1013 – Composições instrumentais de Mark Knopfler embalam Altamira, longa do autor de Chariots of Fire*

O Barulho d’água Música abre os trabalhos de 2018 dedicando a primeira atualização do ano (e abrindo uma rara exceção) ao mais recente álbum da discografia de um ícone da guitarra internacional, autor de belas trilhas sonoras para cinema, cantor e compositor líder de uma das bandas mais cultuadas do rock entre 1977 e 1994. O escocês de Glasgow Mark Freuder Knopfler se destacou à frente do grupo ao longo dos 17 anos nos quais o Dire Straits pegou estradas, e, em 1996, inaugurando sua história solo, lançou Golden Heart. Mas ainda no auge do Dire Straits, em 1983, já estreara como compositor de trilhas assinando as canções instrumentais de Local Hero, 35 mm do britânico Bill Forsyth, produzido por David Puttnam. De lá para cá, alternando concertos e turnês mundo afora (que invariavelmente lotam salas de espetáculos, incluindo a majestosa Royal Albert Hall, de Londres) com a gravação de novos discos autorais ou em duplas (com Chat Atkins, por exemplo, Neck and Neck, ou com Emylou Harris, All the Roadrunning, ambos indicados e premiados pelo Grammy) sir Mark Knopfler também não deixou de atender às convocações de diretores dedicados à sétima arte.

Continue Lendo “1013 – Composições instrumentais de Mark Knopfler embalam Altamira, longa do autor de Chariots of Fire*”

Anúncios

922- Alexandre Moschella, violonista que transporta o universo de Riobaldo para as cordas, é atração da Unibes Cultural

(…) Sertão. Sabe o senhor: sertão é onde o pensamento da gente se forma mais forte do que o poder do lugar. Viver é muito perigoso (…)

Trecho de Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa

A obra do escritor João Guimarães Rosa, em especial o livro Grande Sertão: Veredas, tem merecido várias adaptações e releituras nos diversos campos das manifestações artísticas e, na música, espetáculos e discos que permitem à plateia e aos ouvintes conhecer o universo de Riobaldo, principal personagem do consagrado romance no qual o ex-jagunz conta aventuras guerreiras e espirituais mergulhado em atmosferas e sensações, não apenas narradas, mas também cantadas em sua prosa experimentalista e sonora. Um destes trabalhos que procuram aproximar o público do místico sertão roseano é o do violonista paulistano Alexandre Moschella, intitulado grande sertão: variações, atração gratuita que a Unibes (União Brasileiro-Israelita do Bem-Estar Social) Cultural programou para o sábado, 25 de março, a partir das 17 horas. 

Continue Lendo “922- Alexandre Moschella, violonista que transporta o universo de Riobaldo para as cordas, é atração da Unibes Cultural”

882 – DVD gravado em Ribeirão Preto (SP) revela a excelência do repertório da Orquestra Paulistana de Viola Caipira

O Barulho d’água Música recebeu um exemplar de Viola in Concert Ao vivo, DVD gravado em 2009 pela Orquestra Paulistana de Viola Caipira (OPVC) no Teatro Pedro II, situado em Ribeirão Preto (SP), produzido pela Associação São Gonçalo de Estudos Caipiras e com direção musical e arranjos de Rui Torneze. Mais do que um mergulho no universo caipira, resgatando e reinterpretando no presente álbum clássicos tais quais Cabocla (Tonico e Tinoco), Natureza (Dino Franco), Saudades de Matão (Jorge Gallati, Raul Torres e Atenógenes Silva), e Índia (J. Assuncíon Flores/M. Ortiz Guerrero, consagrada por Cascatinha e Inhana em versão de José Fortuna), a OPVC apresenta um trabalho que demonstra o esmero em buscar permanente aprimoramento técnico desde quando foi fundada, mergulhando em outras culturas nacionais e estrangeiras com o intuito de divulgar peças de vários ritmos e épocas e permitir (conforme uma palavra dita por Torneze em certa altura da gravação) “plasmar” pelo emprego da viola outras sonoridades, algumas até antes de serem alcançadas supostamente bem mais complexas e distantes dos recursos possíveis de se extrair do pontear das dez cordas do pinho.

Continue Lendo “882 – DVD gravado em Ribeirão Preto (SP) revela a excelência do repertório da Orquestra Paulistana de Viola Caipira”

843 – Em turnê pelo Brasil, Aline Frazão canta “Insular” com Ceumar, Socorro Lira e Susana Travassos, no Bixiga

A cantora, compositora, guitarrista e produtora Aline Frazão (Luanda/Angola) percorrerá cinco cidades do Brasil durante abril para divulgação do álbum três de sua carreira, Insular, que apresenta novas parcerias — com a poetisa conterrânea Ana Paula Tavares, , e a rapper portuguesa Capicua–  além de uma versão  para Susana, de Rosita Palma, com a participação especial de Toty Sa’Med. Aline Frazão vem se firmando desde o lançamento do primeiro disco Clave Bentu (2011) como um dos nomes sonantes da nova geração de músicos angolanos. Embora atualmente viva em Lisboa, simultaneamente ao trabalho musical integra o painel de cronistas do jornal Rede Angola, para qual assina uma crônica por semana.

Clave Bantu oferece repertório autoral gravado em Santiago de Compostela e conta com duas parcerias inéditas com os escritores angolanos José Eduardo Agualusa e Ondjaki. Depois deste primeiro trabalho, Aline Frazão trouxe a amigos e fãs Movimento, em 2013. Com este vieram as turnês internacionais que a conduziram a Cabo Verde, Quênia, Etiópia, Tanzânia, Alemanha, Brasil, Portugal, Suíça, Noruega e Áustria. Já Insular a levou a Jura, uma pequena ilha da Escócia, e contou com a produção do britânico Giles Perring, mais a considerada decisiva participação do guitarrista Pedro Geraldes (Linda Martini). Luanda acolheu o primeiro concerto, a 31 de outubro do ano passado.

Críticos têm apontado que o mais recente compacto como “um manifesto de economia poética” feito “da mesma matéria dos grandes discos de Paul Simon e Caetano Veloso, porque respira da mesma universalidade e sabedoria”.  Ao tecer os elogios, eles ainda observam: “É um caso sério esta rapariga de 27 anos, que finta as suas origens e as baralha com iguais doses de profundidade e simplicidade, tarefa a que muitos autores se dedicam, mas poucos conseguem”.

A primeira escala neste retorno ao Brasil de Aline Frazão será em Belo Horizonte (MG), conforme cronograma abaixo. Em São Paulo ela cantará a 13 de abril, na casa Mundo Pensante, situada no tradicional bairro do Bixiga. Irão acompanha-la a portuguesa Susana Travassos, Socorro Lira (Brejo do Cruz/PB) e Ceumar (Itanhandu/MG). 

Apresentações de Aline Frazão no Brasil

insular

8 de abril, 20h
Sesc Palladium, Belo Horizonte (MG)
Participações de João Pires e da Nath Rodrigues
Ingressos: R$ 25,00 (inteira) e R$ 12,50 (meia)

10 de abril, 18h
Santander Cultural, Porto Alegre (RS)
Ingressos: R$ 12,00

13 de abril, 20h
Mundo Pensante, São Paulo
Participações: Ceumar, Socorro Lira e Susana Travassos
Rua Treze de Maio, 825, Bela Vista (Bixiga), 11 5082-2657
Ingressos: R$ 15,00

11 de abril, 20h
Teatro Esperança, Jaguarão (RS)
Ingressos: R$ 20,00

15 de abril, 22h
Participação: Natasha Llerena
Bar Semente, Rio de Janeiro (RJ)
Ingressos: R$ 30,00