Barulho d'Água Música

Veículo de divulgação de cantores, duplas, grupos, compositores, projetos, produtores culturais e apresentadores de música independente e de qualidade dos gêneros popular e de raiz. Colabore com nossas atividades: leia, compartilhe e anuncie!


Deixe um comentário

1004 – Jair Marcatti recebe Sidnei de Oliveira para mais um bate-papo da série Retratos do Brasil – Prosa e Música, na BMA

Jair Marcatti (Foto: Daniel Kersys)

Dedos de prosa, boa conversa e muita música. Essa é a receita do Projeto Retratos do Brasil – Prosa e Música que será promovido na Biblioteca Mario de Andrade (BMA/São Paulo) uma vez por mês, às quintas-feiras, entre agosto e dezembro, sempre começando às 19 horas. O idealizador Jair Marcatti, historiador e professor do curso de Relações Internacionais da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM),  pretende mostrar nos cinco encontros o Brasil que a música de cada convidado reflete; um país mais para dentro, mais regional, dos rincões, escondido, mas muito vivo. A cada nova rodada, Marcatti conversa com músicos que, em comum, apresentam olhar aprofundado sobre o Brasil, somado ao trabalho de pesquisa e de resgate das nossas mais entranhadas tradições, com a vantagem dos bate-papos serem pontuados no calor da prosa, ao vivo, pelo som dos instrumentos.

Continuar lendo

Anúncios


Deixe um comentário

868 – André Rass corta o bolo de mais um aniversário em turnê pelo Canadá e Estados Unidos com o Matuto Moderno

A folhinha do Barulho d’água Música marca que em 1° de maio comemora-se o aniversário de André Rass, natural de Dom Pedrito (RS), e atualmente radicado em São Paulo onde desenvolve carreira das mais elogiadas como percussionista, conhecida por participações em destacados projetos acompanhando vários cantores e sobretudo na banda Matuto Moderno. Filho de casal formado por comerciante e dona de casa, André Rass criou-se em meio a festas populares e rodas de choro incentivado pelo pai, violonista, e pelo padrinho, acordeonista. A dupla, assim, tornou-se a primeira referência musical em sua vida. Mais tarde morando em Pelotas, passou a trabalhar profissionalmente como músico, ingressando na banda de Sulimar Rass. Juntos, ele e o irmão viajaram pelo Rio Grande do Sul e tocaram ainda o Uruguai e a Argentina. Nesse período, conheceu músicos tais quais Fernando do Ó, o guitarrista Daniel Sá, Gilberto Oliveira, Egbert Parada, Luciano Nasário, o violonista flamenco Romano Nunes, entre outros, e gravou com a cantora e compositora Ana Mascarenhas,Cardo Peixoto, Avendano Júnior, além do percussionista uruguaio Liber Bermudes, com que estudou ritmos latino-americanos.

Continuar lendo


Deixe um comentário

Centro Cultural Casarão terá Flautins Matuá e Sexteto Clariô (SC) em nova rodada do Dandô-Dércio Marques

dando clario

O grupo Flautins Matuá será anfitrião de uma nova rodada do Dandô Circuito de Música Dércio Marques programada para esta quinta-feira, 18, a partir das 20 horas, quando receberá o catarinense Sexteto Clariô, no Espaço Cultural Casarão, situado no distrito de Barão Geraldo (Campinas/SP). O Flautins Matuá atua desde 2002, formado da vontade de seus integrantes em aprender a tocar pífano e de pesquisar as brincadeiras tradicionais brasileiras. Ex-alunos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Fernando Tocha (pífano e flauta transversal); João Arruda (viola); Marina Reiter (percussão); Franco Galvão (zabumba) e Bruno Dutra (pífanos) desde então já percorreram cidades do país e excursionaram mundo a fora, passando por países como Itália e França.

Já o Sexteto Clariô destaca-se pelo tratamento atualizado em seus arranjos e instrumentação, empregando instrumentos associados à cultura popular brasileira (viola brasileira, rabeca e pífano)  e à música urbana e de concerto (violino, violoncelo, viola de arco, saxofone e flauta transversal). O repertório reúne temas ligados ao Brasil rural e aos ritmos ibéricos, com o intuito de divulgar as vertentes da música brasileira em que as fronteiras entre o popular e o erudito se divergem e se renovam na base das tradições. A escolha do repertório deste espetáculo buscou reunir influências de autores com práticas composicionais diversas, como, por exemplo, César Guerra Peixe, Tião Carreiro, Almir Sater, Elomar Figueira Mello e músicas autorais. Formam o sexteto de Florianópolis Caio de Souza (viola caipira), Marcelo Portela (violão 7 cordas, cavaquinho e rabeca), Jorge Linemburg (violino e rabeca), Tácio Vieira (violoncelo), Fábio Mello (flauta transversal, pífano e sax soprano) e Guilherme Tebet (percussão).

Continuar lendo