadas, canções, caribós e diversos outros ritmos da música popular brasileira. Zé do Norte se chamava Alfredo Ricardo do Nascimento e inspirou Socorro Lira a gravar Lua Bonita – Zé do Norte 100 anos, em 2011, obra que teve a participação de Vanja Orico, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Zé Paulo Medeiros e Sandra Belê. Com este álbum Socorro Lira recebeu o 23º Prêmio da Música Brasileira de melhor cantora (categoria regional).

O álbum premiado e demais títulos da discografia de Socorro Lira, além do livro de poesias A Pena Secreta da Asa podem ser encontrados na Livraria Cortez, cujo endereço é Rua Monte Alegre, 1074, Perdizes, defronte ao campus da PUC de São Paulo e cujo telefone para mais informações e contato é (11) 3873-7111.

 

no-racism1

620- Socorro Lira lança em Sampa “A Pena Secreta da Asa”, segundo livro de poemas

DSC09752_Fotor
Socorro Lira autografa exemplar de A pena secreta da asa para o Barulho d’água Música, representado na noite de lançamento do livro por Andreia Regina Beillo (Foto: Marcelino Lima)

A cantora e compositora Socorro Lira lançou A Pena Secreta da Asa, seu segundo livro, de poesias, e concedeu autógrafos a amigos e admiradores na noite de sexta-feira, 21, na Livraria Cortez, um reduto de apoio à cultura popular situada no bairro da zona Oeste paulistana Perdizes, defronte ao campus da PUC-SP. A Pena Secreta da Asa, que sucede Aquarelar (2007) saiu pela UK’A Editorial, em parceria com a Liraprocult, e tem 108 páginas. A obra pode ser encontrada na Cortez, cujo endereço é rua Bartira, 1074, ou em contato com a poetisa em http://www.socorrolira.com.br

Socorro Lira é nascida em Brejo do Cruz (PB), atualmente residente em São Paulo, filha da artesã Benedita Pereira e do comerciante José Cassimiro Neto e adotou o nome Socorro Lira por causa do pai, conhecido por Zé Lira. Desde cedo queria ser cantora e sempre que podia ouvia nomes que a influenciram como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Clara Nunes, Marinês, além de frequentar cantorias de viola.

Vencedora da categoria Melhor Cantora Regional do  23º Prêmio da Música Brasileira, entregue no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, em 2012, do Troféu Catavento de 2013 com a música Pata humana pata, Socorro Lira está completando 15 anos de carreira, período em que já gravou dez álbuns autorais e se apresentou em vários países da América Latina, Europa e África. Em 1998 recebeu o Prêmio Europa da Associazione Senza Frontiere por seu engajamento político e social no Brasil. Formada em Psicologia pela Universidade Estadual da Paraíba, também atua como intérprete, instrumentista e produtora cultural. É autora do Projeto Memória Musical da Paraíba e  trabalha com artistas e grupos de cultura popular em seu estado natal. 

Cuidar

Cuidado com a palavra
ela queima e fere como fogo
corta e arde como larva
mata tanto quanto cura
é selva tanto quanto salva

DSC09755_Fotor

Discografia de Socorro Lira

[2001] Cantigas
[2003] Cantigas De Bem-Querer
[2006] Intersecção – A Linha e o Ponto
[2007] As Liras Pedem Socorro
[2008] No Terreiro da Casa de Mãe Joana
[2010] Cores do Atlântico
[2011] Lua Bonita
[2012] Singelo Tratado Sobre a Delicadeza
[2013] O Samba do Rei do Baião
[2014] Os Sertões do Mundo – EP
[2014] Amazônia – Entre Água e Desertos

Barulho d’água Música chega a 41 países visto por cerca de 15 mil pessoas, seis vezes a lotação da Ópera de Sydney

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House, tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 15.000 vezes em 2014.  Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 6 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo

Aldy Carvalho recebe Eufra Modesto e Marisa Serrano, entre outros amigos, e lança Cantos d’Algibeira em SP

aldy 3w
O petrolinense Aldy Carvalho lançou o terceiro álbum da carreira na Livraria Cortez (SP) cercado por amigos; Cantos d’Algibeira está selecionado para o 26º Prêmio da Música Brasileira (Fotos: Marcelino Lima)

O cantor e compositor Aldy Carvalho atraiu vários amigos e admiradores à Livraria Cortez, situada no bairro de Perdizes, em São Paulo, para o show de lançamento de Cantos d’Algibeira, terceiro da carreira, na tarde de sábado, 1º de novembro. Composto por doze canções, o álbum sucede Alforje (2011) e Redemoinho (1999), obras que receberam vários elogios da crítica especializada, e foram arranjados pelo maestro Tony Marshall. Cantos d’Algibeira está selecionado para concorrer ao 26º Prêmio da Música Brasileira, que será entregue em 2015.

Continue Lendo “Aldy Carvalho recebe Eufra Modesto e Marisa Serrano, entre outros amigos, e lança Cantos d’Algibeira em SP”

Téo Azevedo recebe mais outra indicação ao Grammy Latino; Alceu Valença e Tavinho Moura também podem ser premiados

Teo Aevedo
Téo Azevedo ganhou um dos Grammy Latino, em 2013, e neste ano já arrebatou um dos prêmios mais cobiçados do Brasil com o álbum interpretado por Caju & Castanha e que está no páreo internacional (Foto: Marcelino Lima)

O cantor e compositor Téo Azevedo é um dos brasileiros indicados neste ano para o “15º Grammy Latino”, como produtor do álbum de emboladas “Meu Deus que país é esse!”, interpretado pela dupla Caju & Castanha (“Melhor álbum de música de raízes brasileiras”). Mineiro de Bocaiúva, Téo Azevedo já concorrera em 2013 na mesma categoria com os discos “Salve Gonzagão – 100 Anos” e “Sob o Olhar Januariense – Velho Chico”. Com o primeiro terminou por arrebatar o título na final promovida em 21 de novembro,  em Mandala Bay (Las Vegas/Estados Unidos).

Continue Lendo “Téo Azevedo recebe mais outra indicação ao Grammy Latino; Alceu Valença e Tavinho Moura também podem ser premiados”