1405 – Dupla com 74 anos de histórias de sucessos e mais de 30 prêmios, As Galvão (SP) anunciam final da carreira

#MúsicaCaipira #CulturaPopular #Palmital #Ourinhos #ParaguaçuPaulista

Marilene, a mais nova das irmãs que são joias do universo caipira, tem Alzheimer e devido à doença não consegue mais se lembrar das letras de quase trezentas músicas 

Após 74 anos de carreira e uma trajetória que as consagrou como um dos tesouros da vertente caipira da música brasileira, As Galvão estão deixando o palco e, para tristeza do seu numeroso séquito, vão parar de cantar e de se apresentarem em público. Se já não bastassem a pandemia de coronavírus (Covid-19) e suas múltiplas variantes que vinham impedindo as cantorias das admiradas irmãs, juntas na estrada desde 1947, Marilene (a mais nova, que toca viola) está acometida por mal de Alzheimer, conforme anunciou Mary (Meire, sanfoneira) ao blogue do jornalista André Piunti.

Marilene, aos 79 anos, já não consegue se lembrar das letras das canções do repertório da dupla que soma cerca de 300 letras –muitas das quais ambas ajudaram a imortalizar, como Beijinho Doce, de Nhô Pai, e que encheram mais de 30 álbuns, entre os quais Canta Inezita, que o selo da produtora e gravadora paulistana Kuarup lançou em 2019, com produção e direção de Thiago Marques Luiz em homenagem a Inezita Barroso, com as participações de Maria Alcina, Consuelo de Paula e Cláudio Lacerda. Antes de o disco sair, foi promovida uma concorrida turnê de shows que percorreu várias cidades paulistas.

Continuar lendo

1075 – Ceumar, Lui Coimbra e Paulo Freire lançam álbum em homenagem a Inezita Barroso no Ibirapuera (SP)

Trio forma o projeto Viola Perfumosa, trabalho que procura resgatar e reciclar a genialidade e a sofisticação das melodias e da poesia da música que se convencionou chamar “caipira”

Marcelino Lima, com assessoria de imprensa do projeto Viola Perfumosa

O coletivo Viola Perfumosa, formado por Ceumar (MG), Lui Coimbra (RJ) e Paulo Freire (SP), três dos mais expressivos cantautores contemporâneos da música brasileira, estarão no palco do auditório Oscar Niemeyer do Ibirapuera, em São Paulo, no domingo, 24, para lançamento do primeiro álbum do trio. A casa de espetáculos que está entre os espaços culturais mais consagrados não apenas da Capital paulista deverá receber lotação máxima para a apresentação prevista para começar às 19 horas, pois os músicos prestarão tributo à rainha da música caipira, Inezita Barroso, lançando o primeiro álbum do grupo e recordando sucessos como Luar do Sertão; Tamba-TajáÍndia e Marvada Pinga, eternizados por ela e que ganharam releitura camerística unindo viola caipira e violoncelo, rabeca e alfaias e se mesclam a Villa-Lobos e a canções do repertório autoral do trio. O resultado é um show sutil, reverente e surpreendente como Inezita gostaria, com participações especiais de Guello (percussão) e Bruno Migliari (contrabaixo).

Continuar lendo

1008 – Grupo de São Roque (SP) grava álbum de serestas e serenatas para comemorar cinco anos de atividades

O Barulho d’água Música acompanhou na noite de sexta-feira, 8 de dezembro, o lançamento do registro livre musical do Grupo de Choro, Seresta e Serenata de São Roque, cidade do Interior de São Paulo. O evento transcorreu no Restaurante Kim onde os onze músicos tocaram e cantaram sob a coordenação da maestrina Mari Dineri [Moraes de Camargo] canções consagradas de autores como Lupícinio Rodrigues; Paulo VanzoliniLuiz Ayrão; Noel Rosa; Cartola; Vinícius de Moraes, Garoto e Chico Buarque; Dominguinhos e Nando Cordel,e Waldir Azevedo, entre outros. A maioria parte das músicas consta entre as 15 faixas do álbum que destaca ainda três composições de Pixinguinha — entre as quais Carinhoso, que, neste ano, completa um século; Jacob do Bandolim (Doce de Coco); Pedro de Sá Pereira e Ary Pavão (Chuá Chuá); Lúcio Cardim (Matriz ou Filial); Canção de Amor (Elizete Cardoso). O Grupo deu início à apresentação com Seresta (Newton Teixeira, Alvarenga e Ranchinho) e, em seguida, Edson D’aisa interpretou, dele, São Roque em Noite de Seresta. O público também foi brindado com Nervos de Aço, de Lupicínio, e Eu Sonhei que Estavas tão Linda, de Lamartine Babo e Francisco Matoso, interpretada por Zé do Nino. Jorge Maciel, convidado que veio de São Vicente (SP), relembrou entre outros, Sentimental Demais (Altemar Dutra). 

Continuar lendo

880 – Paulo Freire (SP) abre Imagens do Brasil Profundo para público infanto-juvenil com “Violinha Contadeira”

O compositor, cantor, violeiro e contador de causos Paulo Freire apresentou na manhã de domingo, 22, Violinha Contadeira, título de um dos seus álbuns, como atração da primeira atividade destinada ao público infanto-juvenil do projeto Imagens do Brasil Profundo, no terraço da Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo. Paulo Freire narrou histórias populares que recolheu enquanto vivia no sertão do Urucuia, Nordeste de Minas Gerais, região na qual conviveu e aprendeu toques de viola com mestres seguidores da temática roseana. Entre um causo e outro, tocava e cantava e assim o tempo todo envolveu a plateia, criando expectativas que por vezes se consumavam de forma surpreendente e até assustadora, mas ao final sempre divertidas.

(Atendendo ao pedido do curador do Imagens do Brasil Profundo, Jair Marcatti, Paulo Freire cantou Horóscopo, de Alvarenga e Ranchinho).

Nos próximos dias, Paulo Freire embarcará com o amigo Levi Ramiro Silva para nova temporada do projeto Sonora Brasil, que neste ano começará por Boa Vista (RR) e percorrerá várias outras cidades das regiões Norte e Nordeste, totalizando mais de 60 concertos. Ao voltar, deverá lançar Pórva, seu mais novo disco instrumental; ele já cedeu, autografado, um exemplar ao Barulho d’água Música.

A terceira temporada do projeto Imagens do Brasil Profundo terá sequência nesta quarta-feira, 25, a partir das 22 horas. Jair Marcatti receberá no palco Rubens Borba de Moraes o acordeonista Thadeu Romano para um bate-papo cuja pauta será Os caminhos da sanfona no Brasil, sem cobrança de entradas. Em 5 de maio, o público presente acompanhou concorrida e marcante apresentação da cantora, compositora e poetisa Consuelo de Paula (MG).

A Biblioteca Mário de Andrade fica na rua da Consolação, 94, São Paulo, a uma caminhada leve das estações República e Anhangabaú do Metrô.

tromanobmaartekkk

622 – Rolando Boldrin conta causos e fala sobre a carreira para Persona em Foco, novo programa da TV Cultura

DSC_0249 (2)

Rolando Boldrin cantou clássicos como Vide Vida Marvada e fez tributo a vários amigos de São Joaquim da Barra entre os causos que contou no teatro do Sesc Belenzinho (Foto: Roberto Aso)

O mais novo programa da TV Cultura, Persona em foco, no ar desde junho, terá entre suas atrações o Sr. Brasil Rolando Boldrin, que contará vários causos sobre o começo de sua carreira de ator premiado tanto do cinema, quanto da telinha, e que já conta com mais de 30 novelas em seu currículo. Atílio Bari, que coordena o Persona em Foco, conta que o programa possibilita aos artistas narrarem suas trajetórias e fazerem revelações inéditas de momentos emocionantes ou cômicos. Vídeos históricos, fotos e material de arquivos pessoais dos biografados, além de depoimentos de amigos e de colegas de trabalho enriquecem as entrevistas. Continuar lendo

Noel Andrade, com a dupla Cacique e Pajé, canta em tributo a Gedeão da Viola em Barretos (SP)

noel andrade

O violeiro Noel Andrade (Patrocínio Paulista/SP) estará em Barretos, neste sábado, 25, e na manhã seguinte em Catanduva, ambas situadas no estado de São Paulo, em apresentações ao lado da dupla Cacique e Pajé. No Cine Teatro da primeira cidade, a partir das 20h30, Noel Andrade e o tradicional duo, mais o grupo de catira Espora de Prata e a Companhia de Reis Fazenda Cachoeirinha, serão atrações da I Mostra de Cultura Tradicional Gedeão da Viola, em homenagem ao mestre da viola caipira nascido em Limeira (SP) e que há dez nos subiu para o andar de cima. Gedeão e Noel conviveram por mais de uma década em Barretos, e com o amigo e professor o patrocinense aprendeu a tocar o instrumento que hoje o leva a percorrer várias localidades brasileiras e, a cada vez mais, afirmar-se como um dos melhores dos segmentos caipira e regional. Em Catanduva a cantoria está prevista para começar às 10 horas do domingo, 26, no Sesc.

Continuar lendo