638 – Tavito anima mais uma rodada em Poços de Caldas do projeto Composição Ferroviária

tavito arte

O cantor e compositor Tavito, nome artístico de Luís Otávio de Melo Carvalho, um dos ícones da música de Minas Gerais, no domingo, 13 de setembro, será a atração do projeto Composição Ferroviária que os músicos Wolf Borges e Jucilene Buosi promovem em Poços de Caldas (MG). Tavito estará a partir das 10 horas no palco montado no pátio da antiga estação ferroviária da cidade e a apresentação terá entrada franca, precedida por um concerto de um dos mais aclamados violeiros da atualidade, o paulista João Paulo Amaral, regente da Orquestra Filarmônica de Campinas.

Continue Lendo “638 – Tavito anima mais uma rodada em Poços de Caldas do projeto Composição Ferroviária”

Destaque do projeto “A Serra que toca”, hoje é aniversário do músico, professor e regente Braz da Viola (MG)

Braz e Inezita
Com Inezita Barroso, com quem trabalhou e dedicou Feito na Roça, álbum no qual Braz da Viola à frente da Orquestra de Violas Caipira conta com participações de Zé Mulato e Cassiano, Pereira da Viola, Paulo Freire, além da própria rainha da música caipira interpretando Lampião de Gaz

Hoje, 10, o abraço de aniversário do Barulho d’água Música vai até Penedo (RJ), agradável localidade fluminense ao encontro de Braz da Viola, violeiro, regente, luthier e professor que trabalha em salas de aula desde 1990, período durante o qual desenvolveu métodos próprios de ensino, editados em forma de livros, CDs e vídeo aulas em VHS e DVD. Natural de Consolação (MG), Braz da Viola ministrou oficinas dentro do projeto Violeiros do Brasil no SESC Pompeia, em São Paulo, e nas unidades desta entidade em Catanduva, São Carlos, Bauru, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, além do Festival de Música de Ourinhos (SP), Londrina (PR), Itamonte (MG), Itapeva (SP) e dentro do FESTIVALE, no Vale do Jequitinhonha em Bocaiúva (MG) e Montes Claros (MG) dentro da programação do festival de folclore.

Continue Lendo “Destaque do projeto “A Serra que toca”, hoje é aniversário do músico, professor e regente Braz da Viola (MG)”

Tarita de Souza apresenta “A Árvore e o Vento” na Casa do Núcleo e será atração no SESC Pinheiros ao lado de Neymar Dias e André Mehmari

Tarita 3
Apresentação de Tarita, ao centro, na Casa do Núcleo, teve participação de Daniel Conti, Thais Nicodemo (à direita da cantora), Neymar Dias (com a viola), Kabé Pinheiro e Daniel Amorim (ao fundo) Fotos de Elisa Espíndola
É poesia pura “A Árvore e o Vento”, álbum que está chegando assim coladinho com a Primavera, o primeiro trabalho de  competentíssima interpretação da mais nova cantora da música paulistana, paulista e brasileira: Tarita de Souza. Filha da poetisa Jacira de Souza (“filho de peixe…”), Tarita assina a estreia muito bem acompanhada com  a participação de expoentes como Renato Braz, Neymar Dias,  André Mehmari, Caito Marcondes, Daniel Conti e parcerias que incluem Cristina Saraiva, Zé Modesto, Elder Costa, Fred Martins e Manuel Gomes, entre outros. Destacam-se ainda no repertório do disco as releituras para Dona Benta e Canavial, de Ivan Lins e Victor Martins, e Viramundo, de Gilberto Gil e Capinam. 

Continue Lendo “Tarita de Souza apresenta “A Árvore e o Vento” na Casa do Núcleo e será atração no SESC Pinheiros ao lado de Neymar Dias e André Mehmari”

Wolf Borges abre programação de setembro do “Caldos com Sons Brasileiros”, no SESC Osasco

Wolf-int
Wolf Borges, mineiro de Ouro Fino, está há 30 anos na estrada e gravou álbuns em que faz experimentações e, entre outras vertentes, funde a música da terra natal com a dos Estados Unidos

O SESC Osasco abrirá a agenda de setembro do projeto “Caldos com Sons Brasileiros” convidando para esta quinta-feira, 4, Wolf Borges, de Ouro Fino (MG). A apresentação programada para o Deck da Cafeteria começara por volta das 19 horas e enquanto Borges estiver no palco a plateia poderá degustar a sopa da ocasião, à venda pelo preço único de R$ 6,50.

Autor de cinco álbuns, entre os quais “PDQJO Soul” (2013) e “Circo dos Sonhos, Wolf Borges há mais de 30 anos engajou-se na batalha de resgate e experimentação da música brasileira. O primeiro disco, “Ímpar” (1997), que gravou com Elder Costa, é considerado um marco da produção independente, elogiado pela qualidade mercadológica tanto pelos críticos, quanto pelo público. No mais recente, ele faz uma ousada fusão da música mineira com a norte-americana.

Em “Circo dos Sonhos”, produzido cuidadosamente por César Bottinha (guitarras e violões), o mineiro também promove uma sonoridade diferenciada com participações de Fátima Guedes, Toninho Ferraguti, Toninho Horta e João Paulo Amaral, entre outros artistas. As faixas apresentam texturas sofisticadas que atraem ouvintes dotados de maior sensibilidade estética, de amplos horizontes e de bom gosto.

Dono de timbre de voz privilegiado, Wolf Borges é ainda um dos parceiros de Rodrigo Zanc — o araraquarense gravou dele a música “Santo Rei” em seu álbum “Fruto da Lida” (2013).

 

Além de Wolf Borges, em setembro o projeto “Caldos com Sons Brasileiros” terá Cláudio Lacerda (dia 11), Fernando Caselato (dia 18) e Índio Cachoeira (dia 25). O SESC de Osasco fica na Avenida Sport Club Corinthians Paulista, 1.300, jardim das Flores, ao lado do campus da Unifesp.