1301 – Daniela Spielmann e Sheila Zagury lançam pela Kuarup tributo a Jacob do Bandolim

Com participações de Soraya Ravenle, Almir Côrtes, Catherine Bent, Clarice Magalhães e Roberta Valente , dentre outros, saxofonista e pianista lançam Entre mil…Você! em formato de físico e digital, provendo eruditismo e liberdade jazzística à riqueza harmônica do choro

Por certo, este CD nos traz um Jacob arejado, de janelas abertas, assim como ele estaria fazendo hoje.” Sérgio Prata (cavaquinista e diretor do Instituto Jacob do Bandolim)

#FiqueEmCasa #MáscaraSalva #Quaretenas #ForaBolsonaro

Amigas de longa data e parceiras musicais há 20 anos, a saxofonista Daniela Spielmann e a pianista Sheila Zagury se debruçaram sobre a extensa obra de Jacob do Bandolim, juntas a um invejável time de músicos, imprimindo frescor e contemporaneidade à obra jacobiana e lançaram pela gravadora Kuarup Entre mil…Você!, já disponível em formato tanto físico, quanto digital (desde 24 de abril, um dia após o Dia Nacional do Choro). O álbum traz as participações especiais de Almir Côrtes (bandolim), Soraya Ravenle (voz), Catherine Bent (violoncelo), Clarice Magalhães (pandeiro, caixa de fósforo), Roberta Valence (pandeiro), Rodrigo Villa (baixo acústico e elétrico) e Xande Figueiredo (bateria). Um exemplar do disco nos foi enviado pela Kuarup, a quem agradecemos em nome do diretor artístico Rodolfo Zanke; no mesmo pacote entregue pelos Correios, vieram os álbuns das irmãs Celia e Celma e de Tuia, temas da atualização 1300 do Barulho d’água Música. Clique na palavra destacada abaixa e ouça o álbum.  

Entre mil… Você! 

Continue Lendo “1301 – Daniela Spielmann e Sheila Zagury lançam pela Kuarup tributo a Jacob do Bandolim”

1077 – “Trançado”, disco do Almir Cortês Trio + Harvey Wainapel é excelente pedida para quando a bola descansa na Rússia

Prezados amigos e seguidores:

Aqui na redação do Barulho d’água Música, entre uma secada básica na Argentina, na Alemanha e na Espanha e sem se deixar levar pelo tom pacheco do Tino Marcos e seus coleguinhas mais ufânicos da emissora do Plim-plim — isto é, torcendo, mas apenas discreta e sociologicamente para a atual equipe daquela seleção que tomou de 7×1 para os germânicos –, pomos para rolar o álbum do Almir Cortês Trio + Harvey Wainapel, Trançado, regalo que o músico Almir Côrtes nos enviou lá da Cidade Maravilhosa. São quase 47 minutos, um pouco mais que um tempo de jogo de futebol, mas daqueles que você a toda hora quer ficar revendo (neste caso reouvindo) os melhores momentos, pois Côrtes e os parças dele tabelam valsas, frevos experimentais, jazz, maracatu, ijexá e assinam com a categoria própria dos fora de série um golaço feito de encontros — ou, como o próprio título do álbum sugere, de música entendida como a possibilidade de mistura que se harmoniza e cria beleza para os ouvidos.

Continue Lendo “1077 – “Trançado”, disco do Almir Cortês Trio + Harvey Wainapel é excelente pedida para quando a bola descansa na Rússia”

Almir Côrtes e João Paulo Amaral apresentam Cordal e promovem oficina Cordas Dedilhadas em Sampa

cordal arte 2

Há um filme da carreira de Clint Eastwood na qual ele transforma-se em “outlaw”, Josey Wales, que abandona um sítio perdido do bucólico meio-oeste norte americano, logo após o final da Guerra Civil, e sai caçando os assassinos de sua mulher e do seu filho, gente muito má que acabou com a vida frugal que eles levavam. Um dos que estão na lista do agora implacável pistoleiro é um traíra que, em determinado momento da trama, participa de uma conversa durante a qual alguém do bando afirma ter ouvido falarem que Wales estaria morto. O agora desafeto marcado para morrer, antes amigo, então, saca ligeiro. E dispara: “Não quero ouvir falar que Josey Wales está morto: quero é vê-lo morto!”

Continue Lendo “Almir Côrtes e João Paulo Amaral apresentam Cordal e promovem oficina Cordas Dedilhadas em Sampa”

Susana Travassos e Gabriel Godoi cantam na Casa do Núcleo em homenagem a Mercedes Sosa

SITE_susana
Gabriel Godoi e Susana Travassos vêm de Lisboa para apresentar show em tributo a Mercedes Sosa em SP

 A Casa do Núcleo, espaço cultural paulistano, tem aberto suas portas para oferecer ao público shows e oficinas, entre outras atividades cujas atrações são artistas nacionais e internacionais, alguns já com carreiras consagradas, outros ainda trilhando os primeiros passos na estrada. Nesta terça-feira, 4/11, por exemplo, será a vez dos portugueses Susana Travassos e Gabriel Godoi, que a partir das 21 horas farão homenagem a Mercedes Sosa, um dos ícones da cultura latino-americana e ibérica e com admiradores pelo mundo afora. O percussionista Felipe Roseno vai acompanhar os lisboetas.

Continue Lendo “Susana Travassos e Gabriel Godoi cantam na Casa do Núcleo em homenagem a Mercedes Sosa”

Novidades do acervo do Barulho d’Água: Júlio Santin, Eujácio Rocha, Almir Cortês…

Santim
Júlio Santin (Foto: Adriano Rosa)

O Barulho d’Água Música está com o acervo mais rico e registra com carinho e agradecimento as doações dos álbuns “Quitanda” (Carol Ladeira), “Capim Dourado” (Júlio Santin); “Matuto Moderno 5” (Zé Helder e Ricardo Vignini); “Moda de Rock ao Vivo” (Zé Helder e Ricardo Vignini); “M.úsica P.ropositalmente B.izarra” (Subtotal); “Sina de Violeiro” (Pinho); “Orquestra de Violeiros de Americana” (Bruno Papiroti) e “Baile na roça” (Eujácio Rocha), cedidos diretamente pelos cantores e por Cláudio Lacerda, que nos repassou o “Sina de Violeiro”, mais o DVD da noite de entrega da segunda edição do Prêmio Rozini de Excelência da Viola Caipira, gravado em 18 de janeiro de 2011, no Centro de Convenções Minascentro, em Belo Horizonte, pelo Instituto Brasileiro de Viola Caipira.

O vídeo traz o registro do show de Chico Lobo e Pereira da Viola com participação de Sérgio Reis, contemplados naquela ocasião. Já o trabalho magnífico do sanfoneiro Eujácio Rocha, em cujo encarte há uma pintura de Cândido Portinari, também é gentileza de Júlio Santin. A dedicatória em “Capim Dourado”,  cujo autor além de violeiro e produtor musical é cardiologista, por sinal, merece destaque: “Para Barulho d’Água, Uso Interno: uma moda de viola de seis em seis horas”. Grato, Júlio Santin, fica repassada a tua receita para os seguidores e amigos pois esta, com certeza, vem livre de contra indicações!

DSC07497
Carol Ladeira (Foto: Marcelino Lima)

 

 

O blog ainda adquiriu preciosidades como “25 anos não são 25 dias” (Quinteto Violado); “Rock Rural” (Sá, Rodrix e Guarabyra); “Nosso Quintal” (Levi Ramiro); “Violeiro Bugre” (Índio Cachoeira); “Alto Grande” (Paulo Freire); “Acordar com os passarinhos” (Tião Mineiro); “Pássaros Urbanos” (Fagner); “Rabecas e Violas” (Valmir Rosa & Bob Mendes); “Limiar” (Almir Cortês); “Orquestra Filarmônica de Violas II”; “Angudadá”; “Fala de Bicho, Fala de Gente” (Marlui Miranda, John Surman, Rodolfo Stroeter, Nelson Ayres e Caíto Marcondes) e “Bojo Elétrico” (Matuto Moderno).

Almir Cortês, autor de “Limiar” (Foto: Marcelino Lima)