Música de raiz perde Goiano, parceiro de Paranaense

 

goiano
Goiano (dir.) e Paranaense, dupla que se desfaz com a morte precoce do primeiro cantor e violeiro

O Barulho d’Água, infelizmente, também traz más notícias.

E, com tristeza, comunica aos amigos e seguidores que na tarde e sexta-feira, 18, Dia do Trovador, a música de viola ficou sem o cantor e compositor Goiano.

Valdomiro Neres Ferreira, como ele se chamava, tinha apenas 54 anos. Vivia com a família em Pinhalzinho, no interior de São Paulo, ao lado da esposa, Juliana de Souza. Era pai de Dáblio, Leonardo, Carolina, João e Maria. O nome artístico era uma referência ao nascimento em Sítio d’Abadia, no interior de Goiás.

A carreira ganhou fama em 1978, ao lado de Valdo da Viola, com o qual formou a dupla Neres e Nerinho. Atualmente, o parceiro de cantorias era Paranaense ( João Roberto Alonso, Londrina) com o qual trabalhava desde o final da década dos anos 1980. Goiano escreveu ou interpretou com o ex-companheiro entre outros sucessos “O poder do Criador”, “Casa de Capim”, “O Doutor e o Caipira”, “Mãe Viola” e “Pagode na poesia”. Na véspera do óbito, a dupla Rodrigo Nali e Anderson Baptista apresentaram no SESC Osasco um variado repertório de modas no qual havia as composições de Goiano “Lamento de um peão” e “Trono da Saudade”.

Goiano e Paranaense lançaram o primeiro disco, ainda em vinil,  em 1988,  com o título “Lágrimas de Pai”.

Clique nos linques abaixo e curta uma gravação em áudio e vídeos de apresentações de Goiano e Paranaense.

http://www.letras.com.br/#!goiano-e-paranaense/casa-de-capim

http://letras.mus.br/goiano-paranaense/1915078/

Rodrigo Nali e Anderson Baptista trazem ao SESC de Osasco repertório de modas para “Caldos com Sons Brasileiros”

DSC08545
Anderson Baptista e Rodrigo Nali tocaram e cantaram modas de violeiros consagrados como Tião Carreiro e Pardinho, Goiano, Zé Garoto, Mário Zan, e Belmonte e Amarai
DSC08635
Rodrigo Nali

Os cantores e compositores Rodrigo Nali e Anderson Baptista foram a atração de mais uma edição do projeto “Caldo com Sons Brasileiros”, que o SESC de Osasco vem oferecendo ao público ao longo deste mês de junho, sempre às quintas-feiras no Deck da Cafeteria. Nesta apresentação do dia 17 , Nali e Baptista interpretaram modas de viola, com acompanhamento de um violão que ambos revezaram, de diversos autores, entre os quais Empreitada perigosa” (Tião Carreiro e Pardinho), “Francisco de Assis” (Tião do Carro), “Lamento de um peão” e “Trono da Saudade” (Goiano), “Capiau” (Caetano Erba e Tião do Carro), a instrumental “Flor Pantaneira” (Marcos Violeiro e Klayton Torres) e “Viola, minha viola” (Zé Garoto e Timboré). Antes do encerramento, a pedido do público, cantaram “Chalana”  (Mário Zan) e “Saudades da minha terra” (Belmonte e Amarai).

Rodrigo Nali e Anderson Baptista são integrantes do Duo Catrumano e, ao lado de Ighor Áquila, formam o Trio Carreiro, respectivamente convidados das noites do dia 3 e 10. Com Áquila, Vinícius Muniz e Thiago Rossi, Baptista tem participação também no quarteto “Viola Arranjada”. Ambos já tocaram também na fabulosa Orquestra Filarmônica de Violas, que Ivan Vilela fundou em 2002 em Campinas.

DSC08565
Anderson Baptista

Os shows do projeto “Caldos com Sons Brasileiros” têm entrada franca. Enquanto os músicos cantam e tocam, é possível degustar sopas tradicionais da culinária brasileira, como a de cebola e a canja de galinha, vendidas a preços populares. A próxima apresentação programada é a do escritor e violeiro Paulo Freire, a partir das 19 horas do dia 24. O autor do álbum “Alto Grande” e do livro que acompanha o disco “Nuá, as Músicas dos Mitos Brasileiros”,  será sucedido por Levi Ramiro.

 

 

Os músicos que também integram o Trio Carreiro e formam o Duo Catrumano cantaram “Chalana” e conversaram com o público. Na foto , eles posam com o luthier David dos Santos, de Alfenas (MG)
Os violeiros Levi Ramiro e Paulo Freire vão animar o projeto do SESC Osasco “Caldos com Sons Brasileiros” nas duas próximas quintas-feiras de julho (Fotos de Marcelino Lima)

 

 

 

Trio Carreiro recorda no SESC Osasco modas clássicas de Índio e Pajé, Moacyr dos Santos e Jacozinho*

 

Trio Carreiro 1
Ighor Aquila, Rodrigo Nali e Anderson Baptista, os membros do Trio Carreiro, atração de mais uma edição do “Caldos com Sons Brasileiros” em Osasco (Foto José Carlos/Juá Cultural)

*Para escrever esta matéria, o Barulho d’Água contou com a colaboração de José Carlos, produtor cultural do Trio Carreiro, da Juá Cultural

A temperatura e a noite de quinta-feira, 10, estavam propícias para uma saborosa e quentinha tigela de sopa. Para unir o agradável ao paladar, o SESC de Osasco deu sequência ao projeto “Caldos com Sons Brasileiros”, convidando o público a prestigiar a apresentação do Trio Carreiro. A cantoria ao som de violas caipiras, normalmente promovida no Deck da Cafeteria, desta vez em virtude da chuva e do frio, transcorreu no palco da tenda principal. Com mais conforto, os presentes se ajeitaram e conferiram um repertório de primeira categoria, cujas músicas escritas por nomes consagrados constavam do repertório de Anderson Baptista, Ighor Aguila e Rodrigo Nali.

Anderson e Nali também formam o Duo Catrumano, atração da semana anterior. E estarão de volta na próxima quinta-feira, 17, trazendo mais modas que há décadas encantam e têm a admiração de várias gerações. Com a participação de Aquila na escolha das músicas, os dois elencaram para esta segunda passagem pela cidade situada na Grande São Paulo composições de Índio Vago e Nonô Basílio, Moacyr dos Santos e Jacozinho, Goiano, Zé Mulato, Cacique e Pajé, João Pacífico e Raul Torres e Tião Carreiro e Moacyr dos Santos. Já com os equipamentos desligados e guardados, os três presentearam com “Cuitelinho” uma família que participou bastante da apresentação, fazendo comentários e sugerindo músicas. Outras pessoas da plateia também interagiram bastante com os músicos, levantando perguntas sobre viola caipira, origens e, afinações, entre outros temas correlatos.

Para mais informações sobre o Trio Carreiro visite http://www.triocarreiro.com.br.

Repertório da apresentação

1 – Sistema Bruto (Ruan e Juarez Benites)/2 – Casinha Verde (João Carreiro)/ 3 – Mágoa de Boiadeiro (Índio Vago e Nonô Basílio)/ 4 – Estrela de Ouro (Ronaldo Adriano e Tião Carreiro) / 5 – Vale Verde (Zé Mulato) / 6 – Na Carreira do Ó (Goiano) /7 – Empreitada Perigosa (Moacyr dos Santos e Jacozinho) /8 – Pescador e Catireiro (Cacique e Pajé) / 9 – Terra Prometida (Zé Mulato) /10 – Carro Velho (Pedro Sabino e Crioulo) /11 – Rolinha Cabocla (João Pacífico e Raul Torres) /12 – Faca que não Corta (Tião Carreiro e Moacyr dos Santos) /Cuitelinho (DP).