Barulho d'Água Música

Veículo de divulgação de cantores, duplas, grupos, compositores, projetos, produtores culturais e apresentadores de música independente e de qualidade dos gêneros popular e de raiz. Colabore com nossas atividades: leia, compartilhe e anuncie!


1 comentário

1009 – Vamos dar uma força à campanha para gravação de Trancelim, novo álbum do premiado coletivo Ponto BR?

Tran·ce·lim
substantivo masculino
1. Trança estreita para guarnições ou bordados.
2. Cordão de ouro muito delgado.
 
“trancelim”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/trancelim [consultado em 13-12-2017].

 

Amigos e seguidores:

O coletivo de artistas Ponto BR está em campanha, aberta em uma das plataformas virtuais de crowdfunding, para tentar levantar os recursos mínimos e gravar o disco Trancelim, segundo álbum desta galera que reúne mestres da cultura popular  —Walter do Maracatu Estrela Brilhante do Recife, Mestra Zezé de Iemanjá da Casa Fanti Ashanti, e Ribinha do Bumba Boi de Maracanã, em diálogo com a paulistana Renata Amaral, o pernambucano Eder “O” Rocha, o suíço radicado em Sampa Thomas Rohrer e o maranhense Henrique Menezes — álbum com o qual os integrantes pretendem, sob o risco da graça, do improviso e da experimentação, possibilitar a descoberta de uma terceira margem do fazer artístico, diluindo supostos limites entre erudito e popular, tradição e contemporaneidade, sagrado e profano. As contribuições partem de módicos R$15,00 e dão direito a recompensas bem legais (diretamente das comunidades de origem dos mestres e músicos, carregando um pouco da história e da sabedoria que embasam este trabalho) e que incluem desde exemplares de discos e dvds a colares, sabonetes artesanais de ervas medicinais, matracas, oficinas de percussão, camisetas, baquetas e até café com os mestres. Saiba mais detalhes e colabore clicando em https://benfeitoria.com/pontobr

O alagoano Seu Nelson da Rabeca (de chapéu, ao lado de Thomas Rohrer) é um dos músicos que o Ponto BR convidará para participar de Trancelim caso o coletivo atinja a segunda meta da campanha (Foto: Joelia Braga)

Continuar lendo

Anúncios


Deixe um comentário

915- USP lança revista/dossiê com onze artigos sobre MPB, com coordenação do violeiro Ivan Vilela

A Superintendência de Comunicação Social da USP (Universidade de São Paulo) lançou neste mês de fevereiro a edição 111 da Revista USP, cujas 180 páginas oferecem aos leitores, aos estudantes, aos acadêmicos, aos artistas e ao público afins um dossiê sobre a MPB. Os textos da publicação, organizados pelo violeiro Ivan Vilela, professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA), são assinados por ele e mais dez professores e pesquisadores da Universidade que também gravaram vídeos para o Jornal da USP nos quais expõem ideias e abordam desdobramentos sociais e técnicos da música popular brasileira, tão apreciada ao redor do mundo, mas pouco estudada nas universidades. “O conhecimento da música brasileira pode nos trazer um outro olhar sobre nós mesmos, sobre a nossa história, sobre nossa formação cultural”, afirma Ivan Vilela, autor de Canonizações e esquecimentos na música popular brasileira. “No entanto, nossas escolas de música são, na grande maioria, escolas de música clássica europeia”, lamenta-se o coordenador.

Continuar lendo


Deixe um comentário

903 – X Sarau Cordel da Cortez, A Arte do Improviso, terá entre as atrações os emboladores Peneira & Sonhador

A Livraria Cortez, uma das mais importantes de São Paulo, promoverá no sábado, 13 de agosto, a abertura do X CORDEL DA CORTEZ, sarau lítero-musical que realiza bienalmente e que neste ano terá como tema central A arte do improviso. Entre 16 e 18 horas, estudantes, professores, pesquisadores e interessados no assunto, clientes que frequentam a loja e artistas que prestigiam o evento poderão ver gratuitamente entre as atrações os emboladores de côco Peneira & Sonhador; o poeta e pesquisador Gabriel Péricles; o cantor e compositor Aldy Carvalho; o cordelista, escritor e violonista Cacá Lopes, além de intervenções poéticas de Marco Haurélio, Moreira de Acopiara, Sebastião Marinho, Valdeck de Garanhuns, Pedro Monteiro, João Gomes de Sá, Nireuda Longobardi, Jerônimo Soares, Varneci Nascimento, Audálio Dantas, Costa Senna, Eufra Modesto, Luiz Wilson e Luiz Carlos Bahia. Visitas de escolas deverão ser previamente agendadas e ao final das atividades será fornecido certificado de participação aos interessados.

Iniciado em 2002 pelo professor, pesquisador e escritor Gilmar de Carvalho, da Universidade Federal do Ceará (UFC), o CORDEL DA CORTEZ, com direção geral de Ednilson Cortez, coloca a Livraria Cortez como uma das impulsionadoras do processo de revitalização da literatura de cordel no Brasil, oferecendo desta forma um espaço democrático e alternativo para essa manifestação popular. Durante uma semana diversos poetas e artistas populares das mais diversas regiões do Brasil se revezam na livraria, que se transforma num cenário para saraus, apresentações artísticas, contações de histórias, lançamentos de livros, vendas de folhetos de cordéis e xilogravuras, entre outras atrações correlatas.

I – OBJETIVOS

O projeto CORDEL DA CORTEZ visa levar a professores, alunos e interessados no tema a importância da literatura de cordel como ferramenta pedagógica e o valor deste gênero literário para a preservação da nossa brasilidade. Propõe também, utilizar o cordel como ferramenta auxiliar à educação de crianças, jovens e adultos e desenvolver a atenção e o gosto do público por esta genuína manifestação da cultura popular brasileira, bem como apresentar a rica variedade temática do cordel por meio de folhetos, álbuns musicais e livros escritos pelos mais diversos especialistas no tema.

 

SONY DSC

O cordelista Moreira de Acopiara será uma das atrações do X CORDEL DA CORTEZ (Foto: Acervo Barulho d’água Música/Marcelino Lima)

Possuidor de uma rica variedade de temas inspirados em contos populares, contos de fadas, entre outros gêneros literários, a literatura de cordel é escrita em forma rimada e alguns poemas são ilustrados com xilogravuras. As estrofes mais comuns são as de dez, oito ou seis versos. Os autores recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, com declamações empolgadas e animadas.

II – PÚBLICO ALVO

Estudantes, professores, comunidade escolar, pesquisadores e interessados no assunto. Embora o projeto seja realizado na própria livraria, pode ser estendido às escolas e universidades públicas e particulares, ONGs, entre outras instituições.

III – PROGRAMAÇÃO DAS ATIVIDADES

Horário: 16 às 18 horas, com entrada franca

Atividade: Abertura oficial do CORDEL DA CORTEZ, com sarau lítero-musical constituído por breve apresentação dos artistas e poetas:

Peneira & SonhadorUma das melhores duplas de emboladores e repentistas do Brasil. Peneira é  Manuel Elias, natural de Timbaúba (PE), e Sonhador tem por nome de batismo Cícero Honório, filho de Cajueiro (AL). A dupla possui diversos álbuns gravados, entre os quais um especialíssimo, gravado em parceria com a Orquestra de Rua dos Músicos de São Paulo.

Os emboladores de côco  fazem parte de um segmento de arte popular que consiste em performances em duplas. Ao som enérgico e “batucante” do pandeiro, os dois declamam em forma de desafio versos sobre os mais diversos temas da vida cotidiana, bastante métricos, rápidos e improvisados. Para saber mais sobre Peneira & Sonhador visite http://www.agenciademusicos.com.br/peneira-e-sonhador.

Aldy Carvalho –  Cantador de Petrolina (PE), traz no seu bojo as imagens, sons e cores do sertão como afirmação de identidade. A obra do pernambucano mistura, de forma sutil e peculiar, o meio rural e urbano sem a vulgaridade do que se vê veiculado na mídia atual. “E um ajuntado de cantigas, xotes, baiões, emboladas,toadas, cantigas de roda, cirandas, martelos (a musica de cantoria, dos cantadores), sagas e fábulas. Aldy Carvalho é autor entre outros álbuns de Cantos d’Algibeira, selecionado na primeira etapa do 26º Prêmio da Música Brasileira, em 2015. Conheça mais em http://aldycarvalho.blogspot.com.br/2014/08/ix-cordel-da-cortez.html

Daniel Péricles

A trajetória artística e acadêmica de Vulgo Elemento vem se constituindo por meio de atividades e discussões que versam sobre infância, adolescência, juventude, violência, relações étnico-raciais, invisibilidade e a arte como mediação no trabalho socioeducativo (Foto: Divulgação)

Vulgo Elemento é o pseudônimo de Daniel Péricles Arruda, poeta, rapper, assistente social, mestre em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo e formando em psicanálise pelo Instituto Langage. Possui várias publicações, entre as quais os destaques são o livro Constelação de Ideias e Poéticas de um Estudante e o álbum Fecha Comigo. A trajetória artística e acadêmica de Vulgo Elemento vem se constituindo por meio de atividades e discussões que versam sobre infância, adolescência, juventude, violência, relações étnico-raciais, invisibilidade e a arte como mediação no trabalho socioeducativo.

Cacá Lopes, cantor de Araripina (PE), traz a lume mais um álbum,  Cordel Cantado, cujo foco está voltado ao chão maravilhoso da leitura e do saber. O trabalho é o registro de várias canções do projeto Cordel nas Escolas: músicas já bastante conhecido por alunos e professores da rede pública que faz referência a personagens como João Grilo, Chicó, Raul Seixas e Gonzagão.  Além das músicas próprias, o disco reúne parceiros compositores tais quais Costa Senna, Marco Haurélio, João Gomes de Sá, Dé Pajeú, Hamilton Catette, Sylvio Passos, Almino Henrique, Vavá Dias e Zé Peixoto. O repertório oferece MPB com pitadas de xote, frevo, toada, martelo e poesia matuta. 

ednilson

Ednilson Cortez responde pela direção geral dos saraus que se repetem desde 2002, no bairro paulistano Perdizes (Foto: Acervo Barulho d’água Música/Marcelino Lima)

Além destas atrações que marcarão a abertura do X CORDEL DA CORTEZ, entre 13 e 20 de agosto a livraria permanecerá aberta com exposições e vendas de livros, folhetos (a partir de R$ 2,00), discos e DVD’s sobre o tema. Alguns estarão em promoção, entre os quais o livro Céu de Luiz. Com texto de Audálio Dantas e fotografia de Tiago Santana, a obra lançada pelas Edições SESC poderá ser adquirida com desconto de 50%, de R$ 80,00 por R$ 40,00.

 Serviço:

X CORDEL DA CORTEZ

Abertura: 13/08/2016
Horário: das 16 às 18 horas
Entrada Franca
Idealização: Gilmar de Carvalho
Direção geral: Ednilson Xavier
Realização: Equipe Livraria Corte
Apoio cultural: Barulho d’água Música
Local: Livraria Cortez
Rua Bartira, 317, Perdizes, ao lado do campus da PUC-SP

cortez


Deixe um comentário

670 – Imagens do Brasil Profundo recebe Renata Mattar e Magda Pucci na Biblioteca Mário de Andrade, em Sampa

A Biblioteca Mário de Andrade, situada em São Paulo, acolheu o projeto Imagens do Brasil Profundo, que tem curadoria do professor de Sociologia Jair Marcatti e cujo objetivo é trazer à tona um país mais interior. Quinzenalmente às quartas-feiras, a partir das 20 horas e com entrada franca, Jair Marcatti recebe convidados que tratam a cada nova rodada de aspectos das diversas culturas regionais do Brasil, desvendados em shows, bate-papos musicais, debates e palestras. Nesta quarta-feira, 7 de outubro, o palco do auditório estará reservado a um debate com Renata Mattar e Magda Pucci.

Continuar lendo


1 comentário

Músico que quando menino tocou para Lampião, Sebastião Biano (AL) lança em Sampa álbum com banda de pífanos Terno Esquenta Muié

biano wwww

O Sesc Santana, bairro da zona norte paulistana, recebeu na noite de 30 de junho um convidado dos mais especiais, Sebastião Biano, que juntamente com Junior Kaboclo (pífanos) Eder, “O” Rocha  (zabumbateria), Renata Amaral (baixo) e Filpo Ribeiro (viola e rabeca), lançaram o álbum  do projeto Sebastião Biano e seu Terno Esquenta Muié, pelo selo Sesc. O evento merece destaque não apenas por que Sebastião Biano é o último integrante remanescente da formação original da Banda de Pífanos de Caruaru, mas pelo fato de que ele, com 96 anos de idade, ainda está no auge de uma  carreira para cuja vocação despertou aos cinco anos de idade, quando aprendeu a tocar o pífano.

Continuar lendo


1 comentário

Levi Ramiro e Paulo Freire e grupo de Arapiraca (SE) abrem série de 480 concertos do Sonora Brasil/15, em Vitória (ES)

ppppiutre

Os violeiros e compositores Levi Ramiro e Paulo Freire, ambos de São Paulo, abriram ontem, 28 de maio, a 18ª edição do projeto Sonora Brasil com um show no Centro Cultural Sesc Glória, em Vitória (ES). O Sonora Brasil, promovido pelo Sesc, é considerado o maior do país em circulação musical e na edição de 2015 terá, até dezembro, 480 concertos em mais de 130 cidades brasileiras. Além de Levi e Paulo Freire,  estreia contou ainda com apresentação do grupo Destaladeiras de Fumo de Arapiraca (AL), com mestre Nelson Rosa, representando o tema Cantos de trabalho.

Continuar lendo