1576 – Em mais um concerto para marcar seus 20 anos, Orquestra Filarmônica de Violas (SP) recebe em Jundiaí Toninho Ferragutti

#MPB #ViolaCaipira #ViolaInstrumental #ViolaBrasileira #Guitar #MusicaCaipira #ViolaCaipiraInstrumental #CulturaPopular #Campinas #Piracicaba #Jundiaí #TeatroPolytheama

A Orquestra Filarmônica de Violas (OFV), estabelecida em Campinas (SP), já com 21 anos de atuação e três álbuns gravados, foi contemplada pelo Programa de Ação Cultural (ProAc) da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo para promover três concertos comemorativos às duas primeiras décadas de contribuições à cultura popular. A série de apresentações passou por Campinas em 24 de agosto, quando contou com a participação do compositor, pesquisador, professor e violeiro Ivan Vilela, idealizador da OFV; em 26 de agosto, em Piracicaba, a convidada para a segunda rodada foi Ana Luiza, poeta, cantora e compositora. Para a noite de 30 de setembro, a atração que estará ao lado dos 14 músicos atualmente regidos por João Paulo Amaral será o acordeonista Toninho Ferragutti, no palco do Teatro Polytheama, em Jundiaí.

Continuar lendo

948 – Vencedora do Prêmio Profissionais da Música, Vanessa Moreno lança primeiro disco solo

A cantora Vanessa Moreno acaba de ser eleita a melhor cantora do país de acordo com o júri do Prêmio Profissionais da Música, entregue nas noites de 28 e 29 de abril durante cerimônias promovidas no Cota Iate Clube (Brasília/DF). Embalada por este reconhecimento, Vanessa Moreno ocupará o palco da Sala Itaú Cultural, situado em São Paulo, na noite de 11 de maio. A partir das 20 horas, ela apresentará à plateia Movimento, primeiro álbum solo da carreira. Antes da consagração alcançada no Planalto Central, Vanessa Moreno começara a ganhar projeção por meio de Cores Vivas (de 2016, em duo com o baixista Fi Maróstica) e Vem Ver (2013). Repleto de canções autorais, de novos compositores e duas releituras do cancioneiro brasileiro, Movimento percorre a intimidade de sentimentos e a trajetória musical da artista.

Continuar lendo

805- Trio Gato com Fome (SP) grava álbum que reafirma o papel de Raul Torres na história do samba paulista

Trio Gato com Fome

Gregory Andreas, Renato Enoki e Cadu Ribeiro formam o Trio Gato com Fome, que mergulhou no aquário, ou melhor, o baú de Raul Torres e trouxe à tona dez sambas do percussor ao lado de Cornélio Pires da música caipira (Foto: Divulgação)

Quem  gosta de música caipira sabe da importância de Raul Torres para a aceitação e o progresso dela como uma das mais autênticas manifestações da cultura popular e das nossas tradições. Mas, como bom brasileiro, Raul Torres também era partidário do samba e o paulistano Trio Gato com Fome mergulhou em uma pesquisa que incluiu viagens a Botucatu, no Interior paulista, terra natal do “Bico Doce”, e desta tarefa resgatou dez obras deste gênero do autor, incluindo a famosa Mineirinha, sucesso gravado entre outros por Doroty Marques, que tantas gerações vêm cantando e que o Trio Gato com Fome resgatou com flauta, cavaquinho e pandeiro, numa levada que mescla choro e marchinha de Carnaval que ficou deliciosa de ouvir!

Continuar lendo

669 – Chorinho, big band, quinteto de metais, recital e violonista italiano: curta o Musica MCB em outubro. De graça!

pnorama

O Museu da Casa Brasileira (MCB), situado em agradável imóvel situado na avenida Brigadeiro Faria Lima, 2705, no bairro paulistano de Pinheiros, oferece todos os domingos, às 11 horas, o projeto Música no MCB, por meio do qual o público pode curtir sem pagar ingresso apresentações de variados estilos musicais — do caipira ao erudito, passando pelo jazz contemporâneo e pelo samba, por exemplo. Para a primeira atração de outubro, o palco estará reservado neste dia 4 ao grupo Panorama do Choro Paulistano Contemporâneo, criado pelos percussionistas Yves Finzetto e Roberta Valente com o objetivo de registrar e divulgar a expressão atual do choro produzido em Sampa.

Continuar lendo

Envie seu abraço ao aniversariante Fernando Caselato (SP), violeiro que Egberto Gismonti recomenda

caselato

O Barulho d’água Música registra hoje o aniversário de mais um expoente da atual safra de violeiros paulistas e envia o seu abraço e votos de sucesso lá para a Terra da Pamonha, Piracicaba, onde reside Fernando Caselato. Violeiro e instrumentista ganhador do prêmio revelação nacional da viola instrumental em 2004, Fernando Caselato acumula participações em oficinas, encontros, festivais e concursos nos quais sempre se destaca e participa das gravações dos álbuns que terminam por reunir os melhores trabalhos apresentados durante os eventos, tais como os discos Ao vivo no teatro Alfa em São Paulo e o 2º Circuito Syngenta de Viola Instrumental (este, de 2009, antológico pelo conjunto de revelações que elenca), sem contar inúmeros shows nas demais unidades do SESC e trabalhos como arranjador e compositor de trilhas e programas de rádio e de televisão.

A discografia de Fernando Caselato conta com o sugestivo Pé de Viola (2005), no qual com sua bem temperada viola brasileira toca ritmos típicos das vertentes caipira e regional do Brasil — onde tudo, se bem plantando e cultivado com apuro, rende — como toadas, rasqueados, chamamés, cateretês, batuques, pagodes de viola, arrasta-pé, baião, maracatus e choros, com arranjos ora marcados pela simplicidade, ora de rara sofisticação.

Em 2012, com o Quarteto Tau, assinou Cordas Brasileiras, projeto inédito produzido por Paulo Bellinati que casou a viola brasileira e quatro violões para traçar um panorama da música brasileira desde Ernesto Nazareth, passando por Angelino de Oliveira e Garoto, até encontrar preciosidades do próprio Bellinati e Weber Lopes, mais jovens compositores como Chico Saraiva, Emiliano Castro e Daniel Murray. “Além das músicas e das belas interpretações e arranjos, este grupo apresenta um CD que confirma o que eu mais gosto: alegria, com cara e jeito de música muito bem tocada, sem nenhuma formalidade na escrita” declarou Egberto Gismonti.

Ainda em 2012, agora com as bênçãos de Swami Júnior, chega o cedê autoral Solo das Cores, mostra das recentes composições e arranjos de sua autoria. Para a gravação, Fernando Caselato reuniu além de Swami Júnior, Luiz Guello, Chico Saraiva, Daniel Murray, Alexandre Ribeiro e Julio César.

O blog tem em seu acervo a obra completa de Caselato e a recomenda! Fica aqui, mais uma vez, nossos parabéns!

moinhoe

Toninho Ferragutti é homenageado em duas sessões de dança flamenca no Teatro Sérgio Cardoso (SP)

luceros-910x737

O Grupo Luceros homenageia Ferraguti (com o acordeon, à esquerda)

 

A obra de um dos mais admirados músicos brasileiros da atualidade, o acordeonista Toninho Ferraguti (Socorro/SP) motivou três bailarinos de dança flamenca a montar o espetáculo Grupo Luceros Dança Toninho Ferraguti  que será apresentado nesta sexta-feira, 15, e no sábado, 16, no Teatro Sérgio Cardosocom direção e concepção cênicas de Clarisse Abujamra. Alessandra Kalaf, André Pimentel e Priscila Grassi resolveram mesclar os dois estilos artísticos (a música e a dança, que a princípio seriam água e óleo) após uma apresentação do grupo, em 2006, quando utilizavam em uma de suas produções Na Sombra da Asa Branca, composição de Toninho Ferragutti. Ele estava na plateia, e emocionado com a homenagem, sugeriu  a inédita parceria. Conhecido por construir novas linguagens e técnicas, o Grupo Luceros abraçou a proposta e passou a formatar o número que junta ainda no mesmo palco Alexandre Ribeiro (clarinete), Roberto Angerosa (percussão) e Zé Alexandre Carvalho (contrabaixo). O repertório é executado ao vivo e traz entre outras as canções O Sorriso de Manu e Flamenta, além de resgatar Na Sombra da Asa Branca.  

O Teatro Sérgio Cardoso fica na rua Rui Barbosa, 153, Bela Vista, em São Paulo. Para mais informações há o telefone (11) 3288-0136.

Continuar lendo

Fernando Caselato dá sequência ao projeto “Caldos com Sons Brasileiros”

Caselato

Fernando Caselato

Em mais uma rodada do projeto “Caldos com Sons Brasileiros”, o SESC trará à unidade Osasco nesta quinta-feira, 18, Fernando Caselato. Violeiro e instrumentista ganhador do prêmio revelação nacional da viola instrumental em 2004, Fernando Caselato acumula participações em oficinas, encontros, festivais e concursos nos quais sempre se destaca e participa das gravações dos álbuns que terminam por reunir os melhores trabalhos apresentados durante os eventos, tais como os discos “Ao vivo no teatro Alfa em São Paulo” e o “2º Circuito Syngenta de Viola Instrumental” (este, de 2009, antológico pelo conjunto de revelações que elenca), sem contar inúmeros shows nas demais unidades do SESC e trabalhos como arranjador e compositor de trilhas e programas de rádio e de televisão.

Continuar lendo