Rodrigo Zanc volta ao Sr. Brasil

 

Imagem

O programa Sr. Brasil que será gravado a partir das 19 horas desta quarta-feira, 4 de junho, terá a participação do músico e compositor Rodrigo Zanc, violeiro de Araraquara atualmente residindo em São Carlos, cidades do Interior de São Paulo. A data em que a apresentação irá ao ar ainda não está definida.

Zanc estará de volta ao palco do teatro do SESC Pompeia, onde, desta vez, cantará na presença de Rolando Boldrin três músicas que integram o álbum “Fruto da Lida”“, lançado em outubro de 2013 com shows nos SESC de São Carlos e de Araraquara. Ele já  adiantou a este blogueiro quais serão as faixas, escolhidas por Boldrin, que a plateia curtira. Para não estragar a surpresa, entretanto, quem quiser ouvi-las terá de ir vê-lo apresenta-las, ao vivo. Sobre uma delas, no entanto, vou deixar uma dica: foi escrita com Isaías Andrade, de Americana. Juntos eles já têm mais de 40, das quais dez  em “Fruto da Lida” “Pendenga”, primeiro trabalho dele, de 2006.

Esta não é a primeira vez que Rodrigo Zanc é destaque no consagrado programa de Boldrin. Em agosto de 2013, ele interpretou “Véio Cemitério”, ocasião em que esteve acompanhado por Wilson Teixeira, Cláudio Lacerda e Luiz Salgado, com os quais formam o grupo “4 Cantos”. O araraquarense e Lacerda são também parceiros de um projeto de preservação e tributo à obra de Pena Branca e Xavantinho.

Legendas:

Rodrigo Zanc é autor de “Fruto da Lida” e “Pendenga”

Com Rolando Boldrin ao centro, da direita para a esquerda: este blogueiro, Rodrigo Zanc, Cláudio Lacerda, Wilson Teixeira e Luiz Salgado, em agosto de 2013

Fotos e texto: Marcelino Lima/SESC Osasco (1) e SESC Pompeia (2)

Link para “Véio Cemitério” no Sr. Brasil: http://tvcultura.cmais.com.br/srbrasil/v

 

 

Anúncios

Katya Teixeira e João Arruda cantam em Mogi das Cruzes

Katya Teixeira e João Arruda,  cantores e compositores de São Paulo e de Campinas, respectivamente, estiveram no palco do II Festival de Arte Popular do Alto Tietê, montado na Praça Oswaldo Cruz, na cidade de Mogi das Cruzes. A apresentação ocorreu em 17 de maio. Ambos cantaram canções da carreira solo e dos álbuns que já gravaram, como “2 Mares”, que Katya Teixeira lançou recentemente com Luiz Salgado, e “Ventamoinho”, em que João Arruda tem a participação dela e de expoentes como Levi Ramiro Silva. João Arruda também é autor, entre outros trabalhos, de “Celebra Sonhos”, e coordena o projeto “Arreuni”, que mensalmente ocorre no Centro Cultural Casarão, em Barão Geraldo, Campinas. Katya tem na biografia os discos “Katxerê”, “Lira do Povo” e “Feito de Corda e Cantiga”, participações em discos diversos de expoentes como João Bá e Luis Perequê, além de estar na estrada com o “Projeto Dandô – (Circuito de Música Dércio Marques), que percorre o país.

O anfitrião e promotor do show, o músico Déo Miranda, além do percussionista Fernando Tocha (Grupo de Pífanos Flautins Matuá) também dividiram o palco com Katya Teixeira e João Arruda. Encerrada a participação da dupla no Festival de Arte Popular do Alto Tietê, Katya e João seguiram para o SESC de Santo Amaro, na Capital, onde os aguardava o público de mais uma Virada Cultural Paulista.

Imagem

Legenda: João Arruda, Katya Teixeira, Déo Miranda e Fernando Tocha

Texto e foto: Marcelino Lima

Wilson Teixeira é atração na Virada Cultural de Americana

Imagem

O cantor e compositor Wilson Teixeira tocou e cantou no domingo, dia 25 de maio, como uma das atrações da “Virada Cultural Paulista”, em Americana, interior do Estado de São Paulo. A apresentação ocorreu no palco externo montado pelo Governo do Estado, com apoio da Secretaria de Cultura daquela cidade, na Casa de Cultura Hermann Müller. Wilson estava acompanhado pelos irmãos Vinícius Bini e Walter Bini, além do acordeonista Cleber Silveira.

Durante cerca de 90 minutos, prestigiado por um público que juntou admiradores de diversas idades, ele recordou sucessos do nosso cancioneiro caipira e regional, homenageando nomes como Rolando Boldrin (“Vide vida marvada”); Tonico e Tinoco (“Moreninha Linda”); Liu e Léu (“Boiadeiro Errante”); Os Filhos de Goiás (“Amor Distante”); Renato Teixeira (“Romaria”), Cascatinha e Inhana (“Beijinho Doce”); Luizinho e Teddy Vieira (“Menino da Porteira”) e, ainda, o parceiro Cláudio Lacerda (“Canta que é bonito”). A música de Lacerda, por sinal, fará parte do segundo disco da carreira de Wilson Teixeira, atualmente sendo produzido de forma independente como o primeiro, “Almanaque Rural”, no qual também se apoiou para preparar o repertório apresentado na festa de Americana.

“Almanaque Rural”, de 2007, e o disco a caminho não são os únicos trabalhos de Wilson Teixeira, que vem sendo apontado pelos críticos do meio e admiradores como um dos mais promissores da atual safra de violeiros paulistas e brasileiros. Com o amigo Cláudio Lacerda, ele integra o “4 Cantos”, que ainda inclui Rodrigo Zanc (Araraquara/São Carlos) e Luiz Salgado (Patos de Minas). Esta formação encantou em agosto de 2013 a plateia do programa Sr. Brasil, apresentado na TV Cultura, por Rolando Boldrin. Teixeira cantou “Trem de Verão”, uma de suas composições, em parceria com Adilson Casado, presente no álbum de estreia. Recentemente, ele voltou ao Teatro do SESC Pompeia, onde é gravado o Sr. Brasil e, desta vez com Sarah Abreu, mais os irmãos Bini e Thadeu Romano, prestou tributo a Cascatinha e Inhana. Em seus shows também são constantemente reverenciados Tonico e Tinoco, outro projeto dele em tributo a artistas que influenciaram a opção pelas composições de raiz.

Os vários teatros do SESC/SP têm sido a casa de Wilson Teixeira para os encontros sempre animados com os fãs, cada vez mais numerosos e fidelizados. A unidade de Bertioga o acolheu de novo na recente quinta-feira, 22, quando esteve na companhia das “Irmãs Galvão”. Em 29 de abril a cantoria ocorrera na famosa Bourbon Street enturmando Renato Teixeira, Chico Teixeira (filho de Renato), Jonavo, Tuia Lencioni e Adriana Violeira, entre outros companheiros amigos do estilo folk (Festa Folk Brasil), outra vertente que marca o trabalho dele e tempera faixas de “Almanaque Rural”, como por exemplo, a bela “Terra do Verde” em que presta reverência à terra natal, Avaré.

Wilson Teixeira é também um nome consagrado em festivais. Em 2011, emplacou o primeiro lugar no disputadíssimo certame de Tatuí, onde arrebatou duas estatuetas de primeiro lugar para “No último pé do pomar”, melhor música e melhor interpretação daquela edição. Em junho de 2013, mais uma consagração: recebeu o Prêmio Rozini de Excelência de Música de Viola como reconhecimento de melhor disco solo conferido ao “Almanaque Rural”. O troféu foi entregue no Memorial da América Latina, na Capital, em noite de gala encerrada com show de Almir Sater.

A apresentação de Wilson Teixeira na Casa de Cultura Hermann Müller foi precedida por show da Orquestra de Violeiros de Americana, que tem à frente o regente Bruno Paparoti.

Legenda:

Vinícius Bini, Cleber Silveira, Wilson Teixeira e Walter Bini

Foto e texto: Marcelino Lima

www.vagalume.com.br/wilson-teixeira/
www.wilsonteixeira.mus.br/
www.vagalume.com.br/wilson-teixeira/
violeirosdobrasil.com/profile/WilsonTeixeira33