Daniela Lasalvia, cantora paulistana e autora do álbum duplo Madregaia, faz aniversário hoje

???????????????????????????????

 

Hoje, 24, é a aniversário de Daniela Lasalvia, a Dani Lasalvia, cantora que gravou um dos álbuns mais belos de música brasileira de todos os tempos, seja pela diversidade musical com ritmos que vão do fado ao blues, pela bela voz desta paulistana que estudou canto lírico (com direito a aperfeiçoamento no Conservatório Tchaikovsky, de Moscou) antes de se dedicar ao canto popular, mais percussão vocal e corporal com Stênio Mendes, ou quanto pela direção artística e ponteio de violões do mestre Dércio Marques. Madregaia é o nome do álbum duplo, cujo encarte é outra atração que faz dele um trabalho indispensável para quem curte música de qualidade.

Continue Lendo “Daniela Lasalvia, cantora paulistana e autora do álbum duplo Madregaia, faz aniversário hoje”

Oswaldinho e Marisa Viana são atrações da terceira rodada do Brasil Caboclo, no Sesc São Caetano (SP)

divu09
Marisa e Oswaldinho Viana, dedicados à música raiz e caipira, gravaram três álbuns e no mais recente prestam tributo ao compositor Elpídio dos Santos (Foto: Arquivo pessoal)

 

O Sesc de São Caetano do Sul promoverá nesta sexta-feira, 20, mais uma rodada do projeto Brasil Caboclo, encontro de cantores e compositores que ao som do ponteado da viola apresentarão canções, causos, crenças e histórias  já pôs no palco Passoca (SP) e Yassír Chediak (RJ). Desta vez, a atração será a dupla Oswaldinho e Marisa Viana. A cantoria começará às 19 horas, sem restrição etária para a entrada do público, e preço de ingresso variando entre R$ 5,00 e R$ 17,00. O Sesc São Caetano fica na rua Piauí, 554, telefone 11 4223 8800, a 1400 metros da estação da CPTM.

Continue Lendo “Oswaldinho e Marisa Viana são atrações da terceira rodada do Brasil Caboclo, no Sesc São Caetano (SP)”

Cantora e poetisa, Ana Salvagni faz aniversário hoje, 16

foto38_popup
Ana Salvagni, de Campinas, lançou dois livros de poemas e três discos, um deles agraciado com o Prêmio da Música Brasileira, em 2010 (Foto: Isabela Senatore)

Gente, vai ouvindo, vai ouvindo…

Hoje, 16 de dezembro, é aniversário de Ana Salvagni, cantora, intérprete, regente formada pelo Departamento de Música, do Instituto de Artes, da Unicamp, e poetisa autora de dois livros, um deles gentilmente cedido por ela ao Barulho d’água Música, Fotos do Espelho (2013).

Nascida em Taquaritinga, cidade do Interior paulista, da qual mudou-se para Campinas, Ana Salvagni é autora, também, de Janelas sem Tranca (2006), com prefácio de Chico César. A discografia inclui os títulos Ana Salvagni, Avarandado e o mais recente, Alma Cabocla, agraciado em 2010 com o troféu de melhor álbum regional do 21º Prêmio da Música Brasileira. Casada com o violeiro e escritor Paulo Freire, também empresta sua bela voz a composições gravadas em discos dele, entre outros registros fonográficos.

Arte Petrobras: ouça programa que destaca biografia e músicas de Socorro Lira

Nova Imagem222WWA cantora  e compositora Socorro Lira (PB) é uma das mais engajadas cantoras da música regional e popular do país, autora de discos antológicos como “Intersecção, a linha e o ponto”; “Cantigas”; “As liras pedem socorro” e  “Lua Bonita”, no qual destaca criações de Zé do Norte. Atualmente morando em São Paulo, Socorro Lira não se afasta jamais de suas fontes e raízes fincadas em Brejo do Cruz, cidade na qual nasceu também Zé Ramalho.

Em 31 de agosto a carreira e a obra de Socorro Lira foram temas do programa de rádio “Arte Petrobras”, produzido e apresentado por Marcelo Guima. O linque está disponível para audição em http://www.mpbbrasil.com.br/audios/Arte-Petrobras-Socorro-Lira e a dica do Barulho d’água Música é para que os amigos e seguidores ouçam e conheçam melhor a obra da conterrânea de Elba Ramalho e Chico César.

“Arreuni” de julho: energia, luz e diversão ao som de violas, chocalos e tambores

Nova Imagem10
O ensaio do “Arreuni” já foi uma mostra da qualidade do espetáculo que o público veria nesta edição que teve congada, batuques de terreiro, reizado e modinhas populares (Fotos Marcelino Lima)
Nova Imagem7
Lilian Fulô

O Centro Cultural Casarão do Barão, em determinado momento, já se aproximando o final da edição do projeto “Arreuni” promovida no domingo, 6 de julho, ficou quase às escuras. Ouviu-se dois ou três estrondos, mas as cinco estrelas que estavam no palco seguiram pulsando cantoria e  batucada, agora em pé, colocando o salão quase em transe, a plateia marcando o ritmo de um sagrado terreiro nas palmas da mão. A energia elétrica não chegou a faltar, mas se o apagão momentâneo atingisse toda a gigante Campinas, daquele canto do bairro Barão Geraldo a luz que emanava seria mais do que suficiente para ninguém, em imóvel algum,  ter de ficar à mercê de velas, lanternas ou lamparinas para prosseguir com suas atividades.

SONY DSC
João Arruda e Carol Ladeira

Já  durante os ensaios, o versátil e irrequieto promotor João Arruda e os convidados Katya Teixeira, o casal Luiz Salgado e Lilian Fulô e a convidada Carol Ladeira deram mostras de que o encontro seria dos mais marcantes, memorável para quem acompanhasse, mais tarde, a apresentação. Alegria, descontração, bom humor e muita afinidade seguiram em alta na hora do show e serviram de apoio para o rico e poético repertório ser desfiado ao som de viola caipira, violões, rabeca,  instrumentos trazidos da França por Arruda (uma vielle a roue, batizada de mourinha, que soa à manivela, mais um kaiomb, chocalho das Ilhas Reunião), guizos que reproduzem inclusive o correr de uma cascata e os tambores manejados por Lilian Fulô.

Entre as músicas, Katya e Luiz Salgado escalaram do recente álbum lançado por ambos, o 2 Mares, “Tema Incidental Duas Ventarolas”,  “São Gonçalinho”, “São Gonçalo do Brasil”, e “Deusa da Lua”. Katya ainda prestou homenagem à Cesária Évora com “Sodade”, Violeta Parra, com “La Jardinera”, e fez lembrar a rainha Inezita Barroso com “Marcolino”, cuja letra também tem a chama de Pena Branca. Salgado reverenciou Dércio Marques com “Leilão de Jardim”, um poema de Cecilia Meirelles, e entre um causo e outro, além de troca de anedotas com Arruda, cantou com devoção “Décima de Reis”, folia de reis que faz referência ao poder atribuído à cor de cada uma das fitas que enfeitam o cabo de sua requintada viola.

Katya Teixeira

 

Sempre com o acompanhamento de Lilian Fulô na percussão, João Arruda também entrou na roda e soltou a voz. Em duo com Katya e Salgado apresentou “Pega pega”, de Paulo Gomes, mais faixas do recente álbum Venta Moinho. Carol Ladeira completou a festa trazendo logo de saída “Deus me proteja”, de Chico César. Outro Chico, o Saraiva, é autor com Makely Ká de “Do meio do mundo”, que interpretou acompanhada pelas cordas de Arruda. Todos juntos, antes da despedida, entoaram músicas de ponto reverenciando Ogum e congadas.

Nova Imagem6
Luiz Salgado

O “Arreuni” tem apoio do Governo do Estado, por meio do PROAC, vinculado à Secretaria Estadual de Cultura, entidades, empresas e órgãos municipais de Campinas. Em 10 de agosto, João Arruda receberá os violeiros de Minas Gerais Wilson Dias e Pereira da Viola.