911 – Vote até 19 de fevereiro e indique os finalistas para o III Prêmio Profissionais da Música!

Terminará amanhã, 19 de fevereiro, a votação popular dos semifinalistas do III Prêmio Profissionais da Música, evento que desde 2015 pretende proporcionar maior visibilidade para artistas e agentes de produção, de promoção e de divulgação envolvidos nas diversas áreas deste segmento cultural.

A produtora musical GRV (Gustavo Ribeiro de Vasconcellos) colhe votos desde 9 de fevereiro pelo portal do PPM 2017; quem participará pela primeira vez precisará apenas preencher o cadastramento prévio que liberará, mediante login e senha, o acesso à área de votação.

Continue Lendo “911 – Vote até 19 de fevereiro e indique os finalistas para o III Prêmio Profissionais da Música!”

Anúncios

880 – Paulo Freire (SP) abre Imagens do Brasil Profundo para público infanto-juvenil com “Violinha Contadeira”

O compositor, cantor, violeiro e contador de causos Paulo Freire apresentou na manhã de domingo, 22, Violinha Contadeira, título de um dos seus álbuns, como atração da primeira atividade destinada ao público infanto-juvenil do projeto Imagens do Brasil Profundo, no terraço da Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo. Paulo Freire narrou histórias populares que recolheu enquanto vivia no sertão do Urucuia, Nordeste de Minas Gerais, região na qual conviveu e aprendeu toques de viola com mestres seguidores da temática roseana. Entre um causo e outro, tocava e cantava e assim o tempo todo envolveu a plateia, criando expectativas que por vezes se consumavam de forma surpreendente e até assustadora, mas ao final sempre divertidas.

(Atendendo ao pedido do curador do Imagens do Brasil Profundo, Jair Marcatti, Paulo Freire cantou Horóscopo, de Alvarenga e Ranchinho).

Nos próximos dias, Paulo Freire embarcará com o amigo Levi Ramiro Silva para nova temporada do projeto Sonora Brasil, que neste ano começará por Boa Vista (RR) e percorrerá várias outras cidades das regiões Norte e Nordeste, totalizando mais de 60 concertos. Ao voltar, deverá lançar Pórva, seu mais novo disco instrumental; ele já cedeu, autografado, um exemplar ao Barulho d’água Música.

A terceira temporada do projeto Imagens do Brasil Profundo terá sequência nesta quarta-feira, 25, a partir das 22 horas. Jair Marcatti receberá no palco Rubens Borba de Moraes o acordeonista Thadeu Romano para um bate-papo cuja pauta será Os caminhos da sanfona no Brasil, sem cobrança de entradas. Em 5 de maio, o público presente acompanhou concorrida e marcante apresentação da cantora, compositora e poetisa Consuelo de Paula (MG).

A Biblioteca Mário de Andrade fica na rua da Consolação, 94, São Paulo, a uma caminhada leve das estações República e Anhangabaú do Metrô.

tromanobmaartekkk

876 – Paulo Freire (SP) narra causos e canta temas de “Violinha Contadeira” para público infantil do Imagens do Brasil Profundo

Cantor, compositor, pesquisador cultural, violeiro e contador de causos, Paulo Freire (Campinas/SP) será atração do projeto Imagens do Brasil Profundo, cuja terceira temporada, acolhido pela Biblioteca Mário de Andrade (BMA), em São Paulo, começou recentemente. Paulo Freire estará no palco Rubens Borba de Moraes para apresentação de Violinha Contadeira, show dedicado ao público infanto-juvenil que protagonizará a partir das 11 horas do domingo, 22, com entrada franca. Violinha Contadeira é também título do mais recente álbum deste exímio artista popular que aprendeu a tocar viola caipira no sertão do Urucuia, situado na porção Noroeste de Minas Gerais. As lições com mestres da região o colocaram em contato com costumes e lendas, bases de sua inspiração para criar composições e executar várias trilhas sonoras, incluído a do seriado Grande Sertão: Veredas e trilhas especiais para programas como Globo Rural e Viola, Minha Viola que o transformaram em um dos mais aclamados representantes do universo regional.

Continue Lendo “876 – Paulo Freire (SP) narra causos e canta temas de “Violinha Contadeira” para público infantil do Imagens do Brasil Profundo”

872 – Sob o manto da delicadeza, Consuelo de Paula abre terceira temporada do Imagens do Brasil Profundo, em São Paulo

Consuelo de Paula vestiu-se do seus melhores sorrisos e cobriu com sonhos, arrepios e músicas o público que a prestigiou na noite de quarta-feira, 4 de abril, quando a convite do professor Jair Marcatti abriu em São Paulo a terceira temporada do projeto Imagens do Brasil Profundo. Do centro do acolhedor palco Rubens Borba de Moraes da Biblioteca Mário de Andrade, a cantora, compositora e poetisa conduziu ao violão e sob o manto da delicadeza, após a chegança ao toque de tambor, uma inesquecível navegação acústica pela Mantiqueira, passeio que cruzou também lilases, azuis, verdes, vermelhos, rios e oceanos para nos religar às nossas origens tanto em Portugal, quanto em África e onde o coração alcançou. Em meio a homenagens aos pais e a alguns dos seus mais amados mestres e parceiros (citou João Arruda, João Bá, os irmãos Dércio e Doroty Marques e Rubens Nogueira), quem a ouviu e também a acompanhou marcando a viagem com palmas ancorou ainda em cais que se abriram para feiras, quermesses e congadas vivenciadas desde menina em cidades do Sul de Minas vizinhas à terra natal, Pratápolis.

Em uma delas, Itamogi, contou ter avistado um certo capitão Donizete e que estabeleceu de imediato com ele, sem jamais ambos terem se visto antes, um afinado reconhecimento mútuo que se deu pela troca do primeiro olhar. Salve Maria: em sua sapiência e sensibilidade, o congadeiro intuía que em suas retinas pousava a imagem de uma nova rainha daqueles costumes e tradições, a qual, gentilmente, cedeu o cajado, bastão simbólico de majestade que em sua simplicidade com certeza deveria ser mais nobre que um cetro cravejado de diamantes. “A cidade inteira saia no congado, eu nunca tinha visto, que lindo! E todos comiam juntos no mesmo lugar, era uma delícia”.

“Fiquei pensando o dia todo que este Imagens do Brasil Profundo de hoje seria do começo ao fim para mim a relação que a gente tem com o nosso lugar, nossas terras, rezas e estranhezas, mas sobretudo de um imenso coração que une nós todos, nossos rios, nossas lutas, nossos sonhos”.

Do outro lado do Atlântico
Alguém ainda chora a dor da África sem América
Mãe roubada, barriga roubada
Do lado de cá respondo com o toque do meu tambor
No encontro do meu coração reúno as duas partes
Lado esquerdo e direito,
Artéria e veia:
Dou à luz um índio
Filho do negro que já fui!

Consuelo de Paula é assim, multiétnica; pluralista e universal,  palestina, judia, americana de todas as latinidades. Trilha de uma Folia de Reis, de tonalidades suaves, não perde a essência e o perfume, como um manacá. Jair Marcatti apresentou a porção brasileira dela como síntese entre Cecília Meirelles, Guimarães Rosa e Manoel de Barros: de fato, ela sabe como ninguém tanto do tratado das coisas e dos sentimentos, quanto da poesia dos cuidados diários, como encontrar rimas que soam como curativos ou flores que saram  descuidos e dores ocasionais e saudades ancestrais; Consuelo de Paula transforma o ínfimo em grandeza. A imensidão que existe em seu mar e que em seu íntimo também se configura sertão pede velejar sem pressa… uma, duas, três, quantas vezes soprar um vento de bonança ou um cavalo passar arriado, pois, embora intensa, em sua correnteza jamais se mareia e naufragam barcos, em seu solo jamais vingam estiagens: mesmo os que têm cascos frágeis como papel, mesmo as mais perdidas asas brancas, por fim ancoram e encontram o amor que ela nos dá! Entre uma batida ritmada no tambor e um ponteio do violão, não há negror que resista no horizonte. Mesmo que a gente tenha que seguir remando contra a maré, com Consuelo de Paula na proa, seja no palco ou entre nós, a viagem sempre será profunda e abençoada!

consuelo ibp 2
Consuelo de Paula, mineira de Pratápolis, cantou sucessos de sua discografia, composta por seis álbuns, entre os quais parcerias com mestres como Rubens Nogueira e Mário Gil

Jair Marcatti afirmou que o Imagens do Brasil Profundo está sendo retomado em um momento no qual o país enfrenta polarizações que têm gerado várias formas de agressões e aguda desesperança — contexto que reafirma os propósitos do projeto como ele o pensou, há três anos, seguindo princípios e ideais de três dos nossos maiores expoentes culturais que são o patrono Mário de Andrade, Darcy Ribeiro e Ariano Suassuna, apoiado, ainda, em pensamentos de Machado de Assis. Conforme o entendimento do curador, estes propunham  “um reencontro do Brasil com ele mesmo”, mas não com o Brasil institucional, caricato e burlesco, e sim o mestiço, aquele que nos permite afirmar perante o mundo a originalidade da civilização tropical, revelador de nossos melhores instintos e mais arraigadas tradições.

Em 2016 a temporada se estenderá até 14 de dezembro. A próxima rodada, 22 de maio, um domingo, contemplará a partir das 11 horas o público infantil. O convidado é o grupo inserido no circuito mundial de contação de histórias Boca do Céu, cuja participação será finalizada pelo violeiro Paulo Freire (Campinas/SP). Depois, na quarta-feira, 25 de maio, Marcatti receberá para o primeiro bate-papo  deste ano o acordeonista Thadeu Romano (São Paulo/SP) com o mote “A geografia afetiva dos caminhos da sanfona no brasil”    

“Vá meu cavalo alado, vá cumprir sua sina,
Leve este recado, esta carta pendurada em seu dorso
Corra porque a paz tem pressa!”

Do livro A Poesia dos Descuidos, de Consuelo de Paula e Lúcia Arrais Morales. Consuelo o declamou motivada pela imagem que Marcatti escolheu para ilustrar o projeto, um viajante à cavalo, extraída dos Cadernos de Viagem de Guimarães Rosa.

Prestigiaram a apresentação de Consuelo vários expoentes da música de qualidade e da imprensa, alguns de primeira grandeza como ela: Katya Teixeira, Paulo César Nunes, Antônio João Galba, Sidnei de Oliveira, Amauri Falabella, Jean Garfunkel, Joana Garfunkel, Fábio Jorge, Betto Ponciano, Vitor Nuzzi, Mercedes Cumaru, Marco Aurélio Olímpio e Joel Emídio, do blogue Ser-tão Paulistano. O Barulho d’água Música também destaca o primoroso trabalho dos técnicos de som e de iluminação do teatro e a presença na plateia da supervisora de ações culturais da Biblioteca Mário de Andrade Tarsila Lucena.

paulo e thadeu
O violeiro e o sanfoneiro Paulo Freire e Thadeu Romano: o projeto Imagens do Brasil Profundo, ainda em maio, terá mais duas atrações imperdíveis (Foto: Arquivo Barulho d’água Música/Marcelino Lima)

857 – Galeria do Sr. Brasil entroniza Dércio Marques (MG) ao lado de músicos notáveis como Noel Rosa e Tom Jobim

Estandarte com a imagem de Dércio Marques foi entronizado ao lado de outros de expoentes da música brasileira de qualidade que decoram as paredes laterais à plateia e ao palco do teatro do Sesc Pompeia, situado em São Paulo, no qual transcorrem as gravações do programa Sr. Brasil, capitaneado por Rolando Boldrin. O querido apresentador sempre gosta de contar ao público antes de começar a receber os convidados a razão pela qual — em trabalho conjunto com sua produção, que tem à frente a esposa, Patrícia Maia, e ainda o sobrinho, Lenir Boldrin — decora o ambiente com as bandeirolas remissivas às congêneres de festas santificadas e relembra fatos e dados sobre a biografia dos homenageado. Boldrin comenta que alguns daqueles artistas que formam o altar póstumo “partiram antes do combinado”, salienta que todos deixaram lacunas e que todos, independentemente do estilo ou vertente musical que representavam, contribuíram de forma irrefutável à cultura popular e à preservação de tradições brasileiras. E antes de dar o “ok” para que entre a primeira atração da noite, pede humildemente aos ídolos que abençoe os trabalhos e todos os envolvidos.

Continue Lendo “857 – Galeria do Sr. Brasil entroniza Dércio Marques (MG) ao lado de músicos notáveis como Noel Rosa e Tom Jobim”

851 – Paulo Netho e Dráusio Silva (SP) comemoram 30 anos de projeto concebido para provocar festas e “desmilitarizar” pensamentos

O recitador Paulo Netho e o cantor e compositor Dráusio Silva vão se reencontrar no sábado, 16 de abril, a partir das 21h30, no Espaço Versátil Multi Eventos, situado em Osasco, para celebrarem 30 anos da realização do primeiro Poemashow, parceria que promoviam na cidade declamando e cantando sucessos da MPB e do rock em meados da década de 1980, embrião da carreira que ambos passaram a desenvolver como poeta, essencialmente, no caso de Paulo Netho, e músico, no caso de Dráusio, um dos integrantes da banda Subtotal. A apresentação terá a participação do também cantor e compositor Salatiel Silva, que ao lado de Paulo Netho forma a Cara de Pavio Produções Artísticas e desenvolve os projetos Balaio de Doi2, Drops Urbano, e Ciranda de Cantigas.

Continue Lendo “851 – Paulo Netho e Dráusio Silva (SP) comemoram 30 anos de projeto concebido para provocar festas e “desmilitarizar” pensamentos”

800 – Barulho d’água Musica completa discografia do violeiro, compositor e professor Ivan Vilela (MG)

ivan arte sesc instrumental

O compositor, arranjador, pesquisador e professor universitário Ivan Vilela (Itajubá/MG) forneceu ao Barulho d’água Música arquivos de sua obra fonográfica que incluem álbuns hoje raros como Hortelã e Vereda Luminosa, Teatro do Descobrimento e Espiral do Tempo. Ivan Vilela é considerado um dos mais talentosos violeiros de todos os tempos no Brasil e não apenas em seu meio já que é muito respeitado entre os colegas músicos de todos os segmentos e ainda na Academia, ambiente no qual ajudou a despertar o interesse pelas pesquisas e produções cujo tema é a viola caipira e o universo rural a ela associado, incluindo costumes e o linguajar em variados períodos desde a colonização por Portugal. É autor de Cantando a própria história – Música caipira e enraizamento, livro da Editora da USP (Edusp). 

Continue Lendo “800 – Barulho d’água Musica completa discografia do violeiro, compositor e professor Ivan Vilela (MG)”

745 – “Minha Sampa” prepara Virada Ocupação e solicita colaboração de artistas em apoio a estudantes de São Paulo

esco_sp_ocupa17112015_037
Estudantes já ocupam mais de 100 escolas estaduais contra a ideia que o governo paulista divulga como sendo para reorganizar os ciclos e que resultará em 93 colégios fechados (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil/Fotos Públicas)

“Em momentos históricos, os artistas surgem como aliados importantes de causas coletivas. Nossa causa é a educação. E o momento é agora. Venha apoiar as ocupações com arte!”

Com este chamamento a entidade Minha Sampa está solicitando colaboração e adesões para apoiá-la na organização da VIRADA OCUPAÇÃO, evento que pretende promover para fortalecimento do movimento de ocupação pacífica de escolas estaduais por estudantes de diversos pontos de São Paulo contra um plano de reorganização da rede pública de ensino pretendido pelo governo do Estado de São Paulo. A intenção da Secretaria de Educação da gestão Geraldo Alckmin, do PSDB, é deslocar mais de 311 mil alunos das suas atuais e fechar 93 escolas — até o início e mesmo diante das ocupações — sem consultar a comunidade, com a alegação de remontar, por ciclos, a grade estadual de ensino. Os estudantes acusam o governo estadual de perseguições e ameaças aos envolvidos com as ocupações em protesto às medidas anunciadas e a Virada seria uma maneira não apenas de impedir as represálias, mas ainda de fortalecer o debate em torno do tema já que fontes palacianas têm vindo à público afirmar que haveria adeptos ao replanejamento. 

Continue Lendo “745 – “Minha Sampa” prepara Virada Ocupação e solicita colaboração de artistas em apoio a estudantes de São Paulo”

717 – Unidade de conservação da Mata Santa Genebra (SP) completa 30 anos e comemora com diversas atividades

gamba

A Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) Mata Santa Genebra completou 30 anos de criação na quinta-feira, 5, e  para comemorar esta importante data, programou diversas atividades com o intuito de promover a integração entre a floresta e a comunidade e a gestão participativa da área. Durante todo o sábado, 7, por exemplo, haverá visitação aberta ao borboletário e serão oferecidas oficinas de hortas urbanas e de artesanato, além da apresentação do teatro de bonecos com o espetáculo Coração Verde, oficina de ecobrinquedos e shows. Todas as atividades serão na praça Peroba Poca, sem cobrança de ingressos  Os eventos serão coordenados pela Fundação José Pedro de Oliveira, instituição gestora da Mata Santa Genebra, com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura e da Secretaria do Verde de Desenvolvimento Sustentável de Campinas.

A cantoria começará  às 16 horas com Ana Salvagni e Choro da Mata, que oferecerão um espetáculo musical de sambas e serestas. Ana Salvagni reside na cidade e foi contemplada  na categoria de melhor disco de música Regional em 2010 com o Prêmio da Música Brasileira e no palco demonstrará que fez jus à honraria juntamente com o grupo cujo nome é um tributo à Mata Santa Genebra.

A partir das 17 horas,João Arruda, Sinhá Rosária recebem convidados especiais. João Arruda está completa em 2015 dez anos de carreira solo e em seus números envolve a plateia com cantigas, palmas e risadas ao mesmo tempo em que Sinhá Rosária, cantora e compositora, celebra a música e a alegria por onde passa com seus 80 anos de vida. Susana Travassos e Michi Ruzitscka encerrarão a programação a partir das 18 horas. Susana Travssos é uma das grandes vozes portuguesas da atualidade  e com o violonista austríaco interpretará fados antigos, temas contemporâneos e alguns clássicos da música popular brasileira.

2241763095_290bed352b_b
Foto: Leonardo Desordi

Em 5 de novembro de 1985 o Decreto Federal nº 91.885/85 instituiu a Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) Mata de Santa Genebra. Esta unidade de conservação (UC), com perímetro de 9 quilômetros e uma área de 251 hectares, é o maior remanescente florestal de Campinas e sua conservação é de fundamental importância para a manutenção da biodiversidade regional.

 

 

 

 

30º Aniversário da Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) Mata Santa Genebra
Data: 7 de novembro de 2015
Horário: das 9h às 19h
 
Programação:

9h às 16h – Visitação ao Borboletário

10h às 12h – Oficina Hortas Urbanas e Oficina de Artesanato
10h30 às 11h30 – Espetáculo “Coração Verde” Grumaluc
14h às 16h – Oficina de Ecobrinquedos

Apresentações musicais:

joão arruda
O campineiro João Arruda, que sempre protagoniza shows animados e com grande interação da plateia, cantará ao lado da também irriquieta Sinhá Rosária (Foto: Marcelino Lima/Acervo Barulho d’água Música)

16h – Ana Salvagni e Choro da Mata
17h – João Arruda, Sinhá Rosária e convidados
18h – Susana Travassos e Michi Ruzitschika

Local: Praça Peroba Poca – Rua Mata Atlântica, s/n, Bosque de Barão, Campinas

Mais informações: (19) 3749-7205

arvores

708 – Banda Estralo (SP) lança disco para público infantil com versões de clássicos como “Aquarela” e “País Tropical”

Banda_Estralo_Italo_Cardoso - 2
Banda Estralo (Fotos Italo Cardoso)

Para comemorar seis anos de estrada, a Banda Estralo lançou no sábado, 31 o primeiro álbum desta trajetória, Estórias de Cantar, que também dá nome do show que apresentou no Teatro Anchieta do Sesc Consolação, em São Paulo, oferecendo o público um  caprichado repertório de música popular brasileira recheado de poesias, histórias e números teatrais. 

Estórias de Cantar reúne onze faixas com novos arranjos para canções clássicas como Ciranda da Bailarina (de Chico Buarque e Edu Lobo), Aquarela (Vinícius de Moraes e Toquinho) País Tropical  (Jorge Ben Jor) Bola de Meia, Bola de Gude (Milton Nascimento e Fernando Brant) e Negro Gato (Getúlio Cortês), além de contemporâneas como Não é Proibido (Marisa Monte), O Silêncio (Arnaldo Antunes), Criança não Trabalha (Palavra Cantada) e a música preferida do público, Caprichos do Tatu, de Gustavo Kurlat. O  disco ainda conta com duas poesias que são interpretadas pelo grupo:  O Relógio (Vinícius de Moraes) e A Bailarina (Cecília Meireles).

Com formação erudita, o maestro e músico da Banda Estralo, Marcos Lucatelli, acredita que a música infantil brasileira vem avançando em som e  em qualidade. “É preciso buscar opções para agradar e educar os ouvidos das crianças”, observou. “Com bons arranjos, timbres e instrumentação, a música expande os horizontes sonoros dos pequenos ouvintes”.

Além de Marcos Lucatelli (voz e violão), a Banda Estralo reúne Mauricio Damasceno (percussão), Ricardo “Batata” (baixo) e as cantoras Luanda Eliza (voz e performance), Lilyan Teles (voz, performance e escaleta). O show de lançamento contou com convidados de referência na composição musical infantil como a cantora e compositora Tata Fernandes, parceira musical, entre outros, de Chico Cesar e Zeca Baleiro, mais o premiado músico e compositor Gustavo Kurlat, que dirigiu shows do Palavra Cantada. O projeto gráfico do disco e o encarte são da ilustradora Mônica Crema, que levou para o papel toda a delicadeza e a poesia presentes no repertório. À frente da produção do álbum e do show está a Laje Produtora.

unnamed 

Repertório do disco Estórias de Cantar:      

Não é Proibido – Marisa Monte, Dadi e Seu Jorge
Caprichos do Tatu – Gustavo Kurlat
O Silêncio Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes
Criança Não Trabalha – Paulo Tatit e Arnaldo Antunes
País Tropical Jorge Ben Jor
Negro Gato – Getúlio Cortez
Sou uma criança, não entendo nada –  Erasmo Carlos
Num Dia Arnaldo Antunes, Helder Gonçalves, Manuela Azevedo e Chico Salem 
Ciranda da Bailarina – Edu Lobo e Chico Buarque 
Aquarela – Toquinho, Vinicius de Moraes, M. Fabrizio e G. Morra
Bola de Meia, bola de Gude – Milton Nascimento e Fernando Brant   
O Relógio Vinicius de Moraes  
A Bailarina – Cecília Meireles

 15.05.14-Sindicato-apoia-campanha-de-doação-de-sangue