1240 – Galba e Victor Batista lançam “28 Cordas ao Vivo” para celebrar uma década de parceria

Dupla mineira vai tocar em dois espaços paulistanos dedicados à música independente, o Bar do Frango e o Instituto Juca de Cultura, nas noites de sábado e de domingo

Os cantores e compositores Galba e Victor Batista acabaram de lançar o álbum instrumental 28 cordas ao Vivo e vão apresentá-lo como atração em dois tradicionais espaços paulistanos dedicados à música independente, o Bar do Frango, na noite de sábado, 5 de outubro, e do domingo, 6, no Instituto Juca de Cultura, o IJC (ver a guia Serviços no final desta atualização). O disco registra em nove faixas os mais de dez anos da parceria formada pela dupla e traz releituras de clássicos da música popular brasileira como Brejeiro (Ernesto Nazaré), Rosa (Pixinguinha), Rasta Pé (Waldir Azevedo) e Saudades de Minha Terra (Goiá e Belmonte); Galba, que toca violino, bandolim e violão traz de sua autoria Xote, enquanto o violeiro Batista entra com o arranjo para Instrumental Brasileiro.

O violeiro autodidata e arte educador Victor Batista é mineiro de Belo Horizonte radicado em Pirenópolis (GO) e autor dos álbuns Coração Caminhador (2018), Manchete do Tico-Tico (2013) álbum que resultou em indicação ao troféu de Melhor Cantor Regional do 25º Prêmio Brasileiro da Música, em 2014 — En’cantando com a Biodiversidade (2011) —  em parceria com a World Wildlife Fund (WWF) como complementação de cartilha de educação ambiental para crianças e jovens do estado de Goiás — e Além da Serra do Curral (2004). Além de Galba, já formatou bem sucedidas parcerias com Rubinho do Vale, Chico Lobo, Carlinhos Ferreira, Tatá Sympa, Marcelo Pereira, Pedro Munhoz, Manoelito Xavier, Bilora Violeiro, Levi Ramiro, Negrinho Martins, Carlinhos Ferreira, Lucas Telles, Isabella Rovo, Ronaldo Melo e dona Elcely Batista, mãe de Victor, e os integrantes do Minadouro, grupo que ele ajudou a formar, já extinto. 

Quando residia na Capital de São Paulo, aproximou-se de movimentos estudantis e populares. Após se destacar no Encontro Nacional de Violeiros, promovido em Ribeirão Preto, recebeu de Paulo Munhoz convite para dirigir a gravação de Cantares da Educação do Campo e Terra e Arte, álbuns produzidos pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MTST).  Já com o grupo Camerata Caipira, ao lado de Isabella Rovo, Nelson Latiff e Bosco Oliveira, gravou o álbum homônimo e excursionou em turnê por países como Nova Zelândia e Austrália.

É Membro da Associação dos Violeiros do Brasil, ex-integrante dos grupos parafolclóricos Congá e Saradeiros (ambos da Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG), da Orquestra Mineira de Violas e do Minadouro. Victor Batista é finalista do 5º Prêmio Profissionais da Música e concorre ao troféu Parada da Música, que será entregue ao vencedor na noite de 3 de novembro, em Brasília (DF), na categoria Artistas e Intérpretes Violas e Violeiros, da modalidade Criação.

Antonio João Galba promove um lírico trabalho composto de diferentes estilos musicais com influências africanas, asiáticas, mouriscas e nordestinas que executa com maestria ao som de violinos, rabecas, bandolins, violas e violões e tem outro parceiro de estrada, Braú Mendonça, com quem forma também, ao lado de Sandrinho Silva e Gilson Bizerra, o Cabedal Quarteto.

Natural de Guarda-Mor, atualmente Galba vive em São Paulo. É irmão do violeiro Pedro Antônio, com o qual mais os amigos Márcio PereiraWellington de Faria Walter Mateus fundou a banda Mina das Minas. O grupo gravou dois discos e na década dos anos 1990 excursionou pela Europa.

Durante a infância em Guarda-Mor, situada a 551 quilômetros de Belo Horizonte no noroeste mineiro, Galba já manifestava dons musicais. Sempre que ia campear o gado, o garoto saía cantando pelas invernadas entre os morros da fazenda, atento ao canto dos pássaros e aos sons da natureza. Disposto a se afirmar no braço do violão, Galba se mudou para Belo Horizonte.Na capital das Alterosas, iniciou a trajetória profissional participando de programas de calouros e compôs a primeira música da carreira. Ao ver o anúncio de um festival em Nova Lima compôs em seu quarto a canção e fez a inscrição, recebendo boa acolhida por parte do público.

A recepção o encorajou a seguir de vez na estrada da música e a se deslocar para São Paulo. Galba estuda partituras e teorias musicais, mas é autodidata que compõe, canta e toca por intuição. Esta capacidade de tocar vários instrumentos “de ouvido” o credenciou a acompanhar artistas que seguem os mais diferentes estilos musicais, permitindo apresentações ao lado de  Zé GeraldoSilvio BritoJorge MautnerPaulo SimõesJair Rodrigues e João Bá, João ArrudaEsther AlvesDanilo BáNanah Correia e Levi Ramiro,Daniela Lasalvia, Katya Teixeira e Cláudio Lacerda. É autor de Caçador de Luas e Tribuzana.

Serviço
Lançamento do álbum 28 Cordas ao Vivo
Galba e Victor Batista


Bar do Frango
Sábado, 5 de outubro, 21h30
Avenida São Lucas, 479, Parque São Lucas, São Paulo
Reservas (11) 2345-8688

Instituto Juca de Cultura

Domingo, 6 de outubro, 18 horas
Rua Cristiano Vianna, 1142, Sumaré,  próximo à estação Sumaré da Linha 2/Verde do Metrô, São Paulo

1157 – Baixe do blogue GPS Sonoro coleção de quatro álbuns com o melhor do flamenco

Discos gravados entre 2003 e 2007 reúnem  uma amostra do melhor deste gênero de todos os tempos, do clássico ao contemporâneo, nas vozes de expoentes como Paco de Lúcia, Camarón de la Isla, Tomatito e Niña Pastori

O Barulho d’água Música traz nesta atualização aos amigos e seguidores a dica para visitarem, conhecer e baixar do blogue GPS Sonoro a fantástica coleção de quatro álbuns Pa Saber de Flamenco, gravada entre 2003 e 2007 com  64 músicas (16 faixas por disco) que revelam uma amostra do melhor deste gênero de todos os tempos, do clássico ao contemporâneo. A obra também é uma boa seleção, acessível e de qualidade, dos diferentes modos de flamenco, de modo que o ouvinte compreenda como por meio desta manifestação cultural muito comum na Espanha, mas já universalizada, é possível se expressar dançando e cantando tristezas e alegrias, como se estivesse ora chorando, ora se regozijando. 

Continue Lendo “1157 – Baixe do blogue GPS Sonoro coleção de quatro álbuns com o melhor do flamenco”

1149 – Yamandu Costa e Thadeu Romano aliviam saudades do mestre Dominguinhos em show único no Sesc Pinheiros (SP)*

Repertório  vai passear por músicas dos discos que o violonista gaúcho gravou com o sanfoneiro de Pernambuco, mesclado a sucessos de Tom Jobim, Sivuca, Abel Ferreira, Chico Buarque, Luiz Gonzaga…
*Com Lu Lopes (Rubra Rosa Projetos Culturais)

Yamandu Costa e Thadeu Romano vão apresentar Salve Dominguinhos, trazendo de volta aos palcos composições de Yamandu + Dominguinhos e Lado B (discos que ambos gravaram juntos, em 2007 e em 2010) com uma única apresentação marcada para a noite de sexta-feira, 1º de fevereiro, na unidade Pinheiros do Sesc da cidade de São Paulo (ver guia Serviços). Em 2018 completamos cinco anos sem o sanfoneiro pernambucano que nos deixou em 23/7/2013. Mais do que as saudades, ele nos deixou um legado imenso de obras para música. Seu Domingos, apesar de ter partido aos 72 anos, encantou jovens músicos de várias gerações e, por essa razão, sempre viveu cercado pela novidade da juventude.

Continue Lendo “1149 – Yamandu Costa e Thadeu Romano aliviam saudades do mestre Dominguinhos em show único no Sesc Pinheiros (SP)*”

994 – Colabore para a gravação de Coração Caminhador, novo álbum autoral de Victor Batista (MG/GO)

Coração Caminhador é o nome que o cantor e compositor mineiro Victor Batista, radicado em Pirenópolis (GO), escolheu para batizar o álbum comemorativo aos 20 anos de trajetória artística o qual pretende trazer à luz com a generosa colaboração de amigos e admiradores, por meio de uma campanha de arrecadação, já disparada pela plataforma Benfeitoria, que estipula recompensas diversas, conforme a quantia doada. As 13 composições e quatro vídeos, inéditos, já estão prontos para serem gravados, trazem novas parcerias e participações especiais. A vaquinha virtual deverá cobrir o processo de finalização, que inclui as etapas de edição, mixagem, masterização e elaboração da arte gráfica do encarte antes do encaminhamento à fábrica para a reprodução de 1000 exemplares. Caso não consiga arrecadar o valor estipulado, um mínimo de R$10.200,00, Victor Batista devolverá o dinheiro aos contribuintes e o projeto será arquivado.

Continue Lendo “994 – Colabore para a gravação de Coração Caminhador, novo álbum autoral de Victor Batista (MG/GO)”

779 – Barulho d’água Música já chega a 90 países e é visto por cerca de 45 mil pessoas, 17 vezes a lotação da Opera de Sidney

Blogue 3
Da redação situada na Vila Lageado, em São Paulo, disparamos em 2015 um total de 446 matérias, aumentando o arquivo para 777 até 30 de dezembro — produzindo desde junho de 2014 –, conforme o relatório anual da WordPress.com (Foto: Andreia Beillo/Arquivo Barulho d’água Música)

A WordPress.com preparou um relatório com os números de 2015 do Barulho d’água Música até 29 de dezembro. De acordo com os dados, sem contar a atualização disponibilizada ontem, 30, produzimos a partir de 3 de janeiro 446 novos artigos, aumentando o arquivo total para 777 matérias desde junho de 2014, nas quais abordamos entre outros temas lançamentos de novos álbuns, comentamos apresentações e eventos e noticiamos aniversários de artistas ligados à música — na maior parte das vezes brasileira e independente, de gêneros diversos como o regional, o caipira, o choro, o samba, o frevo, mas também com textos sobre rock, jazz e blues, entre outros, por que música de qualidade só encontra fronteiras nas conveniências da mídia e do mercado de entretenimento.

Este esforço balizado por critérios dos mais acurados e sério modo de promover jornalismo, espontâneo e isento, em jornadas praticamente integrais todos os dias da semana, neste ano que se despede nos levou a 90 países (fora do Brasil os topos são Estados Unidos e Portugal) e foi visto por cerca de 45.000 vezes. Os administradores da Word Press.com destacaram: este último item corresponderia a 17 vezes a lotação máxima da Opera House, casa de espetáculos de Sidney, na Austrália, que tem capacidade de abrigar 2.700 pessoas.

O resumo completo das estatísticas poderá ser visualizado ao se clicar neste linque. Orgulhamo-nos deste relatório, cujos números reanimam a disposição de seguirmos adiante apesar das inúmeras dificuldades que já muitas vezes nos levaram a pensar em baixar, de vez, as portas do boteco! Nesta caminhada cada dia mais estamos precisando de pessoas ou empresas que possam nos ajudar e estejam dispostas a investir para a manutenção do blogue, pois sonhamos ainda alcançar várias metas que, gradativamente, permitirão não apenas melhorar esta prestação de serviço à cultura popular e à difusão da música de qualidade, bem como a oferecer outros produtos com estes mesmos propósitos. Para tanto queremos continuar contando com a companhia de todos os que já nos ajudaram a chegar até aqui e de quem mais conseguirmos juntar nesta corrente, não apenas como leitores e seguidores, mas como parceiros indispensáveis!

Para o professor de Sociologia Jair Marcatti (curador do projeto Imagens do Brasil Profundo, acolhido já em duas temporadas e que em 2016 seguirá como uma das atrações da Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo) “o Barulho d’água Música é uma espécie de radar que nos informa onde existem artistas, atores e manifestações culturais que não apenas revelam, bem como ajudam a resgatar e preservar as belezas daquele Brasil profundo que Ariano Suassuna nos orientou a buscar e a tirar do limbo”. E existem várias maneiras de colaborar conosco nesta tarefa, uma das quais é anunciando conosco, pois, afinal, o blogue é um veículo de comunicação, autônomo, independente, com firma aberta, mas que tem consideráveis despesas e não vem conseguindo se pagar sozinho.

Outra forma de colaboração é tornar-se assinante do nosso Clube do CD: se você é cantor ou produtor, disponibilize-nos exemplares de álbuns (que podem ser em formato DVD) ou livros; se você é leitor, amigo, ou seguidor, deposite a partir de R$ 30 em nossa conta-corrente e para cada cota mínima creditada receba em endereço que indicar um dos discos do Clube do CD, sem despesas de Correios, no Brasil ou no exterior. É possível, ainda, apoiar o  Barulho d’água Música nos contratando para prestação de serviços de assessoria de imprensa, em caráter fixo ou em regime de frila (veja como acessando a guia Contato).  

Isto posto, desejamos a todos Feliz Ano Novo, Happy new year; Guten Rutsch ins Neue Jahr; Zhù xīnnián kuàilè; Feliz Año Nuevo; Bonne nouvelle année; Vintshn mzl niu yar; Shin nen Akemashite Omedetô Gozaimasu; Felice anno nuovo; Fe dun odun titun; Śubha nababarṣa cāna; Baqıttı Jaña jıl tileymin; Bonan Novjaron; хотите Новым Годом; Nuwe jaar wil; εύχομαι ευτυχισμένο το Νέο Έτος; מאחל שנה טובה; Santōṣakaramaina n’yū iyar anukuṇṭunnārā; Posakuvame sreḱna Nova Godina; 祝新年快樂; Nahi urte berri; ပျြောရှငျတဲ့ နှစ်သစ်ကူး ဆန္ဒရှိ; Felix Novus Annus; खुसी नयाँ वर्ष इच्छा

moinho

 

Barulho d’água Música chega a 41 países visto por cerca de 15 mil pessoas, seis vezes a lotação da Ópera de Sydney

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House, tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 15.000 vezes em 2014.  Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 6 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo