1572 – V Festival Pedra Branca de Violas e Sonhos reúne 20 atrações em Caldas (MG)

#MPB #ViolaCaipira #ViolaInstrumental #Violade10Cordas #CapelaSantaBárbara #Caldas(MG) #PocinhosdoRioVerde #SerradaPedraBranca #MinasGerais #Pernambuco #CulturaPopular

Apresentações estão programas para o período de 9 a 11/9, com entrada franca

Com Rafael Melo: (35) 98403-7068

A Capela Santa Bárbara, situada no bairro rural Pedra Branca da cidade de Caldas, no Sul de Minas Gerais, abrigará o V Festival Pedra Branca de Violas e Sonhos, evento que oferecerá com entrada franca 20 atrações musicais, entre 9 e 11 de setembro. A proposta do festival é valorizar a cultura popular, as tradições regionais e sensibilizar o público para cuidar da natureza, de modo particular, da Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra da Pedra Branca. Luis Perequê abrirá os trabalhos no primeiro dia, a partir das 19 horas, seguido por Iúna e A Montanha Que Chora. Para o encerramento, os organizadores convidaram Adiel Luna, cantador e repentista pernambucano.

A Capela Santa Bárbara fica a cerca de 10 quilômetros do centro de Caldas, em direção a Pocinhos do Rio Verde (Foto: Prefeitura Municipal de Caldas)

Continuar lendo

1567 – Novo disco de Roberto Corrêa (DF) promove refinado e delicado diálogo entre violas tradicionais, como a caipira, e a barroca

#MPB #MúsicadeCâmara #ViolasBrasileiras #ViolaCaipira #ViolaInstrumental #VioladeCantoria #VioladeRepentista #VioladeBuriti #ViolaNordestina #ViolaCaiçara #ViolaBranca #VioladeFandango #ViolaDinâmica #ViolaBarroca #ViolaMachete #ViolaBahiana #VioladoRecôncavo #VioladeCocho #VioladeGamba #ConcertoParaVacaeBoi #CulturaPopular #RumosItaúCultural

Concerto para Vaca e Boi explora as sonoridades do instrumento em duos que também remetem à vida de vaqueiro, com participação de Gustavo Freccia, em projeto contemplado no Rumos Itaú Cultural

Compositor, escritor, pesquisador e um dos mais tarimbados expoentes de todos os tempos entre os músicos que se dedicam à viola caipira e suas variações em território nacional, Roberto Correa (DF) promoverá nesta sexta-feira, 26 de agosto, um concerto virtual (online) para lançamento de Concerto para Vaca e Boi, magistral álbum que promove o diálogo entre várias violas, entre as quais a raríssima viola de gamba, do período barroco-renascentista. Previsto para começar às 20 horas e sem restrições para ao público (o recital poderá ser assistido por qualquer internauta interessado no canal do violeiro informado abaixo ao final desta atualização), o concerto terá a participação de do músico Gustavo Freccia.

No final de 2019, Roberto Corrêa compôs a trilha sonora do longa-metragem Bravos valentes: vaqueiros do Brasil, documentário exibido e disponível em um canal de assinaturas do grupo e uma das maiores emissoras do país. Enquanto se debruçava sobre as composições para o filme, Corrêa decidiu fazer uma música para viola da gamba, instrumento que adora, pois, em sua avaliação, remete ao berro de um boi. “Imaginei duos de violas, algumas violas do Brasil, de certas regiões, e compus algumas peças”, informou. Desta iluminada ideia surgiu o Concerto para Vaca e Boi, que ainda ganhará álbum físico e ficará disponível em todas as plataformas digitais.

Continuar lendo

1566 – Pandemia enverga, mas não dobra Levi Ramiro (SP): violeiro se reconecta à companheira de estrada e da solidão e do medo tira oito canções inéditas

#MPB #ViolaBrasileira #ViolaCaipira #ViolaInstrumental #CulturaPopular

Já nas plataformas digitais, Luz oculta tem, ao todo, dez faixas. Apenas duas são regravações. Décimo segundo disco do músico, traz parcerias com Bené Fonteles, Consuelo de Paula, Fernando Guimarães e Paulim Amorim,

O cantor, compositor, luthier e violeiro paulista Levi Ramiro está lançando mais um álbum para deleite dos amigos e seguidores, o 12º da profícua carreira: Luz Oculta. O disco, segundo o próprio Ramiro, foi “gravado de prima” somente com voz e viola, depois, em algumas faixas, o músico acrescentou uma linha de viola e em Miração um trecho recitativo. Do total de dez faixas, há oito inéditas e duas são regravações. Sempre cercado de bons espíritos, amizades mundo afora e da natureza que o inspiram, “isolado”, ele sentiu em casa o baque do isolamento forçado pelo coronavírus. Mas Levi Ramiro é irrequieto, tem força de bambuzal e  não deixou os laços com os parceiros esfriarem: a seu modo afável os requisitou ao trabalho como se estivessem compartilhados ao pé do fogão de lenha ou à beira de um córgo pescando. A lista tem Bené Fonteles e Consuelo de Paula (que assinam textos primorosos no encarte, publicados abaixo), Fernando Guimarães e o agora saudoso Paulim Amorim (RJ).

(À época dos preparativos e do arremate de Luz Oculta, Amorim acabara de partir, antes do combinado, na noite de Natal: dele, em breve, vamos publicar uma matéria exclusiva. Dois meses depois, Vidal França (BA) também encantou. Ao fluminense e ao baiano vai a dedicatória carinhosa de Levi Ramiro.)

Luz Oculta já está disponível nas plataformas digitais e em versão física, com capa que traz uma poética fotografia de Tereza Ludgero, a Teka, e encarte gráfico de Rebeca Freitas, companheira e sobrinha de Levi. Sem mais delongas, com a palavra e a viola, Levi Ramiro, que inicia o texto de apresentação com agradecimentos

Continuar lendo

1558 – Almir Sater (MS) abre série de concertos da volta do RevelandoSP ao Parque da Água Branca, em São Paulo

#RevelandoSP #MPB #MúsicaLatinoAmericana #Gastronomia #Artesanato #FoliadeReis #Congada #Catira #ViolaCaipira #Jongo #Batuques #AmigosdaArteSP #JuntosPelaCultura2022 #CulturaPopular

O festival de cultura tradicional e economia criativa paulista RevelandoSP voltará a ser aberto ao público. Entre a quarta-feira, 20, e o domingo, 24 de julho, o Parque da Água Branca, situado no bairro homônimo da zona Oeste da cidade de São Paulo, sediará o evento realizado desde 1997 pelo Governo do Estado de São Paulo e gerido pela empresa Amigos da Arte desde 2017. O RevelandoSP oferece sem cobranças de ingresso atrações gastronômicas, de artesanato e manifestações culturais populares tais como folia de reis, congada, catira, viola caipira, jongo e batuques vindas de todo o Estado. O cantor e compositor Almir Sater (MS) é o convidado para o concerto de abertura, marcado para começar às 19 horas. Para o encerramento, no mesmo horário, os organizadores destacaram o cantor, compositor e apresentador Rolando Boldrin. O Sr.Brasil subirá ao palco acompanhado do Trio Gato Com Fome.

Continuar lendo

1557 – Ivan Vilela (MG) é uma das atrações do 20º Festival de Ourinhos, que terá também Fernando Caselato Trio

#MPB #MúsicadeViola #ViolaCaipira #ViolaInstrumental #ViolaBrasileira #VioladeArco #Violão #Violino #PianoErudito #PianoPopular #Cavaquinho #Flauta #Trombone #Saxofone #Clarinete #Percussão #Trompete #Contrabaixo #Bateria #Guitarra #Canto #MúsicadeCâmara, #Choro #BigBand #Coro #Ourinhos

A Secretaria Municipal de Cultura de Ourinhos (SP) dará início na segunda-feira, 18, ao 20º Festival de Música da cidade. O evento deverá se estender até 23 de julho e oferecerá, sem cobrança de ingressos, atividades culturais e oficinas de estilos, categorias e instrumentos musicais diversos. Os concertos e apresentações de música estão previstos para começar às 20 horas no palco do Teatro Municipal Miguel Cury. O professor, pesquisador, compositor e violeiro Ivan Vilela será uma das atrações de acordo com a agenda divulgada pelos organizadores. O autor do álbum Paisagens, entre outras contribuições para a divulgação e preservação da cultura popular, tocará na noite de quinta-feira, 21, quando a plateia também ouvirá o Maraka Trio.

Continuar lendo

1555 – Com viola na canoa, Zebeto Corrêa (MG) navega rios de Guimarães Rosa e volta à margem com Nonada

#MPB #ViolaCaipira #LiteraturaBrasileira #GuimarãesRosa #CulturaPopular #Itaúnas #MG #MinasGerais

Disco lançado em parceria com Jorge Fernando dos Santos já tem dois anos de estrada e revela mais uma vez que apesar de recorrente o rico universo popularizado pelo escritor de Grande Sertão: Veredas segue  fonte inesgotável de inspiração

Os romances de Guimarães Rosa, notadamente Grande Sertão: Veredas, de 1956, sempre inspiraram cantores e compositores e embora o tema seja dos mais recorrentes e possa em certa medida até parecer já um tanto quanto esvaziado, ótimos discos sempre resultam do fascínio daqueles que se aventuraram a passar a nado por estes caudalosos rios. Um destes álbuns é Nonada, que já completou dois anos de nascimento e foi lançado em abril de 2020 pelo mineiro Zebeto Corrêa, cantor, compositor e multi-instrumentista da cidade de Itaúna. Zebeto Corrêa é um campeoníssimo de festivais e já levou para casa mais de 300 troféus conquistados país afora. Autor de 16 discos e parceiro de inúmeros outros compositores, em Nonada ele prova ainda mais que a versatilidade é uma de suas virtudes, pois além de cantar e tocar diversos instrumentos, também exibe sua familiaridade com a viola caipira. Desta vez, todas as 12 faixas têm letras de Jorge Fernando dos Santos e foram feitas e tocadas no instrumento de dez cordas.

A primeira parceria entre Zebeto e Jorge Fernando resultou em Violinha de Pau, música que saiu em Poemas para Cantar e Dançar, para o qual Zebeto musicou poesias de vários autores do antigo Coletivo 21, em 2014. De lá para cá, ambos assinaram várias canções, a maioria dedicada ao universo da viola caipira, que Jorge Fernando considera o “instrumento-síntese da cultura interiorana do Sudeste brasileiro”.

Zebeto Corrêa despontou com a banda Fogo no Circo, com a qual gravou o primeiro elepê. Pouco depois, lançou Muito Prazer e Cine Metrópole (1991), ambos solo. A partir de 1993, juntou-se a Bartholomeu Mendonça, com quem lançou Além da Curva do Rio. Cinco anos depois voltou aos estúdios e trouxe à luz Princípios, com direito a estreia na Tom Brasil, casa noturna da cidade de São Paulo. Alma Brasileira, de 1999, levou Corrêa e Mendonça à semifinal do Prêmio Visa de MPB, promovido pela Rádio Eldorado.

Somente em 2001 o  filho de Itaúna abraçou em definitivo sua carreira solo e, logo na largada, mereceu de Mauro Dias, jornalista do jornal O Estado de S. Paulo, o elogio de quem o considerou “um dos maiores cantores brasileiros surgidos na última década”. De lá para cá, Zebeto produziu mais de dez discos, com diversos parceiros, entre eles Caio Junqueira Maciel – com o qual compôs cerca de 40 canções – e o gaúcho de Jaguarão Martim César. Este trabalho coerente e sólido, sempre pautado pela qualidade e pelo bom gosto de letras, arranjos e interpretação, pode se conferido, por exemplo, em Era Uma Vez (2005); Trilhas da Literatura Brasileira – Ouvir e Ler (2007); Recados de Minas (2009); e Amores e Outras Flores (2019).

O álbum Nonada, título que remete à palavra com a qual Rosa inicia Grande Sertão: Veredas foi gravado entre dezembro 2019 e março 2020, no Estúdio Zim, do próprio Zebeto, no momento, portanto, que o mundo começava a ser flagelado pela pandemia do coronavírus. Zebeto também fez a mixagem, juntamente com Sérgio Danilo, que tem participação especial como clarinetistas na faixa-título. Outros convidados são o próprio letrista, Jorge Fernando, e o flautista Murilo Ribeiro, ambos na faixa Casarão de Fazenda.

Todas as faixas estão disponíveis nas plataformas digitais e o álbum, entre outros de Zebeto lá disponíveis, pode ser baixado em formato MP3 do blogue Em Canto Sagrado da Terra. O link é http://cantosagradodaterra2.blogspot.com/2022/06/zebeto-correia-nonada.html

Para conhecer mais sobre Zebeto Corrêa leia a entrevista que ele concedeu em 19 de fevereiro de 2018 ao jornalista, músico e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa publicada na revista Ritmo Melodia.

https://www.ritmomelodia.mus.br/entrevistas/zebeto-correa/

1552 – Deo Lopes e Victor Mendes se unem e lançam pela Kuarup disco em parceria com canções inéditas

 Álbum Concerto Sentido  está disponível nas plataformas digitais e em cedê traz a obra do poeta do interior de São Paulo

Deo Lopes e Victor Mendes apresentam o disco Concerto Sentido, álbum que tem distribuição nas plataformas digitais e em formato físico pela produtora e gravadora Kuarup. Com composições inéditas de Deo Lopes, importante compositor do Vale do Paraíba, do Interior de São Paulo e uma das principais referências da MPB e da música regional do país, o disco é fruto do encontro entre duas gerações.

O trabalho nasceu após a participação de Deo na turnê de Nossa Ciranda, álbum solo de Victor Mendes, que saiu em 2017. Desde então os músicos se aproximaram e passaram a fazer releituras de músicas gravadas nos anos 1980 e 1990 em cinco elepês de Deo Lopes. Aos poucos, novas canções surgiram e tomando corpo com a convivência, os dois artistas deram origem ao projeto. Com a sutileza e a força da presença de Deo Lopes, Concerto Sentido aproxima dois artistas e gerações por meio da música.

Continuar lendo

1542 – Leyde &Laura (MT) são destaque do projeto Viola Encanto de Mulher, homenagem a pioneiras do gênero caipira

MPB #MúsicaCaipira #MúsicadeViola #MulherVioleira #VioleirasdoBrasil #CulturaPopular

Dupla de irmãs mato-grossenses e revelações como Lizandra e Victória e Mel Moraes vão se apresentar a partir de 1º de junho em teatros e em praça no bairro paulistano da Penha, sem cobrança de ingresso. Concertos serão tributos a Inezita Barroso, Helena Meirelles e As Galvão, entre outras vozes femininas. Com Cristina Aguilera, Midia Brazil Comunicação Integrada

Com objetivo de dar voz ao gênero feminino na música e como instrumentista de viola caipira, será promovido no sábado, 4 de junho, a partir das 14 horas, o projeto Leyde e Laura – Viola Encanto de Mulher. O espetáculo sem cobrança de entradas levará ao público relevantes expoentes do gênero na atualidade como as irmãs  Leyde & Laura reconhecidas pela crítica e pelos fãs como um dos mais aplaudidos duetos femininos da história da música caipiraCarol Viola & Duda Cintra, revelações da música de raiz; Lizandra e Victória, meninas violeiras da cidade de Nova Odessa (SP); Jéssica & Juliana, que participaram do programa Esquenta (Rede Globo) e foram finalistas do concurso Esquentanejo, revelador de novos talentos da música sertaneja; e  Mel Moraes, selecionada no Festival Viola da Terra, com a composição instrumental Primavera dos Pássaros. Os concertos da série terão por palco a Praça do Rosário, no bairro da Penha, reconhecido ponto turístico da Zona Leste da cidade de São Paulo, onde está a Igreja do Rosário dos Homens Pretos, construída no século XIX, patrimônio histórico tombado. 

Continuar lendo

1538 – Chico Lobo lança O Tempo É Seu Irmão e celebra mais de 40 anos de carreira com convidados especiais

#MPB #ViolaCaipira #VioladeDezCordas #ViolaBrasileira #MinasGerais #BeloHorizonte #SãoJoãoDelRey #CulturaPopular #GravadoraKuarup

27º álbum do violeiro mais atuante da cena brasileira tem participações especiais de Luiz Caldas, da dupla Kleiton & Kledir, da cantora Tetê Espíndola e do cantor Sérgio Andrade

Segundo especialistas em inovação, a necessidade de se reinventar existe há muito tempo, faz parte da história da humanidade. Tanto quanto mudar é questão de sobrevivência. Assim o violeiro mineiro, compositor e cantador Chico Lobo, em 2021 consagrado com o quarto troféu do Prêmio Profissionais da Música (PPM) na categoria Melhor Artista Raiz Regional e com a Medalha de Honra da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) pela sua relevante atuação na cultura e sociedade, colocou em prática justamente isso, em plena pandemia de Covid-19. Após lançar Alma e Coração, em 2020, já nesse processo de ousar e criar, tornar-se outro, Chico Lobo não parou e no ano passado produziu, em parceria com a Kuarup, mais um álbum nesses tempos difíceis.

Continuar lendo

1536 – Rainer M.B (SP/PI) lança quinto álbum da série ÁSPERO, projeto de narrativas instrumentais de resgate da afinação realejo

#MPB #ViolaBrasileira #ViolaInstrumental #ViolaNordestina #Univasf #SãoRaimundoNonato #Votorantim #Piauí #CulturaNordestina #CulturaPopular

Neste trabalho totalmente analógico, o violeiro paulista radicado no semiárido do Piauí, pesquisador e professor da Universidade do Vale do São Francisco, volta a recorrer à fita cassete para oferecer nova jornada instrumental de música modal e microtonal que dialoga com bois, toadas e a arte persa indiana

“Tons de azul-turquesa, preto e cinza e a (…) chegada de chuvas fora de época na caatinga trazendo enormes criaturas nos céus de um povoado.

É com esta atmosfera que o ÁSPERO, projeto de narrativas instrumentais radicado no semiárido piauiense de autoria de Rainer Miranda Brito (Rainer M.B.), traz seu quinto álbum, o segundo em forma de fita, Rumores na terra sobre as feras da chuva. Diferentemente do álbum/fita anterior, A comitiva de notícias e outras estórias (2021), no qual a fita cassete esteve presente especialmente no processo de finalização do álbum, Rumores na terra (…) foi planejado e executado integralmente em fita cassete. Trata-se de um álbum profundamente analógico, feito à mão – desenhado, escrito, tocado, narrado.

O álbum, pensado como uma narrativa completa, é uma jornada instrumental de música modal e microtonal – usando intervalos de microtons – com a viola de dez cordas. As melodias que povoam a narrativa do álbum oscilam entre inspirações pela música de arte persa iraniana (Dastgah, Tasnifs), bois e toadas nordestinas brasileiras. Os desenhos que retratam a narrativa se misturam às escrituras das paisagens e pensamentos de personagens; tudo isso rabiscado em uma brochura (livreto) que acompanha a jornada musical.

Continuar lendo