1305 – Luiz Gonzaga ganha homenagem em disco dos músicos Nino Karvan e Alberto Silveira

Cantor e violonista sergipanos resgatam clássicos do Rei do Baião em álbum com dez faixas lançado pela gravadora e produtora Kuarup

De Lua, Canções de Luiz Gonzaga é o título do projeto do cantor e compositor Nino Karvan e do violonista Alberto Silveira, artistas sergipanos com carreias consagradas, que fazem uma tocante homenagem ao Rei do Baião, O repertório escolhido reúne canções das décadas dos anos 1940/50/60, período de ouro do baião e de maior sucesso de Luiz Gonzaga. O disco é intimista, gravado e apresentado para salas de concerto: a voz e o violão dão destaque às melodias, tão presentes na memória afetiva do brasileiro e na rica poética das letras. O álbum é mais um belíssimo lançamento da gravadora e produtora Kuarup, que, gentilmente, enviou um exemplar à redação do Barulho d’água Música, pelo qual agradecemos ao diretor artístico Rodolfo Zanke e toda sua equipe.

Continue Lendo “1305 – Luiz Gonzaga ganha homenagem em disco dos músicos Nino Karvan e Alberto Silveira”

1261 – Baiano por afeição, Walter Lajes é mais uma joia da ditosa galeria dos cantores e compositores da Boa Terra

Paranaense de berço, depois de passar pela cidade do Rio de Janeiro e também morar em Pernambuco, músico  que já lançou oito álbuns fixou-se em Vitória da Conquista, município onde um dos vereadores acaba de homenageá-lo por mais uma exitosa participação em festival, na cidade paulista de Barueri

A Bahia é generosa com o país e a cultura popular quando o assunto é a contribuição para a boa música e o enriquecimento do nosso cancioneiro. Partindo de Dorival Caymmi e toda a sua família, passando por Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Gal Costa, Pepeu Gomes — para ficar apenas em algumas consagradas joias do estilo popular –, passamos por Elomar, Xangai, Roque Ferreira, Gereba e seu parceiro Capinam — mais dedicados ao que o mercado gosta de classificar como “regional” — entre tantos outros exemplos, chega-se sem surpresas à conclusão que o estado de Castro Alves nada deixa a dever aos que consideram como referencial apenas o Sudeste maravilha — premissa que, por sinal, vale ainda para outros da região Nordeste, sem exceção de nenhuma de suas unidades federativas.

E colocando mais dendê na conversa, ainda que paranaense de nascimento “por um acidente de percurso”, conforme ele mesmo declarou ao Barulho d’água Música, o compositor, poeta, cordelista e como o próprio também se define, cantador Walter Lajes, joga fácil nesta seleção de baianos e tem feito por merecer que holofotes e emissoras, produtores e agentes de espetáculos e programas, bem como a indústria fonográfica, sejam mais generosos e o escalem sem medo de caneladas e de tomar gols contra.

Continue Lendo “1261 – Baiano por afeição, Walter Lajes é mais uma joia da ditosa galeria dos cantores e compositores da Boa Terra”

1253 – Caio Padilha (RJ/RN) lança segundo título dedicado à “santíssima trindade” dos instrumentos da música nordestina

OVERLAND: Violas e Veredas, de Caio Padilha, já está disponível nas plataformas digitais e pode ser encomendado, no formato físico, com o autor, carioca radicado em Natal e que abriu o projeto Aprendiz de Sertografias em 2016, quando saiu ARRIVALS: Rabecas e Arribaçãs; música potiguar também merece destaque pelo trabalho do flautista Carlos Zens. autor de sambas, frevos, cocos,  marchinhas, benditos, choros, entre outros ritmos 

A segunda etapa de uma trilogia nordestina que deverá estar pronta até 2022, o álbum OVERLAND: Violas e Veredas, de Caio Padilha, já está disponível nas plataformas digitais e pode ser encomendado, no formato físico, com o autor, carioca radicado desde 1994 em Natal (RN), capital do estado do Rio Grande do Norte. A trilogia, que Caio Padilha batizou de Aprendiz de Sertografias, já possui o título Rabecas e Arribaçãs (2016) e deverá ser fechada com Acordeons e Candeeiros. Músico tocador de rabeca, cientista social, ator e admirador da cultura popular, Caio Padilha também lançou, recentemente, Um Sonho de Rabeca No Meio da Bicharada, disco que saiu pela Kuarup, tema da atualização 1244 deste blogue, publicada em 8 de outubro.

Continue Lendo “1253 – Caio Padilha (RJ/RN) lança segundo título dedicado à “santíssima trindade” dos instrumentos da música nordestina”

1120 – Dani Lasalvia, João Omar e Cao Alves lançam álbum em tributo a Dércio Marques

Disco lançado em São Paulo traz 12 composições do mineiro que ajudou a projetar o cantor e compositor  Elomar — que o define como “o último menestrel” –,  é seguido por vozes marcantes da música regional e tem destacada importância para a cultura popular latino-americana 

A cantora Dani Lasalvia e os violonistas Cao Alves e João Omar lançaram na noite de sábado, 20 de outubro, Recantos – ao Apanhador de Cantigas, com o qual reverenciam a memória e a obra do mineiro de Uberaba Dércio Marques, violeiro, cantor, compositor e pesquisador dos mais emblemáticos e representativos da música brasileira. O trio recebeu amigos e admiradores no palco da galeria Itaú Cultural, em São Paulo, para o tributo a Marques, falecido em 2012, em Salvador (BA).

Continue Lendo “1120 – Dani Lasalvia, João Omar e Cao Alves lançam álbum em tributo a Dércio Marques”

1076 – Xaxado Novo (SP) lança segundo álbum com registros de show promovido no Auditório Ibirapuera

O Xaxado Novo, formado em 2013 e, atualmente, integrado por cinco músicos paulistas, está lançando o segundo álbum, Xaxado Novo ao Vivo, registro sonoro com 13 faixas da apresentação promovida em 10 de dezembro de 2016, no Auditório Oscar Niemeyer do Ibirapuera, em São Paulo, experiência que o grupo relata como “noite mágica e encantada, que marcou nossas vidas e apresentou um espetáculo único e inédito, que sempre sonhávamos fazer”. Para ser gravado, o disco finalizado em maio de 2017 utilizou recursos dos próprios músicos somados à vaquinha virtual (crowdfunding) pela plataforma Catarse e conta com as participações de Gabriel Levy (sanfona), Ricardo Herz (violino popular) e Orkestra Bandida (coletivo dedicado à difusão de música oriental) que dividiram o palco do Ibirapuera com o Xaxado Novo.

Continue Lendo “1076 – Xaxado Novo (SP) lança segundo álbum com registros de show promovido no Auditório Ibirapuera”

623 – Paulo Netho e Salatiel Silva levam repertório do Balaio de Doi2 ao Fliaraxá (MG) após lançamento de livro de parlendas do poeta

paulo netho araxá
Paulo Netho e Salatiel Silva farão duas apresentações no Sarau do Tamanduel (Fotos: Marcelino Lima/Acervo Barulho d’água Música)

Os músicos, poetas e compositores Paulo Netho e Salatiel Silva, que formam o Balaio de Doi2 e também integram o Recitadores Urbanos serão atrações nos dias 27 e 28 do Fliaraxá 2015, quarta edição do evento literário que neste ano celebrará os 50 anos da carreira da escritora Lya Luft e os 150 anos da cidade mineira anfitriã. Os eventos seguirão ao tema Imagina os livros, Imagina a Cidade e levarão ao público vários autores de renome nacional e internacional para debaterem itens como leitura, literatura e educação para crianças, jovens e adultos. Em ambas as datas Paulo Netho e Salatiel Silva estarão em ação entre 9h30 e 10h30, durante o Sarau do Tamanduel, no Auditório 01. As atividades para a garotada e marmanjos de plantão envolverão música, poesia e improvisação, no espírito de um programa de auditório, com participação da plateia e da mascote Tamanduel. O Fliaraxá transcorrerá entre 26 e 30 de agosto na Fundação Cultural Calmon Barreto, cujo endereço é Praça Arthur Bernardes, 10, centro de Araxá.

A dupla viajará para as Alterosas embalada pelo sucesso da tarde de autógrafos d”O Grande Livro das Parlendas”, que Paulo Netho lançou no sábado, 22, no Restaurante Sr. Glutton, situado em Osasco, na região Oeste da Grande São Paulo. O livro saiu pela Ciranda Cultural e reúne “parlendas decalcadas e reinventadas” pelo poeta. “Quando resolvi escrever este livro (…) não tinha a menor ideia da viagem que me propunha”, escreveu Paulo Netho aos leitores. “É como se, a cada parlenda lida e amada, uma senha me religasse ao menino que fui e ao menino que dorme feliz dentro de mim”, prosseguiu. “Como diria o mestre Câmara Cascudo, as imagens primeiras que as parlendas evocam são uma bênção, são o ‘apanágio da idade verde'”.

Como sempre ocorre nas apresentações de Paulo Netho, animadas pelas cantigas entoadas por ambos ao som do violão de Salatiel Silva, durante o evento em Osasco não apenas ambos despertaram os meninos que habitam, bem como vários adultos que acompanhavam seus filhos. A criançada, já é de praxe, normalmente interage com a dupla e se entrega às brincadeiras que Paulo Netho propõe, além de fazer coro às cantorias que evocam ainda gêneros literários como o trava-línguas, outras modalidades de jogos poéticos e cantigas de roda adaptadas para os espetáculos. Mas a mais intensas e marcantes emoções acabam por florescer, mesmo, é entre os maiores de idade –pais, tios, avós ou amigos dos piás que riem e se divertem sem nenhuma encanação, reações visíveis que rejuvenescem rostos e destrava corpos e transformam cada show em uma inesquecível sessão de volta “aos estados da infância”, como Paulo Netho gosta de dizer.

O Balaio de Doi2 e o grupo Recitadores Urbanos contam, ainda, com as participações dos músicos Ricardo Kabelo e dos irmãos Walter e Vinícius Bini e podem ser contratados para animar escolas, festas,  festivais, além de promover shows, pelos números de telefone 11 3698-5300 ou 11 99859-1430. Há mais informações disponíveis, ainda, em http://www.caradepavio.com.br e http://www.paulonetho.com

paulo netho figurinhas

Momentos de descontração marcaram a tarde de autógrafos que Paulo Netho protagonizou ao lado de amigos e admiradores na tarde do dia 22, em Osasco, d”O Grande Livro das Parlendas” (Fotos: Marcelino Lima/Acervo do Barulho d’água Música)

 Seja responsável pela mudança. Contribua com a Anistia Internacional. Torne-se um doador.

Ser um Defensor da Liberdade é colaborar para a continuidade da nossa defesa aos direitos humanos, em todo o planeta. Faça parte desta causa global. A mudança começa com você.  Saiba mais por meio de https://anistia.org.br/doe-agora/

anistia 2